sábado, 19 de maio de 2007

Como identificar os falsos profetas?(Parte 1)



O profeta, no contexto neotestamentário, era aquele que "proclamava e interpretava, cheio do Espírito Santo, a palavra de Deus, por chamada divina"(1). A igreja tem os seus profetas trabalhando para o "aperfeiçoamento dos santos", que por meio da homilia, transmitem as verdades do evangelho. Nesses últimos dias há uma proliferação de falsos profetas, são lobos vestidos de ovelha, que alegam ser usados por Deus. Jesus, em
Mateus 7.15-20, mostra como um cristão pode identificar um falso profeta.

1) Tenha cautela

"Acautelai-vos", disse Jesus. Essa expressão significa precaução, cuidado a fim de se evitar um mal. No original grego, essa palavra significa: "fixar a mente em, prestar atenção, cuidar-se... guardar-se, acautelar-se"(2). É um imperativo, ou seja, Jesus nos adverte sobre a necessidade do cuidado.
A igreja hodierna está prestando atenção quanto ao conteúdo doutrinário da pregação? Os cristãos sabem distinguir misticismo herético de verdadadeira espiritualidade? Há preocupação com o discernimento por parte da liderança? Infelizmente, hoje, há um evangelicalismo imediatista, em que não há lugar para análise e reflexação, se "engole" qualquer coisa, qualquer alimento. É preciso exame teológico, ser como os bereanos, que aceitavam a palavra de boa vontade, mas colocava à prova aquilo que ouviam. (At 17.10 e 11). Os bereanos não julgavam precipitadamente, porém tomavam cuidado com a pregação dos profetas, por essa atitude, foram considerados os mais nobres.
Para identificar um falso profeta é necessário cautela, discernimento, apuração. Erwin W. Lutzer escreveu: "temos que distiguir o verdadeiro do que é meio-verdadeiro e reter julgamento pessoal"(3). Quando o crente toma o cuidado em relação a alguém que alega ser profeta, evita o erro de cair nas sutilezas das heresias e não julga ninguém de modo impróprio.
A credulidade cega é tão perigosa como a incredulidade, pois a palavra de nenhum profeta é infalível, todos estão sujeito a erros, pois são simples mortais. Há alguns crentes que exageram, até paracem que estão torcendo para achar erros no sermão do pregador oficial, por outro lado, há aqueles que nunca constestam, acham que tudo vem de Deus, até mesmo as mais bizarras das pregações ou práticas litúrgicas. Muitos pregadores colocam-se como os "ungidos de Deus", estão em um pedestal intocável, "nunca erram".
Em um programa de televisão, um jovem pastor chamava o seu líder de o "maior pregador do mundo", pelos adjetivos aplicados pelo jovem pastor, o seu líder era infalível. Esse modo de ver o líder é muito comum no neopentecostalismo, onde uma denominação confunde-se com o fundador, esse normalmente não tem conselheiros formais, somente ele é quem manda, sendo o único "teólogo", administrador e líder. Os adeptos dessas denominações são, em sua maioria, passivos e aceitam tudo o que seu "apóstolo", missiónario, bispo ou pastor diz. Na prática, acreditam na infalibilidade pastoral, assim como a dotrina católica aceita a infalibilidade papal. Essa passividade é típicamente sectária.
Discernimento, essa é a necessidade das congregações, é saber da diferença entre a verdade e a mentira, ou entre a verdade e a meia-verdade. Um comunidade cristã, e até mesmo crente individulamente, saberá pela análise, identificar os lobos devoradores.

Em breve, a segunda parte desse artigo.

Notas:

1) Stamps, Donald. Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, pg 1814.
2)Rienecker, Fritz. Rogers, Cleon. Chave Linguística do Novo Testamento Grego, Edições Vida Nova, pg 16.
3) Lutzer, Erwin W. Quem é Você para julgar?, CPAD, pg 97.

8 comentários:

Pasica20 disse...

Caro irmão,

Gostei da temática do seu blog, mas os seus favoritos como: Monegismo, O tempora e Norma deixam o seu blog com cara calvinista. Sugiro esses dois, muito bons e com cara de pentecostais, para dar um bom equilíbrio: http://www.arminianismo.com/ e http://elienaijr.wordpress.com/

Um abraço
Paulo Silvano, Pr.

Gutierres Siqueira, 18 anos disse...

Obrigado pelas sugestões! Continue à acompanhar essa blog!
fique na paz!

André Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Silva disse...

Através do blog do pastor Geremias do Couto, cheguei à sua página e louvo a Deus pela disponibilidade em ser um jovem pensador nesse tempo frágil das horas, filosoficamente relativo e propenso a emudecer e iludir jovens cristãos, nessa época de tudo pode, tudo é bobagem.
No tocante à reflexão, sendo eu nordestino, esperei você abranger mais e além dos profetas de púlpito, os profetas de forma isolada, porque aqui, o profeta é aquele irmão ou irmã que ora muito, que fala muito línguas estranhas, mas não declaro isso como conhecimento do grupo menor, mas da massa pentencostal (grupo de não leitores) que tem essa visão restrita, aquele que profere: "Assim diz o Senhor". Portanto, não só irmãos bereanos, mas também a importância de elucidar a igreja sobre como avaliar essa mensagem para não se julgar o profeta e sim a profecia, conforme manda a Bíblia; porque já houve casos do obreiro nem deixou a pessoa termninar a mensagem e agressivamente mandou sentar, pegou pelos braços e saiu levando para fora do templo, até agressão física já houve por isso.
Estou esperando seu novo texto, aqui no Nordeste, especificamente Pernambuco, pregar bem é falar alto, gritar, bater no púlpito e isso virou marca nacional de pastores famosos no jargão: "Recebaagoooooooraaaaaaaa"
Enquanto igreja ouvinte, se não houver gritos de aleluia e glória constantemente, e nem sabemos se ouvimos as glórias ou a mensagem, logo se não for assim, a igreja está fria, muitas vezes são sacudidas pelo animador de palco: "DÊ glória, irmão, diga amém, sinta o anjo te tocar ai" Bom, deixo esses requísios de informação do que acontece aqui nesse pedaço de Nordeste.
Um grande abraço, Espero que você esteja no Congresso em Salvador e se possível, dê uma lida nos meus textos.
Fraternamente,
Irmão André Silva - Carpina - Pernambuco

Gutierres Siqueira, 18 anos disse...

Caro André

obrigado por seus comentários. O que você aborda como problema aí no nordeste é muito comum aqui em são paulo.
Na segunda parte desse artigo estarei abordando esses assuntos. Quanto ao congresso em Salvador nâo será possível eu ir, gostaria muito, mas falta tempo, dinheiro...
Continue a vistar o meu blog!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Excelente matéria Gutierrez, claro, simples e direto.

Que Deus continue o abençoando.
Abraços.

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Parabéns Gutierrez Siqueira!
Que o Senhor continue te abençoando.
É muito difícil encontrarmos um jovem com a sua idade, interessado em dedicar-se na área do ensino na igreja.
Continue assim, pois se não surgirem outros como você, ou se o Senhor não vier logo buscar o seu povo, dentro de pouco tempo, com tanta teologia da prosperidade invadindo nossas igrejas e lares através dos falsos profetas, estaremos vivendo um caos de teologia num deserto sem esperança.

Davi Piala disse...

Deus seja louvado.

Prezados irmãos.

Gostei muito desse post.

Gostaria de dar um testemunho pessoal.

Hoje sou da IEQ e fui anteriormente de um outra denominação neo-pentecostal e o imediatismo foi um dos grandes problemas que eu enfretei dentro dessa denominação e o não observar as escrituras e os tais versiculos soltos foram prejudiciais.

Foi realmente necessario eu me afastar dessa denominação.

Mas pela misericórdia o Senhor tem trabalhado nessa manutenção espiritual da minha vida.

O fato é que existem muitos pastores dentro dessa denominação que são precipitados não estão observando as escrituras e isso tem prejudicado a vida de nossos irmãos e dificultado a evangelização.

Que Deus abençoe a esses homens para que estes mesmos venham a conheçer melhor a palavra do Senhor e viver pela fé em Cristo.

Amém!

Deus abençoe a todos irmãos!