quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Os pseudopentecostais e a distorção da Reforma


Continuando a série de entrevistas sobre a Reforma Protestante hoje veremos a opinião do bispo anglicano Robinson Cavalcanti.

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Edward Robinson de Barros Cavalcanti é teólogo, cientista político e bispo da Igreja Anglicana do Cone Sul da América, dirigindo a diocese de Recife. Mais conhecido como Dom Robinson Cavalcanti, o bispo de Olinda escreveu mais de dez obras, sendo que o último livro Reforçando as Trincheiras (Editora Vida) trata sobre o problema da homossexualidade na Igreja Anglicana e a relata a luta travada por ele contra a intolerância dos liberais.

Nesta entrevista Cavalcanti tratará sobre pentecostalismo, sendo um assunto que ele tem escrito constantemente em sua coluna na revista Ultimato.

Blog Teologia Pentecostal- Qual a sua avaliação sobre o evangelicalismo no Brasil? Quais os pontos positivos e negativos que o senhor apontaria como mais significativos?

Robinson Cavalcanti- As Igrejas Históricas; Congregacional, Presbiteriana, Metodista, Batista e Anglicana chegaram ao Brasil na segunda metade do século XIX todas de linha teológica evangélica, e assim, em sua grande maioria tem se mantido. O Movimento Pentecostal e o Movimento de Renovação Espiritual também preservaram essa posição. Minorias liberais e o pseudo-pentecostalismo é que são vozes destoantes. A ênfase na autoridade da Palavra de Deus e na necessidade de conversão são os pontos mais positivos, a ausência de obras sociais e a débil presença política transformadora são pontos negativos. O anti-intelectualismo e o legalismo são aspectos preocupantes, que necessitam ser superados.

02. Em artigo para a revista Ultimato o senhor escreveu que uma associação maior entre tradicionais (ou reformados) e pentecostais clássicos ascende para a formação de um “bloco histórico”. Em que aspectos os pentecostais clássicos podem contribuir teologicamente para os reformados-tradicionais?

Um “Bloco Histórico” de diálogo e cooperação entre as igrejas históricas e as igrejas pentecostais clássicas fortaleceriam a presença evangélica no Brasil, nos diferenciariam das propostas falsas e promoveriam um enriquecimento mútuo. Nós temos uma longa história e uma teologia madura; vocês têm uma mobilização e um entusiasmo pela missão. Esses aspectos não são excludentes, mas complementares. Preconceitos e visões distorcidas mútuas do passado devem ser superadas, para o bem de todos, da Igreja e do País.

03. Autores anglicanos com C.S. Lewis, John Stott, J.I. Packer e mais recentemente Alister McGrath fazem sucesso entre seminaristas pentecostais. Na Comunhão Anglicana pelo mundo há uma relação teológica e comunal mais estreita com os pentecostais?

A Grande maioria dos líderes de peso na Comunhão Anglicana crêem na contemporaneidade dos dons espirituais, temos um Movimento Anglicano de Renovação (Carismática), e a Conferência de Lambeth (que reúne os bispos do mundo inteiro) já aprovou uma Resolução nos exortando a uma aproximação positiva com o mundo pentecostal. Em nossa Diocese do Recife quase todo mundo é “musarella e calabresa”, ou seja, meio histórico e meio renovado...

04. Quando a palavra “evangélico” é pronunciada logo boa parte das pessoas associam tal expressão às chamadas igrejas neopentecostais. Por que os protestantes históricos perderam representatividade diante do crescimento "neo" pentecostal?

Os pseudo-pentecostais investiram pesado na mídia, adquiriram imensa visibilidade, chamaram para si uma identidade evangélica que não têm. Os demais grupos foram mais tímidos, e isso foi um prejuízo para todos – históricos e pentecostais. No bom sentido, temos que ser mais agressivos, mais presentes, retomando a bandeira que nos pertence.

05. O senhor tem defendido que boa parte das igrejas neopentecostais deveriam receber a nomenclatura de pseudopentecostais. Por que essas novas igrejas não podem ser encaixadas no evangelicalismo?

O Protestantismo se pauta por uma ênfase na autoridade e no ensino da Bíblia e da salvação somente pela Graça mediante a fé em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. O Evangelicalismo tem o seu eixo central na experiência de conversão, de novo nascimento. Valorizamos os ensinos da Reforma. Temos preocupação com a ética e com a sã doutrina. Essas não são marcas do pseudo-pentecostalismo, que, como seitas para-protestantes, se constituem em outro fenômeno religioso.

35 comentários:

Isaias Lobao disse...

Estive na palestra do congresso Vida Nova, onde o bispo apresentou a tese dele. Denunciando que, igreja como a IURD, não são evangélicas. Eu escrevi isso num pequeno artigo que circula pela internet e gostei da posição do bispo. Também gostei de ver a a entrevista dele no seu blog. Isso demonstra que você concorda com ela. Defendo a formação desse "bloco histórico", unindo pentecostais e históricos contra os horrores do liberalismo teológico, da neo-ortodoxi, dos pseudo-pentecostais e demais heresias que surgiram.

zwinglio rodrigues disse...

Gutierres, paz!!

Nada há de novo nessa entrevista...

ou seja:

a conversa não passa de opiniões de um sujeito compromentido com sua própria teologia e com uma denominação que surgiu na história não por causa do Evangelho, mas por causa de questões políticas e interesses pessoais... sem contar a traição de Henrique VIII [primeiro líder de tal denominação] junto a sua esposa Catarina... trocou-a por Ana Bolena... inclusive, o famoso arcebispo de Canterbury, Thomas Cranmer, consentiu com isso...

Com raízes desse tipo, o sujeito ainda vem falar dos outros...

Esse papo todo só ludibria os incautos... os que desconhecem um pouco os meandros da casa alheia...

O que conta é o que ensina a Bíblia... essa é clara e pura... o resto, é a tampa e o balaio...

MARCOS MACIEL disse...

paz.......

boa entrevista com robinson cavalcanti,acho interesante e de grande valor uma maior proximidade entre pentecostais e tradicionais.

Um “Bloco Histórico” de diálogo e cooperação entre as igrejas históricas e as igrejas pentecostais clássicas fortaleceriam a presença evangélica no Brasil, nos diferenciariam das propostas falsas e promoveriam um enriquecimento mútuo.
robinson cavalcanti.

É TEMPO DE BUSCAR AO SENHOR.

Leandro Pessoa disse...

amo "mussarela com calabresa"!

Lucimauro Marques Ferreira. disse...

A paz do Senhor gutierres.
ótima contribuição para a defesa do pentecostalismo clássico,pude ver através dessa entrevista, parabéns, ela nos mostra que ainda é possível ser revertido o quadro pentecostal na atualidade.

Vítor Carvalho Ferolla disse...

O Pava está fazendo uma Newsletter só para blogueiros e dessa vez é sério.

Para entrar na lista basta me enviar um e-mail com seu Nome, E-mail e Endereço de Blog para:

amigodopava@gmail.com

Obrigado

Anônimo disse...

Meio pesado considerar os 'neopentecostais' como seita.
Não sou neopentecostal e não gosto da maneira como algumas denominações neopentecostais abusam da crendice do povo, mas devo chama-los de seita?
Tambêm este estereotipo "igreja histórica tem teologia madura" e "igreja pentecostal" tem dinâmica. O que é teologia madura? Calvinismo? Anglicanismo (aliás em constante crise de identidade)?
Irmão Zwinglio faz bem nos lembrar que a Igreja ANglicana nasceu à partir da imoralidade de Henrique, o Oitavo. Coitada da Ana! Foi decapitada quando o tarado Henrique queria partir para a próxima.
A "teologia histórica" nasceu no berço de uma igreja tão doente como as "neopentecostais".
Será que em 200 anos vão falar de "macedismo" ou "rrsoarismo", e quem seguir estas linhas será histórico.
Quanto a aproximação de "pentecostais" e "históricos" (mussarela e calabresa) fico feliz. Não esqueçam de incluir os "neopentecostais" (presunto?)
Em todos segmentos temos pessoas e denominações com características de seitas e igualmente, pessoas e denominações abertas a uma aproximação fraternal e compartilhar de suas experiências.
Um grande abraço a todos,
Matias

cincosolas disse...

Gutierrez,

Como pentecostal tradicional e calvinista convicto, me alegrei muito com a entrevista do bispo Robison Cavalcante, que admiro de longa data. A proposta do blog Cinco Solas não é Palavra ou Poder, mas Palavra e Poder.

Em que pese o fato de nunca ter entendido muito bem a igreja Anglicana, meio católica e meio protestante, meio liberal e meio conservadora e agora meio renovada e meio histórica, gosto de mussarela com calabresa... tanto que trabalho numa empresa que produz as duas :-)

Parabéns pela entrevista, acho que foi a melhor até agora.

Em Cristo,

Clóvis

Daladier Lima disse...

Acusei em meu livro Respostas Evangélicas à Religiosidade Brasileira, Edições Vida Nova, o problema das igrejas históricas. Salvo exceções, boa parte delas voltou-se sobre seu próprio umbigo, discutindo teologia nos excelentes seminários que possuem, enquanto o sincretismo marcava espaço. Agora é chorar o prejuízo.

Ademais as inúmeras denominações não seriam humildes o suficiente para se unir sequer em torno de um projeto de evangelismo único, o que diríamos de repartir poder!? Edir Macedo agradece.

Anônimo disse...

graça e paz irmão gutierres
a entrevista com o bispo robinson calvacante esta uma benção seu blog está cada vez mais prestigiado entre nós pentecostais classicos. queria deixar uma nota os neo pentecostais.como diz o teologo assembléiano ricardo gondim que está mestrando em ciências da religião na umesp.
eles não são nem protestante. nem evangelicos. são uma nova religião. consulta da ftl na ipib em uma reunião quando o teologo pentecostal assembléiano ricardop gondim era presidente dela. na epoca.
quero deixar claro tambem e bem exposta que um dos fundadores da ftl no brasil foi o teologos e ciêncista politico dom robinson cavlacante o qual tem contribuido muito para com a igreja evangelica brasileira. no mais creio que os neo pentecostais estão pra la de uma nova religião que com certeza é uma seita mesmo igreja tem postura tem perfil tem biblia tem colocação tem base de interpretação tem conotação exegetica e hermenêutica igreja não é qualquer coisa ou qualquer instituição como apresenta as mui camadas de igrejinhas neo pentecostais com suas grandes catedrais que não serve para uma identidade absoluta e verdadeira do evangelho de cristo o evangelho que alva que muda e que leva para morar no ceu a verdadeira base de fé a pratica da biblia e o bom exemplo de cristo atraves da sua palavra.
a igreja evangelica brasileira precisa ensinar mais seus membros a diferença de igreja com religião de igreja com qualquer coisa com nome de igreja que parece mais com meio de vida que jesus tenha piedade e guarde o seu povo

irmão gui
região de sjm da barra

Marcos Vieira disse...

Prezados blogueiros, saúde e paz! Percebo nos comentários uma clara divisão: de um lado os pentecostais clássicos "encantados" com a academia e acreditando que uma aproximação com os "históricos" salvará o evangelicalismo brasileiro; de outro, uma turma que conhece as estruturas das igrejas históricas e como as coisas funcionam por lá e, justamente por isso, tem um discurso não tão otimista quanto a essa aproximação. Confesso: estou no segundo grupo. Sei que não vai adiantar muito, mas como o espaço é democrático e para a troca de idéias, vá lá um conselho: cuidado com os mitos. Todos têm suas "pequenas heresias", como dizia um grande amigo. Por exemplo: quanto ao Robinson Cavalcanti é um excelente cientista político e um teólogo questionável. Já leram o livro dele "Sexualidade e Libertação"? Esse livro criou tanta polêmica que o Lourenço Stelio Rega (hoje diretor da Faculdade Batista de São Paulo) teve que escrever um livro chamado "Como ler Sexualidade e Libertação". Tenho minhas dúvidas de quantos pentecostais clássicos gostariam realmente de uma aproximação com a Igreja Anglicana, após conhecerem seus pressupostos e sua aproximação com o catolicismo e com os liberais. Claro que dentro dela existem pessoas de valor (Stott por exemplo) mas as inconstâncias dentro dela revelam as distorções de suas origens. (Calabresa e Mussarela não se misturam na pizza, cada uma fica do seu lado). Cuidado com os mitos dos títulos. O Gondim agora virou teólogo "assembleiano". E o Teísmo aberto? E a espiritualidade existencial? Circula um vídeo do Pava (esse é outro) na Net onde o Gondim afirma que o conceito de salvação precisa ser revisto como a promoção da vida. Assim sendo, ele continua, tudo aquilo que promove a vida (mesmo fora da Igreja) são expressões da salvação de Deus. Confuso, não? E muito perigoso. Faço voz ao Pr Zwinglio, ao Daladier e ao Matias, esse "bloco histórico" é mais uma utopia do Cavalcanti, como a FTL. A Igreja não está à deriva. Ela tem dono e Senhor. E Ele mesmo se encarregará de uni-la e preservá-la, em torno do Seu projeto e não de vaidades humanas.

Anônimo disse...

GRAÇA E PAZ QUERIDO IRMÃO GUTIERRES MAIS UMA VEZ É UM PRAZER POSTAR AQUI.

creio que o que pode salvar o evangelicaLismo BRASILEIRO é uma volta total para as verdades biblicas sem aumentar ou diminuir alguma coisa. mais vejo que a preocupaçao de muitos lideres na igreja evangelica brasileira não é com tais verdades e sim com sua auto postura e imagem,a biblia e a verdade contidua nela fica para depois. por isto hoje a muitos campos das assembléia de Deus governados por familia ningem sabe quem é o dono da igreja? se é a familia tal ou se é o proprio jesus? a lei só para ovelhas que não são filhos e parentes de pastores, para os proprios filhos de pastores não ha lei a o favor do evangelho. e para os que não são nada da ala que governa a igreja os rigores da lei legalismo familiar. aqui no interior de sp ja está assim e tenho informação de que em muitas outras provincias de campos espalhados pelo brasil está assim tambem.

isto é o evangelicalismo? como consertar isto. simples voltado para a palavra de cristo abrindo a biblia elendo ela com as lentes de cristo e vendo que ele é o dono da igreja e o seu senhor. o que se precisa hoje para uma união é o respeito pelas diferenças de ministerio. e um profundo amor
uns para com os outros. hoje no brasil no seio da igreja evangelica está mais para titulos e posição eclesiasticas lider presidente de campo, presidnete de convenção. e vai por ai a fora

um nota creio que tanto ricardo gondim teologo assembléiano como o bispo robinson cavalcante sempre contribuiu para coma igreja evangelica brasileira em muita coisa.
o problema é que muito esquecem das suas contribuições tanto biblicas e teologicas e começam a olhar para seus derivos teologicos e biblico.
apesar que não da para concordar 100% com teologo ou teologia alguma. da para concordar com a biblia com teologo ou teologia não. e muitos menos com algum lider evangelico. vejo que no brasil a igreja evangelica está amadurecendo muito em seu conceito teologico e na sua interpretações.

aprecio muito a elaboração teologica de doutor lourenço stellio rega
professor de teologia doutorado em ciências da religião pela puc palestrante do congresso de teologia vida nova que tem contribuido muito com a formação teologica da igreja evangelica brasileira. um grande professor de teologia assim como luiz sayão, que é um bom teologo. teologo ed rene kivtz excelente em suas posições teologicas.
fiquei feliz quando vi que o primeiro pastor pentecostal a participar do 1º congresso de teologia vida nova foi o teologo assembléiano ricardo gondim. tanto a palestra dele e como o debate feito com ele "ricardo gondim" durante o comgresso e com varios participantes inclusive esteve la lourenzo stellio. israel belo azevedo,sayão,ary veloso e outros foi uma benção a palestra com o pastor ricardo gondim e o debate e contribuiu muito para com a igreja evangelica brasileira o evento e continua a contribuir ate hoje

que jesus abençoe a nós todos.
pastores que vistem este blog não queram ser donos da igreja seja só pastores apacentadores do rebalho de cristo na terra

IRMÃO GUI
REGIÃO DE SJM DA BARRA SP

Marcos Vieira disse...

Amados, quando questiono o fato do Gondim ser um teólogo "assembleiano", o faço por alguns argumentos:
1°) creio que nem ele gostaria de ser chamado dessa forma, uma vez que rompeu (ou pelo menos revisou) todas as suas antigas convicções (como ele mesmo declara) e entrou numa fase da espiritualidade existencialista;
2°) não questiono o fato dele ser uma pessoa extremamente capacitada e um teólogo profícuo; porém tais coisas não impedem que questionemos os seus pressupostos, principalmente se eles fogem daquilo que historicamente consideramos pontos inegociáveis da fé evangélica;
3°) não se questiona também o fato de haver ele prestado um relevante serviço à reflexão evangélica no Brasil, no entanto, o que era para ser sua maior virtude pode se tornar seu maior vício, uma vez que abandonando a fé ortodoxa leve junto com ele uma grande parte de seus admiradores, lançando-os aos desertos de dúvidas e quetionamentos existenciais, mais próximos de Sartre do que de Jesus Cristo;
4°) o amado irmão Gui, cita em seu último post que o que salvaria o evangelicalismo brasileiro seria um retorno às Escrituras. Concordo plenamente e entendo que o irmão tbem pensa que existem algumas verdades bíblicas das quais nós, evangélicos, não abrimos mão. Elas não são relativas, e sim absolutas. A pergunta então não é o quão eloquente ou brilhante é um teólogo, ou o quanto ele nos encanta com sua teologia, mas sim o quanto ele é bíblico, fiel às Escrituras.
5°) Agora se podemos ser condescendentes com os não-ortodoxos, porque também não o sê-lo com os neopentencostais? O princípio é o mesmo. O que não podemos ter é dois pesos e duas medidas.
6°) Por fim, discordo do Cavalcanti quando ele trata os neo de pseudos, pois entendo que o neopentecostalismo não pode ser encarado como uma instituição, mas sim como uma cosmovisão, uma teologia. E assim sendo seus efeitos (bons ou ruins) ultrapassam as fronteiras das tão injuriadas igrejas neopentencostais. De uma forma ou de outra todas nossas igrejas foram influenciadas por essa forma de teologizar. Há mais neopentecostais em nossos arraiais do que imaginamos. E muitos em nossos púlpitos. A análise portanto é muito mais profunda do que faz o Cavalcanti.

Anônimo disse...

graça e paz irmãos, e amado irmão gutierres
é com muito prazer que escrevo este post e sobre ele uma analise.
da postagem do amado irmão
marcos vieira saudações em cristo irmão muito prazer.

concordo, hoje o teologo pr ricardo gondim não está mais o mesmo. ja tenho ouvido e visto algumas palestra dele em dvd no que ele tece muita coisa que é conflitante teologicamente e biblicamente
vejo tambem que o privilegio dele acabou no arraial evangelico.
porem em um de seus congresso de reflexão o qual ele organizava ele memso se intitulou teologo por ele ser assembléiano então é um teologo assembléiano.
creio que hoje seria dificil o pr ricardo gondim arrastar muitos admiradores dentro deste cesto teologico e biblico dele com tais interpretações a quais ele tem uma reação muito forte contra qualquer base ao contrario o que ele fala. até por então como disse não da para concordar 100% com algum teologo protestante ou pastor,bispo, apostolo,lider de convenção lider de ministerio ou até por então fundador de igreja. ou dono de campo de igreja.
não da para concordar 100%
agora em questão de credibilidade teologica e biblica como pentecostal sempre tive uma profunda admiração por silas malafaia por claudionor de andrade por antonio gilberto esequia soares. paulo romeiro, augustus nicodmeus luiz sayão ed rene , lourenzo stellio. f f bruce james packer robinson cavalcante jonh stott. e tantos outros da linha gem reformada que são grandes teologos e biblistas ortodoxos.tambem grande no bom sentido da palavra mais eu via tambem uma certa base de equilibrio na teologia e na reflexão teologica e biblica do teologo pr ricardo gondim,no que hoje deixa muito a desejar oremos para que ele volte a ser o que ele era antes benção sem medida.

sobre as igrejas neo pentecostais.
discordo de algumas delas tais fazem tão mau quanto
o teismo aberto, a teologia relacional,liberalismo teologico tais igrejas apresentam um DEUS agiota mercantilista, um DEUS de excepção
e a biblia diz que para com ele não a excepção

agora querido irmão marcos vieira é verdade concordo a muitos neo pentecostais em nosso pulpitos em nossas igrejas e culpados somos nós de permitir e não discipular. sabe qual o problema hoje se bate mais em usos e costumes e em ideias furadas e como se deve usar isto e aquilo, não se ensina biblia hoje a campos da assembléia de DEUS vou falar do que conheço que não permite mulher andar de bicicleta, membros da igreja que não pode ir ao congresso da outra igreja que tambem é assembléiana mais é de outro campo,e são liberais só porque usam a tv e a midia radio e não observam usos e costumes, se ensina de tudo dentro da questão pessoal deles menos biblia e como avaliar uma teologia ou uma interpretação biblica que presta, dentro de uma ortodoxia biblica e teologica e sabe aonde tais pessoas depois vão se dicipular na tv. vendo um monte de besteria que nada tem haver com evangelho, na igreja prega biblia e na tv prega-se mais motivação do que biblia, prega-se mais fundamentalismo de ser isto ou aquilo do que a biblia, se prega mais questões da teologia da auto estima do que a teologia da biblia ou seja a propria biblia. e quem perde com isto o proprio povo por falta de conhecimento.e na maior parte de programas de tv que tem no brasil são de igrejas neo pentecostais. concordo a muitas boas igrejas neo pentecostais,cito algumas comunidade da graça de sp excelente, igreja biblica da paz excelente igreja renascer, comunidade da paz, igreja avivamento mundial excelente são só neo pentecostais, mais tem um perfil tão biblico como as pentecostais, depende das igrejas neo pentecostais que podemos chamalas de biblica, e para nossa tristeza tem muitas igrejas pentecostais inclusive assembléia de DEUS que estão tão negativamente biblica e doentes de pulpitos e de liderança como muitas igrejas neo pentecostais que fazem parte da midia
com certeza o irmão deve conhecer muitas igrejas pentecostais que estão fregil de biblia e de uma boa interpretação teologica tudo que aparece eles abraçam seja neo seja pós seja ultra seja o que for vai abalar então é bom, venha suba o microfe é seu manda ver.
quero é que a igreja encha a oferta vai ser boa hun não vejo a hora de tirar a oferta. está mais para meio de vida do que para igreja com certeza você deve conhcer varias assim e que dizem somos pentecostais. ô gloria

admiro muito o bispo dom robinson cavalcante e creio que ele tem muita coisa positiva dentro da sua teologia e da propria biblia mais vejo alguns pontos frios na teologia dele e na sua interpretação biblica, mais prefiro analisar tudo e pegar
o que for bom. mais queria deixar um coisa clara hoje as igrejas que estão surgindo ai estão mais para neo pentecostais. do que para pentecostais. inclusive a geração apostolica o apostolo rene terra nova é neopentecostal ele mesmo disse isto em uma entrevista a revista enfoque e nem por isto o ministerio dele é ruim imagine se todas igrejas que se intitulam neo pentecostais fossem semelhante não igual cada qual tem seu perfil e sua liturgia não vamos uniformizar, creio que seria menos confusão e mais unidade
hoje se disputa pentecostal com pentecostal e neo pentecostal com neo pentecostal aonde vamos parar com isto e as almas quem as disputa para ganhar como fica?
outra coisa os que estão ai fora que ainda não chegaram ate cristo qual a visão deles em relaçao a isto tudo, uma coisa para nós todos pensarmos e principalmente a liderança da igreja evangelica ser lider é uma coisa apascentar é outra.
hoje se tem mais donos de igrejas e poucos apascentadores de ovelhas.

que o senhor jesus cuidade de nós.


nele que está sempre presente

irmão gui
região de sjm da barra sp

Anônimo disse...

graça e paz irmãos, e amado irmão gutierres
é com muito prazer que escrevo este post e sobre ele uma analise.
da postagem do amado irmão
marcos vieira saudações em cristo irmão muito prazer.

concordo, hoje o teologo pr ricardo gondim não está mais o mesmo. ja tenho ouvido e visto algumas palestra dele em dvd no que ele tece muita coisa que é conflitante teologicamente e biblicamente
vejo tambem que o privilegio dele acabou no arraial evangelico.
porem em um de seus congresso de reflexão o qual ele organizava ele memso se intitulou teologo por ele ser assembléiano então é um teologo assembléiano.
creio que hoje seria dificil o pr ricardo gondim arrastar muitos admiradores dentro deste cesto teologico e biblico dele com tais interpretações a quais ele tem uma reação muito forte contra qualquer base ao contrario o que ele fala. até por então como disse não da para concordar 100% com algum teologo protestante ou pastor,bispo, apostolo,lider de convenção lider de ministerio ou até por então fundador de igreja. ou dono de campo de igreja.
não da para concordar 100%
agora em questão de credibilidade teologica e biblica como pentecostal sempre tive uma profunda admiração por silas malafaia por claudionor de andrade por antonio gilberto esequia soares. paulo romeiro, augustus nicodmeus luiz sayão ed rene , lourenzo stellio. f f bruce james packer robinson cavalcante jonh stott. e tantos outros da linha gem reformada que são grandes teologos e biblistas ortodoxos.tambem grande no bom sentido da palavra mais eu via tambem uma certa base de equilibrio na teologia e na reflexão teologica e biblica do teologo pr ricardo gondim,no que hoje deixa muito a desejar oremos para que ele volte a ser o que ele era antes benção sem medida.

sobre as igrejas neo pentecostais.
discordo de algumas delas tais fazem tão mau quanto
o teismo aberto, a teologia relacional,liberalismo teologico tais igrejas apresentam um DEUS agiota mercantilista, um DEUS de excepção
e a biblia diz que para com ele não a excepção

agora querido irmão marcos vieira é verdade concordo a muitos neo pentecostais em nosso pulpitos em nossas igrejas e culpados somos nós de permitir e não discipular. sabe qual o problema hoje se bate mais em usos e costumes e em ideias furadas e como se deve usar isto e aquilo, não se ensina biblia hoje a campos da assembléia de DEUS vou falar do que conheço que não permite mulher andar de bicicleta, membros da igreja que não pode ir ao congresso da outra igreja que tambem é assembléiana mais é de outro campo,e são liberais só porque usam a tv e a midia radio e não observam usos e costumes, se ensina de tudo dentro da questão pessoal deles menos biblia e como avaliar uma teologia ou uma interpretação biblica que presta, dentro de uma ortodoxia biblica e teologica e sabe aonde tais pessoas depois vão se dicipular na tv. vendo um monte de besteria que nada tem haver com evangelho, na igreja prega biblia e na tv prega-se mais motivação do que biblia, prega-se mais fundamentalismo de ser isto ou aquilo do que a biblia, se prega mais questões da teologia da auto estima do que a teologia da biblia ou seja a propria biblia. e quem perde com isto o proprio povo por falta de conhecimento.e na maior parte de programas de tv que tem no brasil são de igrejas neo pentecostais. concordo a muitas boas igrejas neo pentecostais,cito algumas comunidade da graça de sp excelente, igreja biblica da paz excelente igreja renascer, comunidade da paz, igreja avivamento mundial excelente são só neo pentecostais, mais tem um perfil tão biblico como as pentecostais, depende das igrejas neo pentecostais que podemos chamalas de biblica, e para nossa tristeza tem muitas igrejas pentecostais inclusive assembléia de DEUS que estão tão negativamente biblica e doentes de pulpitos e de liderança como muitas igrejas neo pentecostais que fazem parte da midia
com certeza o irmão deve conhecer muitas igrejas pentecostais que estão fregil de biblia e de uma boa interpretação teologica tudo que aparece eles abraçam seja neo seja pós seja ultra seja o que for vai abalar então é bom, venha suba o microfe é seu manda ver.
quero é que a igreja encha a oferta vai ser boa hun não vejo a hora de tirar a oferta. está mais para meio de vida do que para igreja com certeza você deve conhcer varias assim e que dizem somos pentecostais. ô gloria

admiro muito o bispo dom robinson cavalcante e creio que ele tem muita coisa positiva dentro da sua teologia e da propria biblia mais vejo alguns pontos frios na teologia dele e na sua interpretação biblica, mais prefiro analisar tudo e pegar
o que for bom. mais queria deixar um coisa clara hoje as igrejas que estão surgindo ai estão mais para neo pentecostais. do que para pentecostais. inclusive a geração apostolica o apostolo rene terra nova é neopentecostal ele mesmo disse isto em uma entrevista a revista enfoque e nem por isto o ministerio dele é ruim imagine se todas igrejas que se intitulam neo pentecostais fossem semelhante não igual cada qual tem seu perfil e sua liturgia não vamos uniformizar, creio que seria menos confusão e mais unidade
hoje se disputa pentecostal com pentecostal e neo pentecostal com neo pentecostal aonde vamos parar com isto e as almas quem as disputa para ganhar como fica?
outra coisa os que estão ai fora que ainda não chegaram ate cristo qual a visão deles em relaçao a isto tudo, uma coisa para nós todos pensarmos e principalmente a liderança da igreja evangelica ser lider é uma coisa apascentar é outra.
hoje se tem mais donos de igrejas e poucos apascentadores de ovelhas.

que o senhor jesus cuidade de nós.


nele que está sempre presente

irmão gui
região de sjm da barra sp

Victor Leonardo Barbosa disse...

Caros Marcos, não creio eu que os pentecostais clássicos estão "encantados" com a academia. Todavia, o pentecostalismo vem cada vez mais se aperfeiçoando academicamente. Obviamente que virá um grande entusiasmo como consequencia, nada que se chegue a um feitiço.

As igrejas históricas têm seus problemas, mas o foco não está nos problemas, mas nas semelhanças existentes entre elas, assim como na concordância.

Anônimo disse...

Quem acredita que haja interesse dos 'poderosos' em aproximar as igrejas clássicas e pentecostais está enganado. Eu mesmo sou membro de uma igreja histórica, que se diz aberta e 'prá frente', mas é totalmente preconceituosa quanto ao pentecostalismo. Preferem em nome do 'intelectualismo' fazer referencia a algum escritor católico (do tipo Anselm Gruen ou Henri Nouwen) ou a um pseudo-espiritual Brennan Manning (que é im poço de contradições), mas nunca vão fazer referencia à um ANtonio Gilberto, Geremias de Couto, Abraao de Almeida, David Wilkerson etc. Eu sofro com isto, pois acredito no potencial da teologia pentecostal, mas o preconceito (será que é social?) não permite a abertura para esta corrente.
É pura utopia a aproximação. Entre o povo pode até existir, entre os 'poderosos' não.
Mesmo o inimigo comum, o 'neopentecostalismo' não unirá estas correntes.
parabéns ao Marcos Vieira pela sua análise.
Abraço,
Matias

Antoniel Gomes disse...

Olá amigo Gutierres,mais uma véz quero contribuir com minha humilde opinião. Sobre o tema por vc abordado nessa entrevista,acredito assim, como o irmão Zwinglio Rodrigues, Que a opinião do bispo têm muito de sua visão teológica denominacional,do comprometimento dele com essa teologia anglicana,que como bem lembra o irmão Zwinglio, a tal igreja nasceu não por causa do amor ao evangelho e sim, por motivações politicas e até mesmo por causa de interesse de um rei(seu fundador) em divorciar-se.Tenho alertado do perigo de fazermos os mesmos julgamentos errôneos que sofria-mos no passado, e que ainda sofremos hoje mesmo que de forma menos intença por parte dos não-pentecostais.Essa idéia que os históricos são mais inteligentes,mais prepados teologicamente é uma inverdade na realidade são eles que se gabam disso provando que não intendem nada pois esqueceram o fundamentala da teologia biblica que é ser humilde.ABração

zwinglio rodrigues, pr. disse...

Victor, paz!

"As igrejas históricas têm seus problemas, mas o foco não está nos problemas, mas nas semelhanças existentes entre elas, assim como na concordância."
-----------------------------------
Semelhanças e Concordâncias?!! Quais?!!!

Indique-as para vermos se vocês podem de fato chamar a NÓS, NEOS, de PSEUDO-PENTECOSTAIS...

zwinglio rodrigues, pr. disse...

Antoniel, paz!

"Essa idéia que os históricos são mais inteligentes,mais prepados teologicamente é uma inverdade na realidade são eles que se gabam disso"
-----------------------------------
Sabe em cima de quem eles construíram eese sofisma?!! Em cima dos PENTECOSTAIS que agora mendigam figurar entre eles, os VAIDOSOS, SOBERBOS, AUTO-ENGANADORES... irmãos históricos...

Seria cômico se não fosse trágico...

Eduardo Neves disse...

Graça e Paz

Olá irmão, nos próximos meses estarei postando no “Entendes tu o que lês?” sobre a História do Cristianismo!

Vou apontar ligeiramente alguns aspectos da história da igreja, especialmente: evangelização (estratégia da expansão e teologia missionária), política (a relação da igreja com o estado) e culto (desenvolvimento litúrgico e organização formal da igreja).

* IGREJA E CULTO (Novembro-Dezembro)
* IGREJA E POLÍTICA (Janeiro)
* IGREJA E EVANGELIZAÇÃO (Fevereiro)

Será um estudo que tem por finalidade levar nossos amigos leitores a enxergar o grande abismo entre o verdadeiro ideal da igreja cristã e o estado presente de omissão, hierarquização e aburguesamento (com raras exceções).

Necessariamente alguns textos serão controversos. Deles discorde. Essencialmente alguns textos induzirão os nossos pressupostos. A partir destes, discuta. E aos que existirem erros, denuncie!

Agora se alguém reconhecer que os escritos são verdadeiros, não os ignore.

Parabéns pelo seu blog! Espero sua visita e comentário!

Um abraço!
Eduardo Neves.

Anônimo disse...

GRAÇA E PAZ IRMÃO GUTIERRES E DEMAIS IRMÃOS.
analisando as demais postagem neste blog abençoadissimo quero fazer está postagem dentro da mais imtima humildade reconhecendo que ainda tenho muito que aprender e quero aprender, e tenho aprendido muito olhando as postagem neste blog do amado irmão gutierres e demais irmãos que postam aqui
sou admirador do professor isaias lobão um abraço smpre leio seus artigos


sobre os teologos ou biblistas de igrejas historicas fazer uma referencia a algum teologo pentecostal ou pensador cristão pentecostal, não existir não é bem assim.
o reverendo augustus nicodemus lopes um dos maiores teologos da IPB no brasil e um grande expositor e exegeta ja fez várias homenagem a teologos pentecostal.
COMO PAULO ROMERO, ESEQUIAS SOARES a questão teologica e definição da teologia pentecostal é que os assembléiano, e pentecostais em termo geral deixaram muito a desejar em sua formação teologica e avançar assim como nosso irmãos historico avançaram. ainda ha CAMPOS eclesiasiticos dentro da propria convenção da ASSEMBLÉIA DE DEUS, que não permite o membro estudar em uma escola teologica ou faculdade de teologia presbiteriana ou batistas. o cara é ate excluido de suas ativiades na igreja. ex se quer estudar teologia vai estudar na EETAD NA FAETAD. ai pergunto o que é a faetad e a eetad e IB DE PINDAMONHANGABA, perto de uma faculdade teologica batista de são paulo, perto de uma umesp. "nossa umesp" sou wesleyano, perto de uma FTML. perto de uma FTSA,alguns presidente de campos da assembléia de DEUS, não permitem o contato de seus membros com tais instituições teologicas que estão ai apreparando lideres para este novo tempo, vejo que não ha como fazer muitas referencias academicas aos teologo pentecostais afinal de conta quem são os teologos pentecostais de renome academicamente? pentecostais tirando de doutor paulo romerio que é professor na mackenzie. de esequias soares que é professor de teologia na faetel. e apologista mais sem obra de peso academicamente,claudionor de andrade que é ligado a SBB. e aprende muitos ao lado de grandes homens sabios como doutor Rud zimmer e outros eruditos da biblia e da teologia O MAIOR TEOLOGO pentecostal do mundo é sem duvida STALNEY HORTON
os demais estão se atualizando e a melhor atualização teologica e biblica é sem duvida junto aos irmãos historicos. não em unidade ministerial e eclesiasitica mais dentro da comunhão entre irmão e irmão, precisa ser feita esta ponte de amizade intima afinal os historicos tem muito a aprender com nós pentecostais e nós pentecostais temos mais ainda a aprender com nossos irmãos historicos que jesus una este laço de amor e amizade sem qualquer outro preceito de visão. mais simplesmente com uma boa visão e aprender mais e fazer o melhor para cristo e para sua amada igreja seja util a obra esta é a visão

abraços a todos irmãos historicos
COM MUITA ADMIRAÇÃO

IRMÃO GUI REGIÃO DE S JM DA BARRA
WESLEYNO PENTECOSTAL

Anônimo disse...

Caros amigos,
enquanto este blog indica outros blogs de origem calvinista (O tempora, o mores etc) ou do pós-evangélico Ricardo Gondim, vocês não vão encontrar nos referidos blogs alguma referencia ao blog "teologia pentecostal", "confraria pentecostal" etc etc. Por que? Porque para os calvinistas, a teologia pentecostal é imatura ou até herética, para o Sr Ricardo Gondim, a teologia pentecostal e a calvinista é "fundamentalismo" e "antihumana e antidivina".
Considerem isto!
Para certos grupos, pentecostais e neopentecostais são segmentos que se distanciaram da "sagrada e verdadeira teologia histórica", são "ignorantes" etc. Este preconceito é o que me entristece (e não é porque sou pentecostal, sou formado por um seminário reformado, mas é porque me entristeço com a divisão e preconceito no cristianismo).
Quanto ao Paulo Romeiro. Sim, ele é pentecostal e é professor do presbiteriano Mackenzie. Ele é uma peça importante no combate ao neopentecostalismo (veja seu livro sobre as igrejas neopentecostais "Decepcionado com a graça" (indireta para a Igreja Int da Graça?). Mas se Paulo romeiro fizesse um livro sobre a teologia pentecostal, será que ainda seria ouvido no meio histórico? Creio que não.
Digo: se é o combate contra o "neopentecostalismo" que une pentecostais e históricos somos miseráveis. Quando a aproximação deve-se a fome de Deus, o desejo de aprendermos uns dos outros, orarmos juntos a Deus por um avivamento verdadeiro em nossa nação e igreja, então sim, será uma aproximação realizada pelo Espírito de Deus.
Desculpem meu negativismo, mas tenho convivido muito tempo com os dois segmentos e em diversos lugares, para chegar a conclusão: o corpo de Cristo continua dividido pelo preconceito, pela soberba, pela religiosidade e pelo poder eclesiástico.
Abraço,
MAtias

Gutierres Siqueira disse...

Caros amigos,

Estou acompanhado atentamente esse rico debate, desculpe pela falta de participação. Todos que estudam sabem que esses últimos dias de novembro são terríveis, portanto volto logo! Continuem o debate...

PS: Fico surpreso que os irmãos reformados simpáticos ao pentecostalismo não acreditem em uma maior interação entre tradicionais e pentecostais. Falo isso porque vocês já são um exemplo (prova viva) desse início saudável de interação.

Marcos Vieira disse...

Prezado Gutierres

Com relação a sua observação, digo-lhe: creio na unidade dos cristãos, pois afinal, Cristo orou por ela (João 17), mas descreio na aproximação das denominações. Acredite o fato de sermos no mínimo simpáticos ao pentecostalismo nos causa muitos problemas internos. A Igreja na qual sou, pela graça de Deus, pastor auxiliar, é uma igreja avivada filiada a uma convenção histórica. Conclusão: as demais igrejas de nossa denominação na cidade nos "excomungaram" e nos denunciaram na convenção como hereges. Aconteceu, porém que devido ao nosso crescimento numérico e físico (tudo pela graça misericordiosa de Deus) construímos um novo templo três vezes maior, o que chamou a atenção da cidade, dos políticos, etc. Resultado: a convenção hoje nos pediu para não nos desligarmos, a convivência é possível, blá, blá. Mas o boicote continua. Isso é um pequeno exemplo (quase um desabafo). O Matias tem toda razão quando sinaliza para o preconceito dos tradicionais: eles ficam felizes quando vêem os pentecostais se aproximando da fé histórica, mas não falam nada quando se trata dos históricos aprenderem com os pentecostais. Mas veja sua própria denominação, percebe nela algum movimento concreto de aproximação com outras igrejas evangélicas? Percebe alguma parceria na utilização dos meios de comunicação, das universidades e escolas, dos hospitais evangélicos visando à evangelização ou a promoção humana? Se existem são pontuais e geralmente esforços individuais. A busca do status, do poder, do sucesso fala mais alto. Conheço o relato de alguns lugares do mundo onde houve uma grande aproximação de todas as Igrejas, mas via de regra, isso se deu por obra soberana de Deus, usando uma grande catástrofe, ou um caos político, ou mesmo através de um grande avivamento. Por esse último temos orado. Só Deus poderá fazer isso. Mas não gostaria também de desanimá-los. Vocês são jovens, talentosos e positivamente sonhadores. Vão em frente. Já tivemos esses sonhos tbem. Com a VINDE e a AEvB do Caio Fábio, com o Movimento Evangélico Progressista do próprio Cavalcanti, etc. O restante da história vcs conhecem. Hoje meu amigo, depois de inúmeras decepções, eu abandonei as utopias com exceção de uma, a única utopia possível: o Reino de Deus. Essa, em minha opinião, é a única bandeira digna de ser levantada. Abs.

Anônimo disse...

Olá Amados irmãos em Cristo Jesus

É um enorme prazer postar aqui no Blog do nosso querido e saldozo amigo Gutierres Siqueira.

O Debate está cada vez melhor, é uma benção ter tantos amados estudantes da bíblia e teologia reunidos em um unico espaço trocando idéias, debatendo questões como estás.

Como alguns ( algum ) irmão(s) disse aqui acima, devemos mesmo é voltar a Atitude Plena das escrituras, e seguir , ler e reler a mesma, para então defirnirmos algum em questão.

Hoje as igrejas evangelicas sofrem uma queda drastica de estudo tanto da bíblia quanto da teologia, isso qualquer um pode notar. Qualquer um pode notar também que grandes nomes como Ricardo Gondim, Paulo Romeiro, Ed Rene Kivitz, Augustus Nicodemus , Luis Sayão, Russel Shedd e tantos outros, sempre contribuiram para o meio evangélico.Muitos pastores, ao invez de dar algum estudo sobre a Bíblia ou alguma coisa interessante para com os membros, falam mais é de uso e costumes, falam sobre outras coisas que não tem nada haver com o objetivo central da Igreja que é a explicação e pregação da Palavra de Deus.

Outra coisa, devemos também saber filtrar e discernir as coisas,para não sairmos falando qualquer coisa não é verdade ? Como ja disseram não podemos concordar 100% com Teologia alguma ou com Pastor Algum ou Lider algum, mais podemos filtrar o que é bom dos mesmo e aplicar-mos tanto na nossa vida pessoal quanto na nossa vida cristã que é muito importante tanto para nós, tanto para com nosso Deus.

Abraços Queridos e tenham uma ótima Noite.

Marcelo
Franca - SP

Victor Leonardo Barbosa disse...

Caro zuinglio, as semelhanças são muito grande entre pentecostais clássicos e tradicionais. e tiro como exemplo a minha denominação (AD) em Belém.

Apesar das grande mudanças ocorridas em algumas congregações devido ao neopentecostalismo, quem for na Primeira Igreja Batista(PIB) constatará que o estilo de culto, formato e doutrina são idênticos aos dos pentecostais. Afinal, como já relatei anteriormente aqui, a grande diferença dos pentecostais para as outras denominações, quando surgiram, era a atualidade dos dons do Espírito.O argumento que os pentecostais davam mais valor para a emoção e experiências veio depois, mas a grande batalha era cessacionismo X dispensacionalismo.Todavia, hoje os tempo são outros, muitos tradicionais, inclusive presbiterianos e reformados, começam a ver a atualidade dos dons do Espírito, e começam a cada vez mais entender a verdadeira motivação pentecostal.

Enquanto que muitos pentecostais dão ênfase na doutrina bíblica, na suficiência da palavra de Deus, na pregação do evangelho como elemento mais importante do culto, que por sua vez é centrado em Deus(Cristo). Neopentecostais como Edir Macedo buscam e valorizam $eu$ princípio$, outros como R. R. Soares valorizam, de forma mais soft a prosperidade física, o "decretar" palavras de benção, outros como o G12, apesar de mais calmo em alguns setores hoje(muitos que o adotam, ainda assim mantém certos elementos tradicionais em sua doutrina) valorizam os mais variados modismos, juntamente com suas células e "discipuladores" que acabam por criar uma dependência espiritual, pessoal e social com suas "ovelhas". Neste discipulado, acabam fazendo discípulos para si, e não para Cristo. Tudo isso tantos outros fatores levam a crer sim, que o neopentecostalismo, em termos gerais, é um pseudo-pentecostalismo, apesar de muitos dentro de igrejas neopentecostais, por misericórdia de Deus, são salvos realmente. Todavia, uma outra grande multidão é enganada dos verdadeiros princípios do Evangelho.

obs: desculpe a demora ao responder, mas assim como o Gutierres, ando bastante atarefado com a faculdade e outros afazeres.

Anônimo disse...

Mais uma vez devo enfatizar que o Marcos Vieira tem razão. É triste, mas é a realidade.
Quanto a abertura da denominação do nosso irmão Gutierres não consigo opinar, conheço muito pouco na prática (conheço mais as que saíram da tradicional AD, tipo "Bom Retiro", "Betesda" etc). Sinto em algumas AD que o que impede a aproximação com outros grupos é:
-o forte legalismo ainda presente em muitas delas
-a política(gem) eclesiástica das comunidades locais
A igreja pentecostal precisa, ao meu ver, ainda democratizar a liderança (não estou pedindo que vire "batista", apenas descentralize o poder). O pastor pentecostal (muitas vezes, mas não quero generalizar) é visto como "o anjo da igreja", "o ungido do Senhor", "a autoridade espiritual". Isto é um fator que dificulta a aproximação, pois alguns temem perder sua influência ou as "suas" ovelhas de "sua" igreja migrarem para outro grupo.
Enquanto isto nos históricos o medo é mesmo de se "contaminar" com as "heresias pentecostais...." Então é melhor não se aproximar da "fonte venenosa" e "desprezível"
Ah, como sofro com isto, queridos!
Abraço,
Matias

zwinglio rodrigues, pr. disse...

Victor, paz!

Eu pensei que vc iria dizer que o que liga vocês PENTECOSTAIS aos HISTÓRICOS são as doutrinas fundamentais... convicções do tipo sola scriptura, sola gratia, sola fide...

elas, nós NEOS as professamos SIM... logo, não somos PSEUDO-PENTECOSTAIS coisa nenhuma... a rigor, o que somos mesmo é MEMBROS do CORPO de CRISTO para desespero de vocês...

quanto às liturgias, isso é muito subjetivo... ser dogmático em relação a isso é uma tolice...

fico feliz por nossa liturgia ser diferente da de vocês... afinal de contas, o culto que prestamos é ao ETERNO... não temos que obedecer os padrões de ninguém... nem temos que nos assemelhar quanto a forma cúltica de ninguém... só DEUS tem como "medir" se os cultos que A ou B prestam a ELE são em espírito e em verdade...

Sobre a contemporaneidade de TODOS os DONS de 1Co 12... nós nunca tivemos dúvidas... aliás, fazemos um farto uso dos mesmos... até mais que vocês, PENTECOSTAIS, que são uma espécie de conservadores no que tange o uso dos DONS... são cheios de "dedos"... diferentemente da Igreja Primitva...

Sobre o trabalho de discipulado na visão celular, seguimos os padrões para o discipulado segundo os delineados por Paulo e cia nas páginas do NT... ninguém faz discípulo para si... os que são "meus" discípulos, só os são porque sou de Cristo... "sede meus imitadores como eu sou de Cristo"... no final das contas, vivendo segundo as ESCRITURAS, todos nós somo discípulos dO SENHOR JESUS CRISTO...

Quanto a Edir Macedo... no meio dos PENTE e dos HIST não têm sujeitos de caráter duvidoso igual ao dele?!! Certamente que sim...a única diferença é que esseas estão fora do palco porque nunca foram "espertos" como Macedo... por isso são desconhecidos do grande público... ladrão, corrupto, etc., tem em tudo que é denominação... já está previsto nos Evangelhos que onde houver o trigo haverá o joio...

R.R. Soares, até provem o contrário é uma reserva moral no meio evangélico... até mais do que muitos vaidosos PENT e HISTO... tenho observado nos cultos da IIGD pela TV exortações quanto a uma vida santa, reta, segundo a Palavra... eles não apenas falam de vitórias financeiras, curas... não.... só não enxerga isso quem não quer... ou então quem é cego...

Irmão, assim que você puder... demonstre para esse NEOPENTECOSTAL aqui, o que você chama de "verdadeiros princípios do Evangelho"... vejamos se nós NEOS não os observamos... apenas espero que o que você chama de verdadeiro... não esteja calcado em uma tradição teológica-denominacionalista-humana...
----------------------------

Ao colega Marcos Vieira, quero dar os meus parabén por tanta lucidez demonstrada por aqui... aprendamo todos nós com o irmãos Marcos..

Cristiano Santana disse...

Segundo a física, entropia seria o estado de desordem ou desorganização de um sistema. Assim, a entropia crescente levaria à desorganização crescente. Em termos práticos, tudo que se constrói tende a se destruir, a se desfazer.

A Igreja, não como corpo espiritual, mas como estrutura institucional onde congregam aqueles que se chamam cristãos, está passando por um processo acelerado de "entropia prático-teológica". A tendência é esse caos aumentar ainda mais. O sistema protestante de práticas, costumes e doutrinas, que há tempos atrás era mais ou menos coeso, continuará gerando um multiplicidade de novos movimentos. Diferentemente das leis da Física, o elemento de desordem aqui é o próprio homem que, movido pelo amor ao dinheiro e poder, esquece do ideal de unidade ensinado por Cristo e resolve criar seu próprio reino, sem relação alguma com aquele, instituído por Cristo.

É totalmente utópica a possibilidade de criação de um "bloco histórico de cooperação". É mais fácil ocorrer um acordo de paz definitivo entre os israelenses e palestinos do que uma aliança entre os atuais líderes evangélicos. Cada uma deles está preocupado, única e exclusivamente, em manter seu império.

Mas isso tudo é o cumprimento da Palavra de Deus. Os 7.000 que não dobraram o joelho a Baal estão espalhados em todas as denominações existentes e Deus os usará, onde estão mesmo, para proclamar o Evangelho puro e sem mácula, até a volta do Senhor Jesus Cristo.

Lá na glória, tenho certeza, a unidade, enfim, será realidade.

Cristiano Santana
http://cristisantana.blogspot.com

zwinglio rodrigues, pr. disse...

Cristiano, paz!!

Parabéns pela objetividade e pela lucidez!!

"O SENHOR conhece os que são seus"

O resto, é conversa mole... é coisa de gente que precisa ficar destilando o seu poder de retórica, o seu poder teologal... é coisa de gente que precisa de destaque... eles apontam: esse ou aquele, pertence ou não pertence a CRISTO... aí, do mais alto céu, DEUS brada:

"EU sei quem são os meus... e os faço lembrar: 'nem todo que me diz SENHOR, SENHOR, entrarão no meu reino...'"

Afinal de contas, quem é quem mesmo nessa história toda?!!

Só ELE sabe...

Amém!!

Gutierres Siqueira disse...

Amigos,

Venho ratificar que acredito em uma cooperação entre pentecostais clássicos e protestantes tradicionais, tanto teológica quanto missiológica. Não acho que precisamos criar instituições, como uma “Associação disso e daquilo”. Essa cooperação pode nascer naturalmente, como aqui tem nascido...

Abraços a todos!

Joao Cruzue disse...

.


Gutierres,

Este blog tem muita personalidade; quero dizer: substância.

Belo trabalho!

A paz do Senhor Jesus,

Irmão João.

Charles Gomes disse...

preconceito existe das duas partes, se for desanimar pelos preconceituosos nada pode ser feito.

o problema do neopentecostalismo é o neo, qual o problema do pentecostalismo? pentecostalsmo morreu? pq a necessidade do neo?

ora, os neopentecostais são anti-tradicionais por excelência, é do preconceito deles ao sair por aí dizendo que as igrejas trad. são frias etc..

e por isso possuem uma teologia/apologética pobres, pq quando se cortam os laços com o cristianismo histórico e toda sua robustez, nada mais sobra além de cegos guiando cegos, malentendendo todo mundo, dando-se títulos e cargos só importantes no próprio meio, mas fora dele não valem nada.

Enfim, quanto mais radicalismo, e anti-tradicionalismo se ver (como esse ataque bobo à igreja anglicana sobre seu primeiro líder) mais afastados, pq entusiasmo leva a pessoa até algum lugar, mas para manter a pessoa na igreja, é necessário teologia para responder as dúvidas e fortalecer a confiança Nele.

Unknown disse...

Gutierres,

A entrevista é excelente, tão quanto as respostas do Robinson.

O legado dele é, sem dúvidas, de alguém que levou a sério a mensagem do evangelho e a seriedade na responsabilidade da Igreja em promover transformação. É uma grande perda.

Estou colocando no blog que edito essa entrevista com os devidos créditos.

Tiago,
Editor do Blog do Lino - www.tiagolinno.wordpress.com