sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

A falsa humildade dos agnósticos cristãos!

Em tempos que alguns cristãos já não acreditam na objetividade da verdade. Em tempos onde tudo está sob a ditadura da relatividade. Em tempos onde cristãos se comportam como agnósticos.  Em tempos que a moda é “revisar” a fé e a doutrina, colocando pressupostos dos antigos filósofos. Em tempos que para uns Sartre, Nietzsche e Dalai Lama são referências teológicas e de espiritualidade... Eis que leio as ótimas sacadas do filósofo inglês Gilbert Keith Chesterton (1874- 1936), que falando sobre uma falsa humildade, disse:

O que sofremos hoje é de humildade no lugar errado. A modéstia se afastou do setor da ambição e se estabeleceu na área das convicções, o que nunca deveria ter acontecido. Um homem devia mostrar-se duvidoso a respeito de si mesmo, mas não a respeito da verdade; isto foi invertido completamente. Hoje, aquilo no qual o homem confia é exatamente aquilo em que ele não deveria confiar - nele mesmo. Aquilo que ele duvida é exatamente o que ele não deveria duvidar - a razão divina... O cético moderno propõe ser tão humilde que duvida se pode aprender... Existe uma humildade característica de nossa época; acontece, porém, que ela é uma humildade mais venenosa do que as mais severas prostrações dos ascéticos... A velha humildade fazia que o homem duvidasse de seus esforços, e isto, por sua vez, o levaria a trabalhar com mais empenho. Mas a nova humildade torna o homem duvidoso a respeito de seus alvos; e isto o faz parar de trabalhar completamente... Esta mos a caminho de produzir uma raça de homens tão mentalmente modestos que serão incapazes de acreditar na tabuada de multiplicação. (G. K. Chesterton)

Hoje, infelizmente muitos já não sabem afirmar em quem tem crido, pois estão ludibriados por uma dúvida que não leva ninguém a lugar algum. Encaram a dúvida em si mesma, uma dúvida que não busca respostas ou nunca se conforma com nenhuma resposta. Uma dúvida de arrogantes, típica de pseudo-humildes!

7 comentários:

zwinglio rodrigues disse...

Gutierres, paz!

É uma pena que o tempo dispensado para escrever essas breves linhas não tenha sido o meu...

Por isso... não digo Aleluia!!

Por outro lado, foi bom que o tempo gasto para lê-las foi o meu meu... agora sim...

Por isso... dou Glória a Deus!!

Luis Paulo Silva disse...

A Paz do Senhor amado!

Gostei do conteúdo do seu blog e add aos meus acompanhados.

Que Deus continue te abençoando.

Luis Paulo Silva.

Jarson Brenner disse...

Gutierres, paz seja contigo e comigo!

Realmente há homens duvidosos e de falsa humildade. Mas há também aqueles que tem, na dúvida, um motor que os faz querer melhorar. Pessoalmente uso a dúvida para aprofundar os estudos, o conhecimento. Vi no seu perfil que temos aproximadamente a mesma idade, e que você pertence à mesma denominação à qual um dia participei. Isso faz com que tenhamos algumas similaridades, destaco: o raciocínio aguçado, inato da nossa jovialidade.

Esse raciocínio, no entanto, pode nos levar à muitos e diferentes caminhos. Eu escolhi aquilo que chamo de peregrinação, que é um vagar auto-induzido por diversas religiões e filosofias. Ora teísta, agnóstico ou ateísta.

Outros chegam à diferentes conclusões, mas todos estamos no exercício de nossa brilhante capacidade do LIVRE-ARBÍTRIO.

Alguns desejam ser agnósticos? Outros teístas? Outros ateístas? Que temos nós com esses? Cada um escolha seu caminho. Nem sempre o nosso caminho é o MELHOR caminho para todos. Às vezes, o meu caminho é bom apenas para mim mesmo. E por aí vai.

Grato, pela sua bondade em me ceder aquela entrevista. Em breve estarei postando com algumas ressalvas próprias.

Abraço, e fiquemos todos na paz.

Gutierres Siqueira disse...

Zwinglio, Luis e Jarson, obrigado pela participação.

PS: Ao Jarson quero recomendar a leitura do livro "A Morte da Razão" (ABU, 2007) de Francis Schaeffer. Penso que será uma leitura interessante na sua peregrinação.

Abraços!

Jarson Brenner disse...

Vou ler esse livro, Gutierres. Abraço!

Jarson Brenner disse...

Estou lendo o livro que indicaste, Gutierres. Depois digo o que achei. Obrigado.

Gutierres Siqueira disse...

Jarson, a paz!

Espero depois suas percepções da leitura desse interessante livro.

Abraços!