sexta-feira, 24 de abril de 2009

Despenseiros dos Mistérios de Deus

Subsídios para as Lições Bíblicas (CPAD), cujo trimestre estuda: 1 Coríntios- Os problemas da igreja e suas soluções (Parte 1)

Deus é soberano. O Senhor não depende de nada e nem de ninguém. O Pai é auto-existente, o Supremo Ser. Agora, em sua soberania, Ele decidiu usar homens e mulheres na cooperação da transmissão do Evangelho. Por que Deus usa homens na construção do seu reino? Só a Deus cabe uma resposta, mas o certo é que mesmo podendo, Deus não trabalha sozinho.

Os ministros escolhidos por Deus são privilegiados, que precisam reconhecer as responsabilidades e as missões para cumprir. Um pastor, um diácono, um presbítero, um evangelista, um professor de Escola Dominical, sendo vocacionado, deve ser orientado pelas Escrituras Sagradas na sua função.

No texto de I Coríntios 4.1-21, Paulo mostra como é possível identificar o verdadeiro ministro de Cristo. No versículo primeiro, o apóstolo dos gentios se coloca como hyperetes, que significa “servidor, ajudante, assistente” [1], sendo traduzido na ARC como “ministro”. A palavra ministro na época de Paulo remonta ao ajudante do navio escravagista, que era um escravo sentenciado a morte, e “com o tempo passou a significar qualquer pessoa em uma posição subordinada, um assistente pessoal ou ajudante de um superior” [2]. Portanto, pastores e os ministros da Casa de Deus nunca devem ser déspotas, tiranos ou encararem a igreja como sua propriedade. Acima de tudo, o líder cristão é um servo, literalmente, escravo pela causa de Cristo. Tristemente muitos pastores no Brasil esqueceram que antes de tudo são servidores, e agem como executivos cercados de subordinados e regalias. Os pastores devem ser honrados, mas não paparicados!

Paulo também utiliza o termo grego oikonomos, traduzida na ARC como “despenseiros”. Esse termo significava alguém que estava sujeito ao seu senhor, mas ao mesmo tempo era um superintendente [3]. Portanto, como mordomo, o obreiro não é dono da casa, mas cabe a ele o zelo da mesma.

01. Os Verdadeiros Ministros de Cristo

1.1 São chamados pela vontade de Deus

Triste ver que muitos dirigentes de igrejas não foram chamados por Deus para a obra. Pessoas que são ordenados por amizades como pastores influentes ou porque não filhos do mesmo. O nepotismo e tráfico de influência colocaram muitos no púlpito, mas que não tem condições de lá ficar. Um homem só pode assumir o ministério pastoral se a convicção da vocação for certa.

1.2 Têm senso de responsabilidade ministerial

Responsável perante Deus e parente os homens, assim precisa ser o ministro do Evangelho. O ministro cristão deve ser ciente do seu papel e suas obrigações, reconhecendo erros e buscando os acertos. Alguém que encara o ministério como brincadeira ou busca cargos por vaidade pessoal, está fadado ao fracasso.

1.3 São piedosos e íntegros

O ministro deve ser exemplo em tudo. Infelizmente no Brasil, alguns grandes líderes evangélicos comentem graves crimes e colocam a culpa na imprensa. Hoje, a liderança evangélica nesse país não desfruta de credibilidade, graças às fraudes de alguns mercenários.

1.4 São comprometidos com a Palavra de Deus (2 Tm2.15; 4.2)

Hoje a maior crise dos púlpitos é justamente a falta de alimento. As pregações resumem-se a gritos, falta de reflexão, testemunhos, palavras motivacionais e até desabafos. Os pentecostais infelizmente não cultivam o hábito da pregação expositiva, que toma o máximo de cuidado com o texto bíblico antes da pregação. De modo irresponsável, muitos colocam sobre o Espírito Santo a responsabilidade pela boa pregação, sendo que ele mesmos, impedidos pela preguiça, não preparam nada antes do culto. Uma “espiritualidade” que tira o compromisso das pessoas, simplesmente é falsa.

02. A Missão dos Ministros de Cristo

Os ministros evangélicos só podem crescer e florescer no ministério se cultivarem valores eternos, entre eles estão:

2.1 Serviço

Como dito acima, o ministro do evangelho não é uma posição de autoridade absoluta e déspota, mas sim de alguém disposto a servir. O líder cristão antes de ordenar, ele cumpre suas tarefas e exercita a piedade cristã em todos os aspectos da vida. Servir, do latim, servitìum, significa “condição de escravo, escravidão, jugo, obediência”, portanto, essa palavra não combina com uma liderança que confunde pastorado com regalias, benesses, tráfico de influência, meio de poder ou meio de enriquecimento.

2.2 Mordomia

Mordomo, do latim, maior domus, significa “administrador ou governante da casa”. Agora, o mordomo é um funcionário de confiança do seu senhor, impõe respeito aos demais empregados para o cumprimento das funções designadas e nunca esquece que ele é apenas um serviçal, mas não o dono da casa.

2.3 Fidelidade

Um desafio a todos os líderes é não cair no pecado da hipocrisia. Não adiante pregar uma coisa e viver outra. São necessários transparência e fidelidade. Fidelidade, do latim, fidelìtas,átis, significa “constância”. A liderança precisa cultivar os valores da lealdade, firmeza, perseverança, assim transmitindo confiança e sinceridade. Feliz do homem digno de confiança!

OBS: Leia a segunda parte logo acima

Referências Bibliográficas:

[1] ARRINGTON, French L. e STRONSTAD, Roger. Comentário Bíblico Pentecostal. 4 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. p 951.

[2]PFEIFFER, Charles F.; VOS, Howard F. e REA John. Dicionário Bíblico Wycliffe. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. p 1287.

[3] MORIS, Leon. I Coríntios, Introdução e Comentário. 1 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 1981. p 59.

3 comentários:

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

1. O Rev estará em São Paulo no dia 27 de abril na IPB do Morumbi. No dia 28 de abril no auditório Rui Barbosa no Mackenzie.

abraços, Pr Marcello

Willians Ananias disse...

Olá irmão Gutierres, quero lhe parabenizar pela reflexões realizadas nesse blog. Para conhecimento e divulgação a Universidade Federal de São Paulo oferece curso de prevenção ao uso de drogas para capacitar lideranças religiosas. Curso a distância e gratuíto! http://www.williansananias.blogspot.com/

William de Jesus, Pr. disse...

Graça e paz, irmão Gutierres. Sou assíduo leitor do seu blog.

Gostaria muito que o irmão lesse no meu blog (www.prwilliamdejesus.blogspot.com)o que escrevi sobre a eleição da nova Mesa Diretora da CGADB, e se gostasse colocasse o endereço de meu blog na sua lista de indicados.

Em Cristo,

William de Jesus, Pr.