quinta-feira, 16 de abril de 2009

Soluções para o Pentecostalismo contemporâneo?

Muito já foi escrito nesse blog sobre modismos, heresias e equívocos que enchem, infelizmente, os pentecostalismos no Brasil. Ainda serão necessários muitos textos enquanto esse espaço existir. Agora, é preciso também apresentar soluções. Porém, soluções são tão básicas, que todos já deveriam estar cientes desses pontos essenciais.
Todos sabem que é imprescindível a volta da Palavra de Deus nos cultos e a constante de cultivar uma vida devocional verdadeira. Não bastam pregações longas nos cultos, pois é muito importante verificar a qualidade desses sermões. Não bastam longas horas de oração, pois um momento devocional que valoriza somente aspectos materiais não atinge o cerne desse ato, que é a busca da face de Deus.
Mas existe um problema em tudo isso. Essas mudanças dependem de uma série de fatores, que são de responsabilidade humana, como descritos abaixo:

01. Mudanças substanciais não ocorrem sem o envolvimento da liderança.

Olhando para aspectos denominacionais, que são engessados e burocráticos, mudanças não ocorrem sem o apoio da liderança. O pior é que boa parte dos problemas estão justamente nas lideranças infantis e desprovidas de Bíblia, que enchem várias igrejas nesse país. Não é preciso ser profeta para saber que milhares de líderes evangélicos não são vocacionados, ocupam esses espaços por outros fatores, como barganhas e jogos com o poder. Uns são ordenados pastores simplesmente porque sabem orar ou sabem expressar uma boa retórica nos púlpitos; ainda outros são escolhidos por serem simplesmente filhos da liderança-mor, mas ainda existem aqueles de tanto “servirem” são logo chamados.
Fazendo justiça e evitando generalizações, que sempre são absurdas, a liderança pentecostal em sua maioria é composta de gente séria. Agora, algumas grandes lideranças precisam ter a consciência da necessidade de renovar esse pentecostalismo contemporâneo.

02. Mudanças substanciais não ocorrem sem um entendimento e reconhecimento do problema.

Muitos estão alimentando uma auto-enganação. Pensam que o Brasil está passando por um grande avivamento, outros acham que são parte de denominações sadias e recomendáveis, quando tudo indica o contrário. Ora, boa parte da liderança tem dificuldades de reconhecer que precisam de mudanças, que a “coisa está feia”. Alguns preferem maquiar os problemas, achar que tudo está muito bem, enquanto os muros desabam.
Entender e reconhecer os problemas são o primeiro passo para as soluções fluírem.

Conclusão

Portanto, orações para que as soluções cheguem são imprescindíveis. Mas oração demanda ação. Sem ações que os homens podem resolver, não adiante esperar milagres. Partir para mudanças é uma decisão que precisa ser tomada.

3 comentários:

João Paulo Mendes disse...

Caro Gutierres, paz do Senhor!

Também penso que esse é o caminho, oração + ação, precedidos do reconhecimento que há algo que necessita de ser corrigido.

Realmente enganam-se os que pensam que estamos passando por um ótimo momento na igreja evangélica brasileira, penso que nunca estivemos tão longe do centro do cristianismo: Cristo.

Que o Senhor nos ajude.

Abraço.

Marcelo Oliveira disse...

Irmão Gutierres , a paz!

O irmão tocou em alguns pontos interessantes é necessário admitir o problema e depois tratá-lo, e isto tem que partir do topo para base realmente.

Para estas mudanças acontecerem não devemos apenas orar por orar, mas orar e agir para mudar que realmente seja uma ORA + AÇÃO com resposta de Deus.

Vai nesta força!

L. H. Dessart disse...

Paz do Senhor!

Muito bom saber que existem pessoas com visão lúcida e clara no meio cristão pentecostal.
Creio que muitos outros ainda se manifestarão a favor de um cristianismo sério, verdadeiro, centrado nas Escrituras.
Parabéns pelo texto, e que o Senhor levante, realmente, mais pessoas compromissadas com a Verdade.