segunda-feira, 6 de abril de 2009

A vingança pelas bênçãos!

Nesse início de 2009, há duas músicas que não agüento mais ouvir nos cultos dominicais. O primeiro cântico é o famoso Sabor de Mel, do compositor Agailton Silva e interpretada pela cantora Damares. O segundo cântico é Faz um Milagre em Mim, do compositor e intérprete Regis Danese. Hoje, o culto dito pentecostal que uma dessas duas músicas não é cantada, tornou-se uma raridade. Recheadas de triunfalismo e pitadas de auto-ajuda, principalmente a primeira, esse tipo de mensagem faz um tremendo sucesso no mundo gospel e nos púlpitos brasileiros.
Escrevo esse texto não para comentar sobre triunfalismo, pois há poucos dias já escrevi sobre esse tema. Faço agora uma observação sobre o trecho da música Sabor de Mel que é comum em muitas composições evangélicas. Leia atentamente o trecho que quero comentar:

Quem te viu passar na prova/ E não te ajudou/ Quando ver você na benção/ Vão se arrepender/ Vai estar entre a platéia/ E você no palco/ Vai olhar e ver/ Jesus brilhando em você/ Quem sabe no teu pensamento/ Você vai dize/ Meu Deus como vale a pena/ A gente ser fiel/ Na verdade a minha prova/ Tinha um gosto amargo/ Mas minha vitória hoje / Tem sabor de mel. (Grifo meu)

Se você observou, viu uma pitada de vingança nas palavras dessa composição. Ora, isso é muito comum na musicalidade pentecostal e nos ditos “hinos” de fogo e motivação. O desejo da bênção está condicionado no prazer de “passar na cara” do ímpio que Deus estendeu a vitória. Nada mais pagão e menos cristão! Como fica toda a mensagem de Cristo na lógica da vingança?
A mesma lógica antibíblica está presente em muitas pregações. Testemunhos (ou seriam tristesmunhos?) estão ensinando o prazer da vingança mediante as bênçãos de Deus. Certamente essas “bênçãos” vingativas não advêm dO Deus cristão, mas sim de algum ídolo pagão.

24 comentários:

Cristiano Santana disse...

Quão indignado fico quando algum irmão sobe ao púlpito para dar o testemunho de como o Senhor castigou o incrédulo que o perseguia!

Um contam que o Senhor matou de câncer o seu inimigo, outro que Deus arrancou a perna, etc.

Depois citam aquele famoso versículo: "Não toqueis nos meus profetas nem aos meus ungidos façais mal". E arrematam: "Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo."

São como Tiago e João pedindo para Deus fazer cair fogo do céu sobre os iníquos.

O Evangelho da vingança não é o Evangelho de Jesus Cristo

Cristiano Santana
http://cristisantana.blogspot.com

Leonardo disse...

Entra na minha Casa! Entra na minha Vida! :)

Anônimo disse...

eu acho que a canções pentecostais refletem um pouco da luta das pessoas das periferias. São pessoas que batalham muito, sofrem horrores e ainda são pouco reconhecidas. faço uma leitura sociológica dos cânticos, menos teológica. lembra um pouco alguns "negro spirituals".
as musicas que se cantam em igrejas pentecostais e neopentecostais são expressões da esperança de ser reconhecido em uma sociedade que apenas valoriza os que tem. E isto, infelizmente, aplica-se tambêm a igreja.
Estas canções são "auto-ajuda" sim, mas nem tanto, pois a esperança está em um Deus que honra os crentes.
São triunfalistas, mas ao mesmo tempo, antídoto para as dores do dia a dia. Talvez sejam um pouco de fuga, e o culto pentecostal folia para se esqueçer a dura realidade e por alguns instantes poder acreditar que está no lado do sol desta vida injusta.
O problema é que a realidade começa tão logo que deixa-se o culto para trás. Eu sempre digo para os meu ouvintes: preciso precisamos estar preparados para o dia-a-dia e não viver de folia a folia.
Abraço,
Matias

Lucimauro Marques Ferreira. disse...

Rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs,Amado Gutierres,a paz do Senhor.

Estou Rindo aqui pois quando estava lendo o seu texto me veio à memória alguns episódios que tem acontecido aqui no espírito santo,e é verdade mesmo,ta geral não é?

conforme o irmão mesmo disse,se nos cultos não tiverem esses hinos, para alguns irmãos não tem Graça.

Que Deus possa abrir os olhos do Povo Evangélicos os fazendo enxergar textos como esse.

Da próxima vez,bate menos no povo.
rsrsrsrsrsrsrs.

Ev. André Moreira disse...

Fico pensando como deus "fica" ou está neste contexto!Há nas entrelinhas do referido "càntico" menções a Deus elevando,punindo,castigando no contexto da igreja ! Ou seja os inimigos aludidos são irmãos em Cristo .
Ainda bem que o nosso Deus não é manipulável por "nossos" caprixos e musicas sem conteúdo bíblico.Músicas sem o elemento e adoração ,mais que são ricas em apelação...
Parabens pelo post!

Anônimo disse...

Gutierres, a paz do Senhor.
Eu também não agüento mais, você sabe (você deve ter imaginado que eu iria comentar, rsrsssss...). Já se vê uma inclinação a buscar só bênçãos, bênçãos, bênçãos. Agora, só as bênçãos já não bastam mais, se “quem não ajudou” não ver a vitória!
Silene

Anônimo disse...

Amado,saudações na paz do Senhor.

Vivemos nos dias em que só se ama a quem nos faz o bem [Lc6:32-34] e o versículo mesmo lido nas igrejas é [Lc6:35].Pra ser ignora e despresado e até detestado não é mais necessário ser inimigo de alguém,é só queimar o filme dos nossos triunfalistas.

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Gutierrez,
A Paz do Senhor!

Quando li seu comentário cheguei de fato a sorrir, pois ministrando em um culto de ensinamento em nossa Igreja, fiz a mesma citação.
Para não exagerar, disse que em cada dez cultos, em nove se canram exatamente esses dois hinos, e veja, que pelas funções que pela misericórida de Deus exerço, sempre participo de cultos em lugares e regiões diferentes.

Infelizmente isso tomou conta do Brasil, afinal são tempos midiáticos.

No Sabor de Mel a vingança está estampada, no Faz um M ilagre em mim, é quase cômico ver crentes de décadas na Igreja cantrando:

"Entra na minha casa, entra na minha vida..."

Em um desses cultos, não resisti a tentação de perguntar ao companheiro do lado:

Esse tempo todo como crente e pastor, Jesus ainda não entrou amigo?

Enfim, parabéns pela sua exposição e a grande reflexão é que precisamos pensar no que estamos pregando, cantrando e fazendo.

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Marcia disse...

O "melô do Zaqueu" é bem conhecido aqui no Centro de São Paulo, reduto da pirataria. Sobre o "louvor vingança", deixo o versículos de Mateus 5:38-48 que fala justamente como devemos tratar os nossos inimigos: entregando a outra face e amando-os. Que Deus te abençõe.

Anônimo disse...

A Graça e Paz de nosso Senhor Jesus!
Chega a ser triste ouvir "louvores" com estas e outras letras em que se fala de tudo, com forte apelo emocional, mas nenhuma de suas palavras tem um teor teocêntrico. "Louvores" com letras que mais parecem canções de um namorado apaixonado para sua amada.
"Louvores" que colocam o Espírito Santo como um fantoche nas mãos do adorador.
Em culto, não podemos esquecer, nunca, que o louvor é para Deus, Ele é o centro, pois o louvor deve cumprir os objetivos do culto a Deus. O louvor tem de ser, portanto, teocêntrico e não antropocêntrico. Devos entoar louvores em que Deus seja exaltado como Santo, Santo, Santo é o Senhor.
Será que é pedir muito, que os lovores sejam teocêntricos e não antropocêntricos; que suas letras devam sejam de conteúdo teologicamente correto, e com ensinamentos que proporcionem o crescimento espiritual e a dedicação ao serviço de Deus e à proclamação da Sua salvação; que a música deve contribuir para adoração de que se quer prestar a Deus a quem é dirigida para exaltar a Sua glória; e para oferta de gratidão pelas grandes coisas que Ele fez e faz; que, basicamente, o louvor é uma oportunidade para a congregação declarar a sua experiência cristã, à luz das Sagradas Escrituras, e se regozijar coletivamente na doutrina cristã.
Será que é pedir muito?


Marcos Aurélio

Muri disse...

Até que enfim mais alguém concorda que essa música é sem noção!!! Eu e uma amiga não aguentamos mais essas letras vingativas... A platéia é para acabar, não tem base...

Somos ET´s nesse meio penteca... Cadê a Bíblia desses compositores??

Edson Dorna disse...

Essa é a realidade dos nossos dias, hinos que venham exaltar o ego, dizendo que seu inimigo vai ver sua vitória, quem zombou de você vai se arrepender e entre outros esta estourando. Porque muitso estão frustados e querem seus sonhos se realizem.

A paz do Senhor!

Edson Dorna

Victor Leonardo Barbosa disse...

Hoje, cada vez mais vemos uma musicalidade pentecostal pervertida por heresias e triunfalismo, e esta música(Sabor de Mel) não escapa disso.

Um forte abraço irmão Gutierres e Paz do Senhor!

Gutierres Siqueira disse...

Cristiano Santana, Leonardo, Matias, Lucimauro Marques Ferreira, André Moreira,Silene, Anônimo I, Carlos Roberto, Anônimo II, Marcos Aurélio, Muri, Edson Dorna e Victor Leonardo Barbosa.

Obrigado pela participação de todos!

Alessandro Cristian disse...

Prezado irmão, a Paz do Senhor.
Concordo plenamente com seu ponto de vista. Impressionante como tem gente que ainda chamas determinadas canções de "hinos". E o que mais dói é ver o Círculo de Oração das igrejas entoando tais canções, e os pastores nada dizem a respeito, e até acham bonito, "espiritual".
É lamentável.
Alessandro Cristian
www.alessandrocristian.blogspot.com

Anônimo disse...

sou teu fã

Francisco Wesley disse...

É verdade. O mais triste de canções como esta citada é justamente o fato de estar recheada de vingança. O mais lamentável é que outras canções também fazem a mesma coisa e, isso vai pegando aos poucos na linguagem dos irmãos. Deste modo, fica comum os desabafos de vingança em pulpitos através de expressões do tipo "teus inimigos vão ver","Vão se arrepender", etc, mas, muitas vezes quem fala está seguindo a "onda" atual.

Que Deus nos ajude cada vez mais meus irmãos.

Respeitosamente

ALEXANDRE BRAGA disse...

Paz do Senhor a todos.
Sabe o que uma irmã, dirigindo um culto de assistência social na congregação onde congrego disse:
"Mulher que anda de cabelo solto é vaidade. Mulher tem que andar de cabelo preso. Tem irmã lavando cabelo com shampoo, condicionador. No meu cabelo EU só uso sabão, não é nem sabonete. Pra finalizar ela disse: Deus vai fazer cabelo de crente cair (das mulheres).

Sabe porque eu fico indignado? Porque falta obreiros com visão espiritual na obra do Senhor.

Sabem qual a atitude que o pastor tomou? Nenhuma. Nem para chamar a irmã atenção, para que não tornasse a fazer um papagaiada daquelas usando o microfone da igreja para expressar sentimentos de ódio que ela tem de algumas irmãs.
Tem um colega de trabalho que estou quase ganhando pra Jesus, e ele não estava lá nesse dia. Fiquei me perguntando: onde eu colocaria minha cara se esse meu colega e a esposa dele, que por sinal gosta de andar de cabelo solto (bastante comprido) estivessem na igreja? E olhem que era culto de assistência social e a dita irmã estava apenas dirigindo o culto (as oportunidades). Imaginem se ela estivesse pregando?

Deus nos abençoe, e prossigamos em crescer na graça e conhecimento. Coisa ruim é crente ignorante! Misericórdia!!!

Joãozinho Camargo disse...

Olá amado irmão

É isso mesmo, realmente a situação é deplorável.

Aliás, sugiro meu blog onde comento essa situação, e outras mais.

http://joaozynhocamargo.blogspot.com

Leandro de Freitas disse...

Se analisarmos bem a letra da canção Sabor de Mel, interpretada por Damares e composta por Agailton Silva, poderemos verificar que o Eu Lírico em questão, não se alegra do tropeço de seu inimigo e muito menos se vinga como insiste em afirmar algumas correntes de pseudo-teólogos. A letra apenas afirma que quem não te ajudou vai se arrepender, não como se isso fosse uma ameaça, mas lendo toda a letra e não apenas um pequeno fragmento podemos observar claramente que o autor utiliza a palavra arrependimento no sentido mais natural da palavra possível que é “pesar por alguma falta cometida”. Podemos concluir claramente que se Indivíduo A não ajuda o Indivíduo B no momento em que ele mais precisa, e o Indivíduo B consegue vencer, certamente o Indivíduo A irá se arrepender dentre outros fatores por não ter estendido a mão ao seu irmão, cometendo assim uma falha que o levaria ao arrependimento. Isto não significa que B em algum momento tenha desejado o pior para A.

Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.
Eclesiastes 4:10

Gutierres Siqueira disse...

Leandro,

Que belo malabarismo.

Mark Andreas disse...

Faço parte de uma igreja que crê e vive os dons do Espírito Santo, e se fosse pra rotular, seria encaixada entre as igrejas pentecostais.

Mas nem por isso, esse tipo de cântico é cantado na nossa igreja, pelo contrário... o pastor faz criteriosa seleção do que entra, e o que é heresia.

sou pentecostal, mas a pregação em minha igreja trata de cruz, renúncia, esvaziar se a si mesmo pra dar lugar a Cristo... enfim

Acho tirstes essas generalizações. Assim como nem todo pentecostal é herege, nem todo tradicional é frio.

Jesus é maior que rótulos.


Diego Oliveira Santana disse...

Sou de tradição pentecostal e há horas em que me acho um extraterrestre no meio de muitos irmãos. Parece que cantar louvores que enaltecem a Deus e ao seu amor, e pregar sobre a cruz, são coisas chatas pra muita gente do nosso círculo. É triste ver os rumos que, boa parte dos pentecostais, está tomando.

Jonatan Cruz disse...

Leandro de Freitas, te garanto que mais de 90% das pessoas que a ouvem trazem consigo o sentimento psicológico de vingança, mesmo o eu-lírico não querendo transmitir isso, as pessoas são carentes por serem reconhecidas no meio social, por querer achar alguma razão para estar seguindo aquele caminho enquanto outros indivíduos no seu meio social não estão e as vezes até zombam delas.