domingo, 10 de maio de 2009

Chega de clichês pseudopentecostais!

Clichê é “uma frase frequentemente rebuscada que se banaliza por ser muito repetida, transformando-se em unidade lingüística estereotipada, de fácil emprego pelo emissor e fácil compreensão pelo receptor; lugar-comum, chavão”, conforme definida pelo Dicionário Houaiss. Essas frases se espalham mais facilmente do que a gripe suína A(H1N1)... Uma verdadeira praga! Portanto, vejamos algumas dessas expressões repetidas e sem nexo com as Escrituras, que são utilizadas todos os domingos em milhares de igrejas por esse país:

É foooooooooooogo irmão...

Então, pelo amor aos irmãos chamem logo os bombeiros. Não existe nas Escrituras Sagradas algum texto que mostre um fogo misterioso caindo sobre os cristãos em todos os cultos. Alguém já leu isso? Se leu, não foi na Bíblia, mas talvez em algum livro do Benny Hinn.

Amém irmão?

Chega de tanto amém! As pessoas falam, falam, falam e nem sabem o significado do que realmente estão falando. Chega de falar como papagaio aquilo que nunca aprendeu o significado. Améééééééém?

O diabo criou um laço para sua vida, ele quer lhe destruir!

Então acabamos de descobrir a roda! Não sabia que o diabo andava querendo o meu mal!  Por que as pessoas citam essa frase com aquela cara de espanto? Por que quando falam esse clichê usam aquele ar de mistério?Será que pensam que estão contando alguma novidade? Oh, povo exagerado, hein!?

Para não ficar somente nas minhas palavras, vou ler um texto!

Então, se era para tomar toda a pregação com suas palavras, nem precisava criar uma desculpa lendo um versículo. O povo fala muito, mas Palavra de Deus que é bom...

O irmão é um “canela de fogo”!

O que isso significa? Será um novo super-herói norte-americano? Será um novo sabor extravagante daquelas balinhas de canela? Oh céus, mais um clichê sem pé, sem cabeça, mas com canela!

Irrrrrrrrrrrmãoooooos, a Bíblia diz que quando a glória da igreja sobe, a glória do céu desce!

Onde está escrito esse versículo? Qual a base para tão afirmação? O desejo real é a Glória de Deus ou barulheira para pregadores sensacionalistas? São perguntas que não querem calar.

Nessa noite estamos recebendo a visita do arcanjo Miguel...

Engraçado que a Bíblia apresenta Miguel como guardião de Israel (Dn 12.1), mas ele vive visitando umas igrejas em São Paulo, na Bahia, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais... Esse guardião está passeando muito por aí! Vocês não acham?

Vamos agora para a hora mais importante do culto. A hora da Palavra...

Isso depois de duas horas de “culto”, dando somente quinze minutos para o pregador!

Irmãoooos, eu tinha preparado uma outra mensagem, mas quando cheguei nesse púlpito ungido, Deus me direcionou para outra pregação.

O engraçado é que Deus nunca deixa esse camarada pregar a mensagem que ele supostamente tinha preparado!

Exija seus direitos!

Olha, vou dar um conselho: eu acho que não é uma boa idéia exigir o que tínhamos de direito perante Deus! Vai que Ele responde! Sabe o que era tínhamos de total direito? O inferno! Então, Senhor, eu não quero meus direitos! Eu não tomo posse...

14 comentários:

Mayalu Moreira Felix disse...

Muito bom!!! rsrsrs

Ah, dá uma agitada lá na comunidade Assembleia de Deus no Orkut...

:)

Daniel disse...

Essa do "exija seus direitos" é ótima... Que eu saiba, um servo não tem direitos, ele vive apenas e tão somente para servir ao seu Senhor...

Marcelo Oliveira disse...

Sola Scriptura!
Irmão Gutierrez , a paz!

Realmente estes clichês estão se alastrando muito. Já ouvi alguns interessantes como: pessoas querendo amarrar os demônios ou diabo dizendo: "esta amarrado em nome de Jesus!" quando Jesus mesmo somente os expulsava.

Outro interessantes: "se liga no ministério" para se referir o trabalhar de Deus no culto deles, "esta ligado"(Mt18.20) forçando Deus a cumprir o que alguém determinou mesmo que não seja a vontade dEle. Enfim, se formos mencionar outros a lista ficaria cada vez maior!

Devemos como irmão bem fez ao postar analisar estes clichês passando pelo crivo das Escrituras.

Abraço!
http://blogdomarcelooliveira.blogspot.com

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Gutierrez,
Graça e Paz!

Concordo plenamente, lembrando que alguns mais ousados dizem:

"Se Deus não fizer isso, eu rasgo e bíblia"

Lamentável.

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

L. H. Dessart disse...

Estou em um misto de sensações: risos e ttristeza, pois, infelizmente, abundam estes clichês na igreja...

sandre disse...

Uma realidade há muito tempo disseminada nos meios pentecostais.
Mas cuidado gutirrez senão vão te exorcizar dizendo que vc está a serviço do Inimigo, para que as pessoas fiquem frias e racionais, "na carne", pois um dia quando fiz uma pauta sobre este assunto na escola dominical.
Fui tachado de frio e uma coisa que ouvi o tempo todo foi o famigerado a letra mata.

Desisti da burrice pentecostal

Abçs

Irmão Franklin disse...

A Paz do Senhor Irmão Gutierrez!

Ótimo este escrito, não podemos nos esquecer de que muitas palavras que são ditas por certos "estudiosos" (aqueles que pensam que, só por que tem uma bíblia de estudo, já sabe tudo) não tem nenhuma base bíblica e por isso temos que "pôr à prova todas as coisas e ficar com o que é bom" (1ª Ts 5.21).

Grato,

Franklin de Almeida Salles.

Ptof°. e Bel. em Teologia e Acadêmico em Tecnol. em Agronegócios.

Matias disse...

Concordo, que fala-se muita besteira de púlpito.
Mas alguns dos cliches são pronunciamentos culturais e eclesiásticos. Tipo
"Irrrrrrrrrrrmãoooooos, a Bíblia diz que quando a glória da igreja sobe, a glória do céu desce!"
ou
"Amém, irmãos"
Não vejo nenhum mal. Claro que você não vai achar isto literalmente na Biblia, mas, e digo isto como cristão reformado, quantos cliches reformados você não vai encontrar literalmente na Biblia, tipo "graça irresistível" ou "propiciação limitada" ou ainda "doutrinas da graça" ou "aplicação da graça". São cliches reformados. Todo movimento tem seus cliches. E muitos precisam ser reavaliados à luz da Palavra de Deus.
Às vezes temo que nossa critica ao pentecostalismo popular seja mais uma discriminação academica, pois, muitos dos líderes pentecostais não tiveram acesso a ensino mais profundo e, portanto, são bastante simplistas em sua maneira de expressão. Creio sim, que quando o cliche demonstra falta de conhecimento teologico, tipo "exija seus direitos", devemos agir no sentido de corrigir o irmão.
Agora não consigo imaginar culto pentecostal sem "oh glória", "amém irmãos" "aleluia, louvado seja o Senhor", "cai fogo" etc... Não seria mais culto pentecostal dentro de nosso contexto cultural.
Um grande abraço aos meus amados irmãos pentecostais!
Matias

Luciana disse...

Amém é uma aceitação, mas tem crente usa como pergunta...fora isso tudo que acontece direto...
Muito triste...sempre aprendi que não se pergunta quem irá pregar, pois, é o Espirito Santo quem fala,mas hoje em dia siceramente...tá dificil!
Paz!!!

Silene disse...

Gutierres, a paz do Senhor!
É cansativo ouvir esses clichês que não acrescentam nada, como por exemplo "Receeeeba!", ou "Vamos fazer o inferno tremer". E aquele que não está satisfeito com o barulho diz: "Tá fraco! Mais alto, você é pentecostal!" Mas penso que uma das mais repetidas é "Olhe para o irmão do seu lado e diga..."
O personagem José dos Clichês do Ciro Sanches é muito real.

luiz carlos disse...

faço das palavras do sandre como minhas gutierrez, é uma realidade o que acontece no meio, como você própio escreveu pseudopentescostais,são clichês que estão manjados e tomara que você não seja taxado como frio,racional,"tradicional".
BiBlia neles.

Anônimo disse...

Concordo com o irmão, pois sei que em muitas igrejas, a ênfase dada a esse tipo de linguagem é exagerada, contribuindo para rotular e segregar as pessoas que fazem parte de tais comunidades, prejudicando, mesmo, a expansão do evangelho. Entretanto, tomemos cuidado para não generalizarmos, o que não é o caso do texto. Isto porque, em minha congregação, não ouço tantos clichês, e os que ouço tratam-se, em minha opinião, de simples manifestação cultural, própria de um ambiente religioso, no caso, pentecostal, sem contudo caracterizar heresia ou incorrer em prejuizo para a espiritualidade dos crentes. Em suma, só pelo fato de uma expressão não estar textualmente na Bíblia, não significa que seja herética ou não deva ser usada. Seria reducionismo simplista e desprezo pela criatividade que Deus nos deu.

David.

Tiago Lima Trinidad disse...

Poxa, tem comunidades então que nem ficam mais motivados com pregadores de fora, que agora estão recebendo arcanjos de fora pra ver se a galera se anima?! kkkk

O que temos hoje e que surgiu no neopentecostalismo e vem se alastrando, não só no meio pentecostal, mas também no tradicional são parodias do cristianismo.

São estas coisas de triunfalismo, de se sentir merecer algo de Deus, do culto de forma mas sem conteudo (como o caso de mandar ajoelhar, ora, ajoelha quem quer e isto não o faz mais cristão por estar com os joelhos do corpo dobrados mas os do coração retos), e o "Amén?" que além de sem propósito chega a ser irritante.

Fique com Deus, Gutierres.

ekklesia disse...

Graças e paz.

Bom post, mas peço ao irmão que esclareça algumas coisas.

Por exemplo, sobre o pastor que quando prega "Deus sempre direciona ele para outra palavra".
Sim, há aqueles que usam isso como chavão.Mas deixe claro no seu texto que Deus pode fazer isso mesmo, vivemos na direção dele, nossos caminhos não são os dEle.
Tem outras situações nos seus posts que precisam destas "ob's".
Espero ter sido claro!


Fique na paz de Cristo amado!