sexta-feira, 15 de maio de 2009

Considerações Acerca do Casamento

Subsídios para as Lições Bíblicas da CPAD: I Coríntios- Os problemas da Igreja e suas soluções

Questões que envolviam o casamento despertaram muitas dúvidas entre os coríntios. Como hoje, os cristãos daquela época puderam receber o esclarecimento por parte de Deus na inspiração da sua Palavra.

Casamento ou Celibato

Casar? Continuar solteiro? Optar pelo celibato? Divorciar-se do cônjuge ímpio? Eis algumas questões levantadas pelos coríntios quando ao espinhoso assunto do matrimônio. No capítulo sete dessa epístola paulina acima citada, fica claro que cabe a cada um a sua opção entre o casamento ou o celibato. Isso é de fórum intimo e não deve ser dogmatizado. Erra a Igreja Católica Apostólica Romana que obriga todos os seus presbíteros ao celibato, assim como as igrejas protestantes que não ordenam um homem solteiro, mesmo existindo uma necessidade em determinado campo. Ninguém pode se sentir obrigado ao celibato ou ao casamento.

Os rabinos viam com uma obrigação moral que o homem judeu se casasse, mas Paulo mostra a necessidade de uma análise da citação vigente. Ele até recomenda que os jovens solteiros de Corinto não se cassassem, isso devido às condições adversativas que essa comunidade passaria. Assim deveria pensar cada jovem cristão que ainda está solteiro: As condições atuais permitem um casamento estruturado e feliz? Se sim, então casarei. Se não, então não casarei. Tudo na vida deve ser bem planejado.

A Necessidade do Casamento

A prática sexual dentro do casamento não visa somente à procriação, ou seja, fazer filhos. O sexo também serve para o prazer mútuo do casal. A mulher precisa ser satisfeita. O homem precisa ser satisfeito. Talvez esteja na desobediência desse princípio bíblico o início de muitos divórcios. Muito interessante que esse princípio de satisfação mútua não privilegia o homem, alimentando o machismo, e nem a mulher, alimentando o feminismo. A Bíblia, sempre equilibrada, não apóia o machismo e nem o feminismo. Quem enxerga essas questões nas Escrituras certamente está fazendo uma péssima exegese.

O sexo é tão importante para o casal cristão, que Paulo recomenda uma abstinência temporária, mas nunca prolongada. Caso o casal em comum acordo queria dedicar algumas noites para vigílias, então isso pode ser feito, porém não deve prolongar de modo demasiado. Existe caso de divórcios provocados por maridos que viviam de vigília em vigília, dedicando-se muito a oração, porém esquecendo-se das necessidades de sua esposa. O maligno tomou conta e o divórcio aconteceu.

O Solteiro (vv. 7-9)

Alguns solteiros possuem o dom do celibato. Ou seja, são pessoas que permanecem sem o casamento e os seus prazeres de modo satisfeito e feliz, além de possuir completa temperança. Como dom, poucos possuem. Mas quem assim quer viver, deve ser respeitado pela sua opção baseada no celibato. Jesus é um exemplo de celibatário.

O solteiro que ainda deseja casar pode adiar esse sonho tanto para trabalhar de modo mais eficiente na obra do Senhor, como também se preparar para os desafios do mercado, dedicando-se aos estudos e trabalho. Nessa condição, o solteiro deve primar pelo domínio próprio e fugir de desejos lascivos.

Compromissos Cristãos no Casamento (vv. 10,11)

O divórcio sempre será uma tragédia, independente se existe ou não motivos justos para a separação. Muitos corintos queriam o divórcio, pois suas esposas ou maridos não se convertiam. Paulo desaconselhou tal prática. O cristão deve se manter casado com o cônjuge ímpio enquanto esse ímpio quiser manter o casamento. A fé cristã não deve ser motivo de divórcio entre casais. Se essa prática virasse uma rotina, o cristianismo seria conhecido com a religião que causa divórcios, contrariando totalmente a vontade de Deus.

Alguns cuidados devem ser tomados pelos líderes ao falarem sobre divórcio. Hoje, o mundo banalizou o divórcio, sendo que por qualquer motivo um casal se separa. Muitas vezes uma briga por causa de uma escova de dente ou uma toalha molhada, leva casais mesquinhos e egoístas ao divórcio, pois não sabem desenvolver a paciência e tolerância mínima. Agora, muitos cristãos para demonstrarem conservadorismo, condenam até aquelas mulheres que pedem divórcio por apanharem do marido. Isso simplesmente é um absurdo. Nesse caso não só o divórcio deve ser pedido, mas também umas ligações para a Delegacia da Mulher precisam ser feitas.

Conclusão

O casamento é uma bênção, um presente de Deus para a humanidade. Agora, antes do casamento é importante planejamento e análise do dom de cada um. O casamento não é um sacramento, ou seja, um meio de Graça Divina, mas deve sim ser uma bênção mútua para o casal cristão.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ué, não entendo...

Quando um pastor ou irmão divorciado vai falar sobre casamento todo mundo rejeita, condena, ou critíca de forna destrutiva, mas um jovem como você pode falar de casamento, sendo que é solteiro cívilmente?

Como pode ser isso? Se és solteiro irmão não podes ter autoridade para falar de casamento não acha?

Abra os olhos, seu blog é bom, mas é bem mais dirigido a polêmicas do que a edificação das pessoas.

Gutierres Siqueira disse...

Caro Anônimo, por favor, se identifique-se na próxima.

Realmente sou solteiro, mas isso me proíbe de expressar alguns princípios que estão nas Escrituras? Se assim fosse, Jesus nunca poderia ter falado de casamento e muito menos Paulo.

O que escrevi foi para edificação e não no intuito de fomentar polêmicas. Logo, não vejo nenhum motivo para polêmicas nesse texto.

CarinA disse...

Sr Anônimo,

Realmente, dependendo do motivo do divorcio, não cabe ao pastor falar de casamento, ou de qualquer outro assunto. Aliás, não cabe o cargo de Pastor. Mas cada caso é um caso.
O solteiro pode sim dar conselhos sobre casamento.
Alguns casais me pedem conselho e através da Palavra somos orientados e podemos orientar também.
Acho este blog abençoador, ainda que polêmico. Aprendi com Jesus que devemos denunciar o pecado e alertar a Igreja de Cristo quanto as heresias. Omitindo os erros nunca chegaremos à Perfeição que é Cristo.