quarta-feira, 3 de junho de 2009

Mais educação. Por favor!

Seja o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza (I Tm 4.12)

Quem mora em São Paulo e gosta de livros, certamente já visitou algumas vezes a maior livraria da cidade, que fica em plena Avenida Paulista. Nessa loja encontramos praticamente todos os livros que o mercado recentemente lançou, seja em português ou até mesmo em inglês. A arquitetura da livraria é também fantástica, além dos eventos lá promovidos. Agora, o que eu mais gosto nesse estabelecimento é o ótimo atendimento dos seus funcionários, que são sempre educados, atenciosos, rápidos e com um indispensável sorriso no rosto.
Por que escrevo isso? Simples. Além de cliente dessa livraria, frequento a Rua Conde de Sarzedas, uma via no centro da capital paulista que concentra a maior parte das livrarias evangélicas. Quando faço minhas compras, fico impressionado com a diferença abissal no atendimento. Não é difícil ficar falando sozinho ao pedir auxílio para um vendedor, comprar sem receber o clássico “obrigado” ou “volte sempre”, falar com vendedores de cara fechada e zangados com a vida, além de muitas vezes, tenho a sensação que estou pedindo um favor e não fazendo compras.
É claro que na Conde de Sarzedas existe exceções. Não posso generalizar. Mas depois de conhecer as exceções, deixei de entrar em todas as lojas, como fazia no início. O duro é quando algum amigo pede um favor, e preciso então entrar nas lojas dos mal educados.
Penso que o cristão deveria ser exemplo de excelência em serviços, educação, gentileza e empatia. Infelizmente vejo que isso está bem distante. Até mesmo em uma grande livraria evangélica da capital, o atendimento é péssimo e até mesmo ríspido. Pergunto: Será que os crentes chupam um limão ou uma laranja azeda para trabalhar? Misericórdia!

6 comentários:

Matias disse...

Tenho verificado que a maioria de funcionários de livrarias evangélicas trabalham de cara amarrada. Devem ser as péssimas condições de trabalho e os salários baixos. "Insider" me contaram, que empreendimentos evangélicos tratam muito mal seus empregados. Acrescenta-se a isto o total despreparo para vender livros, pois desconhecem totalmente os autores, as linhas de pensamento etc.
Na cuja dita rua do centro de Sao Paulo fico até com medo com o mal humor dos crentes e os olhares sinistros... estou evitando e comprando via internet diretamente nas editoras ou tenho encontrado bom material na Saraiva e Cultura, onde achei interessantes livros, como o "Comentário de Romanos" de Joao Calvino.
Nestas livrarias seculares tenho a oportunidade de pegar o livro, ficar lendo e tomar um café ao mesmo tempo.
Abraços,
Matias

L. H. Dessart disse...

Infelizmente, isso acontece não só em "redutos" evangélicos, mas em vários lugares onde, muitas vezes, trabalham juntos evangélicos e não-evangélicos, e em vários casos, os primeiros deixam a desejar em comparação aos outros.....

Excelente assunto para reflexão.
Deus abençôe!!!

Yohan disse...

De fato um dado extremamente lamentável. O pior é que os maus hábitos dos crentes não se resumem apenas em mau atendimento em lojas e livrarias. Atitudes bem simples como jogar lixo na lixeira quando se está na rua, os famosos xingamentos quando se está no trânsito e por aí vai. Falhamos assim em fazermos a diferença.

Marcia disse...

Paz, Gutierrez
Também não gosto muito de ir na Conde de Sarzedas, aliás, vou somente em uma loja, onde sou muito bem atendida pelo dono. Fiquei sabendo que não só os vendedores dão "mal testemunho", mas também os próprios "irmãos" também dão. Os donos destas lojas não aceitam cheque dos "irmãos" mais porque voltam muito. Que vergonha! Fora o consumo de CDs e DVDs piratas!

LÍ E GOSTEI disse...

graça e paz.
uma boa reflexão sobre a diferença que nós como cristãos temos que ter neste mundo...afinal de contas somos chamados de sal da terra e luz do mundo....pessoal uma outra coisa,moro no interior do estado do ceará,uma cidade bem pequena de apenas 30 mil habitantes,tenho um projeto de colocar aki uma biblioteca de teologia e até já ganhei alguns exemplares de alguns irmãos.....gostaria que alguém me indicasse como comprar livros bons e baratos pois estarei levantando fundos para este projeto.
Deus abençoe a todos e conto com as orações e conselhos de vcs.

É TEMPO DE BUSCAR AO SENHOR.

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Gutierrez,
Graça e Paz!

Minha avó, uma sergipana de Aracajú que já dorme no Senhor, dizia:

"Quando Jesus realmente salva, dá vergonha e educação!"rsrsrrs!

Excelente reflexão para a vida de todos os evangélicos.

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto