domingo, 7 de junho de 2009

Sou arminiano ou calvinista? Eis a questão!

Quem gosta de teologia já ouviu a célebre pergunta: - Você é arminiano ou calvinista? Para mim, em especial, essa indagação é de difícil resposta. Algumas vezes, quando converso com arminianos, eles me apontam como calvinista. Outras vezes, quando converso com calvinistas, eles me apontam como arminiano. Então, eis que nasce em mim uma tremenda confusão. Afinal, eu sou o quê? Qual a minha identidade?

Descobri então que tenho dificuldades com ambas as “teorias” teológicas. Não consigo contemplar ou compreender uma salvação tão fácil de perder, como os arminianos pregam, e ainda resisto a ideia de graça irresistível, que é defendida pelos calvinistas. Ah, também tenho outras dúvidas. Será que o homem é totalmente livre, como defende os arminianos, quando esse mesmo se mostra escravizado e dependente do pecado? Será que a graça é limitada para “muitos”, como defende os calvinistas?

Não, caro amigo, não estou defendendo uma nova teoria. Penso somente que arminianismo e calvinismo são extremos de uma mesma verdade. Então, não seria melhor a tentativa de convergência entre ambas as teorias? É claro que essa tentativa de convergência não seria perfeita, longe disso. Mas alguns perguntam: Como convergir verdades contraditórias?

A Bíblia contém paradoxos?

Sim, é claro. Entenda bem, NÃO estou afirmando que a Palavra de Deus contenha erros, pois Ela é infalível e inerrante. A Bíblia contém paradoxos. Mas o que é isso? Paradoxo é “no sentido lógico, raciocínio aparentemente bem fundamentado e coerente, embora esconda contradições decorrentes de uma análise insatisfatória de sua estrutura interna” (Dicionário Housaiss). Ou ainda o paradoxo é a “afirmação, na mesma frase, de um conceito mediante aparentes contradições ou termos incompatíveis” (Dicionário Michaelis). Entenderam? Ou seja, nossa capacidade insatisfatória de conhecimento pleno das verdades divinas, acaba por nos levar a enxergar os paradoxos.

Qual o exemplo mais claro de paradoxo na Bíblia? Por exemplo, a união hipostática da natureza humana e divina na pessoa de Jesus Cristo. Ora, ou alguém é homem ou alguém é Deus. O homem não é deus porque é homem. Deus não é homem porque é Deus. Agora, cremos que na pessoa de Jesus existe a plenitude divina e humana. Isso é um clássico exemplo de paradoxo bíblico. Os paradoxos estão além da nossa razão!

Outros exemplos aplicam-se no debate calvinismo versus arminianismo. A mesma Bíblia que apresenta uma eleição e uma predestinação, também mostra ordens de proclamação plena do evangelho e a liberdade humana. A mesma Bíblia que fala em Soberania de Deus incita a ideia genérica de livre escolha humana. Ou seja, são paradoxos, verdades aparentemente contraditórias que estão além da nossa razão. Não confunda paradoxo com contradição, pois o primeiro apresenta somente aparências contraditórias. A Bíblia NÃO contém contradições!

A nossa compreensão humana logo quer tachar as verdades da liberdade humana e da Soberania Divina, como irreconciliáveis e contraditórias, se colocadas juntas. Não verdade, tudo não passa de uma aparente contradição, do qual definimos melhor como paradoxo. Precisamos ter em mente que é impossível conhecer todas as minúcias da verdade divina ainda nesse corpo pecador e nessa mente corrompida pela Queda.

Sobre esse assunto, escreve o respeitado e ortodoxo teólogo James Packer, que prefere chamar “paradoxo” de “antinômio”, que:

É preciso atribuir a aparência de contradição à deficiência da nossa própria capacidade de compreensão; encarar estes dois princípios não como duas alternativas rivais, mas como algo que, de alguma forma, você não consegue compreender no presente momento, mas que são mutuamente complementares [1].

Então, por que não seguir o conselho do Dr. Packer? Vemos então que as aparentes contradições entre essas duas “teorias” serem plenamente compreensíveis na eternidade. Portanto, a Bíblia é ao mesmo tempo calvinista e arminiana. O que não adiante é fazer marabalismos exegéticos para desqualificar ou uma ou outra teoria. John Piper, ícone calvinista, certa vez afirmou:

Não cavalgue sobre o que não está no texto. Pregue exegeticamente, explanando e aplicando o que está no texto. Se isto soar Arminianismo, que soe Arminianismo. Confie no texto e o povo confiará em você por ser fiel ao texto. [2]

Portanto, o mesmo serve para os arminianos. Quando pregar exegeticamente e expositivamente, se isso soar calvinismo, que soe calvinismo. A Palavra é que não pode ser contrariada.

Na convergência entre calvinismo e arminianismo: um gol do equilíbrio!

Portanto, o caminho mais seguro, menos conflituoso e certamente mais bíblico (pois não desprezará todo o contexto) é o equilíbrio e a aceitação dessas duas correntes, admitindo as reais dificuldades do pleno entendimento do assunto. Equilíbrio é a palavra chave.

O filósofo Edmund Burke, no seu livro Appeal from the New to the Old Whig diz sobre o equilíbrio: “Está na natureza das coisas que os que estão no centro de uma circunferência pareçam diretamente opostos a quem os vê de qualquer parte da circunferência”[3]. Portanto, não se trata de ser oportunista, mas sim evitar simplificações de conceitos complexos.

Encerro esse texto com a esperança que compartilho dos professores pertencentes ao Seminário de Dallas, que disseram: “Pode ser que no futuro ainda haja mais convergência entre as teologias Arminiana e Calvinista”[4].

Referências Bibliográficas:

[1] PACKER, James I. A Evangelização e a Soberania de Deus. 1 ed. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2002. p 18.

[2] PIPER, John. Como Ensinar e Pregar "Calvinismo" in: Monergismo. Disponível em http://www.monergismo.com/textos/calvinismo/calvinismo_piper.htm Acesso em: 07 de jun. de 2009.

[3] COUTINHO, João Pereira. Em busca de Equilíbrio. Dicta e ContraDicta. São Paulo: IFE, Junho de 2009, num. 3. pp 32-42.

[4] PFEIFFER, Charles F.; VOS, Howard F. e REA John. Dicionário Bíblico Wycliffe. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. p 191.

80 comentários:

Ednaldo disse...

Paz Gutierres,

Pelo menos não citou "Eleitos mas Livres" do Geisler. (:D

Só discordo da tua assertiva "Penso somente que arminianismo e calvinismo são extremos de uma mesma verdade.", arminianismo não é extremo é a experiência humana aplicada a Bíblia. Já o calvinismo só parece extremo porque geralmente pensamos como arminianos. O hiper-calvinismo não é extremo, é heresia.

Em Cristo,

Ednaldo.

PS. Tava com saudades de comentar no teu blog.

Danilo Fernandes disse...

Navegando por ai achei seu blog. Surpresa boa. Vou segui-lo a partir de agora. Quando tiver um tempinho, vá visitar meu blog também, o Genizah.

A paz!

Danilo


http://genizah-virtual.blogspot.com/

voltemosaoevangelho disse...

Tudo bom Gutierres?

Quanto tempo não apareço por aqui rsrs.

Bom, sei como é estar neste impasse.

Deixo alguns vídeos que talvez podem te ajudar:
http://www.youtube.com/watch?v=fB19_QHQ0HU&feature=channel_page
http://www.youtube.com/watch?v=sXlxDLM_ODs&feature=channel_page

e se teu inglês estiver bom:
http://www.youtube.com/watch?v=XXNEsgN0vDQ

Paulo Mororó disse...

Amados irmãos, a Paz do Senhor.

Realmente estas questões são polêmicas e parecem intermináveis.
Excelente a postagem. Parabéns!
Concordo que deva haver equilíbrio, porém,quando tomamos a questão da Predestinação ou Livre-arbítrio,vemos que a condicional “se” encontrada dentro do contexto de escolhas e/ou opções, em vários trechos da Bíblia, mostra uma posição muito clara sobre uma atitude de decisão provocada por Deus em relação ao ser humano. Expressões como: “se vós estiverdes em mim” Jo 15.7; “...se não te arrependeres” Ap 2.5b; “se guardades os meus mandamentos” Jo 15.10; “ E, se não vigiares,” Ap 3.3b; “e,se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia” Ap 22.19a, requerem um posiociomento responsável em relação à algo proposto.
Obrigado.

Ah,só para constar: está surgindo sutilmente uma pequena ramificação da "predestinação" em arraiais evangélicos que outrora não confessavam este ensino. Trata-se do fenômeno dos "PREDESTINADOS FAMILIARES AO DNA MINISTERIAL".Alguns dos filhos, ou genros, ou cônjuges de lideranças eclesiásticas parecem já nascerem “predestinados”, carimbados e registrados aos cargos estratégicos dentro de certos “Ministérios”.O topo desta certeza é ser "VICE" ou ser substituto imediato ou automático. Se Freud não explicar e os calvinistas não tiverem uma posição, talvez a sociologia possa dar uma dica ligando este fato à algum tipo de "nepotismo predestinado". ( eu até queria colocar uns “rsrsrsrsrsrs”, mas não sei se é para rir ou para chorar, porém, de início vamos refletir?).

um abraço
PAULO MORORÓ

Matias disse...

São duas faces da mesma verdade. O que não vemos e não compreendemos: a predestinação. O que vemos e entendemos: a "decisão" para seguir a Cristo.
O mesmo paradoxo: crente perde a salvação? Diz o clavinita: não, mas a salvação evidencia-se em santidade. Diz o arminiano: sim, quando deixa de viver uma vida em santidade. É a mesma verdade. Duas faces.
A salvação é obra de Deus. A fé é obra de Deus. A perseverança até o fim é obra de Deus. E Deus diz: "Arrependam-se, sejma fieis até a morte, não desprezem a voz de Deus!" Duas faces da mesma verdade!
Calvinismo e Arminianos brigam quando ao defenderem as suas posições, tenta, explicar o que a razaão humana não consegue explicar.
O calvinista que tenta explicar o seu sistema a partir do confronto com o arminianismo entra no hipercalvinismo, pois é o esquema lógico do calvinismo em suas consequencias lógicas quando humanamente explicado. Só que o hipercalvinismo é anitbiblico.
Assim tambêm o arminiano confrontando o calvinismo torna-se humanista religiosos. É a consequencia lógica do pensamento, mas é antibiblico.
Cabe a nós reconhecer verdades bíblicas que nossa razão não consegue explicar. Nesta categoria entram tambêm "Deus é um, Deus é tres" (Trindade) ou Jesus é 100% homem, Jesus é 100% Deus.
Um grande abraço,
Matias
P.S.Gutierres: parabéns pelo post. Calvinistas e arminianos agradecem!

Juber Donizete Gonçalves disse...

Gutierres,

Parabéns pela inteligente postagem. Essas dúvidas já duram séculos, que o digam Agostinho, Pelágio, Calvino, Armínio entre outros. Gostei das citações do Packer e do Piper, foram muito bem colocadas.

Abraço.

SoS Gospel disse...

Eu não sou nem calvinista, nem arminiano. Eu sou luterano, irmão Gutieres, a Teologia não se divide entre Arminianos e Calvinistas.

Daniel Grubba disse...

Viva Kierkgaard e a paixão pelo paradoxo!!!!

Anchieta Campos disse...

Nobre Gutierres, a paz do Senhor.

Anos depois volto a comentar em seu ilustre espaço! risos.

O meu pouco tempo posto de lado, gostaria apenas de frisar que eu e o Clóvis (do cinco solas), chegamos a um "considerável consenso" sobre esta problemática. Os nossos debates podem ser conferidos em http://anchietacampos.blogspot.com/2008/11/debates-soteriolgicos-livre-arbtrio-x_8412.html

Forte abraço.

Obs.: já comentei com o Victor e o JP; vamos agendar um debate em outro horário, pois naquele horário é um pouco incômodo para mim. O microfone foi providenciado! risos.

Anchieta Campos

Gutierres Siqueira disse...

Ednaldo, a paz!

Ainda pensei em citar Geilser, rsrsrs. Mas como emprestei o livro, não pude rever minhas anotações, rsrs.

Obrigado por comentar e apareça sempre.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Danilo Fernandes, a paz!

Visitei o seu blog e quero dar-lhe os parabéns pelo conteúdo apologético com pitadas de humor.

Abraços e obrigado pela visita!

Gutierres Siqueira disse...

Vinícius, a paz!

Obrigado pelos links.

A cada dia aumento minha convicção que o caminho está na convergência entre ambas as teorias.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Paulo Mororó, a paz!

Realmente esse debate é interminável. Agora, podemos colaborar para que essas questões não causem divisões desnecessárias entres os cristãos sérios.
Sobre o “nepotismo predestinado”, você tem a completa razão. Parece que esse “gene” atinge em cheio certos setores das igrejas evangélicas.

Abraços e obrigado pela participação.

Gutierres Siqueira disse...

Matias, a paz!

É isso aí. Concordo plenamente com o irmão. Vemos como nós, cristãos protestantes, gostamos de complicar algumas questões simples.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Pr. Juber Donizete, a paz!

Obrigado pela participação no blog. Essa questão calvinismo versus arminianismo trata da dinâmica da salvação, mas simplesmente toma um amplo espaço dentro das “controvérsias da cristandade”.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Sos Gospel, a paz!

Que bom que na Igreja Luterana essa é uma resolvida.

Abraços e obrigado pelos comentários.

Gutierres Siqueira disse...

Daniel Grubba, a paz!

Realmente entendermos o “paradoxo” é importante para compreendermos muitos assuntos bíblicos. Alguns cristãos conservadores acham essa palavra um verdadeiro horror, mas isso não passa de um exagero.

Abraços e obrigado pela participação!

Gutierres Siqueira disse...

Anchieta, a paz!

Até que enfim você comprou o microfone, rsrs.

Sobre esse assunto, certamente os seus textos e debates podem colaborar para o assunto. Recomendo o seu link.

Abraços!

.. disse...

Vc deletou o comentario em que eu denunciava o golpismo que o JW estah fazendo e armando para a proxima AGO em 2013?
Pq?

Ah jah me disseram que vc pensa que vai ganhar um "boquinha" prá escrever nas revistas da EBD ou algum outro periodico da CPAD.
Sinceramnte não acredito que vc seje capaz disso.

Charles Gomes disse...

O meio termo entre calvinismo e arminianismo é o amiraldismo.

Gutierres Siqueira disse...

Caro "..."

Em primeiro lugar, não tenho costume de "deletar" opiniões nesse blog. Em segundo lugar, não estou garantindo "boquinha" em lugar algum. Como esse blog é meu, então os assuntos aqui tratados serão aqueles que eu escolher. Simples assim!
Ah, também não tenho a intenção de denunciar supostos "golpismos", dos quais não tenho informação suficiente. Se eu cair nessa, serei simplesmente um reprodutor de confusão.

Abraços e obrigado pela participação!

Gutierres Siqueira disse...

Charles Gomes, a paz!

Obrigado por lembrar da importante teoria de Moïse Amyraut. Esse assunto pode ser mais explorado posteriormente.

Abraços!

pastor guedes disse...

Caro Gutierres, a Paz!

Como sempre seus textos são muito bons! Não ligue para o comentário medíocre que li agora há pouco. Sinto verdadeira indignação contra comentários anônimos. São pessoas que não têm coragem de colocar os nomes para não terem suas pobres opiniões relacionadas com suas pobres teologias.

Quanto ao artigo, lembrei do nosso amigo Pr. Ciro, que disse não faz muito tempo, que em suas andanças com o Pr. Antonio Gilberto, ouviu alguém perguntar quem estava certo Calvino ou Arminius e o mestre teria respondido: "Nenhum dos dois. A Bíblia está certa" (rsrs).

Ah, quanto à última crítica do comentarista anônimo, eu acredito que você tem todas as condições sim de escrever para a Casa Publicadora sem fazer média com ninguém.

Fica na Paz meu amigo!

SoS Gospel disse...

Eu não tratei a questão como resolvida, só comentei que existe outra possibilidade!

Luis Paulo Silva disse...

Paz amado!

Copiei o seu texto para o "Coleção de Blogs". Passa lá pra dar uma olhada?

Deus te abençoe.

Luis Paulo Silva
www.despertaiceifeiros.blogspot.com
www.colecaodeblogs.blogspot.com

Valdivan Nascimento disse...

Sou arminiano sim, porém não sou anti-calvino, pois a Bíblia ensina a respeito da predestinação e eleição. Não concebo eleição como o fato de Deus escolher uns para a salvação e outros para a perdição.
entendo eleição como o fato de Deus providenciar salvação antes da fundação do mundo e pela sua presciência conhecer de ante mão os que serão salvos, porém dando oportunidades iguais a todos.

Se puder dar uma olhada no meu blog;
http://valdivannascimento.blosgpot.com/

Gutierres Siqueira disse...

Pastor Guedes, a paz!

Obrigado pelas palavras de incentivo. Sobre a frase do pastor Antonio Gilberto, ela bem expressa o que esse texto tentou passar.

Abraços e obrigado pelo acesso!

Gutierres Siqueira disse...

Sos Gospel, a paz!

Você fala muito bem que existe outras possibilidades além do calvinismo e arminianismo.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Luis Paulo Silva, a paz!

Fico feliz pelo texto ter sido selecionado para a compilação do seu blog.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Valdivan Nascimento, a paz!

Gostei da sua posição, que se define como arminiano sem ser anti-Calvino.

Abraços!

Cleber disse...

Mano,
permita-me comentar o seu post.

"Não consigo contemplar ou compreender uma salvação tão fácil de perder, como os arminianos pregam"
Vc deve ter se referido ao ultra-arminianismo, que diz que perde-se a salvação a cada pecado.
No arminianismo não se perde a salvação facilmente. Há um processo de apostasia que culmina nesse estado.
Olha o que a BEP diz sobre apostasia.

"Será que o homem é totalmente livre, como defende os arminianos, quando esse mesmo se mostra escravizado e dependente do pecado?"
O arminianismo não diz que o homem é totalmente livre.
Pelo contrário: fala da profunda depravação humana e afirma que somente quando o Espírito Santo ilumina uma pessoa é que ela pode escolher se quer ou não seguir a Jesus. O termo mais correto é arbítrio-liberto, mas popularmente é mais usado o termo livre-arbítrio, que pode dar essa falsa idéia à qual vc se refere.
Um outro problema é que popularmente as pessoas crêem em algo mais próximo do pelagianismo do que do arminianismo.
E muitos por isso acabam confundindo os dois sistemas.

Arminianismo e calvinismo NÃO são extremos de uma mesma verdade.
O arminianismo é o meio termo entre calvinismo e pelagianismo.
As pessoas ficam procurando o equilíbrio - e o nome do equilíbrio é arminianismo.
Basta estudar a história da igreja pra ver o equilíbrio dos arminianos.

O arminianismo valoriza tanto a liberdade humana qto a Soberania Divina.
O pelagianismo super-valoriza a liberdade humana.
O calvinismo super-valoriza a Soberania Divina.
Só não vê quem não quer...hehehe

Curiosamente eu acho que o arminianismo e calvinismo têm muito em comum quando falam da depravação humana e necessidade da ação do Espírito Santo.
Só que o arminianismo admite que a pessoa "iluminada" pode responder sim ou não.
O calvinismo afirma que a pessoa iluminada sempre vai dizer que sim. (graça irresistível)

Pr Cleber.
http://confraria-pentecostal.blogspot.com/

Gutierres Siqueira disse...

Cleber, a paz!

Realmente você expressa alguns conceitos equilibrados, definindo como arminianismo. Obrigado pela contribuição ao debate.

Abraços!

J. Carlos disse...

Viva Kierkgaard e a paixão pelo paradoxo!!!! Será?! Abaixo o paradoxo e viva a GRAÇA que quebra a resistência do homem chamado.

GILBERTO JUNIOR disse...

Otimo site e vica o pentecostalismo

Entra la no meu site depois

http://oboanerges.blogspot.com/

Anônimo disse...

"somente quando o Espírito Santo ilumina uma pessoa é que ela pode escolher se quer ou não seguir a Jesus."

A pergunta é: E se o Espírito Santo que também é Deus, não iluminar essa pessoa?

Anônimo disse...

Oi, Gutierres!
Espero que você não seja como alguns bem conhecidos blogueiros que deletam as mensagens que lhes parece mais desafiadoras ou simplesmente silenciam quando alguém discorda deles. Pode acreditar que há muitos deles por aí. Mas é o seguinte o que eu gostaria de comentar. Fui atraído para o debate a respeito da predestinação porque os pentecostais estão mais interessados em predestinação do que os próprios calvinistas. Os pentecostais cultos oferecem seus argumentos para desconstruir a teologia ou a ética calvinista como se a doutrina da eleição fosse a maior de todas as ameaças aos pentecostais. Isso não é verdade? O irmão Anchieta, um afamado blogueiro, admite que uma forma radical de predestinação é comum no movimento pentecostal popular, mas em seguida diz que em virtude do estudo teológico isso já não é tão comum. Discordo dessa opinião porque, pelo visto, os pentecostais são fascinados pela doutrina da eleição, como mostra o seu blog e o de muitos outros,inclusive o próprio Anchieta! Será que esse fascínio é uma reminiscência do predestinismo irrefletido oriundo das esferas populares? Espero que você não se acovarde.Se você for mesmo interessado em assuntos teológicos; se não se trata apenas de uma aventura irresponsável (visto que muita gente lê vocês!), responda-me. Um lembrete: não sou um anônimo irresponsável. O meu caráter está comprometido com o que eu escrevo.Um abraço fraterno!

Gutierres Siqueira disse...

Caro anônimo,

Em primeiro lugar, eu não entendo essa insistência de negar a escrever o nome e sobrenome. Deve ser por isso que muitos blogueiros não respondem suas mensagens, ou até mesmo nem publicam.

Em segundo lugar, eu não vejo esse fascínio pela predestinação e eleição. Isso depende do foco de debates. Mas ainda é pouco o número de calvinistas no meio pentecostal. E também não trata o calvinismo como uma ameaça. Penso que podemos aprender muito com os irmãos calvinistas. Isso não significa que vou concordar com tudo.

Em terceiro lugar, vejo que a maioria dos pentecostais acreditam realmente em uma espécie de fatalismo determinista, mas isso acontece mais pela influência do catolicismo romano no pensamento do brasileiro. Mesmo assim, a maioria absoluta dos pentecostais são arminianos, e alguns são até pelagianos.

Obrigado.

PS: Por favor, se identifique na próxima.

Laudinei- NEI disse...

Será que sou um aminiano calvinista ou um calvinista arminiano?rs

Talves eu não seja nem arminiano nem calvinista,por que eu deveria escolher uma opção?
Creio na soberania de Deus? Obvio, se Deus não fosse soberano não seria Deus.
MAs por que a soberania de Deus tem que excluir a liberdade humana? UM Deus soberano não poderia criar um homem livre?

Onde esta o merito em aceitar algo que por nós mesmo jamais conseguiriamos e um Deus soberano oferece a nós?

Deus soberano poderia ter criado marionetes e ficar brincando com elas e protegendo suas favoritas, mas conhecendo Deus e sua PAlavra não consigo ver isso. Ele poderia fazer mas a questão é : será que Ele fez?

LAudinei
laudineiblogspot.com.br

Elton Morais disse...

Como o próprio apóstolo Paulo disse:

"Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo.
Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?"
(1 Co 1.12,13)

Jesus continue te abençoando.

No Profundo Amor de Cristo,
Elton Morais

w.Oliveira disse...

[1]"Para inteirar o leitor do todo da história, Spencer nos diz que após o Sínodo de Dort se reunir em 154 Sessões num “completo exame das doutrinas de Arminius e comparar cuidadosamente seus ensinos com os ensinos das Escrituras Sagradas, chegaram à conclusão que os ensinos de Arminius eram heréticos”. “E não somente isto, mas o Concílio impôs censura eclesiástica aos ‘remonstrantes' depondo-os dos seus cargos, e a autoridade civil (governo) os baniu do país por cerca de seis anos”

Diante disso, creio que a diferença crucial entre o Arminianismo e o Calvinismo se resume na palavra Soberania. Enquanto os calvinistas entendem que Deus opera a salvação na vida do ser-humano conforme a sua livre e soberana vontade, os arminianos salientam que o homem é capaz de por si só querer ou não ser salvo. Se partirmos da premissa que o homem está completamente morto diante de Deus como nos ensina Efésios 2:1, entenderemos porque a salvação depende tão somente da graça e da misericórdia do SENHOR, pois “não depende de quem quer ou quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia” (Rm 9:16)".

[1]por Rev. André do Carmo Silvério
http://www.monergismo.com/

Pastor Bruno disse...

Muito bom este texto, dentro de minha compreensão limitada de temas tão conflitantes, concordo com esta abordagem teológica e pentecostal. É bom que encontremos um lugar de paz em nosso pensar, como esta relexão nos apresenta. Deus abençoe-nos e nos oriente na busca pela verdade. A Paz!

Marlene disse...

A PAZ DE DEUS!
O QUE É SER UM LUTERANO, CALVINISTAS OU ARMINIANOS?
TODOS SE RESUME NA PALAVRA DE DEUS, QUE É UMA SÓ.
A PALAVRA TEM O PODER DE LEVAR AS PESSOAS PARA A PURUFICAÇÃO, AQUELES QUE ACREDITAM E ESTÃO PREPARADOS PARA OUVIR E PRATICAR.
JESUS NOS DEIXOU UM LEGADO: "IDE, LEVAI E PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA". NÃO ESCOLHENDO RAÇA, COR E RELIGIÃO; QUE FOI IMPOSTA PELO SER HUMANO.
A PALAVRA DE DEUS ESTÁ ESCRITA NA BÍBLIA QUE É VERDADEIRA. MUITAS VEZES O SER HUMANO A INTERPRETA ERRONEAMENTE.
DEUS É UNO, PERFEITO E CARIDOSO, ESTANDO SEMPRE JUNTO A NÓS. (NOS CARREGANO PERANTE NOSSOS PROBLEMAS) SOU PROTAGONISTA DESSA AFIRMAÇÃO, SEM DEUS EM MEU CAMINHO NÃO SERIA NINGUEM.
SEGUINDO A BÍBLIA NUNCA IREMOS DISTORCER A PALAVRA, PORQUE A BÍBLIA É VERDADEIRA.

André de Araújo Neves disse...

Na maior parte do tempo, eu me considero arminiano, entretanto costumo dialogar com calninistas, e vejo em alguns deles uma boa disposição para o diálogo e aceitação de um arminiano como irmão em Cristo.

Já em outros, sinto o contrário, até de sectário já fui chamado, pelagiano, etc. Para estes, "As Institutas" de Calvino é o 28º livro do Novo Testamento, e mais inspirado que os 27 ali, e que recusam-se a enxergar qualquer traço da verdade no arminianismo, considerando-o como heresia ou algo que o valha. Um exemplo disto é o do primeiro comentarista deste post, datado de 08/06/2009.

Enfim, a estes eu só posso externar o meu lamento, pois conquanto eu possa reconhecer que eu possa crescer no conhecimento da verdade lendo autores calvinistas, por exemplo, o oposto é algo extremamente raro (isto, é calvinistas lendo autores arminianos em busca do crescimento na verdade).

Creio que nenhum dos dois sistemas teológicos podem abarcar 100% da verdade (em que pese a afimração de Spurgeon de que o calvinismo e o evangelho são sinônimos: triste declaração, desde que considero um grande homem de Deus do passado!). Mais importante que defender o calvinismo ou o arminianismo, o que importa realmente é pregar o Evangelho de Cristo aos que necessitam; mas que fidelidade a um sistema teológico, devemos demonstrar nossa fidelidade a Cristo.

Paz e Bem.

IIARV disse...

sou de uma igreja apostólica.sou calvinista ou armeniano?

fernandoantas2014@gmail.com disse...

Nem sou Calvinista e nem arminiano.
Sou de Jesus embora esteja em uma igreja evangélica sigo a Jesus Cristo e não homens que erram.
Jesus disse vinde a mim todos vós que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei.
Ele disse todos e não alguns.
Então fica claro que a graça de Deus personificada na pessoa de Jesus Cristo é quem devemos seguir e não doutrinas desenvolvidas por homens.

José Rubens Medeiros disse...

Desculpem os que, livremente, pensam diferentemente. Revela-se de facílima, impressionante e lastimável percepção, e assim o declaro com igual e inquestionável liberdade de pensamento e de expressão, que o calvinismo é um rótulo sem sentido. O calvinismo deprime. O calvinismo é deprimente. O calvinismo deturpa a Bíblia. O calvinismo parafraseia a Bíblia. O calvinismo adapta a Bíblia. O calvinismo é vaidade pura, embora sequazes do francês queiram a todo custo sugerir o contrário teclando insistentemente na soberania de Deus. O calvinismo é coisa típica de homens. O calvinismo é invento de calvinistas. O calvinismo é modismo de pessoas que se converteram às apologias do cidadão que comandou o Conselho Genebra. O calvinismo anula os incontáveis chamados Bíblicos, embora eles, calvinistas, sempre digam o contrário. O calvinismo inegavelmente é um rótulo sem sentido. Obviamente, ninguém necessita ser "calvinista" para tornar-se cristão. Ninguém necessita fazer-se "calvinista" para ser salvo pelo SANGUE DO CORDEIRO DE DEUS. Ninguém necessita ser "calvinista" para mostrar-se elegante. Ninguém necessita ser "calvinista" para apresentar-se sábio. Ninguém necessita ser "calvinista" para obter sucesso ou êxito na vida. Ninguém necessita ser "calvinista" para COISA NENHUMA. Isso, claro, exclusivamente EM NOSSOS DIAS, ou seja, NOS DIAS ATUAIS, porque ao tempo de Calvino quem não se declarasse "calvinista" seria considerado herege, isto é, praticante de crime de heresia, e, por conseqüência, forçosamente e impiedosamente submetido a julgamento sumário, culminando com condenação por um Conselho espúrio e ridículo (sob a liderança ou influência de João Calvino) a morrer QUEIMADO AMARRADO A UMA ESTACA, exatamente como esse gaulês protagonizou em relação a um cristão respeitável chamado MIGUEL SERVETO, cuja estátua post mortem foi erguida na França, ao qual fora imputado o imperdoável e hediondo delito consistente em tão-somente haver, a pedido do próprio João Calvino, expressado seu ponto de vista em relação a determinados aspectos doutrinários integrantes das teses que Calvino pretendida transformar em "Institutas da Religião Cristã".

José Rubens Medeiros disse...

Em primeira abordagem, Calvinismo, a rigor, NÃO EXISTE. Aliás, a rigor ou sem rigor, Calvinismo NÃO EXISTE. E não existe porque o próprio francês Calvino isso CONFESSA em seu ajuntamento de palavras chamado 'Institutas' que ele ESCREVEU BASEANDO-SE INTEIRAMENTE NOS "ENSINAMENTOS"(sic) de um Padre Católico-Romano conhecido como Agostinho de Hipona. Aliás, Calvino faz as maiores mesuras em relação a esse Padre Agostinho, chamando-o por adjetivos como "SANTO", "SANTO HOMEM" etc. etc. Portanto, Calvino, não teve nem mesmo originalidade, eis que "sua doutrina" não é sua doutrina, mas doutrina ou tese do Padre Agostinho. Segue-se que, por maiúscula lógica, as pessoas que se rotulam de "calvinistas" deveriam rotular-se de "AGOSTINIANISTAS" ou algo símile (considerando que apreciam tanto esses rótulos). E uma curiosidade impressionante: O gaulês João Calvino (aquele mesmo que, "piedosamente", queimou vivo Miguel Serveto), não obstante "inspirando-se" nos escritos do Padre Católico-Romano Agostinho, apregoa em grandes letras no livro 'Institutas' que a Organização Religiosa Católico-Romana representa, entre outros adjetivos por ele utilizados, ASQUEROSA MERETRIZ. Como se vê, e por incrível que pareça, João Calvino “inspirou-se”(sic) num representante da organização por ele reputada como ASQUEROSA MERETRIZ!! Que “fonte” de inspiração!!!

José Rubens Medeiros disse...

Com relação à SALVAÇÃO ou ao mistério da salvação, para se saber como ela se processa, não entendo por que as pessoas se enveredam por "teses matemáticas", teses “malabarísticas”, fórmulas de pretensiosa "erudição" etc., se a Palavra de Deus torna tudo claro aos olhos da criatura, imagem e semelhança d'Ele. Há inúmeras passagens bíblicas segundo as quais para alcançar a salvação é necessário CRER NO SENHOR JESUS. Portanto, "CRÊ NO SENHOR JESUS E SERÁS SALVO, TU E TUA CASA". Nem vou citar os inúmeros outros versículos e pergunto: NÃO BASTA CRER NO SENHOR JESUS? Seria necessária essa "sanha" de paráfrases audaciosamente feitas com a Bíblia? Não é maravilhosamente sensato cumprir o que na Bíblia está determinado por Deus, por Jesus, pelo Espírito Santo? Outro exemplo: "IDE POR TODO O MUNDO E PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA. QUEM CRER, SERÁ SALVO..." Ou, como néscios, enveredaríamos por cidades e países "missionarescamente"(sic) pregando NÃO O EVANGELHO, mas "PREGANDO A PREDESTINAÇÃO CALVINISTA, DIGO, AGOSTINIANISTA"?! Tudo indica que o mote dos adeptos do joãocalvinismo é: “SOU CRISTÃO CALVINISTA; SEM CALVINISMO NÃO SOU CRISTÃO; SEM CALVINISMO NÃO CONSIGO SER CRISTÃO; SEM CALVINISMO NÃO POSSO LER A BÍBLIA; SEM CALVINISMO É IMPOSSÍVEL COMPREENDER A BÍBLIA; SEM CALVINISMO NÃO POSSO BUSCAR A DEUS; SEM CALVINISMO SOU FALHO; SEM CALVINISMO SOU SEM ENTENDIMENTO; SEM CALVINISMO VIVO UM CRISTIANISMO ILUSÓRIO; SEM CALVINISMO NÃO TENHO DISCERNIMENTO; SEM CALVINISMO NECESSITO URGENTEMENTE DE SER “REFORMADO”.

José Rubens Medeiros disse...

A propósito, sabiam que João Calvino "exorta" pessoas a "PREGAREM A PREDESTINAÇÃO"?! Por inacreditável que pareça, isso está escrito "solenemente" no ensaio literário conhecido como 'Institutas'.

José Rubens Medeiros disse...

Para todas as pessoas (pouquíssimas!) que já se detiveram nos escritos do João Calvino, hão de ter ficado muitíssimo perceptíveis as flagrantes e gritantes distorções bíblicas por ele cometidas e, no entanto, "aplaudidas" por seus seguidores, os quais se rotulam de "calvinistas", embora rotineiramente OMITAM TUDO O QUE POSSA SER ALGO "COMPROMETEDOR" A RESPEITO DESSE FRANCÊS. E eu enfatizo: SÃO MUITAS AS OMISSÕES PROPOSITAIS DE CALVINISTAS A RESPEITO DE JOÃO CALVINO, tanto como doutrinador, quanto como homem símile a qualquer outro, sujeito às mesmas paixões. Se você quiser conhecer essa tese calvinista, não se deixe influenciar por discursos de quem quer que seja. Leia os livros-teses de João Calvino, principalmente aquele chamado de "Institutas" e prepare-se para estarrecimentos após estarrecimentos. Use sua própria capacidade de raciocínio e compreensão que DEUS LHE DEU, ou seja, leia o livro "Institutas" e tenha à mão a Palavra de Deus (Bíblia), imitando os habitantes de Beréia e provendo-se de santa prudência, tendo fixo na mente que AS COISAS ESPIRITUAIS SE DISCERNEM ESPIRITUALMENTE; JAMAIS, INTELECTUALMENTE OU "TEOLOGICAMENTE"; JAMAIS, POR OUVIR INFLAMADOS ESTARDALHAÇOS DE APOLOGIA; JAMAIS, POR ANÉIS DE GRAU ORNAMENTANDO DEDOS.

José Rubens Medeiros disse...

Se você eventualmente discorda da tese da predestinação, sabe o que o francês Calvino diria a seu respeito? QUE VOCÊ É UM CÃO IMUNDO, UM PORCO, UM SUÍNO. Estas palavras constam "solenemente" no seu conjunto de escritos que ele intitulou de "Institutas da Religião Cristã".

José Rubens Medeiros disse...

Sabiam que o gaulês João Calvino, no mesmo livro cuja autoria se arroga (mas que, na verdade, é uma paráfrase aos escritos do Padre Agostinho), "revogou" algumas passagens da Bíblia? Ele diz e afirma e assevera que os dizeres maravilhosos do Livro de Tiago 5:14-18 "NÃO SE APLICAM AOS NOSSOS DIAS"!!

José Rubens Medeiros disse...

Não obstante os assim chamados calvinistas ISSO OMITAM COM FERROLHOS, João Calvino define com "maestria"(sic) a predestinação, dizendo que "o homem ou a vontade humana é como um CAVALO que pode ser montado por Deus ou pelo diabo...". Em outras palavras, segundo a ótica e a "doutrina"(sic) do huguenote Calvino, o ser humano (a vontade humana) não passa de uma cavalgadura ou montaria eqüídea!! A propósito, NENHUM CALVINISTA (ao que eu saiba) PREGADOR OU LÍDER DE QUALQUER DENOMINAÇÃO RELIGIOSA QUE ADOTA ESSAS TESES (TESES) TEM O DESTEMOR DE ISSO DIZER EM ALTO E BOM SOM DURANTE SUAS PRÉDICAS SOLENES, DIANTE DE GRANDE AUDIÊNCIA OU DE MACIÇA PRESENÇA DE PESSOAS. Por quê? Aliás, NÃO APENAS ESSA NUANÇA É OMITIDA, MAS VÁRIAS OUTRAS RELACIONADAS ÀS TEORIAS DO GAULÊS CALVINO. Por quê? Por que calvinistas ocultam variantes das idéias de Calvino, expostas em livro chamado 'Institutas'?

José Rubens Medeiros disse...

Outro triste exemplo de facetas propositadamente omitidas pelos calvinistas diz respeito à afirmação ou à assertiva de João Calvino dando conta de que ele teria feito uma "parceria"(sic) com Deus com o fim de escrever o livro 'Institutas', declarando que essa "obra-prima"(sic) "é mais de Deus do que de mim próprio"(sic). Vejam o tamanho dessa ABSURDEZA proferida por João Calvino! Enquanto a Bíblia (A BÍBLIA) foi escrita por homens INSPIRADOS por Deus, o livro 'Institutas' foi construído por UM HOMEM "em parceria"(sic) com Deus!!! E mais: Calvino afirma que PARA SE TER CORRETA E CABAL COMPREENSÃO DA BÍBLIA É IMPRESCINDÍVEL QUE SE LEIA, ANTES, SEU LIVRO CHAMADO 'INSTITUTAS'!!! Por inacreditável que isso possa parecer, ESTÁ ESCRITO NO PREFÁCIO DO CITADO LIVRO, COM TODAS AS LETRAS!!!

José Rubens Medeiros disse...

Para João Calvino e seus partidários, NÃO EXISTE SALVAÇÃO; existe ELEIÇÃO PRÉVIA, ANTES QUE O MUNDO FOSSE MUNDO, DESDE A ETERNIDADE. Para João Calvino, NÃO EXISTE FUTURO; o futuro é algo apenas aparente, completamente ilusório, pois que TODAS AS COISAS (absolutamente todas as coisas) JÁ FORAM OU JÁ ESTÃO CONSUMADAS. Você ou qualquer pessoa JÁ NASCEU IMERECIDAMENTE ELEITO PARA O CÉU OU POR SUA PRÓPRIA CULPA CONDENADO PARA MORAR EM ALGUM RECANTO DO INFERNO PARA SEMPRE, embora ISSO, EVIDENTEMENTE, NÃO ESTEJA DESSE MODO ENSINADO NA BÍBLIA.

José Rubens Medeiros disse...

Para João Calvino e seus simpatizantes, uma criança com três meses de gestação uterina JÁ TEM SEU DESTINO PREVIAMENTE TRAÇADO: ELEIÇÃO PARA O CÉU OU CONDENAÇÃO PARA O INFERNO! Se essa criança com três meses de gestação uterina MORRER NO VENTRE DA MÃE, seu destino permanece o mesmo, isto é, CÉU ou INFERNO. Com outras palavras, para Calvino e seus correligionários, TODA PESSOA JÁ NASCE ELEITA PARA O CÉU (VIDA ETERNA SEM VONTADE LIVRE E SEM MERECIMENTO ALGUM) OU PREDESTINADA (CONDENADA POR SUA PRÓPRIA "CULPA" OU PLENO "MERECIMENTO") PARA O INFERNO INFINDÁVEL. Repito: salvação SEM merecimento, mas condenação por CULPA EXCLUSIVA DO HOMEM!!

José Rubens Medeiros disse...

Para esclarecer o episódio (triste) de Miguel Serveto: Os partidários de João Calvino omitem o fato incontestável e documentado de que ele (João Calvino) ordenou ou pactuou ou influenciou na morte de MIGUEL SERVETO (Médico, Teólogo, Filósofo, Cidadão, Ser Humano), que foi QUEIMADO VIVO, amarrado a uma estaca, envolvido por madeira verde. Sabem qual foi o crime ou a barbárie protagonizada por MIGUEL SERVETO? NENHUM(A)! Ele simplesmente expressou seu livre pensar, manifestou entendimento algo diferente de Calvino no que se refere à doutrina da Trindade. A partir disso, Calvino, que TROCAVA CONSTANTES CORRESPONDÊNCIAS (CARTAS) COM MIGUEL SERVETO, PEDINDO A ELE SUA OPINIÃO SOBRE A TESE QUE DESENVOLVIA ('Institutas'), passou a odiá-lo, a ameaçá-lo e, segundo registros, chegou a declarar que "SE SERVETO FOSSE A GENEBRA, DE LÁ NÃO SAIRIA VIVO"... A propósito, foi erguida uma ESTÁTUA NA FRANÇA EM HOMENAGEM A MIGUEL SERVETO, CONTENDO INSCRIÇÕES QUE FAZEM EXPRESSA REFERÊNCIA À COVARDIA DE JOÃO CALVINO e seus companheiros de Genebra (Suíça).

José Rubens Medeiros disse...

Observem (observar no sentido de ler as teorias do próprio huguenote Calvino; e ler os quatro volumes do livro chamado 'Institutas da Religião Cristã', não se limitando a ouvir a opinião isolada e tendenciosa de pessoas que se têm a si mesmas como detentoras da "palavra final") que, NA ÓTICA DESSE CIDADÃO FRANCÊS, LIVRE-ARBÍTRIO SÓ EXISTE PARA QUEM TEM ENDEREÇO NO INFERNO. Com outras palavras, o eleito (de acordo com o discurso de Calvino) é eleito imerecidamente, pela graça "irresistível", sem qualquer oportunidade de escolha ou de exercício de vontade; enquanto que o réprobo ou ímpio ou maldito ou predestinado para a eterna separação de Deus (EMBORA PREDESTINADO: REPITO, EMBORA PREDESTINADO) ver-se-á frente a frente com tal realidade existencial "POR SUA PRÓPRIA E EXCLUSIVA CULPA"(sic), "POR SEU PRÓPRIO ESFORÇO"(sic) ou seja, INESCUSÁVEL OU INDESCULPÁVEL. Afinal, que "Livre-Arbítrio"(sic) unilateral ou tendencioso ou conduzido seria esse? Percebam o "niilismo" precisamente em razão de NÃO SER POSSÍVEL ENCONTRAR HARMONIA ENTRE OS ENSAIOS OU AS TESES OU AS TEORIAS DO GAULÊS CALVINO E A INTEIREZA DA PALAVRA DE DEUS.

José Rubens Medeiros disse...

Alguém já experimentou pedir a um Ministro de orientação calvinista (ou melhor, agostinianista) que ore em favor da SALVAÇÃO de um filho que rejeita veementemente o Evangelho, que está envolvido com DROGAS, que TRAFICA DROGAS, que PRATICA ROUBOS, que repetidamente ESTÁ ENCARCERADO etc.? Se o Ministro em questão de dispuser a "orar pela salvação"(sic) de seu filho, ele certamente, em o fazendo EM VOZ ALTA (com transparência), terá de dirigir a Deus ROGOS NO SENTIDO DE QUE O DECRETO DA ELEIÇÃO REALIZADO ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO SEJA "ALTERADO" PARA QUE ESSE FILHO ERRANTE SEJA NELE INCLUÍDO!!! Outra alternativa seria que esse calvinista (ou melhor, agostinianista) dissesse à pessoa que pediu a oração a seguinte frase: "NÃO SE PREOCUPE, PORQUE SE SEU FILHO FOR ELEITO, A UM CERTO E DETERMINADO MOMENTO DA VIDA ELE VAI SER DESPERTADO". E ainda uma terceira alternativa seria, na oração, dizer a Deus: "SENHOR, MOSTRA OU REVELA A ESSA PESSOA E A ESTE TEU MINISTRO SE O FILHO DELA FAZ OU NÃO FAZ PARTE DA RELAÇÃO DAQUELES QUE, COMO EU, FORAM ELEITOS ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO, PARA QUE NÃO PERCAMOS TEMPO EM SÚPLICAS INEFICAZES".

José Rubens Medeiros disse...

MAIS DE 90% dos que se rotulam de calvinistas NÃO TÊM NEM IDÉIA DO QUE JOÃO CALVINO ESCREVEU no livro intitulado "Institutas da Religião Cristã", disponível em formato PDF para download na internet. Aliás, não têm NEM IDÉIA de quem seja realmente João Calvino. No mesmo sentido, A MAIORIA ESMAGADORA DAS PESSOAS JAMAIS LEU A BÍBLIA POR INTEIRO!! Sendo assim, POR ÓBVIO, não há como debater com consistência... Posso adiantar: Calvino não era o que dizem, Lutero não era o que dizem. Calvino era um mero pecador homem (como nós), Lutero era um mero pecado homem (como nós). Nem Calvino nem Lutero eram "santos", ou "infalíveis". Longe disso!! Muito longe disso!! Outra coisa: NEM CALVINO NEM LUTERO FORAM REFORMADORES! Não reformaram COISA ALGUMA! E por que não reformaram COISA ALGUMA? Simplesmente PORQUE NADA HAVIA PARA SER REFORMADO! A Igreja de Cristo nunca necessitou de "reforma", isso é uma invenção de homens impregnados de vaidade e cheios de si mesmos. A Igreja de Cristo é a IGREJA DE CRISTO, cujos alicerces estão inapagavelmente fixados na Bíblia, expostos maravilhosamente pelos Discípulos e Apóstolos. O que aconteceu e continua acontecendo no mundo é que o homem (o ser humano) simplesmente "caiu na gandaia", mergulhou no pecado, atascou-se na lama. Bastaria e basta, portanto, que o homem (nós, seres humanos) tomemos vergonha na cara, voltemos para o que na Bíblia está escrito, voltemos para os ensinamentos dos Discípulos e Apóstolos, voltemos para a Cruz de Cristo.

José Rubens Medeiros disse...

O calvinismo implica NÃO CRER NA BÍBLIA COMO UM TODO, implica NÃO CRER NO LIVRO DE TIAGO, capítulo 5, versículos 13 a 18, porquanto assim declara intrépida e "solenemente" o francês João Calvino em sua tese chamada "Institutas da Religião Cristã", da qual os calvinistas, em sua esmagadora maioria, nunca leram nem mesmo o prefácio.

José Rubens Medeiros disse...

O calvinismo implica uma mulher cristã que esteja grávida olhar para si mesma, lançar olhos para seu ventre crescido e perguntar-se se o que carrega no útero, pelo milagre da concepção, é um rebento COM A INEXTINGUÍVEL SEMENTE MALIGNA DE SATÃ ou um filho COM A IMUTÁVEL MARCA DA ELEIÇÃO. E, portanto, quer essa criança venha efetivamente a ser expelida do útero com vida, quer se torne um aborto, o calvinismo haverá de inevitavelmente implicar em completo emudecimento tanto da mãe quanto do pai, no que diz respeito àquela passagem bíblica segundo a qual OS FILHOS SÃO HERANÇA DO SENHOR E O FRUTO DO VENTRE O SEU GALARDÃO.

José Rubens Medeiros disse...

O calvinismo implica a total desesperança em termos de FUTURO, porque, segundo esse gaulês adepto da pena capital por fogueira em estaca, o futuro é apenas aparente, porque todas as coisas (sem exceção) já foram pela soberania de Deus absolutamente determinadas ou predeterminadas ou pré-formatadas ou predestinadas, e isso não apenas no que diz respeito à eleição, esta que, vez por outra, também é referenciada como sendo salvação.

José Rubens Medeiros disse...

O calvinismo implica a "canonização" de um mero e vaidosíssimo homem chamado João Calvino e tê-lo como uma espécie de guru, pragmática uniforme por parte das organizações religiosas que o veneram. A própria Confissão de Fé de Westminster constitui, em verdade, uma "Declaração de Fé em João Calvino", porque extraída INTEGRALMENTE dos escritos desse francês, resultado direto de antiga imposição do Parlamento da Inglaterra.

José Rubens Medeiros disse...

Nas próprias palavras de João Calvino, ser partidário da teoria calvinista equivaleria a rotular-se a si mesmo de quadrúpede eqüídeo ou, mais popularmente, de CAVALO que pode ser montado por Deus ou pelo diabo. E, acreditem ou não, isso está com todas as letras escrito no ensaio literário desse escritor francês, sob o rótulo de "Institutas da Religião Cristã".

José Rubens Medeiros disse...

Pouco sei a respeito de Jacobus Arminius, não me detive em sua biografia, exceto no que diz respeito à sua visão soteriológica apelidada de "Arminianismo", e, definitivamente, não a compartilho. E acrescento: A razão de não a compartilhar deve-se tão-somente ao fato para mim abissal consistente em que eu rejeito IRREMEDIAVELMENTE E PARA SEMPRE qualquer tipo de rotulação humana. Se rótulos eu me permitisse, diria que sou criatura de Deus, formado do pó da terra, à Sua imagem e semelhança, lamentavelmente pecador e, pela misericórdia do Criador (que é a causa de não sermos consumidos), permaneço aguardando a segunda vinda do Senhor Jesus, o Cordeiro de Deus, TUDO EM ESTRITA CONFORMIDADE COM AQUILO QUE ESTÁ LAVRADO INDELEVELMENTE NA BÍBLIA.

José Rubens Medeiros disse...

Tudo o que, em comentários, asseverei em pertinência ao francês Jean Cauvin (mais conhecido em nossas plagas como João Calvino) não derivou, MUITÍSSIMO OBVIAMENTE, de eu tê-lo conhecido, ou ter mantido contato "pessoal" ou "visual" ou "verbal" com Monsieur Cauvin no Século XVI: O FLUIR DO TEMPO, OU O TEMPO TRANSATO, TORNA ISSO IMPOSSÍVEL. Mas eu conheço, sim, o cidadão João Calvino, MENOS POR A RESPEITO DELE TER OUVIDO HISTÓRIAS, mais em razão de ler o livro que ele próprio, em uníssono com seus admiradores, apregoa como a Magnum Opus(sic) do Cristianismo. É necessário ressalvar que determinados aspectos da história que dizem respeito ao huguenote em questão SÃO INEXPUGNAVELMENTE CONDIZENTES COM A REALIDADE, ou seja, SÃO RETUMBANTEMENTE CORROBORADOS POR FONTES FIDEDIGNAS e pelo cotejo de fatos intercambiados. A menos que se tenha por "FALSO" tudo o que a respeito de Sua Senhoria João Calvino já foi produzido em termos literários (e, naturalmente, que não me reporto limitadamente a publicações da Rede Mundial ou da Wikipédia). Existem vários livros nos quais se encontram registros acerca da trajetória de vida de Calvino desde tenra idade até seu último suspiro.
Calvino foi apenas um MERO, UM SIMPLES, UM MERÍSSIMO homem, tão falho, tão pecador, tão impelido e compelido pela vaidade, tão miseravelmente carente da misericórdia de Deus quanto eu próprio. Não o admiro, não o venero, mas, por outro lado, nada pessoalmente eu tenho ou teria contra esse cidadão francês, porque ele, segundo a verdade Bíblica, é o meu próximo ou meu semelhante (E AMAR O PRÓXIMO É O SEGUNDO MANDAMENTO MAIS IMPORTANTE ENSINADO PELO SENHOR DA IGREJA). O Calvino-homem, seja lá ele como tenha sido, NÃO ME INTERESSA. Só digo e escrevo o nome dele porque ele (Calvino) se propôs a escrever sobre o DEUS QUE CRIOU TODAS AS COISAS. Apenas isso.

José Rubens Medeiros disse...

Sem querer ser inconseqüente e (muito menos) sem o intento de denegrir gratuitamente a imagem de um ser humano (qualquer que seja ele), e ressalvando que respeito o cidadão João Calvino como meu semelhante (embora não o tenha conhecido pessoalmente, obviamente), acho no mínimo curiosa a maneira como ele se propunha a meditar na Palavra de Deus, de vez que, conforme se pode ler em sínteses biográficas, ele apreciava sentar-se às margens do Lago de Genebra, tendo em uma das mãos a Bíblia e na outra mão uma garrafa de vinho tinto. Logicamente que não estou dizendo que ele estava se embriagando, que ele era um alcoólatra etc. etc. O que estou claramente dizendo é que dificilmente (DIFICILMENTE) alguém poderia "meditar" na Palavra de Deus (Bíblia), lendo-a e, ao mesmo tempo, "sorvendo" goles e mais goles de vinho tinto. Imaginem, por exemplo, os pregadores ou líderes de nosso tempo, "ensinando" ou "adotando" tal pragmática de meditação espiritual...

José Rubens Medeiros disse...

A meu ver, a palavra "REFORMA" não faz qualquer ou nenhum sentido. Reforma de quê? Reforma da Bíblia? Reforma da Igreja de Cristo? A Igreja, isto é, a ÚNICA Igreja que verdadeiramente existe, é a Igreja de Cristo, estabelecida e fundada segundo os preceitos CLARÍSSIMOS estampados na Bíblia, ao alcance de QUALQUER pessoa, letrada ou não. Não existe nem REFORMA nem REFORMADOR(es). A Bíblia é e permanecerá sendo sempre a mesma. Deus é o mesmo. Jesus Cristo é o mesmo e a Mensagem Real é a mesma. O que mudou através dos séculos foram as "peripécias" e as maluquices do ser humano, ávido por si mesmo, incontido e embriagado pela vaidade e pelas concupiscências que o carcomem.

José Rubens Medeiros disse...

E mais: Acredite se quiser, o Sr. João Calvino chega ao ápice de apregoar que seu livro 'Institutas" é como "UMA CHAVE PARA CORRETA E CABAL COMPREENSÃO DAS ESCRITURAS"(!!!). Isso pode ser conferido no vol. I, pág. 45, Formato PDF, disponível para download na rede mundial. Com toda a honestidade: COMO SE PODE LEVAR A SÉRIO UM DOUTRINADOR QUE A SI MESMO SE ALARDEIA LAUDATORIAMENTE!!??

José Rubens Medeiros disse...

Você sabia que esse francês de nome João Calvino declara que a Bíblia é um livro enfadonho e aborrecedor, e que a única maneira das pessoas "se livrarem" desse enfado e aborrecimento é LER PRIMEIRO O SEU LIVRO apelidado de 'Institutas da Religião Cristã'? Observem o que ele disse no prefácio (vol. I, pág. 44, formato PDF): "Por essa razão, aliviado será o leitor piedoso de grande aborrecimento e enfado, se à Escritura se achega premunido do conhecimento da presente obra como de um instrumento necessário"(sic). Trata-se de um incrível 'show' de presunção!

José Rubens Medeiros disse...

Sobrevém-me: Diante de todos os "ensinamentos" do João Calvino, seria possível ou concebível que algum membro de uma qualquer agremiação cristã, após ouvir um sermão ou uma prédica bíblica que lhe fosse do agrado ou que lhe falasse verazmente ao coração (sem emocionalismos duvidosos, sem fantasias ou delírios), tecesse o seguinte elogio ao pregador: EIS AÍ UMA VERDADEIRA MONTARIA CAVALGADA POR DEUS?! Digo isso por uma única, estrita e suficiente razão: o francês Calvino, na defesa do predestinacionismo, equipara o ser humano ou a vontade humana exatamente a UM CAVALO, susceptível de ser MONTADO ou CAVALGADO por Deus ou MONTADO ou CAVALGADO pelo diabo. Isso está escrito na tese conhecida como "Institutas da Religião Cristã", disponível facilmente na internet.

José Rubens Medeiros disse...

Existiram e existem e continuam existindo TANTAS e TANTAS e INUMERÁVEIS pessoas no mundo com um coração verdadeiramente cristão, com uma vida inteiramente conduzida pelo Espírito de Deus em Cristo Jesus, deixando marcas santas e INDELEVELMENTE SANTAS por onde quer que passem, edificando sua própria família, edificando pessoas, edificando o semelhante, distribuindo generosidade, distribuindo comoventes testemunhos na forma BÍBLICA, sem que a respeito delas NINGUÉM SE ENCARREGUE DE LEVANTAR "HOMENAGENS" ou DEDICAR "LIVROS" ou ERGUER "ESTÁTUAS" ou ESMERAR-SE EM "MESURAS" muitas vezes HIPOCRISÍACAS... E por que, CARGAS-DÁGUA, o tal João Calvino se tornou uma "lenda" ou um "artista" ou um “guru” ou algo símile?! Definitivamente, SER CRISTÃO NÃO É SER CALVINISTA, SER CRISTÃO NÃO É SINÔNIMO DE "CALVINISMO". Ser cristão é viver uma vida EM INTEIRA OU EM ESTRITA CONSONÂNCIA COM OS ENSINAMENTOS BÍBLICOS, é ser humilde, é ser manso, é ser fértil em bondades, é ser misericordioso, é ser longânimo, é ser inteligente, é ser sábio por temer a Deus, é ser submisso ao chamado de Jesus Cristo, é amar o próximo (amando primeiro a Deus), é amar a família (esposa e filhos), é ensinar os filhos enquanto crianças, é cumprir as leis do país, é não promover nem protagonizar escândalos, é não fraudar o Imposto de Renda, é não usar "Igrejas" fraudulentamente como meio de vida, é negar-se a si mesmo etc. etc. etc. etc. etc.

José Rubens Medeiros disse...

QUE DIRIA O CALVINISTA?
Na hipótese de que seu filho, antes aparentemente eleito, venha a ser ou passe a ser usuário de drogas, alcoólatra, ladrão, travesti, sexualmente promíscuo, homicida, pedófilo etc., você o consideraria como parceiro do demônio, ou réprobo, ou maldito que no dia do juízo será apartado para o fogo eterno?
Ou diante de tal cenário você empreenderia ou se dedicaria a árduas orações no sentido de que esse seu filho venha a se converter à semelhança de João 3:16, ou seja despertado para a vocação que, ao seu entendimento de pai, lhe estaria reservada por efeito de infalível eleição anterior à fundação do mundo?
E, na conjectura de suas orações falharem ou não encontrarem ressonância ou receptividade celestial, e seu filho descer à sepultura com aquele mesmo estilo de vida, você entenderia que por ser impossível qualquer deslize no secreto, eterno e amoroso conselho do Criador, por ser Deus sempre e perfeitamente justo, você lhe dedicaria irrestritos louvores em altos e santos brados por ter Ele destinado ou condenado à perdição eterna o seu ímpio descendente na carne como um verdadeiro filho de satã?

José Rubens Medeiros disse...

Os numerosos movimentos religiosos que campeiam pelo mundo são erigidos por incontida necessidade de apego, de âncora, de um qualquer referencial de vida ‘inda que irremediavelmente distante da essência da vida, aos quais se outorgam nomes os mais mirabolantes e via de regra destinados à exaltação de meros homens, de que são exemplos remotos Calvinismo e Luteranismo, lado a lado com muitos outros com denominação modernizada e adaptada às variações comportamentais que com o passar do tempo eclodem às golfadas, cuja desagradável enumeração se faz desnecessária.
Esses dísticos religiosos representam claramente uma dentre tantas e tristes espécies de idolatria que impregnavam e continuam impregnando o mundo.

José Rubens Medeiros disse...

O ser humano tende à idolatria, é propenso à idolatria, não consegue viver sem idolatria, não consegue, unicamente pela fé, voltar-se exclusivamente para Deus como Deus, como Espírito Invisível e Todo-Poderoso.

José Rubens Medeiros disse...

Vive-se entre comichões ou pruridos existenciais para cujo alívio buscam-se pessoas e coisas nas quais se podem fitar os olhos, nas quais se podem colocar as mãos, às quais se podem render as mais descabidas e desconexas homenagens e, imprescindivelmente, são passíveis de serem exibidas, apregoadas, enaltecidas e cantadas em prosa e verso.

José Rubens Medeiros disse...

É mais fácil, é mais palatável, é palpável, é lazer, demanda menos entrega espiritual, menos fé, menos negação do eu, menos percepção da alma.
Portanto, exibe aguda similitude com o bezerro de ouro fundido por Aarão diante das lamúrias nauseantes de um povo contumaz e espiritualmente estropiado, não obstante maravilhosamente conduzido pelo Espírito de Deus.

Hemilene Emilia disse...

a paz do Senhor!
quero agradecer pelo seu texto...pois ele é edificador, muito me agradou lê-lo e refletir suas colocações! Deus te abençoe!
Ir. Hemilene Emília

Hemilene Emilia disse...

a paz do Senhor!
quero agradecer pelo seu texto...pois ele é edificador, muito me agradou lê-lo e refletir suas colocações! Deus te abençoe!
Ir. Hemilene Emília