sexta-feira, 10 de julho de 2009

Calvino: 500 anos!


É inegável. Calvino foi um dos maiores teólogos da história. Concordando ou não com suas premissas, não podemos esquecer da grande contribuição desse francês, nascido no dia 10 de Julho de 1509. Parabéns a todos os calvinistas, aos protestantes e aos cristãos, como um todo!

A Deus toda a Glória!
*Ilustração divulgada hoje no jornal “O Estado de S. Paulo”

3 comentários:

Matias Heidmann disse...

Apesar de todas controvérsias, sem dúvida, o teólogo que mais influenciou o protestantismo pós-explosão da reforma.
Não é necessário ser defensor da controversa tese de predestinação, como defendida por Calvino, para se deleitar nos seus escritos (mais estruturados do que os de Lutero). O capítulo I de sua Institutio, por exemplo, é uma verdadeira delícia teologica e filosófica para cristãos de todos os segmentos.
Grande abraço a todos!
Matias

Anônimo disse...

Ser realmente calvinista não é repetir tudo o que foi defendido pelo teólogo franco-suiço, mas confiar de forma completa no que Deus tem reservado para sua criação.

A respeito das Institutas, obra magna do reformador, acho bastante interessante o conteúdo encontrado nos capítulos I e II do quarto livro, onde, de forma magistral, Calvino elabora sua eclesiologia.

Nos citados capítulos, encontramos uma eclesiologia absolutamente ecumênica no que se refere aos novos ramos do cristianismo e, até mesmo, um velado ecumenismo para com o catolicismo-romano, a par das veementes criticas formuladas pelo reformador ao papado.

Em resumo, Calvino deplorava o separatismo sectário já existente na época da reforma, assim como considerava o catolicismo-romano como um ramo do cristianismo .

André Tadeu de Oliveira

cincosolas disse...

Gutierres,

Que bom ver em seu blog a lembrança de João Calvino. É triste quando, por ser arminiano, a pessoa despreza totalmente a contribuição do reformador de Genebra. Como é igualmente triste quando alguém, por ser calvinista, não reconhece o valor dos escritos de Jacó Armínio. Armínio respeitava Calvino e tenho certeza que Calvino teria a mesma consideração para com o prof. de Lyden.

A propósito dos 500 anos, publiquei uma Entrevista com João Calvino no Cinco Solas.

Em Cristo,

Clovis