domingo, 19 de julho de 2009

Não se engane com as aparências

Quando falamos em pregação genuinamente bíblica muitos confundem as coisas. Uma questão é a pregação bíblica, expositiva, que deixa as Escrituras falar por si. Outra questão totalmente diferente é alguém citar a Bíblia. Citação de passagens bíblicas não é garantia de pregações saudáveis. Muitas pregações desastradas - ou por que não dizer heréticas? -estão cheias de citações bíblicas. O que dizer de pregadores que leem a história de um personagem bíblico e depois fazem um teatro com a passagem? Estão eles pregando as Escrituras ou alimentando espetáculos pessoais?

Mais importante do que citar várias passagens bíblicas, é fazer uma correta interpretação e aplicação das Escrituras. Mais importante do que ler um longo texto ou citar vários personagens da história bíblica, é fazer uma leitura adequada desses trechos. Portanto, não se engane. Avalie corretamente uma pregação pela qualidade da interpretação e aplicação, não pelos inúmeros versículos lidos por alguém. Ora, quantos estão lendo uma passagem, entendendo esses trechos de modo errado, e ainda assim ensinam para a congregação falsos conceitos?

Os "testemunhas de Jeová" citam muitos textos para ensinar as "verdades" inventadas pelo seu fundador, mas são um bom exemplo de um entendimento errado da Bíblia. Infelizmente quantos pregadores evangélicos estão no mesmo caminho!

6 comentários:

Moyses disse...

Shalom...

A malandragem maior está realmente no fato de citar passagens bíblicas e as que de preferência soem como música aos ouvidos dos cristãos, aliados a uma história comovente ou movimentos teatrais e ainda profetadas promentendo vitórias e visagens de anjos, Deus e ou óleo escorrendo aqui e ali, por isso devemos ter atenção redobrada, pois há muito tais "malandros" perceberam que precisam conhecer de Bíblia e fazem direitnho sua lição de casa!

Queria aproveitar a oportunidade para lhe pedir algo; eu estou engatinhando na fé, embora tenha muita sede da palavra de Deus, existem coisas que por falta de acesso ou questão de tempo e tempo de fé sou completamente leigo e outras estou tentando compreender, assim sendo pelo que vejo dos seus textos, do vocabulário por ti usado e os subsídios que usa percebo que você procura estar sempre bem abalizado e tem estudado muito, bom vou então a minha dúvida; Jesus disse que a lei e os profetas duraram ou vigoraram até João, logo João foi o último dos profetas; porque então que João não fazia uso da expressão: - Assim diz o Senhor!
Tenho lá a minha opinião, mas queria saber a de uma pessoa como você e também quero pedir a opinião do Pr. Altair Germano a quem também acompanho através do Blog, pois vocês têm linhas de raciocínio que em minha opinião diferem de grande parte dos cristãos, porém a meu ver os vejo como conhecedores do Verdadeiro Evangelho, por isso é para mim importante saber o que pensam a respeito... Disponibilizo em caso de responder-me; meu email para resposta, caso não queira responder aqui nos comentários, mas dependendo isso poderia até render uma postagem não?

Desde já agradeço...

Meu email: godoygodoi@hotmail.com

Meu sincero abraço...

L. H. Dessart disse...

É a velha história de texto fora de contexto...

Muito bem observado!

Abraço!!!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Gutierres:

Venho sempre por aqui, mas a falta de tempo me impede, eventualmente, de comentar.

Com este artigo, você tocou no cerne. Na basta citar a Bíblia. É preciso citá-la de maneira correta. O próprio diabo fez uso dela na tentação de Jesus, mas de acordo com o seu interesse, e não para expressar a verdade que ela encerra.

A grande questão que precisamos ter em mente quando citamos uma passagem é o que ela realmente diz e não o que penso que ela diz. À luz disso que possamos, todos nós, melhorar sempre e a cada dia a nossa exegese bíblica.

Abraços

Pastor Mozart Paulino disse...

Prezado Gutierres, a Paz do Senhor.

Creio que a PREGAÇÃO EXPOSITIVA não deve ser entendida como um príncípio único de interpretação.

Na verdade é um dos métodos de pregação; porém, dentre todos os demais existentes, é o que melhor cumpri seu papel de DEIXAR A BÍBLIA FALAR POR SI MESMA.

Óbviamente demanda mais trabalho de estudo e dependência do Senhor.

Como inspiração indico: A IMPORTÂNCIA DA PREGAÇÃO EXPOSITIVA - HERNANDES DIAS LOPES.

Parabéns por mais esse texto.

MSP

Gutierres Siqueira disse...

Caro Moyses, a paz!

Interessante a sua pergunta.

Realmente João Batista foi o último dos profetas no sentido veterotestamentário. João realmente não usa a expressão “assim diz o Senhor”, mas é bom lembrar que nem todos os profetas usavam essa exata expressão. Mas há um fato relevante em tudo isso. Não importava a expressão, mas o profeta de Deus tinha consciência que falava em nome do Altíssimo. Nesse caso, os profetas falavam de três formas:

a) Uma mensagem que aparentemente era do intelecto do profeta, mas que na verdade estava sendo entregue pelo próprio Deus.

João Batista se encaixa nesse grupo. Mas a maior parte das palavras de Moisés também são incluídas nesse primeiro grupo.

b) Uma mensagem em que o profeta anunciava expressamente que ele estava falando em nome de Deus.
Esses profetas então falavam a famosa expressão “assim diz o Senhor”, ou “o Senhor me disse”.

c) Profetas que reproduziam as palavras de Deus em primeira pessoa.

Esse grupo, como o profeta Isaías, dizia “Eu sou o Senhor, e não há outro”. Essas eram palavras de Deus saindo da boca do profeta. Mais eles falavam como se fossem o próprio Deus dirigindo as palavras ao povo.

Portanto, meu irmão, vemos que não havia um padrão para a anunciação das profecias.

Abraços

Moyses disse...

Shalom...

Agora tudo parece mais claro para mim, realmente não era "regra", digamos assim usar tal expressão, e é claro nem por isso as palavras eram de menor autoridade que quando usada a expressão... Mesmo assim é interesante que como "o último" profeta veterotestamentário, que pôs fim a toda uma era fosse por Deus usado dessa maneira, bom começou assim também não é mesmo?

Abraço, que Deus Abençoe...