domingo, 16 de agosto de 2009

Edir Macedo: A síntese do mercenário

Acabo de assistir o Repórter Record, um verdadeiro jornalismo “chapa branca”, que é capaz de produzir pérolas que deveriam ser usadas como exemplos negativos nas aulas de jornalismo. Passaram o tempo todo acusando a Rede Globo de falcatruas, e em momento algum responderam as acusações apresentadas pelo Ministério Público. Em todos os programas “jornalísticos” da Record se limitam a dizer que “são acusações velhas e já arquivadas na justiça”.


A reportagem tenta agora coagir o promotor público Roberto Porto, com especulações sobre sua relação com a juíza Patrícia Alvarez Cruz e com a emissora carioca. A IURD/Record já fez o mesmo no início de 2008 com a repórter Elvira Lobato, do jornal Folha de S. Paulo. Lobato foi processada ao mesmo tempo por vários “fiéis” ofendidos pela reportagem em que ela acusava a IURD de lavagem de dinheiro. Ora, a manobra de constranger a repórter foi tão mal feita que supostos membros da igreja processaram o jornal de cidades onde a Folha de S. Paulo nem circula. No total foram 107 ações de várias cidades do país, com acusações parecidas e texto idêntico. Essa manobra foi feita para dificultar a defesa da repórter.


Acusações não explicadas


Em nenhum momento a reportagem explica e responde as acusações formuladas pelo Ministério Público, com base em investigações de lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito, fruto das doações dos membros dessa “igreja”. Para Edir Macedo a melhor defesa é o ataque. Enquanto ataque, a IURD não esclarece os fatos.


Em entrevista para a sua empregada, Edir Macedo se apresentou como democrático, dando a liberdade para a repórter formular qualquer pergunta. Edir Macedo se colocou como um humilde servo da igreja, sendo aquele que recebe um salário e ganha direitos autorias dos seus livros e CDs. Seria cômico se não fosse trágico. Pela suas belas mansões, vemos que Macedo ganha mais em direito autoral do que o Michael Jackson ganhava enquanto vivo.


Tire esse nome “evangélico”


Por conveniência, a IURD usa o termo evangélico nesses momentos de “perseguição”. Enquanto isso, a Rede Record nunca abre um espaço para a pregação da Palavra de Deus. Programas evangélicos em outras emissoras sofrem com preços inflacionados pela IURD, que sempre oferece uma quantia maior para veicular os seus programas em pequenas redes de televisão. Portanto, a IURD não ajuda os programas evangélicos de outras denominações, e ainda atrapalha a vida desses pequenos produtores, de denominações menores.


A IURD é uma verdadeira vergonha, que nunca deveria atribuir para si à palavra “evangélico”. Não é possível adjudicar homens como John Stott e Billy Graham, maiores representantes do evangelicalismo no século XX, com o mercenário Edir Macedo. A “teologia da prosperidade” é uma heresia, uma grande distorção bíblica, uma doutrina de demônios, como dizia o apóstolo Paulo no primeiro século da Era Cristã.


Vítimas desses lobos


A Rede Globo, que é uma emissora amante de valores anticristãos, vide suas novelas, mas nos faz um grande favor ao mostrar todos os podres do senhor Edir Macedo. Fato é que a Globo tira proveito com isso na sua luta comercial com a Record, mas infelizmente não está vinculando nenhuma mentira. A emissora carioca pode estar até exagerando no foco das notícias sobre esse assunto, mas as denúncias apresentadas no Jornal Nacional são baseadas em dados do Ministério Público. Agora a pouco, no Fantástico, a reportagem mostrou um senhor com problemas mentais que tinha em mãos um “diploma de dizimista”, com a ”assinatura” do senhor Jesus Cristo. Isso é tão ridículo que choca alguém usar o nome do SENHOR em vão para ludibriar doentes desesperados por cura.


A todos os mercenários cabe lembrar que existirá no futuro um juízo. Agora, antes disso existe tempo para o arrependimento.

7 comentários:

Armando Marcos disse...

Oi Gutierres, achei muito boa essa sua impressão. eu só vi a reportagem do Fantástico, não via ainda na record, mas já sei que o Bispão falou uns absurdos lá tambem, hehe
Republiquei no meu blog!
Abraços
Armando

claudio pimenta disse...

Farinha do mesmo saco as duas emissoras, uma conseguida na ditadura, a outra com o dinheiro dos pobres irmaos engandos a maioria gente de boa fé
Fico imaginando sobrte a vigilia da resposta da universal quem intruiu os casais para falarem que nao iria assitir mais nada da globo pois nao havia mudado a vida deles! PERGUNTO as novelas da record mudam ?

Porponho o mesmo que a pobre irmazinha propôs nao assitirmos nenhuma das duas pois sao iguais

http://exejegues.blogspot.com/2009/08/ideia-brilhante-grande-proposta.html

Matias Heidmann disse...

é um lobo disfaraçado de ovelhinha... como estava simpático na entrevista com a repórter Adriana (aliás outra iludida).
Logo que terminou o programa só pude comentar que o jornalismo barato da Record (jornalismo de seita!) limitou-se para atacar sua concorrente Globo. Eu nem tenho visto a Globo nestes dias (não vou perder meu tempo...), mas fiquei sabendo da denúnica através da Folha de Sao Paulo e da SBT...
Mas como ficou ontem no Reporter Record o público foi iludido a acreditar que somente a Globo reportou a denúncia.
Fiquei indignado: vivemos em um país sem jornalismo sério. Somos escravos de uma mídia superficial, comandada pelos poderosos corruptos. POr isto tamanha ignorância do povo.
Lamentável.
Como diz o artigo: haverá um juízo final e a verdade será revelada. O problema é que nem a Globo, nem a IURD, nem a Record acreditam em juízo final... o deus deles não é o Deus da Bíblia. Por isto estão com consciência tranquila (como diz o Macedo). Mas saibam, que Deus os designado para isto e endurecido o coração destes falsos homens de Deus.
Deus não divide a sua glória com ninguêm.
Aliás o maior sonho do "pastor" Macedo é ver a Record no topo... que missão "divina"!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Gutierrez,
Graça e Paz!

Quanto a Record não estar em nome da IURD, isso é uma proibição legal, no entanto, poderia estar em nome de uma insituição, também dirigida pelos mesmos líderes da Igreja.

Quanto a guerra entre Glogo e Record, o motivo é justamente porque a IURD enganou o povo. Arrecadaram para comprar uma emissora para evfangelizar e na realidade a verdadeira motivação era tomr o poder de audiência da Globo.

Assisti a reportagem hà pouco, agora pela manhã, e quando a repórter perguntou sõbre o sonho do Bispo Macedo, sem pestagenar respondeu: Tornar a Record a primeira em audiência!

Lamentável que, para realizar esse sonho, afaste a emissora completamente dos objetivos para os quais a mesma foi adquirida, ou pelo menos objetivos anunciados!

Parabens pela postagem!

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Daladier Lima disse...

É um absurdo que o rescaldo desta guerra caia sobre todos nós. É preciso separar o joio do trigo e o joio do joio. Porque cada igreja tem os seus Macedos. Oremos por dias desanuviados.

Tradicionalista disse...

A tendência é só piorar... A IURD é apenas a cereja do bolo...

Reginaldo Rocha disse...

Ambas tem rabo preso, mas acho que a Globo é pior pelo simples fato de jogar lixo no ventilador. Nunca fui muito com a Globo, acho uma imprensa muito senssasionalista, apelativa e vulgar, sem contar com a discriminação que ela tem do povo evangelico deste país. Hoje foi com a Universal, amanhã poderia ser com a Assembleia de Deus ou Batista ou Presbiteriana, quem sabe? Amados, mesmo sabendo dos defeitos que tem a Universal, é inadimissível que uma emissora como a Globo venha chamár a igreja universal de Organização criminosa, sendo assim, todos os membros são criminosos por ser membro de uma quadrilha. Isso poderia ser conosco? A verdade é que para a Globo, todas as igrejas são organização criminosa. E isso é muito sério. Ela (a Globo) não respeita a Igreja desse país, não respeita pastores, não respeita membros. Nunca fui fã da Igreja Universal, mas quando a Globo o ataca, eu fico chocado porque indiretamente está atacando as igrejas dessa nação que tanto tem feito pela sociedade brasileira.