domingo, 20 de setembro de 2009

Chega de clichês pseudopentecostais! Parte 03

A missão continua. São muitos os clichês que enchem os nossos púlpitos todo santo domingo. Na verdade, os nossos diálogos são sempre recheados de clichês e lugares-comuns, mas o problema é que o meio evangélico se especializou em usar do experiente com elementos antibíblicos. Precisamos dar um basta nessas frases de efeito...
Quem sentiu a presença de Deus nessa noite levante a mão!
O que é sentir a presença de Deus? É um arrepio ou frio na barriga? Na Bíblia há algo incentivo para sentir a presença de Deus fisicamente? Antes de procurar uma experiência sensorial o crente deve lembrar que se aceita a presença de Deus pela fé naquilo que está escrito nas Sagradas Escrituras: “Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (Mt 18.20). Você não precisa sentir nada para saber que Jesus está ao seu lado no culto, basta acreditar nas palavras do Senhor registrada por Mateus.
A oração move o braço de Deus!
Esse clichê é horrível. Quer dizer que Deus é um boneco estático que se move conforme um pedido? Quer dizer que Deus é um bonequinho movido pelo homem? Quer dizer que Deus resiste em nos abençoar, mas que a oração pode quebrar essa resistência? Além de uma distorção da visão de Deus, essa frase mostra que para boa parte dos evangélicos a oração tornou-se mero momento de petição, e não de comunhão aprofundada com Deus.
Liga-se no Manto
Esse clichê significa o quê? É alguma liquidação de panos para cobertor?

Quem não paga o dízimo, gasta na farmácia
Essa frase é no mínimo uma aberração. Dízimo é nessa visão um amuleto de proteção contra os infortúnios da vida. Quer dizer que quem paga dízimo não fica doente? É possível fazer barganha com Deus?

Eu profetizo que Deus tem uma grande obra em sua vida
Essa é a obviedade da obviedade. Não existe um cristão pentecostal que ainda não tenha ouvido isso de algum “profeta”. A salvação é já a grande obra na vida de qualquer cristão, pois não está somente restrita para a vida eterna, mas tem efeitos direitos no nosso dia-a-dia.
Vamos ficar de pé para receber o pregador dessa noite
Essa é a pior. Reverência tola. Hoje em dia as igrejas não se colocam de pé nem para ler a Palavra ou para cantar com mais espontaneidade, mas fazem essa cerimônia toda para receber um pregador. Ainda por tudo dão a justificativa de “quem honra, honra”.

E a missão continua...

8 comentários:

Silene disse...

"Troque glória por vitória"
"Enche... Enche... Enchhhhe..."
"Se vocês pudessem sentir o que estou sentindo"
"Entra no manto" (parecida com a do texto)

Newton Carpintero, pr. disse...

Prezamado Gutierres,

A Paz do Senhor!

Escrevo porque penso. Penso porque estou vivo. Estou vivo para pensar em Deus e como o agradar com a minha vida.

Se não fosse desta forma como examinaríamos a nós mesmos, conforme nos ensina a palavra de Deus.

Muitos são guiados como marionetes ou bonequinhos de trapo.

Não há a averiguação no que se fala e tudo se copia.

A preocupação de cada indivíduo diante, desta louca necessidade de ser abençoado é tornar-se um vitorioso, não importa qual a avaliação na produção do marketing de alguns pastores, que esqueceram de valorizar a principal necessidade na vida do crente: Receber o perdão de Deus e andar em retidão.

O mais importante, é ser um exemplo para ser lido pelo mundo, como uma carta escrita por Deus na demostração real do que o Senhor pode realizar na vida de quem deseja ser alimentado com o Pão da Vida e saciar, desta forma, definitivamente a sua fome de Deus, o seu Criador.

As fórmulas de culto por vezes, transformam-se em um ritual, quase que pagão sem a oportunidade da operação do poder de Deus. Afinal, gritam, se esperneiam, giram como pião e o Senhor é deixado de lado.

Critica-se as igrejas promotoras do programa de culto e realizam sem o programa o mesmo ritual, como se desta forma fôssemos exatamente dirigir o culto com ordem e decência.

Falta somente pensar um pouco mais e com a ajuda do Espírito Santo de Deus.

O Senhor seja contigo!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com
www.editoresaplogeticos.com

sandre disse...

Infelizmente as pessoas no meio pentecostal são mal ensidas por isso fica uma teologia pessoal mal sucedida.
A escola dominical que deveria ensinar os crentes a não acrediat nestas coisas não o faz.

isaias disse...

sinceramente,quando vejo esse tipo de coisas acontecerem nas igjas evangelicas,fica claro q a maioria das pessoas nao gostam de ler a biblia e por isso engolem tudo o q esses (pregadores?)falam,gostam de barulho,movimento,q de DEUS não tem nada. e o mais preocupante é q isso cresce a cada dia,prega se o q o povo quer ouvir e não mais o q DEUS quer falar,misericordia,q o SNHOR nos guarde e nos livre disso

Matias Heidmann disse...

sem cliches o culto ficaria sem graça (ou desgraça), o culto ficaria sem poder (ou manipulação sugestiva). O "poder" dos cliches é imenso. Atrás dos cliches está a pobreza do conhecimento biblico e teologico. Onde não há verdade bíblica e humildade, precisa fazer-se barulho e carnaval. E onde há ortodoxia sem humildade (para não falar apenas mal de pentecostais) o culto vira velório...
é lamentável. mas certos cultos são apenas barulho sem sentido, mas violenta agressão aos ouvidos ao sistema nervoso. São a versão "evangélica" da trance e ignorância experimentados em "bailes funk".

Artur Ribeiro disse...

A paz do Senhor, irmão Gutierres!

Excelente texto!

Atual e agradabilíssimo, exceto para os que não meditam naquilo que falam.

Artur

anderson.om disse...

Gutierres,
Você tem razão, a tribuna está repleta de ministros do evangelho despreparados intelectualmente, mas isso não é o pior, e estritamente necessário para o crescimento da igreja os obreiros intelectuais, o que é lamentável são as apresentações teatrais dos pregadores.
Acredito que os ritos do culto como colocar-se de pé antes da pregação é uma reverência a palavra, isso é individual e uma questão de ordem e padronização, um brilho para reunião, não chega a constituir uma aberração a sua realização é apenas um ato simbólico que pode ser descartado, e se alguém não quiser colocar-se de pé-devido a limitações físicas, etc- desde que seu coração não condene, não há problema algum. Existe uma fronteira muito tênue entre a crítica e a ofensa, é necessário muita reflexão antes de realiza-la.

outroevangelho disse...

"A oração move o braço de Deus!
Esse clichê é horrível. Quer dizer que Deus é um boneco estático que se move conforme um pedido? Quer dizer que Deus é um bonequinho movido pelo homem? Quer dizer que Deus resiste em nos abençoar, mas que a oração pode quebrar essa resistência? Além de uma distorção da visão de Deus, essa frase mostra que para boa parte dos evangélicos a oração tornou-se mero momento de petição, e não de comunhão aprofundada com Deus."

Cara! Incrivel essa coincidência. Acabei a algumas horas de postar um texto inteiro, abordando este tema.
Só tem uma diferença.....o tema que escrevi é: "A Oração da Fé move o braço de Deus".

Quando tiver um tempo, entre no meu blog e leia esse texto.

O link do blog é: http://outroevangelho.blogspot.com/2009/10/oracao-da-fe-move-o-braco-de-deus.html

Um abraço e fique na Paz do Senhor

Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.

Por: Marcio Alves