terça-feira, 29 de setembro de 2009

Escatologia da tese furada

Se você lia um livro de escatologia na década de 1980, logo você estava acreditando na tese de que a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) dominariam o mundo e o anticristo teria o seu triunfo. Graças ao bom Deus, o muro de Berlim caiu em 1989 e o comunismo soviético também. Tese então furada.


Se você lia um livro de escatologia na década de 1990, você logo acreditava que a globalização conduzida pelos Estados Unidos da América seria a porta para a manifestação do anticristo. A história mostra que a globalização é só um fenômeno financeiro, e não geopolítico. Mais uma tese furada.


Agora, alguns escatólogos defendem que o anticristo virá e dominará pela China. Será então mais uma tese furada? Tudo indica que sim.


O fim vem, vem o fim, como dizia o profeta, mas não devemos brincar de adivinhar o futuro. Lendo as Escrituras sabemos que o juízo virá, mas é impossível determinar as posições de nações e como a humanidade se comportará. Sejamos prudentes, para não pregarmos besteiras. Maranata, Ora Vem Senhor Jesus!

13 comentários:

S.O.S Gospel disse...

Bem lembrado irmão! Concordo contigo, e espero que as pessoas abram os olhos para algumas "achoescatologias"... um grande abraço!

[C. R.] O Cristão Revoltado! disse...

Lamento, mas o comunismo não acabou. A URSS acabou. A tese de que o anticristo virá através de um goveno socialista mundial me parece bastante crível.

Isaias Lobao disse...

Anthony Hoekema chamava esse tipo de "achoescatologia de "escatologia da reportagem". Não podemos submeter a mensagem da parousia aos valores e critérios humanos. ele deve determinar o que cremos e não o contrário.

Indico o livro A Bíblia e o Futuro de Anthony Hoekema, Editora Cultura Cristã como melhor opção.

Juber Donizete Gonçalves disse...

Gutierres,

Parabéns pela postagem. Quantos não tentaram marcar datas para volta de Cristo, escalar quem será o anticristo e depois houve frustração, pois não se cumpriram. Me lembro do alinhamento dos planetas em 1982, dos 40 anos da fundação do Estado de Israel em 1988, quando gente boa do meio pentecostal, fez previsões infelizes. Tenho um livro de uma escola teológica da nossa denominação, de autoria de um renomado pastor da AD, que enfatiza as profecias com a ex-URSS. O livro é de 1987. Em 1991, a URSS, deixa de existir. Fica a lição, para que não se repitam mais esses erros.

Abraço.

Gutierres Siqueira disse...

Leonardo, a paz!

Realmente são “achoescatologias”, pois não apresentam nenhuma base bíblica e são frutos de mera especulação.

Abraços

Gutierres Siqueira disse...

Irmão Isaias Medeiros, a paz!

Eu disse que o “comunismo soviético” acabou, mas sabemos que essa perversa ideologia ainda mata na Coréia do Norte, China, Vietnã e Cuba. Sabemos também que o “socialismo do Século XXI” de Hugo Chávez é mais uma faceta autoritária e antiliberal que se apresenta no mundo. Agora, não há nenhuma base bíblica para afirmarmos que o fim virá através desses ideólogos de quinta.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Isaías Lobão, a paz!

Gostei muito da expressão "escatologia da reportagem”, criada pelo teólogo reformado Anthony Hoekema. Infelizmente aqueles que tentam desenhar o futuro só quebram a cara e ainda ludibriam outros com “historinhas de fadas”. Quando ficamos somente com a Palavra isso não acontece.

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Juber Donizete Gonçalves, a paz!

Ainda vamos ver esse filme se repetir várias vezes. O problema maior é que enquanto esses pregadores enchem os nossos púlpitos com especulações furadas, o povo deixa de ser alimentado por uma escatologia bíblica, pautada na bendita esperança de estarmos para sempre com o Senhor.

Abraços!

Charles disse...

A Globalização hoje vem travestida de sistema financeiro pois se vê Lula pedindo uma moeda única, mas se ver por trás disso está os piores ditadores socialistas do mundo na ONU bolando as crises para eles serem a solução!

Esse é o início de uma implantação do sovietismo internacional sob o nome de globalização.

Sei que lê Olavo, e se ouvir seus podcasts verá as previsões dele, inclusive essa da moeda internacional que ele acertou).

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Charles, a paz!

Biblicamente falando, vemos que existirá um governo mundial. Agora, o que não dá é tentar antecipar como será esse governo. Quando fazemos isso entramos no campo da mera especulação.

Abraços!

Tradicionalista disse...

Olavo de Carvalho é surtado em muitas de suas assertivas... Não dá pra depositar confiança. Quanto ao título do post, quer mais que Morris Cerullo que disse que Apocalipse 6:6 fala da crise financeira mundial que estamos vivendo?

Isaias Lobao disse...

Caro Gutierres, volto ao seu blog para dar um pitaco. Na sua resposta ao Charles Você disse que "biblicamente falando, vemos que existirá um governo mundial".

Hum... Será mesmo? Tenho cá, as minhas dúvidas. A escatologia predominante, que não é bíblica, sustenta essa tese. No entanto, como podemos fundamentar tal assertiva?

Não quero ficar polemizando, mas destacar o papel do discurso predominante, que geralmente não tem base bíblica.

Um abraço.

Isaias

Dilter Porto Ladislau disse...

Amigo,

O problema das especulações erradas com a União Soviética, União Européia ou China (etc) é justamente o que você citou: tentar moldar a Bíblia à situação atual. Outro problema é interpretar passagens difíceis somente com alegorias. Estes são erros básicos e identificáveis hoje.

Estes erros não significam que a Bíblia não diga com exatidão os atores, nações, contextos dos últimos tempos. Se existem referências a nações geográficas e demais detalhes sobre os impérios isto precisa ser estudado e identificado sim.

As escrituras são demasiadamente restritivas e detalhistas. Se as nações citadas, explicitamente, na batalha do Armagedon são nações do Oriente Médio, porque alguém algum dia interpretou que seria um império russo, europeu ou russo-chinês, ou americano? Não justifica dizer que as escrituras não ensinam e apontam. Significa que os aspirantes não estão tendo o menor critério textual para trazer a revelação.

Não é a toa que o arrebatamento secreto é popular.