sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O Testemunho Interior do Crente

Subsídio produzido pela Equipe de Educação da CPAD


Professor, converse com seus alunos explicando que João inicia o capítulo cinco fazendo uma recapitulação da sua mensagem. Quem crer que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus. Sabemos que estamos entre os renascidos quando amamos os filhos de Deus, amamos a Deus e obedecemos às Suas ordens. Somente um novo nascimento pode fornecer automaticamente esse tipo de vitória sobre o mundo (5.1-5). João fala de tríplice testemunho: Espírito, água e sangue, que autenticam o testemunho interior de Cristo como Filho de Deus (vv. 6-10). Este testemunho confirma o fato de que temos a vida eterna (vv. 11,12). Neste sentido, João escreve que agora sabemos que temos a vida eterna e podemos nos aproximar de Deus com a certeza de que Ele nos ouve (vv. 13-15).


I. Nascidos de Deus


“Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos” (1 Jo 5.2).
João ensina que a verdadeira fé em Jesus expressa-se em nossas vidas. Desde o momento em que vivenciamos amor aos outros e a Deus. E decidimos por nós mesmos obedecer aos seus mandamentos, passamos a entender o que é verdadeiramente nascer de novo.


II. Os Filhos de Deus e o Amor


João, anteriormente, disse que é uma característica do filho de Deus amar, uma vez que Deus é amor (4.7,8). Agora ele demonstra de igual modo que é uma característica do filho de Deus ser amado por aqueles que também são membros da família de Deus.
Todos acreditam que o amor é importante, mas o amor é normalmente considerado como um sentimento. Na verdade, é uma escolha e uma ação, como 1 Coríntios 13.4-7 demonstra. Deus é a fonte de nosso amor: Ele nos amou o suficiente para sacrificar seu Filho por nós. Jesus é nosso exemplo do que significa amar; todas as coisas que Ele fez em sua vida e morte deve ser considerada supremas demonstrações de amor. O Espírito Santo nos dá o poder de amar (Rm 5.5). Ele vive em nosso coração e nos torna cada vez mais parecidos com Cristo. O amor de Deus sempre envolve uma escolha e uma ação e nosso amor deve ser como o dEle. Como você demonstra seu amor a Deus em suas escolhas e atitudes?
João diz, “Deus é amor” e não “o amor é Deus”. Nosso mundo, com sua visão superficial e egoísta do amor, distorceu estas palavras e contaminou a nossa compreensão em relação ao amor. O mundo pensa que o amor é o que faz uma pessoa se sentir bem e que não há problema em sacrificar os princípios morais e os direitos dos outros a fim de obter tal “amor”. Mas este não é o verdadeiro amor; é exatamente o oposto — o egoísmo. E Deus não é este tipo de “amor”. O verdadeiro amor é como Deus, que é Santo, Justo, e Perfeito. Se verdadeiramente conhecermos a Deus, amaremos como Ele ama.


III. Os Filhos de Deus e a Obediência


O amor separado da obediência aos mandamentos de Deus não é amor. Assim, João imediatamente passa do amor para a questão dos mandamentos de Deus, dizendo “porque esta é a caridade de Deus, que aguardemos os seus mandamentos”. Com frequência os cristãos tentam transformar o amor por Deus numa experiência meramente emocional, mas João não permite isso; o amor pelo próximo significa o amor que se expressa “por obra e em verdade” (3.18). De igual modo, o amor por Deus significa um amor que se expressa na obediência aos seus mandamentos.


IV. O Tríplice Testemunho


A melhor explicação para o tríplice testemunho (5.6,7) é a apresentada por Tertuliano, no século segundo. “O Espírito é o Espírito Santo. A água é o batismo de Jesus pelo qual ele afirma a sua identidade conosco enquanto seres humanos. O sangue foi o vertido na cruz, através do qual ele aperfeiçoou a nossa salvação.
Os três testemunhos acima são objetivos. O Espírito realizou milagres através de Jesus. O Pai confirmou sua identidade no batismo e o Filho morreu, de fato, sobre a cruz, acontecimento este testemunhado por dezenas de pessoas. Quando alguém testemunha externamente de Jesus, Deus o Pai nos dá um testemunho no coração. A fé atua como o próprio testemunho. Ao crermos, de alguma forma sabemos que a história de Jesus é verdadeira. E nossa certeza é confirmada pela forma como Deus passa a atuar em nossas vidas.


Conclusão


Quem crê no Filho de Deus tem a vida eterna. Ele é tudo o que você precisa. Você não necessita esperar pela vida eterna, porque ele começa no momento em que você crê. Você não precisa trabalhar por ela, porque já é sua. Você não precisa se preocupar, porque recebeu a vida eterna do próprio Deus — e está garantida. Apenas mantenha-se fiel ao Senhor.


Extraído de:
RICHARDS, Lawrence. Guia do Leitor da Bíblia. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2005. p. 896.
BOICE, James Montgomery. 1. ed. As Epístolas de João. Rio de Janeiro, CPAD, 2006. pp. 150,151.
Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro, CPAD, pp. 1786,1788.

Nenhum comentário: