sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Profetas do caos versus “profetas” da paz

“Hoje existem os profetas do caos, que dizem sobre uma crise na igreja evangélica. Ora, não existe crise”


Sim, essas foram às palavras de alguns pastores reunidos na Bahia para uma grande cruzada. Eles, que apoiam campanhas escandalosas de arrecadação, eles que apoiam movimentos heréticos, eles que apoiam modismos doutrinários, não conseguem enxergar nenhuma crise no cenário evangélico. Estão cegos... Acham que tudo está bem. Lembram os falsos profetas da época que Jeremias: “E curam a ferida da filha do meu povo levianamente, dizendo: Paz, paz; quando não há paz” (Jr 6. 14)


Mas eu também acho que não existe crise no ambiente gospel. Ora, esses “pastores” nunca ganharam tanto dinheiro, nunca tiveram tantos patrocinadores. Sim, financeiramente não há crise. Agora, eticamente e doutrinariamente no pode ser dito o mesmo.


Portanto, é melhor ser um profeta do caos, e encarar a triste realidade da crise doutrinária e ética, do que pregar paz quando não existe essa paz.

4 comentários:

Matias H. disse...

esta foi boa! Gostei. Realmente os "caras" não tem crise! Estão prosperos e continuam prosperando, enquanto que os desesperançosos contribuem e continuam contribuindo.
Posso até imaginar quem foram os tais pastores e líderes... são os "caras" que há tempo deixaram de ser guias e estão pervertendo o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Estamos vivendo na igreja os que foi profetizado em 2.Tim.3:1-9. Literalmente esta profecia "negativa", "critica" está se cumprindo.
Lembro me tambêm dos falsos profetas no tempo de Jeremias. Hoje estes pastores que se reuniram na Bahia estão na mesma situação.
Kyrie eleison!

Miriam disse...

Para alguns líderes o evangelho é uma atividade lucrativa, a prosperidade é a chave do negócio...quem não deseja receber as tais "bênçãos" prometidas, aí é que o engano assume liderança na vida desses seguidores, que visam tesouro aqui na terra.

João Lemos dos Santos disse...

O problema é que existem oportunistas de ambos os lados. Existem uns que prosperam e roubam e dizem que tudo está ótimo, tudo está ok; e existem uns que alardeiam que a igreja está caindo aos pedaços, que perderemos nossa "identidade" a menos que uma providência seja tomada (isto é, a menos que eles assumam/continuem no poder).

É triste ver que, não importa qual é o diagnóstico ao qual chegamos, existem aqueles que já o gritam bem alto para seu próprio proveito.

Newton Carpintero, pr. disse...

Prezamado Gutierres,

A Paz do Senhor!

Triste saber que existe a palavra "positivista" dos que pensam que a igreja vai bem.

Puro ou ledo engano. Basta visitar algumas igrejas repletas de heresia e descobrir que muitos estão desprovidos da atenção necessária ao proveito do Evangelho correto e segundo a Palavra de Deus.

Vivemos tempos em que a vergonha tomou conta das emissoras de televisão, quando se processa a vergonhosa intromissão da esmolática(esta palavra não existe, mas significa pedir ofertas com muita evolução de palavras).

O Evangelho deve ser pregado com o compromisso verdadeiro e sem a insensível ganância desculpável à quem quer usufruir o necessário para o seu reino.

Vamos em frente na convicção que apesar das nossas agonias, estes momentos cooperam para o bem daqueles que aguardam a volta de Jesus Cristo.

O Senhor seja contigo!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com