segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Contradições assembleianas contemporâneas (Parte Final)

Vejo que é necessário repetir: sou assembleiano desde 2001, ano em que me converti aos 12 anos de idade. Venho de uma família que em parte é católica nominal (como a maioria dos brasileiros) e em parte evangélica (a maioria de assembleianos, e alguns poucos batistas tradicionais). Portanto, tenho liberdade de apontar algumas incoerências da denominação que congrego. Ok? Vamos lá...


Ministérios


A Assembleia de Deus é muitíssima fragmentada. São muitos e muitos ministérios. Esses novos campos surgem não por discordância doutrinária, mas em sua maioria por disputa de poder. Ou seja, o motivo da separação não são discordâncias saudáveis no campo bíblico, mas sim em saber no quem manda em quem. Pura carnalidade! Sim, alguns ministérios têm razões justas de existir, pois foram fundados segundo necessidade de evangelização em determinado distrito, que era então pouco assistido pelas igrejas já estabelecidas. Mas na maioria dos casos há uma disputa entre que tem mais público da mesma rua.


Os piores casos são em alguns estados nordestinos. Em Pernambuco, por exemplo, existe uma rivalidade entre os ministérios de Recife e Abreu e Lima. Em ambos os lados há insatisfação com a situação, mas nada de concreto é feito. Um detalhe interessante é que os dois ministérios estão sob gerência da CGADB. No Maranhão há relatos de disputas em o ministério Missão (CGADB) e Madureira (CONAMAD).


Tudo isso pode ser resumido em carnalidade pura, nada mais! É o mundanismo que os legalistas não combatem.


Liderança


Muitas e boas exceções existem, graças ao bom Deus, mas boa parte da liderança assembleiana deixa muito a desejar. Mal preparada, analfabeta de Bíblia e ainda por cima sempre com papo de coitadinho (logo porque Deus escolhe os fracos desse mundo, não é verdade?). Alguns pastores sequer têm uma Bíblia de Estudo. E não é por falta de dinheiro, é desinteresse mesmo. Vocês acham que quem compra uma S10 ou um FOX não pode comprar material para estudo bíblico e teológico? Pois é, isso existe!


Outra incoerência são questões salariais. Alguns ganham salários de médico, enquanto outros ganham pior do que um servente de pedreiro. E outros não ganham absolutamente nada. E pior. O mal remunerado sempre tem mais dificuldade de trabalhar, pois faltam recursos e capital humano.


Ah, sem falar naquelas brigas ridículas para a presidência da CGABD. Nesse caso, a carnalidade foi tanta que conseguiram se rebaixar no molde da política convencional. Isso em ambos os lados. Não havia santos e demônios. Era baixaria sem fim. Graças ao bom Deus que as eleições só voltam em 2013. Será por isso que os maias previram o fim do mundo para dezembro de 2012?


Música


A Assembleia de Deus é dona de um patrimônio para os evangélicos, que é a Harpa Cristã. Assim como os tradicionais brindaram a igreja evangélica brasileira com Salmos & Hinos e o Cantor Cristão, os assembleianos acrescentaram o toque pentecostal na melodia e letras. Ao mesmo tempo, há muito tempo existe uma proliferação de músicas horríveis nas Assembleias de Deus.


Os ditos “hinos” começaram com a temática de “fogo”. Era um pior do que o outro. Depois começaram os “hinos de exortação”. Tinha um que até cantava: “tele-leão, tele-leão... deixa culto por novela e diz que não tem nada não”. Ou seja, é pura piada com toques musicais. E aí começaram os “hinos” de autoajuda. Agora, tem até aquele que exalta a vingança com sabor de mel. Quanta decadência!


Enquanto isso, dificilmente alguém ouve música contemporânea de qualidade nas Assembleias de Deus, como Adhemar de Campos, por exemplo. Sobra “sabor de mel” e aquela melodia do Zaquel que ninguém aguenta mais ouvir. Ah, você fala isso no púlpito, mas entra em um ouvido e sai no outro. O problema é que as pessoas já estão viciadas em autoajuda de quinta, pois só ouvem isso nas pregações.


Pregações


Essa parte é delicada. Gritaria para provocar emocionalismo, excesso de testemunhos, falta de exposição do texto bíblico, superficialidade nas análises e falta de exegese são alguns dos muitos problemas com as pregações. Fora o problema com os pregadores, que soam personalismo e vaidade, além disso, alguns optam por roupas extravagantes enquanto condenam as irmãs rebeldes.


É desanimador visitar congressos assembleianos, pois em sua maioria quem prega são animadores de auditório. E o povo ainda repete a dose no ano seguinte.


Ora, apesar de tudo isso, há muita gente que acha a situação maravilhosa. Ainda se gabam de um avivamento que só eles veem. Lembram os profetas que diziam “paz e paz” quando não existia “paz”.

17 comentários:

Leandro disse...

irmão gutierres, fico feliz quando encontro pessoas que comungam com a minha leitura da igreja atual,que acredito não é só minha,mas de todo crente sincero que ama o evangelho de Cristo e não se conforma com brigas por poder,músicas que incentivam o sucesso pessoal ao invés de exaltar o Senhor.Que Deus continue te abençoando.

Cicero Leandro Junior disse...

A paz do Senhor.

A rigor é isso mesmo, irmão. São dias trabalhosos, e se não fizermos nada, com certeza a nossa denominação vai ruir. Eu amo esta igreja, amo muito, Deus sabe. Antes de me converter tinha asco pela Assembleia de Deus, mas foi nela que eu ouvi o evangelho, que me entreguei a Cristo, e como membro, devo fazer o meu pouco afim de que ela volte a ser aquilo que homens de Deus como Gunnar Vingren e Daniel Berg, sob a orientação do Espírito Santo, idealizaram.

O atual quadro é triste, cada vez mais a igreja vai perdendo sua própria identidade, mas Deus tem levantado homens segundo a sua vontade e jovens, como nós, que, tenho certeza, irão reerguer esta igreja sobre os fundamentos os quais ela foi erguida: a Palavra de Deus e o fogo do Espírito Santo. Eu creio! Já estive muito desanimado e pensei até em mudar de denominação, mas não é isso que Deus quer. Então lutemos juntos, para que a Graça de Deus venha a ser abundante sobre es ta igreja.

Em Cristo.

Mario Sérgio disse...

Olha irmão, com algumas variantes é essa a situação da maioria das igrejas. Essa questões que você aponta são uma realidade. E só não vê quem não quer!

Juber Donizete Gonçalves disse...

Gutierres,

Me converti na mesma idade que você, porém 20 anos antes em 1981. Sua exposição é a pura verdade, só não vê quem não quer.

Abraço.

Rilson Joás disse...

Meu amado irmão, muito boa sua avaliação da discórdia nas igrejas Assembleanas, tudo pelo poder, mas no caso das assembléias de Deus de Recife e Abreu e Lima (PE), eu não sei qual o motivo da discórdia nestas duas igrejas, nenhum assembleano no estado gosta da separação, mas depois do escândalo causado pelo presidente da convenção de Abreu e Lima, muitos de indignaram, na verdade quando era um ministério só, há uns 20 anos atrás, todos viviam unidos, mas os irmãos de Abreu e Lima, vendo a prosperidade daquela localidade resolveram se desmembrar da convenção de Recife, foi aí que começou a discórdia que, não sei por que, permanece até hoje,

Deus lhe abençoe,
Rilson Joás

eu disse...

gloria a Deus pq nem todos estão cegos....
concordo com seu ponto de vista e até acsescentaria uns "algo a mais"...mas só nos resta orar e anunciar estas verdades

a paz...

Matias Heidmann disse...

Eu acho que este é um dilema de todos os segmentos do protestantismo bíblico. Contradições e cegueira há em todas elas. Às vezes fico com nauseas quando os caçadores de heresias tradicionais (eu sou de uma igreja tradicional) caçam os pentecostais por seus aparentes erros e abusos e não conseguem ver os erros e contradições em seu próprio grupo ou até vida pessoal.
A Assembleia de Deus é como as outras grandes denominações evangélicas incapaz de fazer uma autoavaliação sincera e voltar ao primeiro amor. As cartas às 7 igrejas em Apocalipse 2-3 são um excelente referencial para todas denominações evangélicas acertarem o curso, pois ainda o Senhor tem paciencia. Caso contrário: "brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres" (Apoc 2,5) Seria uma tristeza um dia ver a denominação que Deus usou para alavancar o evangelho no Brasil sem luz, sem impacto, sem expressão.
A toda liderança evangélica recomendo a leitura de Apocalipse 3,17-18
"Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas"

Portanto
Abraços,
Matias

L. H. Dessart disse...

Gutierres, garças a Deus que pessoas como você, e outras mais no meio cristão, têm percebido a necessidade de uma reorientação por parte, no nosso caso, da maior parte das AD's, mas não só deste ministério, como muitos outros, que têm desenvolvido um cristianismo tortuoso e acomodado.

Abraços!!!

Matias Borba disse...

Gutierres,

Acho que o pior de tudo, além do mal que é gerado no interior de tantas pessoas que, não tem como entender tantos problemas em nossa denominação, é a divisão existente em muitos lugares.

Como você mesmo disse, em Pernambuco (onde nasci e congreguei como membro da AD em Abreu e Lima por oito anos), persiste a divisão sem que haja seuqre, um "braço dado" a torcer para uma solução.

Segue assim, e, quando tentaram resolver tudo, o problema já estava avançado demais, e ficou complicado. Os erros neste caso, estão em ambos os lados, e como ninguém tem disposição para que tudo termine em paz, o problema persisti, e faz com que amigos, irmãos e familiares, agora sejam rivais dentro do mesmo Reino.

Lamento que as AD no Brasil (não todas) tenham chegado ao ponto de lutar mais pelo poder e glória deste mundo que pela causa do Mestre. Lamento que a nova geração aprenda errado hoje, o que antes era correto, amor e Paz em cristo!

Deus abençoe, um abraço!

Marcelo Mitrach disse...

Só uma discordância: a CGADB não é uma convenção de igrejas e sim de pastores, ela a CGADB não gerencia igrejas e se estiver acontecendo isso realmente, eu não sei aonde vamos parar.

Anônimo disse...

No ceara tem varios ministerios, missao,madureira, templo central,montese,bela vista entre outras minorias
as maiores sao templo central, bela vista e montese que via de regra há trocas de acusaçoes de ambos os lados ate de acusaçoes de homossexualismo de presidentes

imagina ai o negocio enquanto isso o escandalo fica para o evangelho

Anônimo disse...

Amém, tbém concordo com tudo que o irmão escreveu acerca da AD no Brasil. Deixo uma pergunta: De tudo que foi escrito o que sobra de bom na AD? Já que falamos de tudo que é ruim e as virtudes onde ficam?

Anônimo disse...

O lado bom da assembleia ? já foi bom quando os pioneiros e antigoes que nao ficaram milionarios ,nao compraram avioes,nem subornavam as pessoas para votarem em convençoes ainda estavam mandando na igreja.
Quem conhece ou conheceu os pioneiros sabe perfeitamente que a maioria nao tinha riquezas materiais nem gordos salarios ou melhor salarios exorbitantes com alguns DONOS de igrejas que ganham milhares de reais
Filhos de DONOS de convençao ou igrejas RICAS morando no exterior ou estudando la gastando absurdos com cartoes de credito internacinais
O lado bom mesmo e feito por irmaozinhos mal treinados ou infelizmente mal discipulados que ivandem favelas pontos de onibus e hospitais evangelizando do seu modo mesmo sem saberem bem o que estao dizendo.
O lado bom e feito pelo obreiro leigo dos suburbios que vai para a igreja a pé ou de bicilceta ou de carro popular
O lado bom e feito por anonimos que nao venderam sua alma por 900 reais ou campanha dos 7 contos
O lado bom e realizado por velhinhas que nao entendem nada de isputas teologicas,eleiçoes ou cargos em igrejas mas quando dobram os joelhos Deus atende nos circulos de oraçao

O lado bom nao e feito por conselho de doutrina que nao serve para nada pois acabaram de lançar uma biblia DAKE completamente repleta de absurdos da maldita falsa teologia da prosperidade


depois continuo

Pensador Cristão disse...

Concordo com tudo! Sou assembleiano desde 1993, e com muito pesar vejo as coisas piorando. Aqui em Itabuna, interior da Bahia, cidade que tem por volta de 250 mil habitantes, as AD estão definhando. A igreja já deveu mais de 100 mil reais para agiotas; atualmente o Pastor-Mor tem um salário de mais de R$ 14.000,00, isso pra mim é uma imoralidade; Algumas congregações estão caindo aos pedaços, telhados já desabaram, igrejas minúsculas por falta de verba para construir uma maior. E quando pregamos contra este tipo de coisa somos enxotados, perseguidos, marcados, impedidos de trabalhar: Tudo porque "nós somos a maior igreja do Brasil..." Sinto até enjôos quando alguém me fala isso. Vou encerrar por aqui, pois todas estas reclamações não são nem a metade dos absurdos que acontecem. E quanto as coisas boas? Nosso saldo está negativo!

Anderson Claiton disse...

paz do Senhor tenho certeza que a Assembléia de Deus contribue muito para a envangelização no mundo, é a igreja envangélica que possui mais fiéis no brasil, a diversidade na Assembléia de Deus é grande, mas acredito que Deus está levantando muitos jovens cheios de graça e de conhecimento para fazer a vontade de Deus na Assembléia de Deus, temos que lutar contra qualquer tipo de contradição na igreja e orar por ela, Parabéns pelo blog, que Deus nos abençoe!

Ricardo Araujo disse...

Graça e Paz!
Bem, o movimento pentecostal no Brasil já foi referencial de confissão religiosa, evangelismo, testemunho grandes homem deram suas vidas pela causa evangélica assembleiana. Uma nova geração perdeu de vista a simplicidade do evangelho, a corrupção política tem entrado nos grandes ministérios eclesiásticos nacionais. Isso fica bem claro quando vemos a disputa de poder na CGADB. Está claro que a Assembléia de Deus no Brasil perdeu o foco, perdeu a capacidade de mostrar para esta sociedade que Deus é Senhor do nosso Brasil. Por conta dos novos movimentos neopentecostal, a igreja Assembléia de Deus tem aberto mão dos seus principais dogmas, ou seja, aquilo que fez diferença na sua identidade, o que era pecado no passado não é mais no presente, sua liturgia tem se moldado ao show gospel, a musica já não é mais sacra, existe um mercado gospel midiático em seus púlpitos, tudo isso para não perder o poder monopolizado evangélico pentecostal. Contudo, discrepância teológica destes fenômenos chamados mercado religioso vem marcando a história da igreja brasileira. Encerro meu comentário dizendo que a simplicidade do evangélico do nosso Senhor Jesus Cristo não tem mais alcançado alguns seguimentos religiosos, peçamos perdão dos seus pecados e voltem ao verdadeiro evangelho do nosso Deus e grande Salvador.

Soli deu gloria!

Edgar Texeira disse...

As igrejas evangélicas estão na hora de rever seus conceitos deixar de heresias tomar cuidados com certos dons pois nem todos os dons vem de Deus por exemplo: os dons de línguas sem interpretação existem diversas igreja que diz receber tal dons porém estam todas corrompidas, será que todas elas recebem o dom de Deus?