quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Você já pensou em quantas pregações já ouviu?

Você já pensou em quantas pregações já ouviu?

Quais foram os resultados no seu dia a dia de tantos sermões ouvidos todos os domingos?

Talvez você tenha dificuldade de responder a segunda pergunta. Eu também tenho. É claro que muitos sermões me marcaram. Outros colocaram tijolos nos muros de sustentação da minha vida. Alguns sermões não esqueço. Agora, a maioria eu já esqueci. Por quê?

Já reparou como nós, principalmente pentecostais, ouvimos tantas amenidades? Ouvimos histórias e mais histórias, testemunhos e mais testemunhos, autoajuda e mais autoajuda, piadas e mais piadas, gritarias e mais gritarias, palavras de ordem e mais palavras de ordem. Tudo isso é tempo jogado fora diante da principal função do pregador, que é pregar a Palavra de Deus com todo o cuidado e carinho, respeitando o texto e fazendo uma boa interpretação, assim também como uma boa aplicação.

A questão não é se a pregação usa uma metodologia expositiva ou textual, mas sim se o pregador se preocupa com a mensagem original do texto bíblico. Poucos se preocupam com esse aspecto. Preferem ler livros idiotas, como aqueles de “divina revelação”, do que mergulhar nos capítulos e versículos de sua Bíblia empoeirada.

Tristes trópicos, tristes tempos. Aliás, como diz o amigo Vinícius Pimentel: “Triste tempo em que os reformados precisam de renovo, e os renovados precisam de reforma”.

(No próximo post teremos a segunda parte do artigo sobre o arrebatamento de Paulo)

5 comentários:

L. H. Dessart disse...

“Triste tempo em que os reformados precisam de renovo, e os renovados precisam de reforma”

Esta frase é tão verdadeira quanto infeliz. Verdadeira por realmente mostrar nossa necessidade atual, e infeliz porque relata, sim, o infeliz momento que vive a igreja...

Abraço!!!

Alisson Bruno disse...

irmão,a Paz!! sempre leio seus posts,uma benção sempre edificando nossa fé,queria leh convidar a seguir o meu e a dar uma olhadinha nos artigos lá..ele é novo mais tá uma benção,queria que vc me ajudasse com opinioes e comentários!!!! abração..

napalavradosenhor.blogspot.com

leaqndro disse...

parabéns gutierres pela feliz colocação.estou cansado de gritarias,pregações repetitivas e sem conteúdo bíblico algum.que Deus levante esta geração com compromisso com a verdadeira doutrina biblica e não com este modelo ultrapassado de pregadores.

S.O.S Gospel disse...

Muito boa essa pergunta, mas acredito que o número de pregações que me marcam tem aumentado, pois hoje podemos escolher as preçãoes que vemos na internet... e encontrando bons mestres aumenta a qualidade da aplicação na prática!

Estou esperando o próximo post! Um abraço!

Matias Heidmann disse...

Como diz o Dessart, a frase
“Triste tempo em que os reformados precisam de renovo, e os renovados precisam de reforma” é verdadeira e infeliz.
Tantos reformados pregam com conteúdo interessante, mas muitas vezes a maneira como pregam são palestras academicas que não conseguem alcabçar nossos corações. E muitos dos renovados gritam, pois não tem conteúdo.
Ambosos grupos usam chavões vazios.
Como diz o SOS Gospel temos opções boas na Internet, principalmente quem fala ingles pode baixar excelentes sermões de Joshua Harris, Mark Dricoll e outros. Em portugues temos poucas opções (uma opção é o site da FIEL editorafiel.com.br, onde vc encontra todas as pregações de suas conferencias, porém o cristão carismático vai sentir falta de algo -:) ).
Mas acho triste que devo recorrer na Internet para ouvir um bom sermão. As nossas igrejas locais deveriam-se preocupar com um bom (e poderoso!!!) ensino de seus púlpitos.
Abraço
Matias