domingo, 30 de agosto de 2009

A paranóia antiamericana e a “teologia brasileira”

Por Gutierres Fernandes Siqueira

A teologia é como o vinho: envasada na Alemanha, envelhecida na Inglaterra, deteriorada nos EUA e finalmente exportada para o Brasil (ditado de seminário teológico no Brasil)

Há alguns anos assisti uma reportagem que informava algo interessante e assustador ao mesmo tempo. Na época, o Brasil se apresentava como o segundo país mais antiamericano do mundo, perdendo somente para a Jordânia (um país mulçumano). Fiquei me perguntado por que os brasileiros odiavam tanto assim os norteamericanos. Os Estados Unidos não são exemplos de perfeição, longe disso, mas também não merecem tanto desprezo emotivo.

Na teologia aprendida no Brasil vemos também um viés antiamericano muito forte. A frase que abre esse post é um exemplo perfeito dessa paranóia. Até parece que a podemos dividir teologias segundos estados nacionais, como sendo uma superior a outra. Não, a teologia “produzida” no Brasil não é melhor do que a “produzida” nos Estados Unidos, e o contrário também é verdadeiro.

É claro que será importante para o Brasil a ascendência de teólogos nascidos nas terras tupiniquins, agora isso não fará necessariamente uma “teologia melhor”. Já li bons teólogos brasileiros, ingleses, irlandeses, norteamericanos, canadenses, cubanos etc. Assim também como já li bons escritores franceses, portugueses, alemães, indianos, peruanos, colombianos e venezuelanos. Cada país tem suas estrelas literárias. Cada país tem seus mestres na Palavra.

Exemplos da antipatia à brasileira

O teólogo carioca Alessandro Rocha escreveu o livro Espírito Santo: Aspectos de uma Pneumatologia Solidária à Condição Humana, então prefaciado por Ricardo Gondim. No seu texto Gondim comenta: “Finalmente um livro autenticamente brasileiro sobre o Espírito Santo”. Então me pergunto: O que seria um livro autenticamente brasileiro sobre pneumatologia? Seria o fato de citar Leonardo Boff e Frei Betto? Mas seria somente isso? O livro também cita vários teólogos alemães. Então, não teríamos aí um “autêntico livro de pneumatologia alemã”? Então concluo que tudo isso não passa de uma tremenda bobagem.

Na verdade, esse antiamericanismo é fruto de um estranho nacionalismo, presente no Brasil e outras nações latinoamericanas. O teólogo argentino Míguez Bonino certa vez escreveu: “Não podemos aceitar a interpretação teológica proveniente do mundo rico, sem sentirmos suspeitas dela e, portanto, perguntarmos que tipo de práxis ela apóia, reflete, ou legitima”. Portanto, Bonino expressa uma paranóia completa, pois para ele certamente os teólogos do “mundo rico” sempre estão trabalhando em prol do imperialismo dominante e opressor. Então, o melhor a fazer é despreza as interpretações desses teólogos. Na verdade, são pensadores como Bonino que acabam por defender um fundamentalismo cego pelas suas ideologias.

É triste ver como uma ideologia política pode afetar a visão teológica de muitos. Esses preconceitos segregacionistas são parte de nossa cultura acadêmica moldada por um esquerdismo marxista, que é atrasado e retrógrado, pois pensa ainda nas bases do século 19.

sábado, 29 de agosto de 2009

O crente e as bênçãos da salvação

Subsídio da Equipe de Educação da CPAD

Leitura Bíblica em Classe
1 João 3.6-10

Muitas coisas acontecem na vida do homem que recebe a Jesus como seu Salvador. Ele é salvo dos seus pecados, a salvação o livra da culpa e do poder do pecado. O crente fiel é salvo do juízo, da ira de Deus e da morte eterna. Ele entra em comunhão com Deus, recebe entrada na sua graça e torna-se cidadão do céu. Por ser salvo, ele tem no coração um lugar para o Espírito Santo agir em sua vida. A salvação dá ao homem uma viva esperança e direito a glória eterna e assim é salvo da ira de Deus.

I - A posição do crente diante do pecado

Mantendo-se regularmente distante do mal, o crente guarda a sua alma. A Bíblia diz repetidamente: “O que guarda a sua alma, retira-se para longe dele [do caminho perverso]” (Pv 22.5); “Não te aproximes da porta da sua casa [do pecado]” (Pv 5.8) se põe em perigo. Quando Pedro seguiu de longe, pôs-se em perigo! (Lc 22.54,55). Por isso é que devemos seguir o Senhor de perto ( Sl 63.8). O crente também deve evitar a companhia daqueles que dão mau exemplo (1 Co 15.33; Pv 22.24; 20.19;Sl 1.1; Js 23.12,13), não devendo impressionar com a maioria, que prosegue para fazer o mal (Êx 23.2). A Bíblia diz: “O alto caminho dos retos é desviar-se do mal” (Pv 16.17).

II - O crente e a sua comunhão com Deus

Andar com Deus é o mais perfeito sinônimo de comunhão com o Pai Celeste. Diz a Bíblia que andou Enoque com Deus. E tão profunda era a intimidade que fruía com o Senhor, que o próprio Senhor, um dia, o tomou para si (Gn 5.24). Vivendo ele numa das era mais ímpias da história da humanidade, não somente andou com Deus como também testemunhou, publicamente, acerca da justiça divina. Sua comunhão com o Senhor, portanto, não era apenas particular; era notória e aberta. Profeta do Altíssimo, condenou toda a sua geração que, irremediavelmente ímpia, recusava o oferecimento da graça divina.

Andar com Deus significa, ainda ter uma vida como a de Eliseu que, por onde quer que fosse, era de imediato reconhecido como homem de Deus (2 Rs 4.9). E Abraão? Pelo próprio Deus foi chamado de amigo (Is 41.8).

1. A meditação na Palavra de Deus

A Bíblia é a inspirada, a inerrante, a infalível, a soberana e a completa Palavra de Deus. Quanto mais lermos a Bíblia, mais sábios tornaremos. Ela orienta-nos em todos os nossos caminhos; consola-nos quando nenhum consolo humano é possível; mostra-nos a estrada do calvário e leva-nos ao lar celestial.

Os crentes que lêem a Bíblia diariamente são mais sábios e acham-se melhor preparados, a fim de enfrentar as lutas e as dificuldades que nos juncam o cotidiano. Faça da Palavra de Deus o seu lenitivo.

2. Oração

Oração é o ato pelo qual o crente, através da fé em Cristo Jesus e mediante a ação intercessora do Espírito Santo, aproxima-se de Deus com o objetivo de adorá-lo, render-lhe ações de graça, interceder pelos salvos e pelos não-salvos, e apresentar-lhe as petições de acordo com a sua suprema e inquestionável vontade (Jo 15.16; Rm 8.26;1Ts 5.18; 1Sm 12.23; 1Jo 5.14). Tiago afirma: “A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse, e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra. E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto” (Tg 5.16-18). Estivéssemos nós conscientes desta verdade, cultivaríamos ainda mais esta doce e amorosa disciplina da vida cristã. Sem oração jamais haveremos de mover a mão de Deus para que aja sobrenaturalmente, no mundo, por intermédio de seu povo.

3- Jejum

Jejuar, a palavra vem do latim, jejunare, com o sentido da prática do jejum; abster-se de comer, ou abstinência de alguma coisa.

Jejum é abstinência total ou parcial de alimentos durante um determinado período, visando aprimorar o exercício da oração e da meditação. O jejum bíblico não pode ser visto como penitência, mas como um sacrifício vivo e agradável a Deus. Para que seja aceito, deve ser o jejum acompanhado de justas e piedosas intenções.

Mesmo não sendo um mandamento, a prática do jejum é muito salutar para a vida espiritual, como um reforço à oração e súplica, seja de modo sistemático, ou nem momentos em que se faz necessária uma maior contrição diante de Deus. Jesus jejuou. Este é um exemplo marcante. Homens de Deus jejuaram, inspirando-nos a seguir-lhes o exemplo. O jejum físico só tem valor quando a pessoa já vive em jejum espiritual (abster-se e atitudes que não agradam a Deus), na comunhão com Deus.

III - A salvação nos habilita para o serviço cristão

Serviço cristão é o trabalho que, amorosa e voluntariamente, consagramos a Deus, visando a expansão de seu Reino até aos confins da terra, no poder e na unção do Espírito Santo, sem jamais descurar de nossas obrigações assistenciais (At 1.8; Gl 2.10).

O serviço cristão não é apenas prática; é doutrina e teologia; encontra-se fundamentado nas Escrituras Sagradas e na experiência histórica da Igreja. Por conseguinte, nos permitido afirmar: o Serviço Cristão é a teologia em ação.

Se não nos dedicarmos integral, sacrificial e amorosamente ao Serviço Cristão, como nos haveremos ante o Tribunal de Cristo? De casa um de seus filhos, exige Ele que não somente se envolva, mas que se comprometa com a divulgação do Evangelho até aos confins da terra.

Conclusão

O Senhor Jesus foi, em todas as coisas, um singular exemplo. Como seus discípulos, devemos também nos dedicar e seguir seu exemplo.


Extraído de:

ANDRADE, Claudionor de. As Disciplinas da Vida Cristã: Como alcançar a verdadeira espiritualidade. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.

BERGSTÉN, Eurico. Introdução à Teologia Sistemática. Rio de Janeiro: CPAD, 1999.

LIMA, Elinaldo Renovato de. Aprendendo Diariamente com Cristo: Como viver uma vida cristã em um mundo em conflito. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Ecologia Cristã

Antes que a ecologia se tornasse um modismo, o filósofo e teólogo presbiteriano Francis Schaeffer já refletia sobre uma visão cristã de preservação da natureza. Leia essas palavras:

Quando nós tivermos aprendido a visão cristã da natureza, então poderá haver uma ecologia verdadeira; a beleza fluirá, a liberdade psicológica virá, e o mundo parará de ser transformado em um deserto. Porque é correto, baseado num sistema cristão completo- que é forte o bastante para resistir a tudo porque é verdadeiro- quando eu encaro o ranúnculo, eu digo: "Criatura companheira, criatura companheira, eu não pisarei em você. Somos ambos criaturas"

Francis Schaeffer (Em 1970)

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Nooma



Não partilho de muitas ideias expostas por Rob Bell em seus livros, mas certamente podemos "reter o bem" em muita coisa que ele produz. Veja esse vídeo NOOMA, que é uma série de reflexões criativas.

O vídeo está legendado.

domingo, 23 de agosto de 2009

Os desdobramentos da candidatura Marina Silva

A senadora Marina Silva, possível pré-candidata à Presidência da República pelo Partido Verde (PV) foi entrevistada pelo jornal Folha de S. Paulo deste domingo. A repórter Marta Salomon começou com uma pergunta sobre a religiosidade de Marina, e abordou a polêmica defesa do criacionismo feita pela senadora em um evento adventista. Leia um trecho da entrevista:

FOLHA - Antes de mudar de partido, a sra. mudou de religião, de católica para evangélica. No ano passado, equiparou a teoria da evolução de Charles Darwin ao criacionismo, que atribui a origem da vida a Deus. Entre fé e ciência, a sra. fica com a fé?

MARINA SILVA - Houve um completo mal-entendido. Fui dar palestra em uma universidade adventista, que é uma faculdade confessional. A legislação brasileira permite as escolas e as faculdades confessionais, que têm o direito de fazer a abordagem do ensino a partir da perspectiva religiosa. Um jovem me perguntou o que eu achava de as escolas adventistas ensinarem o criacionismo. Respondi que, desde que ensine também a teoria da evolução, não vejo problema. A partir daí, as pessoas começaram a dizer que eu estava defendendo o criacionismo. Sou professora, nunca defendi essa tese e nem me considero criacionista. Porque o criacionismo é uma tentativa de explicação como se fosse científica para responder a questão da criação em oposição ao evolucionismo. Apenas acredito em Deus, é uma questão de fé. Nunca tive dificuldade em respeitar e me relacionar com os ateus, com pessoas que professam outras crenças ou outra forma de pensar diferente da minha.

FOLHA - E essa fé a impede de discutir questões como a descriminalização do aborto?

MARINA - Questões de fé e as convicções de cada um devem ser respeitadas. Não me envergonho de dizer que sou cristã e jamais tergiversaria sobre minha fé para ganhar simpatia de quem quer que seja. Seria capaz de perder todos os votos, de nunca mais ser eleita, mas nunca faria um discurso fácil.

Certamente a declaração de Marina Silva sobre o criacionismo causará um barulho entre os evangélicos. Um pensamento contrário a Teoria da Evolução é onipresente na vida das igrejas brasileiras. Até mesmo, especialmente em cidades interioranas, a Teoria da Evolução é mal vista por católicos e pessoas sem filiação religiosa. Nesses últimos dias, a imprensa destacou as polêmicas em torno do criacionismo de Marina Silva. Em artigo para o jornal Folha de S. Paulo (16/08/2009), o jornalista Marcelo Leite mostrou preocupação com uma presidente que apoiasse “doutrinas anticientíficas”. Com essa entrevista de hoje, fica claro que Marina Silva não é uma entusiasta do criacionismo.

Além disso, outras reportagens lembraram a posição dela contrária ao aborto. Marina acaba abraçando uma contradição, pois saiu do Partido dos Trabalhadores (PT) para o Partido Verde (PV), sendo duas legendas abertamente favoráveis a descriminalização do aborto. Aliás, essas contradições não são exclusivamente de Marina. Em geral, a política brasileira é uma mistura enorme de confusão e pouco disposição para defender bandeiras. Ora, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva prosseguiu as medidas econômicas do governo Fernando Henrique Cardoso. Apesar dessa boa medida, pois seria horrível para o país romper com o ciclo de desenvolvimento pós-Plano Real, Lula não foi coerente com seu discurso histórico (e ainda bem por isso!). Agora, a posição contrária ao aborto muito agradará os evangélicos e católicos praticantes.

É preciso lembrar para todo evangélico que, o fato de alguém ser contra o aborto ou simplesmente expressar uma fé evangélica não habilita para um cargo de tamanha importância. Qual é a proposta da Marina Silva sobre economia? Ou ainda, como ela enxerga a política externa? Como seria o seu governo no envolvimento com grupos “sociais” como CUT e MST? Tudo isso precisa ser avaliado, antes de apertar o botão verde da urna.

sábado, 22 de agosto de 2009

O fim dos tele-evangelistas?

Leia essa matéria do jornal O Globo, comento no final:


Caso Edir Macedo: juiz decreta segredo de Justiça


SÃO PAULO - Dez dias depois de transformar em réus o fundador da Igreja Universal, Edir Macedo , e outras nove pessoas, o juiz Glaucio Roberto Brittes de Araujo, da 9ª Vara Criminal de São Paulo, determinou segredo de Justiça na ação penal que investiga o grupo pelos crimes de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. O processo, aberto após denúncia do Ministério Público de São Paulo, apura se dirigentes da Universal desviaram dinheiro de doações de fiéis para abastecer empresas ligadas à igreja e para enriquecimento pessoal.


Nos últimos dias, o cartório da 9ª Vara já disponibilizava apenas parte dos documentos. Entre os documentos retidos estava o relatório do Conselho de Controle de Atividade Financeira (Coaf) com informação sobre a destinação dos recursos dos fiéis. Com a decretação do sigilo, a partir de agora apenas os advogados dos réus terão acesso aos autos. A assessoria de imprensa do TJ de São Paulo não soube informar por que o juiz limitou o acesso ao processo.


O juiz havia mandado notificar cinco acusados: Alba Maria da Costa, Edilson da Conceição Gonzales, João Luis Dutra Leite, Maurício Albuquerque e Silva e Veríssimo de Jesus. Após recebimento do ofício, eles terão dez dias para apresentar defesa prévia por escrito. O TJ havia informado que Macedo e os outros quatro réus seriam notificados nos próximos dias.


A denúncia elaborada pelos promotores do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) argumenta que não é crime arrecadar dinheiro nos templos. Mas, como se trata de recursos não tributados, só deveriam ser utilizados na igreja ou em obras assistenciais, e nunca para fins comerciais ou enriquecimento de integrantes da igreja.


Diretor do SBT diz que "vender horário na TV para terceiros é ilegal"


Vender horário seja para igreja, seja para programa de vendas, é contra a lei


O diretor de rede do SBT, Guilherme Stoliar, criticou emissoras de televisão que vendem para terceiros espaços na programação. Stoliar fez as críticas em evento com jornalistas esta semana, em comemoração aos 28 anos do SBT, de Silvio Santos. Para ele, "vender horário na TV para terceiros é ilegal".


- Vender horário seja para igreja, seja para programa de vendas, é contra a lei. Pergunte ao Ministério (das Comunicações). Todas as TVs que fazem isso estão ferindo a lei - declarou Stoliar à coluna Ooops, do UOL.


Segundo ele, o SBT e a Globo são as únicas emissoras que não vendem horário para produtoras independentes:


- Sabe aqueles avisos antes do programa que dizem: "Esta é uma produção independente, a emissora não se responsabiliza"? Não serve para nada esse aviso. Se a produtora cometer crime, a emissora paga também.


Segundo a assessoria de imprensa do SBT, Stoliar está convencido de que o "arrendamento" de horários das emissoras para terceiros ou produtoras independentes e, sobretudo, para igrejas evangélicas, fere a legislação. Ele cita documento do Observatório do Direito à Comunicação para lembrar que esse tipo de negócio constitui uso indevido e abusivo das concessões públicas de radiodifusão. Com o arrendamento, são as emissoras, e não a União, que decidem quais empresas ou organizações podem acessar parte do tempo do canal cuja exploração foi dada a elas, concessionárias.


O Observatório diz que o aluguel de espaço na programação deve ser considerado inválido. A prática do aluguel de espaço de programação só poderia ser admitida caso houvesse autorização do Executivo e os locadores fossem escolhidos por meio de uma concorrência pública com normas e critérios rígidos e objetivos.


Comentário:


Se Guilherme Stoliar (do SBT) estiver certo, essa constatação é uma péssima notícia para os tele-evangelistas do Brasil. Certamente, até mesmo aqueles poucos programas de qualidade poderiam sair do ar. Vamos ver o que pode acontecer. Certo é que, infelizmente poucos programas deixariam saudades, pois a maioria dos tele-evangelistas fazem promoção pessoal, denominacional ou convidam alguns “mestres” da prosperidade para falar aquilo que já condenaram no passado.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

A Nossa Eterna Salvação

Subsídio preparado pela equipe de educação da CPAD. Leia logo abaixo:

A palavra salvação significa, em primeiro lugar, ser tirado de um perigo, livrar-se, escapar. A Bíblia fala de salvação como a libertação do tremendo perigo de uma vida sem Deus ( At 26.18; Cl 1.13). Tradução da palavra grega soterion, tem a significação de “tornar ao estado perfeito” ou “restaurar o que a queda causou”. A salvação desfaz, assim, as obras do Diabo (1 Jo 3.8)

A Salvação preparada para o mundo perdido nasceu no coração amoroso de Deus. Por isso, a multidão salva, vestida de vestes brancas, cantará nos céus: “Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono” ( Ap 7.10).

No dia da queda do homem, Deus prometeu enviar um Salvador. Ele disse a respeito da semente da mulher: “Esta te ferirá a cabeça, e tu ferirás o calcanhar” (Gn 3.15). Na plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher ( Gl 4.4). A promessa cumpriu-se literalmente, sendo uma expressão do amor divino: “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito” (Jo 3.16).

Jesus é o único meio da salvação, Ele foi chamado desde o seu nascimento, de “Salvador” (Lc 2.11), porque Ele veio para salvar (Mt 1.21).
Jesus ganhou a salvação por sua morte na cruz, “havendo por Ele feito a paz pelo sangue da sua cruz” ( Cl 1.20). “E, pela cruz, reconciliar ambos com Deus” (Ef 2.16). Pois que “pelo sangue de Cristo chegaste perto” (Ef 2.13). A “rude cruz se erigiu” e a sua mensagem se tornou eterna.
Deus predestinou, por antecipação, o plano da nossa salvação, isto é, o meio pelo qual devemos ser salvos. Em Efésios 1.5, está escrito: “Nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo”, isto é, Jesus foi dado como o sacrifício pela expiação dos nossos pecados desde a eternidade. Assim a Bíblia diz que Jesus foi morto desde a fundação do mundo ( Ap 13.8) e que Cristo, como cordeiro imaculado e incontaminado, foi conhecido antes da fundação do mundo (1 Pe 1.20).
Deus “nos predestinou para filhos de adoção” (Ef 1.5). Aqui observamos a finalidade da nossa salvação por Jesus – Deus predestinou que os pecadores fossem, por Jesus, feitos filhos da adoção. Quem adota uma criança, atribui-lhe o direito de um filho próprio, e legitima-o para desfrutar desses direitos.
A Bíblia diz que “Somos, logo, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo” (Rm 8.17).

Para ser salvo importa somente vir a Jesus, aceitando-o como o seu Salvador (Jo 1.12,13; Cl 2.6) e recebendo a sua Palavra como uma parte dEle mesmo (1 Ts 1.6; 2.13; 1 Tm 1.15). Assim o homem se identifica com Jesus e com a sua Palavra! “Se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” ( 2 Co 5.17). Essa aceitação de Jesus independe de um amplo conhecimento das doutrinas da Bíblia. Aquele que sinceramente crer que Jesus é o Filho de Deus e o aceitar experimenta logo o contato com Cristo Vivo, e é salvo e identificado com a nova vida (At 8.37;16.31).

A salvação é um dom de Deus (Ef 2.8; Rm 6.23) dado por sua graça (Rm 5.15). Não vem pelas obras. O Espírito Santo (Jo 16.8,9) e a Palavra de Deus (Rm 10.8,14-17) operam o despertamento no homem, fazendo a sua vontade buscar e aceitar a salvação. “Crer em Jesus” e “ receber a salvação” são expressões sinônimas ( Jo 1.12,13). A fé salvadora se expressa pela oração a Deus em nome de Jesus. “Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” ( At 2.21). “Com a boca se faz confissão para a salvação” ( Rm 10.10). No momento em que a pessoa se entrega a Jesus, com a sua boca começa a confessar sua alegria e gratidão. A certeza de ser salvo se manifesta (Rm 10.9; Sl 51.12).

O testemunho do Espírito em nós, evidencia o recebimento da salvação! Já observamos que Deus envia o seu Espírito para testificar na alma daquele que se converteu (Gl 4.6). Quando Deus escreve nosso nome no Livro da Vida (Lc 10.20), Ele nos manda “o protocolo” pelo testemunho do Espírito Santo (Rm 8.16, 1 Jo 3.24; 4.13). Devemos tomar cuidado para que esse testemunho em nós jamais silencie (Ef.4.30). Extraído do livro Introdução àTeologia Sistemática de Eurico Bergstén, CPAD.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Conformismo e burocracia

Muitas denominações antigas passam por um longo e doloroso processo de burocratização. São igrejas que reproduzem vícios, tais como o tradicionalismo exacerbado, a liderança centralizadora e a aversão pela renovação. Quem já foi em reuniões de obreiros de algumas igrejas tradicionais no Brasil sabe o que eu estou dizendo. Nesses espaços existe pouca reflexão e consciência crítica. O que sobra nesses ambientes é uma excessiva reverência antibíblica aos grandes líderes. Todos balançam suas cabeças em concordância com tudo que é proposto, sem nunca contestar e propor melhorias. O maior mal é que essa liderança burocratizada acha que "tudo está bem". O mundo pode desabar, mas são pessoas que pensam que estão vivendo um avivamento.

Portanto, é interessante observar essa relação horrível entre uma liderança acrítica, conformista, reprodutora de vícios, com a burocracia tradicionalista. Ora, como bem disse o historiador luterano Jaroslav Pelikan, a "tradição é a fé viva dos mortos. Tradicionalismo é a fé morta dos vivos". Mas é preciso fugir desse ambiente de mortos!

domingo, 16 de agosto de 2009

Edir Macedo: A síntese do mercenário

Acabo de assistir o Repórter Record, um verdadeiro jornalismo “chapa branca”, que é capaz de produzir pérolas que deveriam ser usadas como exemplos negativos nas aulas de jornalismo. Passaram o tempo todo acusando a Rede Globo de falcatruas, e em momento algum responderam as acusações apresentadas pelo Ministério Público. Em todos os programas “jornalísticos” da Record se limitam a dizer que “são acusações velhas e já arquivadas na justiça”.


A reportagem tenta agora coagir o promotor público Roberto Porto, com especulações sobre sua relação com a juíza Patrícia Alvarez Cruz e com a emissora carioca. A IURD/Record já fez o mesmo no início de 2008 com a repórter Elvira Lobato, do jornal Folha de S. Paulo. Lobato foi processada ao mesmo tempo por vários “fiéis” ofendidos pela reportagem em que ela acusava a IURD de lavagem de dinheiro. Ora, a manobra de constranger a repórter foi tão mal feita que supostos membros da igreja processaram o jornal de cidades onde a Folha de S. Paulo nem circula. No total foram 107 ações de várias cidades do país, com acusações parecidas e texto idêntico. Essa manobra foi feita para dificultar a defesa da repórter.


Acusações não explicadas


Em nenhum momento a reportagem explica e responde as acusações formuladas pelo Ministério Público, com base em investigações de lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito, fruto das doações dos membros dessa “igreja”. Para Edir Macedo a melhor defesa é o ataque. Enquanto ataque, a IURD não esclarece os fatos.


Em entrevista para a sua empregada, Edir Macedo se apresentou como democrático, dando a liberdade para a repórter formular qualquer pergunta. Edir Macedo se colocou como um humilde servo da igreja, sendo aquele que recebe um salário e ganha direitos autorias dos seus livros e CDs. Seria cômico se não fosse trágico. Pela suas belas mansões, vemos que Macedo ganha mais em direito autoral do que o Michael Jackson ganhava enquanto vivo.


Tire esse nome “evangélico”


Por conveniência, a IURD usa o termo evangélico nesses momentos de “perseguição”. Enquanto isso, a Rede Record nunca abre um espaço para a pregação da Palavra de Deus. Programas evangélicos em outras emissoras sofrem com preços inflacionados pela IURD, que sempre oferece uma quantia maior para veicular os seus programas em pequenas redes de televisão. Portanto, a IURD não ajuda os programas evangélicos de outras denominações, e ainda atrapalha a vida desses pequenos produtores, de denominações menores.


A IURD é uma verdadeira vergonha, que nunca deveria atribuir para si à palavra “evangélico”. Não é possível adjudicar homens como John Stott e Billy Graham, maiores representantes do evangelicalismo no século XX, com o mercenário Edir Macedo. A “teologia da prosperidade” é uma heresia, uma grande distorção bíblica, uma doutrina de demônios, como dizia o apóstolo Paulo no primeiro século da Era Cristã.


Vítimas desses lobos


A Rede Globo, que é uma emissora amante de valores anticristãos, vide suas novelas, mas nos faz um grande favor ao mostrar todos os podres do senhor Edir Macedo. Fato é que a Globo tira proveito com isso na sua luta comercial com a Record, mas infelizmente não está vinculando nenhuma mentira. A emissora carioca pode estar até exagerando no foco das notícias sobre esse assunto, mas as denúncias apresentadas no Jornal Nacional são baseadas em dados do Ministério Público. Agora a pouco, no Fantástico, a reportagem mostrou um senhor com problemas mentais que tinha em mãos um “diploma de dizimista”, com a ”assinatura” do senhor Jesus Cristo. Isso é tão ridículo que choca alguém usar o nome do SENHOR em vão para ludibriar doentes desesperados por cura.


A todos os mercenários cabe lembrar que existirá no futuro um juízo. Agora, antes disso existe tempo para o arrependimento.

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é uma verdadeira vergonha para o mundo evangélico


No trabalho, na faculdade, na família e em todo lugar, sempre que falo da minha fé evangélica, eu preciso explicar que não pertenço e nem aceito as ideias e práticas do senhor Edir Macedo. Cansei de tudo isso. REPETIDO EM ALTO E BOM SOM: A Igreja Universal do Reino de Deus não é igreja, mas sim uma empresa; não é universal, mas sim uma oligarquia do Macedo; não é do Reino de Deus, mas pertence sim ao "espírito do anticristo".

Conheço pessoas sinceras, que buscam a Deus na IURD. Agora, a sinceridade não nos exime do engano. Eu posso sinceramente acreditar que dois mais dois são cinco, estando matematicamente errado. Respeito tais pessoas, pois algumas são amigos de longa data, mas infelizmente isso não impede de dizer que eles estão sendo ludibriados por uma teologia distorcida, por uma liderança ambiciosa e por um sistema corrompido.


Quando eu li a biografia do bispo Macedo, muito me chamou a atenção o fato da Rede Record pertencer a ele, e não a denominação. Ora, indaguei durante a leitura: “Com que dinheiro o Macedo comprou a Record senão com os dízimos dos membros da IURD?”. Pois é, teoricamente a IURD deveria ser dona da Record, e não o Macedo. Então, isso já mostra que papa midiático tomou de conta daquilo que não lhe pertence.


IURD evangélica?


Certamente Martinho Lutero e João Calvino estariam na linha de frente contra o senhor Edir Macedo. Tudo aquilo que os reformadores lutaram contra (superstição, misticismo, idolatria, indulgências, autocracia eclesiástica) está sintetizado na denominação iurdiana. Como pode uma “igreja” como a IURD ser identificada como evangélica? A IURD é uma vergonha para o evangelicalismo, pois sabemos que aquilo saiu do nosso meio, mas se descaracterizou o cristianismo de uma forma gritante.


Infelizmente outras igrejas que estão seguindo a cartilha iurdiana deveriam ser “exorcizadas” do nosso meio. É igualmente horrível ver mais uma vez o senhor Morris Cerullo pedido 900 reais em troca de bênção e proteção de anjos. Quem segue a cartilha dos Macedos e Cerullos da vida certamente só não estão alegrando o inferno porque lá não há manifestação de alegria.


IURD e mídia


A Rede Record é a única emissora desse país que fez uma campanha institucional a favor do aborto. Nem a Rede Globo das novelas de Glória Perez, ou a REDETV dos programas de Luciana Gimenez chegaram nesse ponto. Nem mesmo a libertina MTV já promoveu tamanho absurdo. Um amigo meu, que conhece por vivência as emissoras europeias e norte-americanas já disse que nunca viu uma campanha desse porte naquelas nações do norte. Como pode um bispo dito cristão se a favor do aborto? Merece crédito alguém que ensina seus pastores a arrecadar dinheiro dos fiéis da base do “dá ou desce”?


Nesse final de semana, leio nas duas revistas mais importantes do país reportagens sobre os escândalos da IURD. Morro de vergonha com isso, pois sei que muitos leitores desses periódicos vão achar que todos os evangélicos são com a IURD.


A IURD não é evangélica (protestante) e nem pentecostal


Como bem lembrou o bispo anglicano Robinson Cavalcanti, na Revista Ultimato, a IURD não pode ser confundida com pentecostalismo:


Um grande equívoco cometido pelos sociólogos da religião é o de por sob a mesma rubrica de “pentecostalismo” dois fenômenos distintos. De um lado, o pentecostalismo propriamente dito, tipificado, no Brasil, pelas Assembleias de Deus; e do outro, o impropriamente denominado “neopentecostalismo”, melhor tipificado pela Igreja Universal do Reino de Deus. Um estudioso propôs denominar essas últimas de pós-pentecostais: um fenômeno que se seguiu a outro, mas que com ele não se conecta, pois “neo” se refere a uma manifestação nova de algo já existente. Correntes de sociologia argentina já os denominaram de “iso-pentecostalismo”: algo que parece, mas não é. Lucidez e coragem teve Washington Franco, em sua dissertação de mestrado na Universidade Federal de Alagoas, quando classificou o fenômeno representando pela IURD de “pseudo-pentecostalismo”: algo que não é. Um estudo acurado dos tipos ideais, Assembleia de Deus e Igreja Universal do Reino de Deus, sob uma ótica sociológica, ou uma ótica teológica, nos levará à conclusão que se trata de duas manifestações religiosas diversas, que não podem -- nem devem -- ser colocadas sob uma mesma classificação. Ao se somar, a partir do Censo Religioso, esses dois agrupamentos, tem-se um alto índice de “pentecostais”, constituídos, contudo, pelos que o são e pelos que não o são. Equiparar ambos os fenômenos não faz justiça à Igreja Universal e ofende a Assembleia de Deus.


Portanto, como seria bom que todos tivessem essa compreensão, a começar dos próprios evangélicos. Não devemos defender algo indefensável. Se você financia a IURD, está ao mesmo tempo financiado um programa de baixo pudor chamada A Fazenda. Quem financia esses bispos está ao mesmo tempo patrocinando campanha pró-aborto. Ora, como ainda chamar Macedo de irmão.


Vamos acordar meu povo. Não é mais admissível que o nome evangélico esteja associado a homens como Edir Macedo e sua organização. A Rede Record é uma vergonha de imoralidade, a IURD é um sincretismo que venda indulgências, e está bem longe de parecer uma igreja protestante. A todos, cabe esse conselho: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados e para que não incorras em suas pragas” (Ap 18.04)

sábado, 15 de agosto de 2009

A Chegada do Anticristo

Leia o subsídio escrito pela equipe de educação da CPAD:


Professor, os leitores de 1 João, do primeiro século, viveram nos últimos dias, e nós também. Durante este período, os anticristos aparecerão. Finalmente, pouco antes do fim, um grande anticristo surgirá (Ap 13.19,20). Porém, não precisamos temer estas pessoas perversas. O Espírito Santo nos mostrará seus erros, e assim não seremos enganados. Contudo devemos ensinar a Palavra de Deus, clara e cuidadosamente, aos membros da Igreja do Senhor, especialmente aos mais fracos, de forma que não venham a ser presas para esses ensinadores que “vem”... vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores” (Mt 7.15).


I. O espírito do Anticristo no mundo


• Professor, inicie o tópico explicando que o termo “anticristo” pode ser aplicado tanto ao indivíduo como ao sistema que ele representa.


• Curiosamente, a palavra “anticristo” (gr. antichristos) aparece apenas em 1 João 2. 18-22; 4.3 e 2 João 7. O apóstolo João usou-a no singular (“o Anticristo”) e no plural (“muitos anticristos”). João dá a entender que seus leitores haviam ouvido que o Anticristo viria no futuro. Então, ele os surpreende dizendo que muitos anticristos já tinham vindo. João descreve estes anticristos menores como mentirosos que negam que Jesus é o Cristo (2.22). Neste sentido, anticristo é qualquer falso mestre que nega a Pessoa e a obra de Jesus Cristo. Tais mestres são verdadeiramente anti (contrários a) Cristo.


Em 1 Jo 4.1-3, João nos alerta para provar os espíritos e para nos certificarmos de que estes realmente provêm de Deus. Ele nos adverte de que muitos falsos profetas (Gr. pseudo-profeta) “tem saído pelo mundo afora”. São pessoas que não reconhecem que Jesus vem de Deus. Dentro deste contexto, João anuncia que “o espírito do anticristo [...] já está no mundo”.


O Espírito do Anticristo


[...] podemos afirmar, sem medo de errar, que o espírito do Anticristo está em ação. Este espírito anticristão faz todo o possível para rejeitar, negar e questionar a verdade acerca de Jesus Cristo. Ele tem estado em atividade desde o século I d.C., opondo-se ferozmente contra a obra de Jesus na terra.


Os escritores da Bíblia certamente criam que o espírito do Anticristo estava vivo e ativo no primeiro século. Por esse motivo, não lhes causou surpresa a rejeição ao cristianismo, acompanhada de perseguição e até mesmo martírio. Eles estavam convencidos de que a guerra espiritual entre Cristo e o Anticristo já havia começado.


Muitas e remotas referências cristãs ao Anticristo estão presentes no Apocalipse de Pedro, no Didaqué, na Ascensão de Isaías e na epístola de Pseudo-Tito. Também vemos tais referências nos escritos de diversos pais da igreja, como Irineu, Jerônimo e Hipólito. Irineu, que estudou com Policarpo — que, por sua vez, fora discípulo do apóstolo João — , disse que o Anticristo viria como “um apóstata”, personificando a “apostasia satânica”.


Desde o início da era cristã, os crentes sempre estiveram convictos de que um governante mundial, a encarnação de Satanás, em algum momento surgiria. Apocalipse 12,13 apresenta uma “trindade profana” que reúne Satanás (corresponde ao Pai), o Anticristo (corresponde ao Filho) e o Falso Profeta (corresponde ao Espírito Santo). O verdadeiro poder por trás do Anticristo é, portanto, Satanás. O “pai da mentira” é a origem do engodo que condenará multidões ao juízo de Deus (2 Ts 2.11).


II. Os Anticristos no mundo


O espírito do Anticristo está vivo e em ação. Trata-se da expressão está vivo e em ação. Trata-se da expressão, inspirada por Satanás, de desrespeito e rebeldia contra Deus, contra as coisas de Deus e contra o povo de Deus. Tal espírito está vivo desde que Satanás rondou o jardim do Éden. Ele tem sido a força motriz por trás de toda terrível história da raça humana: guerras, assassinatos, assaltos, estupros, etc. Estas são as repugnantes expressões da natureza destrutiva do próprio grande enganador.


Os autores do Novo Testamento nos asseguram que o espírito do Anticristo já agia em sua época, isto há quase vinte séculos. Ele continuou ativo ao longo de toda a história da Igreja, expressando-se em perseguições, heresias, enganos espirituais, falsos profetas e falsas religiões. Satanás vem combatendo a Igreja a cada passo, esperando pelo momento certo para habitar a pessoa certa — o Anticristo — em sua derradeira obra-prima.


Entretanto, conjecturar-se se certas figuras da atualidade seriam ou não o Anticristo não leva a lugar nenhum. Apenas no século XX, vimos algumas especulações fantásticas e incorretas. Todas são visualizações do futuro a partir do presente. Cada um padece da mesma deficiência: são sempre tentativas incertas baseadas em uma perspectiva limitada. Tragicamente, tais pessoas que propõem datas e apontam possíveis Anticristos afirmam saber mais do que os próprios autores das Escrituras.


O apóstolo Paulo comenta a respeito disso em 2 Tessalonicenses 2.1-12, quando nos diz que o “Dia de Cristo” não virá “sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado”. Em seguida, ele declarará: “vós sabeis o que detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado” (v.6). Somente após o arrebatamento da Igreja, será revelada a identidade do Anticristo. Em outras palavras, você não quer saber quem ele é. Se algum dia você descobrir quem ele é, significa que foi deixado para trás!


A cada geração, Satanás precisa preparar um homem para ser sua maior realização. Não se surpreenda, portanto, com diversos candidatos aparecendo no horizonte da história humana apenas para desaparecerem logo adiante. Satanás precisa esperar o momento definido por Deus, de forma que ele está derrotado antes mesmo de iniciar seu ataque final. Ele continuará impelido de agir até que Deus retire o poder que o detém; a saber, o Espírito Santo que habita a Igreja. O Espírito, portanto, é o agente; a Igreja, o meio. Dessa forma, Deus retém o plano diabólico de Satanás até que o Pai nos chame para estar com Ele nos céus.


Nesse meio tempo, Satanás aguarda sua oportunidade de arruinar o mundo inteiro e o plano supremo de Deus. Ele pode ser um adversário derrotado, mas está decidido a lutar até o fim. Mesmo agora, segue em frenética atividade, buscando o homem correto para ser o Anticristo.


• O anticristo será o mais notável líder político que o mundo já conheceu. Ele aparentará ser o epítome da inteligência e do poder humano. Artuhur W. Pink escreve: “Satanás teve todas as oportunidades de estudar a natureza decaída do homem [...] O diabo sabe muito bem como deslumbrar as pessoas com a sedução do seu poder [...] sabe como satisfazer a sede de conhecimento [...] Podemos nos deleitar com músicas e deliciar nossos olhos com belezas arrebatadoras [...] sabe como exaltar as pessoas ao píncaro da glória e da fama, para, em seguida, usar esta fama contra Deus e seu povo” (Pink, p.77).


Veja a lista abaixo de características do Anticristo, tais quais estão relacionadas nas Escrituras:


1. Intelectualmente poderoso (Dn 7.20).

2. Orador impressivo (Dn 7.20).

3. Mestre político (Dn 11.21).

4. Possuidor de grandes habilidades comerciais (Dn 8.25).

5. Gênio militar (Dn 8.24).

6. Perito administrador (Ap 13.1,2).

7. Experto em religião (2 Ts 2.4).


Conclusão


Aquele que é chamado de antichristos (“anticristo”) se opõe a Cristo, enquanto que o pseudochristos (“falso Cristo”) afirma ser o próprio Cristo. A descrição bíblica mostra que ele é ambos. Inicialmente, ele se apresenta como o “salvador” da nação de Israel, firmando uma aliança para protegê-la (Dn 9.27). Dessa maneira, ele aparece ser o messias há muito aguardado. Na verdade, porém, ele se opõe a todas as profecias acerca do verdadeiro Messias.


• Professor, você pode reproduzir a tabela abaixo no quadr-de-giz. Explique aos seus alunos que o contraste entre Cristo e o Anticristo demonstram que ambos são completamente opostos.


CRISTO

ANTICRISTO

A Verdade

A mentira

O Santo

O iníquo

Homem de dores

Homem de pecados

Filho de Deus

Filho e Satanás

Mistério de Deus

Mistério da injustiça

Bom Pastor

Pastor inútil

Exaltado nas Alturas

Lançado no inferno

Humilha-se a si mesmo

Exalta-se a si mesmo

Desprezado

Admirado

Purifica o templo

Profana o templo

Deu a vida pelas pessoas

Mata as pessoas

Extraído de:

Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.

BOICE, James Montgomery. AsEpístolas Paulinas de João. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 62-65.