domingo, 10 de janeiro de 2010

Upgrade Ministerial

Eis um testemunho parecido com os que você já ouviu por aí.

- Amados irmãos, quero contar um testemunho. Eu era um miserável pecador e andava sempre bêbado, e era um viciado em drogas. Depois que aceitei Jesus, minha vida passou de escravo para príncipe. Hoje sou um pregador do Evangelho, e viajo o mundo todo. Já passei pelos Estados Unidos e Europa, contando o meu testemunho. Eu, que era miserável, hoje ando nos melhores aviões e fico em hotéis maravilhosos.

E o povo responde:

- Glória a Deus, aleluia.

Infelizmente, muitos acham esse tipo de testemunho é realmente bonito, mas não observam as entrelinhas. Para muitos pregadores, o ministério da Palavra é sinônimo de sucesso profissional. Antes, eu não tinha nada, agora vivo viajando. É essa mentalidade miserável que muitos apregoam sobre os uivos de “glória a Deus” e “aleluia”. Diferente do apóstolo Paulo, que via o ministério como martírio, esses olham o ministério como upgrade na vida profissional.

Nessa visão de mundo, esses predadores estão em busca de constante crescimento, entrando para a política eclesiástica, com a grande fome por poder. Vivem fora da realidade, com um estilo de vida incompatível para quem só vive de ofertas. Não se cansam de bajular caciques, para que possam crescer. Querem viver vida de executivo a custo de uma igreja.

Tristes tempos!

5 comentários:

Anônimo disse...

Gutierres,

Hoje estava a ouvir uma pregação no rádio onde o pregador leu a passagem de Moisés, em Exôdo, que o povo murmurava por causa da água amarga, Moisés obedecendo a ordem de Deus cortou uma árvore e com isso resolveu o problema.

O pregador me surpreendeu, falava bem, explicado com bom português. Só que a maneira como interpretou o texto é que me deixou de certa forma triste e com raiva, ao mesmo tempo. A pregação foi mais ou menos nesses termos: qual é amargura da tua vida? Se estais a caminhar no deserto, Deus irá resolver o teu problema.

Sabe, mano, eu até vejo a pregação tópica algo interessante, acho que tem os seus momentos. Mas ela deve ser bíblica não de auto-ajuda. A confusão que a maioria dos pregadores estão a fazer entre a mensagem da Cruz e a mensagem da psicologia da auto-ajuda é triste, lamentável. Esse povo tem que aprender os rudimentos. Tem que volta para a escola dos Apóstolos, dos Profetas, dos Salmistas, de Cristo.

Para alguns esse comentário não tem nada a ver com o seu post mas para mim tem. Se para bom entendedor meia palavra basta, então, coisas correlatas devem também nos fazer pensar no mesmo sentido.

Emerson Costa

amigodcristo disse...

Olá Gutierrez, graça e paz seja contigo!
Meu irmão, venho fazer um convite, a ter sua preciosa opinião em uma temática
Que vem se alastrando em uma forma de câncer, dentro de um conceito malicioso,
E maligno dentro da blogsphera Cristã nacional, que tem um tema Irmão falando mal de Irmão, gostaria muito de ter sua opinião ou até mesmo sua critica após a leitura do texto no blog Amigo de Cristo.
Graça e paz sejam contigo e família.
Cordialmente Amigo de Cristo.

Fernanda Santiago Valente disse...

Quero ver estes pregando o evangelho no nordeste, periferia e lugares necessitados... será que terão coragem? Fazer mssões, tomando banho de canequinha... isso se exisir água.
interessante como temos que ser prósperos...

O Clérigo disse...

Parabéns ao autor pelo texto.
Sobre o comentário do senhor Emerson Costa, afirmo que embora não concorde, é impossível fugir desse estilo de pregação se quisermos que haja conversões.
Não se esqueça de que à época de Cristo, muitos o seguiam pelos pães que ele multiplicava, outros pelos milagres que ele fazia e alguns poucos pela sua palavra. E Jesus atendeu a necessidade de todos, embora sempre enfatizasse a sua verdadeira missão, que era a salvação.
Portanto, para os amargurados de coração, nada mais doce do que escutar que Deus vai resolver este problema.

Leandro disse...

parabéns mais uma vez pela felicíssima colocação caro gutierres.se o apostólo paulo vivesse nos dias atuais não teria muito espaço no púlpito de muitos congressos de igrejas que promovem estes tipos de animadores de auditório.