domingo, 7 de fevereiro de 2010

A crise na Europa e a escatologia

Nessa última semana as bolsas de todo o mundo caíram diante dos temores de calotes na Europa. Alguns países da União Europeia como a Grécia, Espanha, Irlanda, Itália e Portugal estão trazendo preocupação pelos altos déficits nas contas públicas. O déficit público acontece quando o valor das receitas de um governo são menores do que o valor de suas despesas. Os caminhos para resolver este problema são os aumentos de impostos, o corte de despesas e a desvalorização da moeda. Todas as soluções são custosas politicamente falando, além da complicação na aplicação destas políticas.

Pois bem. O que isso tem haver com escatologia? Tudo. Aliás, a nova crise na Europa, que é fruto da grande crise de 2008, desmistifica algumas tentativas de especular com a escatologia. Por quê? Diante desta crise algumas perguntas começaram a serem feitas pelos membros da União Europeia: Os países europeus com déficit mais equilibrados, como a Alemanha e Inglaterra, financiarão os demais países da União Europeia? Se cada país tivesse sua própria moeda, e não o Euro, não seria mais fácil os ajustes necessários para a saída da crise? Vale a pena essa grande união de países europeus?

Ora, são ou não perguntas significativas? O jornalista Floyd Norris, do jornal norte-americano
The New York Times, pergunta em um artigo: “Muitos alemães ocidentais ficaram pasmos com o custo da unificação com o lado oriental. Se não gostaram de subsidiar seus próprios primos, gostarão de subsidiar gregos e portugueses?” [1]. Já o economista Paul Krugman, prêmio Nobel de Economia, argumenta que se os países europeus tivessem moeda própria poderiam recuperar competitividade com a desvalorização: “Se a Espanha tivesse sua própria moeda, este seria um bom momento para desvalorizá-la, mas ela não tem.”[2]. O modelo de uma unificação econômica sem uma unificação política cobra o seu preço. É bem provável que o revés pela união dos países da Europa cresça com o agravamento da crise.

Olhar uma União Europeia enfraquecida é algo que os escatólogos especulativos não pensaram. Assim como não pensavam no fim da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Até o final da década de 1980, todos os livros da escatologia especulativa traziam a URSS nas suas páginas. Quando ocorreu a queda do Muro de Berlim houve a necessidade de rescrever esses livros. Numa precisão impressionante, os escatólogos especulativos já viam a Europa como uma só nação, assim pronta para influenciar uma união global futura. As fragilidades de uma união supranacional se mostram graves com os problemas dos déficits em países periféricos da Zona do Euro. Será necessário rescrever novamente os livros de escatologia? É bem provável que sim.

Por que isso acontece? Ora, a escatologia virou brincadeira de mentes criativas.

Se faz uma leitura escatológica a partir dos acontecimentos, e não das Sagradas Escrituras

Os fatos determinam a leitura das Escrituras, e não o contrário. Tal caminho proporciona a eisegese, que é uma verdadeira forçação de barra do texto bíblico. Ou seja, tenta-se colocar uma ideia própria na Bíblia Sagrada, ao invés de construir uma ideia a partir do texto bíblico.

Se faz uma escatologia que tenta adivinhar os meandros do futuro

Quando se tenta achar o papel da China no Apocalipse, por exemplo, nada mais se faz senão um exercício de futurologia. O Apocalipse não foi revelado para uma tentativa de adivinhação do futuro. Apocalipse não é obra de Nostradamus.

A escatologia bíblica é pratica, não especulativa

O que a Bíblia se preocupa em nos ensinar sobre escatologia é que Jesus voltará. Isto é um fato. Jesus vem buscar sua igreja, e esta deve estar vigilante. Estas verdades não bastam? É preciso construir imaginação com o papel das nações ou das instituições políticas. Vigiar é preciso. Especular é desnecessário.

Escatologia distorcida levou uma nação contra Cristo

Em Israel se esperava um messias que viria libertar a nação da opressão imperialista de Roma. Esta era a escatologia dos religiosos da época. Um Cristo forte, libertador, imperador. Mas Cristo veio fraco numa manjedoura, pobre na pequena Belém e sem espírito revolucionário. O Cristo que veio não se adequou à escatologia da época. Então foi morto.

Portanto, pregando que Jesus vem já está bom. O que passa disto é invenção. Criatividade serve para publicitários, mas não teólogos. Especulação serve para filósofos, mas não para teólogos.

Referência Bibliográfica:

[1] NORRIS, Floyd. Países mais fracos testam a zona do euro.
O Estado de S. Paulo, São Paulo, 06 de fev. 2010. Economia. B6.

[2] KRUGMAN, Paul. A tragédia espanhola.
Blog do Paul Krugman:
A consciência de um liberal. Disponível em:
Acesso em: 06 de fev. 2010.

8 comentários:

carlos disse...

Meu amado irmão, parece que nessa area da Escatologia nós Assembleianos no geral,boiamos muitas vezes no oceano das idéias e nos estudos teológicos(digo os membros),porque o que tem de Estudos Escatológicos mal interpretados nas igrejas,dá para escrever volumes de estórinha pra boi dormir.Perdi muito tempo ouvindo blá blá blá de pseudos-teológos debatendo quem são as duas testemunhas,os 144 mil,só um ex.,e esquecendo das advertências e exortações DO Mestre.Estudar Teologia cansa,mas é bom, para desmistificar,certas baboseiras,principalmente na área da Escatologia

Armando Marcos disse...

Caro Gutierres, ótimo texto e ótima análise. como Paul Washer diz" quando Jesus voltar , ai saberemos tudo sobre o tema", hehe

eu tenho livros que analisavam "claramente" a URSS como você disse, e conheço autores reformados que consideram o Islã uma ameaça em potencial( mas no caso, não são tão taxativos como os pentecostais dos anos 60) mas ainda assim...
Se procurar, acha gente que associa o bandeira da União Européia com o AntiCristo, hehe

Abraços
Armando
(PS: estarei reproduzindo esse texto no meu Blog Sola Scriptura)

Isaias Lobao disse...

Caro Gutierres, vejo muita lucidez em suas críticas a famosa escatologia da reportagem. Li em outro blog, não me lembro qual, uma crítica semelhante aos profetas de plantão que nada falaram da tragédia do Haiti. Já foram profetizados terremotos e cataclismas diversos nos EUA e na Europa, mas nada para o Haiti ou para as falcatruas que envolvem os líderes evangélicos chafurdados na política secular.

Uma curiosidade: Você já leu algum livro do Anthony Hoekema? Meus alunos assembleianos da faculdade de teologia sempre ficam impressionados com a lucidez das críticas dele à escatologia da reportagem. Daí para virarem amilenistas, é só um pulo, he he he.

REGINALDO A D SANTOS disse...

A paz do senhor Jesus Cristo:
Faz pouco tempo que conheci seu blog, leio sempre o pulpito cristão e outros apologéticos onde aprendi muito.
Faz mais de 10 anos que pesquiso muito sobre ESCATOLOGIA, vejo que as coisas estão caminhando de acordo com as Profecias.
A NOVA ORDEM MUNDIAL está sendo implantada de forma geral, em todos os aspectos da sociedade, PRINCIPALMENTE RELIGIÃO (ECUMENISMO).
Para quem duvida dos Illuminati, vejam a incrível série de 11 DVDs VERDADE OCULTA:
www.verdadeoculta.com.br
ou no You Tube:
www.youtube.com/user/verdadeoculta
E um ótimo site, onde pesquisei muito sobre o assunto:
www.espada.eti.br
Agora, tem algo MUITO MAIOR sendo elaborado a mais de 1 século:
A Ordem Mundial de Baha'u'llah ("a Glória de Deus") profeta iraniano do século 19, idealizador da ONU e do PARLAMENTO DAS RELIGIÕES (ECUMENISMO), que determinou em suas epístolas que da linhagem real britânica viria o Anticristo - o "Executivo Mundial" maçon grau 9(o PRÍNCIPE WILLIAN, que fará 30 anos em 2012, ano das Olimpíadas em Londres!)e que o papa será o Líder de TODAS AS RELIGIÕES - O FALSO PROFETA (Ap. 13), ambos apoiados espiritualmente pelo "Cristo Cósmico" - o Maitreya da Nova Era, na realidade, Satanás disfarçado como Baha'u'llah ressurgindo dos mortos (a Besta do Abismo - Ap. 17:8).
Tudo isso e muito mais é detalhadamente explicado no excelente blog:

www.apocalipsetotal.wordpress.com

MARANATA!
www.jesusvembreve.blogspot.com

Tradicionalista disse...

A União Européia ainda não se desfez... É cedo para dizer que os especuladores estão errados. Tb não concordo em especular, mas que precisamos ficar atentos aos acontecimentos, isso precisamos. Achar que devemos deixar pra lá, já que escatologia é quase indecifrável é cair nas mãos de crápulas como Morris Cerullo e suas profecias de transferência da riqueza dos ímpios para a igreja no final dos tempos...

Debora disse...

Últimos Tempos e o fim do Fim do Mundo.

Para a maioria de nós, foi ensinado que devemos buscar nas sagradas letras uma visão atualizada dos últimos tempos; assim, tendemos a pensar que estamos inseridos nele.
Quão custoso é para o crente atual observar a insipiência e o seu distanciamento do ensino dos apóstolos de Nosso Senhor Jesus Cristo.
De uma forma pertinaz, buscamos atualmente nos acontecimentos seculares e/ou religiosos uma reinterpretação daquilo que já foi interpretado e ensinado pelos seguidores do Cristo de Deus e, então, produzimos uma "teoloucologiaescatologicomania", que tem seus fundamentos nos porões dos pensamentos contemporâneos repletos de sofismas.
Intuir; perceber; deduzir; pressentir; presumir ou pressupor os últimos tempos em nossos dias, nada mais é que preterir, desprezar; omitir; deixar de lado o claro ensino apostólico da Igreja do Senhor Jesus.
Esse revisionismo insano e ocidentalizado, pré/pró/ultramoderno do olhar míope do cristianismo forjado a sonhos e visões sensacionalistas nos roubou a sensatez de crer tão somente nas escrituras. Nossa fé tem por fundamento os profetas e os apóstolos em seus ensinos (Efésios 2:20), quando vamos deixar de lado essa vocação de nos agarrar na padronização dos interpretes de nosso ocidente acidentado pela confusão quanto ao querer saber e responder coisas tais como:

1º - Quem é o Anticristo?
2º - Quem é a besta?
3º - Quem é a outra besta?
4º - Quem é o falso profeta?
5º - Quem é o profeta falso?
6º - Quem é o homem da iniqüidade?

Quem é.?..

As respostas infestadas de ocidentalização risível vêm logo, acompanhada de um extremado desconhecimento dos ensinos apostólicos, veja-se:

A - É Hitler;
b - É Kennedy;
c - É Bill Gates;
d - É Saddam Hussein. - É a televisão;
f - É o computador;
g - É a internet (WWW);
h - É o Obama!!
I – Centenas de outros nomes e coisas.

Debora disse...

continuação...

Essas são algumas bestas entre centenas de outras bestas, e essa bestagem toda não tem fim. Vivemos a bestificação da verdade. Todavia, é extremamente significativa a afirmação do apóstolo João em sua primeira epístola cap. 2:18, quando ele diz aos seus contemporâneos: Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora. A "escatoloucologia" de nossos dias não quer olhar e entender os dias dos apóstolos com suas afirmações claras e objetivas, em nada dissimuladas. Um pouquinho de bom senso, e uma pitadinha de enobrecimento por parte da cristandade atual irá tornar preclaro o prefalado tópico. Veja-se: Primeiro, temos que encontrar nos escritos dos apóstolos do Cristo a definição bíblica de anticristo, anticristos, besta, bestas, prostituta, falso profeta etc., etc. O "Anticristo" só aparece nas epístolas de João (1Jo 2:18, 22; 4:3 e 2Jo. 7). O que é ensinado aqui é tudo que temos no NT sobre o Anticristo. Sinceramente, o que João ensina é completamente diferente da representação atual do Anticristo, veja-se: João diz que qualquer um "que nega que Jesus é o Cristo é um anticristo (1Jo 2:22). Qualquer um que nega o Pai e o Filho, também é um anticristo (1Jo2: 22,23). Qualquer um e/ou todo espírito que não confessa a Jesus, também o é (1Jo. 4:3). Aqueles que não confessam Jesus Cristo vindo em carne; é o enganador e o anticristo (2Jo. 7) Não há aqui nada que se relacione com o mercado especulativo da bolsa de valores teológica de nossos dias, até pelo fato de João ter para si e para os seus conterrâneos que viviam já a última hora e, que tais fatos lá acontecidos os faziam conhecer que já estavam vivendo a última hora.

rodrigo disse...

Ora pipocas!! se a última hora era aquela, como queremos que seja essa nossa era moderna, ou melhor falando, pós-moderna,ou como alguns já a nomeiam de Hiper-Moderna. Com relação aos tempos o apóstolo Paulo, também, foi bem claro: Ora, tudo isso lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso (dele e dos seus leitores), para quem já são chegados os fins dos séculos (ou fim dos tempos) 1ª Co. 10:11. O escritor da carta aos Hebreus diz: De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo; mas, AGORA, NA CONSUMAÇÃO dos séculos, uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo (Hb. 9:26). A afirmação de Pedro, que segue o mesmo pensamento diz: E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, sede sóbrios e vigiai em oração (1Pe. 4:7). Será que esses homens estavam tão enganados a ponto de criar falsas expectativas aos servos de Cristo em seus dias? Ou, não será as expectações criadas hoje um delírio deletério. O próprio Senhor Jesus Cristo afirmou por várias vezes aos seus discípulos tal evento, veja: Ele falou para àqueles apóstolos, não para nós nos dias atuais. Quando vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra. Em verdade vos digo que não acabareis (eles!!) de percorrer as cidades de Israel até que venha o filho do Homem MT. 10:23 e repetiu tal mensagem várias e de variadas formas, veja: Pois o filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos, e então recompensará a cada um segundo as suas obras. Em verdade vos digo, alguns dos que AQUI estão não provarão a morte até que vejam, vir o filho do homem no seu reino – MT. 16: 27, 28. A escatoloucologia moderna ensina que isso se explica pelo cap. Seguinte, ou seja: Seis dias depois Jesus se transfigurou diante deles. Atualmente, torna-se claro e notório que não queremos entender, que essa explicação é por si mesma impossível, veja: alguns dos que aqui estão não provarão a morte (não iriam morrer) até que vissem vir o Filho do homem no seu reino... será que tem algum apóstolo vivo por ai esperando ver e a gente não sabe? Ou será que entre aqueles seis dias alguns deles morreram. Viu? Não tem lógica.. não há fundamentos, todavia o apóstolo Pedro entendeu direitinho, dê uma olhada na conversa particular dele com Jesus no evangelho de João cap. 21:18-22 – vou transcrever do 20 ao 22. Pedro, voltando-se, viu que o seguia o discípulo a quem Jesus amava (João), e que na ceia se reclinara sobre o seu peito, e dissera: Senhor, quem é que te há de trair? Vendo-o Pedro, perguntou a Jesus: Senhor, e deste que será? Respondeu-lhe Jesus: Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa? Segue-me. Em outras palavras: Pedro na sua juventude você fazia o que queria, todavia, na tua velhice tu vais negar a ti mesmo, vai ser morto, tua morte será para a glória do meu pai, todavia, João vai permanecer vivo até que eu venha, e nesse caso Pedro você não interfere. Meu prezado, criamos um monstro chamado industria dos últimos dias, todos estão ensinando que Jesus está voltando, estamos na ultima hora etc., etc., e, contraditoriamente aos ensinamentos do Cristo corre-se desesperadamente em busca do lucro ($) que o mercado da vinda de Jesus, do anticristo, das bestas, do fim do mundo proporciona, e, deixa-se de lado o claro ensino do Senhor, está parecendo os dias de Jeremias – leia com atenção Jr.5:20-31, e o fim aqui não é o fim do mundo, “por favor”!!