domingo, 28 de fevereiro de 2010

O conhecimento doutrinário dos evangélicos é pior do que se pensa

A dimensão da ignorância doutrinária dos evangélicos é bem pior do que os maiores pessimistas desenhavam no passado recente. Em 2008, Estudo Nacional de Juventude e Religião [1]pesquisou a crença dos 13,5% dos jovens americanos (entre 18 e 23 anos), que auto-identificam como cristãos protestantes e evangélicos e que frequentam uma igreja pelo menos "duas a três vezes por mês". O resultado é um pouco assustador:

- 97,2% acreditam em Deus.
- 96,6% acreditam que Jesus foi / é o Filho de Deus que ressuscitou dos mortos.
- 96,4% acreditam que Deus criou o mundo.
- 89% "definitivamente" acreditam em anjos.
- 76,2% "definitivamente" acreditam em demônios.
- 82,5% "definitivamente" acreditam em qualquer forma de vida após a morte.
- 83,0% acreditam em astrologia, mas não "em tudo."
- 83,2% acreditam na re-encarnação, mas não "em tudo."
- 94,8% "definitivamente" acreditam em milagres.
- 95,0% acreditam em um dia do julgamento que vem, quando Deus vai premiar alguns e
punir outros.
- 91,2% acreditam que Deus é um ser pessoal que ainda está envolvido no
mundo de hoje.
- 81,9% acreditam que somente as pessoas cujos pecados são perdoados através da fé em
Jesus irão para o céu.
- 5,3% dizem que só as pessoas boas vão para o céu; 2,5% dizem que todos os
as pessoas vão para o céu; 4,9% acreditam em "algo mais" para ir ao céu, e de 2,2%
não sabe exatamente quem vai para o céu. 3,3% não acreditam em céu.
- 1,6% tenta incluir as práticas do budismo, hinduísmo, Zen, ou outras religiões asiáticas.
- 85,5% dizem que é "certo para as pessoas religiosas tentar converter outras pessoas à sua fé ".
- 71,8% dizem que os cristãos devem apenas praticar uma religião.
- 24,6% dizem que é bom para os cristãos a prática de outras religiões (Outro 3,6% não sabem.)
- Menos de dois terços (66,2%) dizem que "só uma religião é verdadeira."
- 70,8% dizem que não é bom para os cristãos "e escolher a sua crenças religiosas, sem ter de aceitar os ensinamentos de sua fé religiosa como um todo”.
- Mais de um quarto (27,0%) acha que é bom para "escolher suas crenças”.
- 89% dizem ter "muito respeito pela religião organizada nesse país (EUA) "
- Quase um quarto (24,3%) concorda com ou ainda está indeciso com a aceitação de uma moral relativista.
- 36,0% "concordo", que "devemos ajustar os nossos pontos de vista ao que é moralmente certo e errado para refletir as mudanças em nosso mundo”.
- 52,0% "concordo" ou "concordo fortemente" que as pessoas não devem casar com alguém de
uma religião diferente.

Vejam como é grave a situação. É impressionante a quantidade de cristãos que acreditam em re-encarnação e em astrologia, por exemplo. Além disso, é claro a influência do pluralismo religioso na crença de muitos desses jovens. A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos, mas certamente reflete a situação de boa parte do cristianismo ocidental, inclusive no Brasil.

E a tendência só é piorar, pois as igrejas não ensinam a Palavra, preferem a temática de vitória, vitória e vitória. Além disto, escolas dominicais estão sendo fechados, cultos de doutrinas são cultos de usos e costumes denominacionais e os crentes não leem a Bíblia.

Nota:
Leia mais aqui neste link uma reflexão de Mark Driscoll sobre os números dessa pesquisa.

5 comentários:

Saulo Vale disse...

Irmão Gutierres, fiquei estarrecido com o resultado desta pesquisa. Fico a pensar qual será o futuro do evangelicalismo. Vemos cada vez mais o homem sendo o centro do culto e Deus ficando do lado de fora. Infelizmente há cultos de doutrinas sendo trocados por culto da vitória. Enquantos nós, crentes, não valorizarmos a Escola Dominical e também pregadores que são fiés a Palavra de Deus vamos ver essa situação se alastrar.
Que Deus continue levntando homens e mulheresm que tenham compromisso com a Sua Palavra.

Matias Heidmann disse...

Ontem li ainda na minha meditação bíblica em 2 Timóteo 4:3-4 (NVI):
"Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos".
Fico admirado e assustado como esta profecia está se cumprindo literalmente.
Hoje os pregadores populares estão adaptando suas mensagens aos desejos dos seus ouvintes. Por isto tamanha ignorância acerca das verdades centrais da Bíblia.
Abraço,
Matias

Philadelfia - Evangelismo e Louvor disse...

Paz, Guitierres

Realmente a pesquisa revela o triste estado e o "analfabetismo doutrinário" que acomete os nossos jovens.

Levando em consideração que os números de lá reflete os de cá, podemos afirmar que, em parte, isso se deve ao fato de nós, brasileiros, não sermos dedicados à leitura. Hoje, na parte da manhã, assistindo ao Bom Dia Brasil, sobre a morte do José Mindlin, achei interessante ele dizer que "a pessoa que pega o vírus da leitura fica incurável". Infelizmente, esse vírus não tem acometido os evangélicos, que preferem mensagens prontas, através de audio e vídeo, sem levar em consideração a idoneidade do produtor.

Nossa juventude anda alheia a esse assunto de doutrina - preferem os movimentos gospel, cheio de novidades...

Dessa forma, não tem como a amostra ser diferente - tanto lá como cá, a ignorância doutrinária é tamanha.

Daniel Meurer disse...

Achei que fosse pior.

Erica Serpa disse...

"52,0% "concordo" ou "concordo fortemente" que as pessoas não devem casar com alguém de
uma religião diferente."

Triste é saber que entendem por religião diferente uma denominação batista e uma assembleia, ou Congregação Cristã no Brasil, e não um "deus" diferente.