terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Estimando um erro: A tolerância com o legalismo (Parte 02)

O legalismo é um erro. Todo erro tem uma consequência negativa direta ou indireta. Lembrando isto, quais são as consequências do legalismo na vida cristã e na prática pastoral?

01- O legalismo desvia o crente da Graça de Deus

A consequência mais grave do legalismo é ensinar uma salvação que é fruto do esforço humano. Aliás, gravíssima heresia, pois dela depende a saúde espiritual do cristão. Os evangélicos que tanto condenam o catolicismo pela doutrina de "salvação pelas obras" acabam por defender a mesma ideia.

02- O legalismo produz culpa

Enquanto o Evangelho promove libertação e alívio do jugo pesado e enfadonho advindo do pecado, o legalismo enche e escraviza. O legalismo produz culpa para aqueles que já foram justificados em Cristo.

03- O legalismo infantiliza o crente

Crentes legalistas vivem se perguntando "posso isso?", "posso aquilo?", "qual é o limite?", "isso é pecado?" etc. São pessoas eternas dependentes de respostas alheias, pois são incapazes de usar o bom senso e o discernimento produzido pela Palavra de Deus. O legalismo torna o crente uma eterna criança.

04- O legalismo troca a Palavra de Deus pelas "doutrinas de homens"

Os homens vivem inventando regras que Deus jamais determinou. Assim era no passado, assim é no presente, e infelizmente, assim será no futuro. Regras, preceitos e mandamentos saídos das cabeças de homens e mulheres que usam sua criatividade para inventar cargas que a Bíblia não apoia.

05- O legalismo conduz à libertinagem

Engraçado, o legalismo não santifica, mas muito pelo contrário- conduz à libertinagem. Sabe por que o crente cheio de regras humanas acaba seduzido pelo pecado? Ora, simplesmente porque o legalismo não mortifica a carne, todavia encena uma suposta santidade artificial. Não é à toa que muitos que vivem em igrejas rígidas estão ávidos por uma vida exageradamente mundana e pecaminosa.

06- O legalismo trata convertidos como ímpios

O legalismo e o seu sistema tratam os crentes como ímpios que precisam ser regenerados pelo poder da "regra humana". A transformação não vem da parte do Senhor, mas sim do próprio homem.

07- O legalismo acaba no orgulho "espiritual"

O legalista, por confiar em si mesmo, acaba no "orgulho espiritual", onde sempre se acha mais santo que "o resto".

Pois bem, o pior é ver que muitos toleram o legalismo e não enxergam nessa tragédia um grande perigo para a igreja. É bom reler a carta aos Gálatas.

7 comentários:

pastor guedes disse...

Prezado Gutierres,

Há algum tempo não comento nada por aqui. Parabéns pelo texto. Legalismo acarreta tudo isso e muito mais.

Pensei que estava seguindo seu blog, mas verifiquei que não, então resolvi segui-lo outra vez e também no twitter.

Só uma observação: você achou somente sete ou aderiu ao esquema "três motivos", "sete razões", "dez coisas"? (risos)

Quando puder deixe um comentário em pastorguedes.blogspot.com

Abraço.

Escola Mirim de Prevenção disse...

Olá, Queridos e amados blogueiros evangélicos

A Paz do Nosso Senhor Jesus

Parabéns pelo tópico em questão sobre o "legalismo"

Foi muito profunda a abordagem feita neste tópico, porém, eu gostaria que me esclarecessem o que vem a ser legalismo, no contexto em questão sobre o crente e a igreja?

Abraços!

Anônimo disse...

Concordo como o legalismo prejudica a vida espiritual de igrejas e pessoas, e também concordo quando se diz que a salvação não é conquistada por méritos humanos, mas através da graça. Mas tenho uma dúvida: depende também de um bom esforço do homem para ser salvo? O que me diz de: "O reino dos céus é tomado a força" - Mt 11.12 ??

At.

Juliano

Steffi de Castro disse...

gostei muito do post. Principalmente no item que diz que o legalismo torna os crentes em eternas crianças. Pura verdade.

_______________
www.laescrituraria.blogspot.com

Robson Aguiar disse...

Paz do Senhor Gutierres,

Tenho acompanhado seu Blog, como acompanho o de outros que acho interessante.

Fiquei intrigado com uma colocação do irmão em certo blog, onde o amado afirma que ALGUNS dos que criticam a DAKE tem motivação política contra a CASA e a CGADB.

Como sou um dos que critica a edição da Dake junto com Pr. Carlos Roberto e Pr. Geremias do Couto, gostaria que o amado irmão nos dissesse quem de nós tem motivos políticos para criticar a CPAD.

E em tempo, no mesmo blog onde o irmão comentou esse assunto, li o autor do blog afirmar que a Dake não tem heresias que vão de encontro a nossa doutrina.

O irmão acredita nisso?

Triteísmo é biblico?
Deus tem forma humana?
enfermidades são demônios?

Será que o autor do blog a que me referi vai associar essas aberrações com a doutrina assembeliana.

Vejo que realmente o tal blogueiro a que me refiro, está idolatrando instituições e homens, claro que por cego corporativismo.

A propósito amigo, já fui um grande admirador do defensor da Dake, até que... Entende? Que se achou anátema nele. Nem o Apóstolo Paulo se isentou de críticas, o irmão sabe bem. Ele afirmou que se ele mesmo ou um anjo do Céu pregasse outro evangelho que não o que já estava posto fosse amaldiçoado.

Agora o que elenquei acima é bíblico? Ou é outro evangelho? Não posso ficar em cima do muro no assunto. Estou com as instituições que por nós foram instituídas. Não vou trair a minha consciência e os meus votos de fidelidade a Deus e a igreja, apenas por que alguém está com medo de perder a bolacha.

Não me leve a mal Gutierres, você não é o alvo dessa discussão. Mas, não existe levante revolucionário de ninguém. Não existe rebelião e nem motim. Nós não estamos amotinados. Nossa motivação não é política. Pense bem, antes de afirmar ou concordar com quem afirma tal ofensa.

Gutierres Siqueira disse...

Pr. Robson,

Por favor, leia novamente o meu comentário. Lá estou justamente defendendo a ideia que não existe um levante contra a CPAD, mas sim que ALGUNS (refiro-me aos anônimos que pedem a cabeça de funcionários da CPAD). A minha posição é a mesma da Pr. Geremias, Pr. Carlos etc.

Mas vamos encerrar por aqui, pois esse debate se trava em outro blog, e não convém discutir os meandros nesse espaço.

Matias Heidmann disse...

O problema do legalismo é que se trata de uma pseudoreligiosidade e desconhecimento da doutrina biblica central da graça. O legalismo é um ídolo terrível que ofusca a realidade da salvação pela obra consumada de Cristo e ato soberano e gracioso de nosso Deus. O legalismo oprime.
De outro lado, há pessoas que abominam o legalismo por motivos errados: são libertinos. Os libertinos tambêm não entenderam a graça. A graça sempre leva ao desejo da santificação.
Abraço,
Matias