quarta-feira, 21 de abril de 2010

Eleições 2010... Algumas perguntas!

- Por que alguns candidatos oficiais de algumas igrejas são filhos e filhas dos líderes da denominação? Será que esses talentosos líderes fizeram de seus filhos talentosos políticos? Será que pessoas não relacionadas com a família do pastor-mor não poderiam candidatar-se oficialmente pela denominação? Por que tem que ser logo o filho do grande líder?

- Aliás, qual a finalidade de candidatos oficiais? Um senador, deputado, prefeito e presidente devem governar para conseguir terrenos para igrejas ou pelo bem comum da sociedade? Em certa eleição um pastor comemorava o fato de uma vereadora “da igreja” livrar a denominação de todas as multas na prefeitura. Ora, isso é virtude ou o antiético jeitinho brasileiro?

- Alguns pastores ainda continuarão vendendo os votos da igreja em troca de tijolos?

- Como uma igreja pensa que pode determinar em quem o membro vai votar ou deixar de votar? Uma decisão tão pessoal pode ser fruto da arbitrariedade de um líder? É a volta do voto de cabresto, mas agora na versão “gospel”?

- Os pastores continuarão apoiando candidatos que são contra o aborto mas roubam dinheiro de ambulância? Os pastores continuarão apoiando candidatos que são a favor da proteção de florestas mas que apoiam o aborto?

Só são perguntas!

7 comentários:

Leandro Araújo disse...

Graça e paz!

Louvo ao Senhor pois onde congrego já "estamos fechados" em relação à eleição!!!

Isso mesmo! FECHADOS!

Fechados para todos políticos e toda discussão com inclinação para a política. Não queremos saber de ninguém usando o púlpito para fazer campanha política.

Nosso "negócio" é ensinar Bíblia aos discípulos, e isso bastará para eles decidirem em suas consciências o que é importante no seu voto. E que todos lembrem que o voto não é momento. Voto é válido por 4 anos, portanto o crente/cidadão deve votar consciente.

Espero o melhor destas eleições. Espero o melhor do povo evangélico. Se colheremos o melhor só o futuro irá dizer.

Paz!

Silene disse...

Boas perguntas. Já as respostas...

francisco disse...

Segundo circula nos bastidores um voto vale 250 contos para deputado, faça as contas quanto os candidatos vao gastar ?
Quem vai bancar a candidatura dos canditatos evangelicos ? os dizimos e ofertas ? a anuidade convencional ?
Quantos serao cassados ?
Por que a leleia de Deus muda tante de partido e apoio ? uma hora apoia os tucanos, outrora apoia os petistas , quanto os donos de convençao e igreja recebem por voto ? 250 contos? faça as contas!

Paulo Mororó disse...

Caro irmão, a Paz do Senhor.
Parabéns pela coragem em questionar o tema da pergunta abaixo:

“Por que alguns candidatos oficiais de algumas igrejas são filhos e filhas dos líderes da denominação?”

Sua pergunta toca na ferida fedida e pouco tratada da simbiose política-religiosa, que é por sua vez uma das muitas manifestações da “Formação e Manutenção Dinastias Eclesiásticas nas Igrejas evangélicas", ou seja, (Estruturas de governos e de cultura administrativa, com raízes no mais nojento hábito canal de nepotismo, muito comum em "ministérios" evangélicos, algo do tipo: O pai é o presidente e o filho logo é o vice, ou o genro, ou o “predileto” e etc).

A TD (Teologia das Dinastias) ainda é um tema muito evitado, omitido, que repousa na complacência de parte da blogosfera evangélica. Seria excesso de “prudência”? Compromissos corporativos? Qual o porquê? Só Deus o sabe.

Enquanto a TP (Teologia da Prosperidade) tenta se tornar uma mania, uma moda, uma tendência nacional, a TD (Teologia das Dinastias)já mostra que passou destas fases, e agora se consolida como um “senso comum”, uma tradição, um “Patrimônio Histórico”, uma “força política eleitoreira” turbinada por muitos púlpitos ditos cristãos. Púlpitos estes, que outrora foram edificados com um só propósito previsto no livro de Neemias 8.2 – 4.

Parabéns pela ousadia.

Um abraço.
PAULO MORORÓ

maria disse...

Somos nós a dar as respostas... fica à nossa consciência, definitivamente, a responsabilidade!!!

jurandir alves disse...

Meu caro Gutierres

Credito nossa total falta de respostas a questoes saudaveis como a sua, em nome de uma falsa "espiritualidade". Brasileiros (e crentes) acostumados a sermos levados por "mentes brilhantes", tal qual la...com pao e circo, dentro da igreja tambem...pao e circo!

denise disse...

É tenho verdadeira aversão à "crentes políticos" acho que esta mistura não combina é mais ou menos trevas e luz!
digo os crentes que (dormem) estão na Igreja e de repente amanhece político...isto insulta minha inteligência! Graças ao bom Deus descobri uma igreja que é completamente NEUTRA na questão política! Jamais verei qq cidadão candidato no púlpito de CRISTO... ICT ufa!! Abraços e nos resta sorte! e consciência do povo cristão!