segunda-feira, 10 de maio de 2010

O que adianta ser contra a teologia da prosperidade e flertar com a teologia da libertação?

Caros evangélicos apologistas, o que estamos fazendo? Muitos são odiosos combatentes da perniciosa e antibíblica “teologia da prosperidade”, mas são simpáticos para com a “teologia da libertação”. O nível de heresias em ambas as correntes são gritantes. Quem faz esse jogo é incoerente e simplesmente não entendeu o Evangelho. Vamos fazer esse joguinho de combater um mal abraçando outro?

A “teologia da libertação” diz que fez uma opção pelos pobres, enquanto a “teologia da prosperidade” optou pelos empresários. Já o Evangelho de Jesus Cristo optou pela salvação do homem, não importando sua nacionalidade, classe social ou cor de pele. A “teologia da prosperidade” é a encarnação da sociedade do consumo e a “teologia da libertação” é a encarnação da sociedade “igualitária” sob regimes autoritários.

Quem disse que o Evangelho é uma balde de bênçãos materiais, conforme rezam na cartilha triunfalista dos tele-evangelistas da prosperidade? Agora, quem disse que o Evangelho é rezar na cartilha da luta político-ideológica de uma corrente marxista? Quem disse que o Evangelho é o cifrão do dólar? Mas também quem disse que podemos substituir a cruz pela foice e o martelo?

Portanto, não opto pelas tragédias doutrinárias do Edir Macedo, R. R. Soares, Morris Cerullo, Silas Malafaia, Benny Hinn, René Terra Nova, Neuza Itioka, Valnice Milhomens, Mike Murdock, etc. Mas também Deus me livre das bobagens escritas com tom de justiça social por Frei Betto (amigo do ditador Fidel Castro), Leonardo Boff (também amigo de ditadores “companheiros”), Gustavo Gutierréz e outros teólogos que já até apoiaram guerrilhas sanguinários pelo mundo em nome de uma ideologia.

A coerência é um exercício difícil, mas necessário.

18 comentários:

Anônimo disse...

Gutierres,

Não sei o que é pior, e de dar nó na cabeça esse dilema, mas é melhor que nó em pingo d'agua, você não acha?

Emerson Costantini
http://cost4ntini.wordpress.com/

Daladier Lima disse...

Parabéns, Gutierres! Você enfoca sempre o ponto de vista correto. Ambas as teologias são mazelas de um mundo que quer tomar o lugar de Deus na história.

Vitor Hugo da Silva - Joinville, SC disse...

Gutierres!

Seria muito bom, na verdade, excelente, se líderes pentecostais conhecem o mínimo da ideologia teologia da libertação. Não estou defendendo como um todo a TL, pois como Clodovos Boff afirmou: "Quer-se mostrar aqui que a Teologia da Libertação partiu bem, mas, devido à sua ambigüidade epistemológica, acabou se desencaminhando: colocou os pobres em lugar de Cristo".

Não podemos crucificar a TL, como não podemos divinizá-la. Como também não podemos crucificar a teologia Pentecostal nem divinizá-la.

O fato é que nossas igrejas pentecostais esquecerram-se dos pobres, dos oprimidos, e estão "arrotando" arrogância. Gastam-se quantias exorbitantes de dinheiro em congressos, porém a ação social da igreja está estagnada, parada. Nada se faz pelo pobre. Pagam-se enormes quantias em dinheiro para pregadores, porém quando um membro que passa por dificuldade financeira não paga a conta de luz de sua casa, suplíca ajuda a igreja; este é ignorado.

Quando me refiro a obra social, não me refiro a um departamento (maldita departamentalização), pois evangelho e ação social, são intrínsecos.

Nós pentecostais achamos que os homens são almas penadas e o que vale mesmo é somente o kerigma. A diaconia está fora do contexto pentecostal, pois o que importa é a vida eterna e não aqui. Isto também não está de acordo com o evangelho.

Por enquanto é só!

Um abraço!

Gutierres Siqueira disse...

Vitor Hugo, a paz!

Quanto tempo, hein?

Olha, todos esses pecados citados por você eu também condeno. Quem lê este blog sabe disso. Mas penso que não precisamos da Teologia da Libertação para combater esses males. A idelogia dos teólogos da libertação é uma adaptação da velha ladainha de "mais valia" e "luta de classes". Não quero me associar com teólogos que idolatram Hugo Chávez e outros protoditadores. Temos que fazer uma missão integral? É claro que sim. Mas não precisamos de uma ideologia do século XIX para isso. Precisamos apenas aplicar o Evangelho.

Uma pergunta de ordem prática: Quem ajuda mais os pobres? Uma pequena igreja pentecostal na favela carioca ou as igrejas protestantes de classe média alta que discutem os textos de Leonardo Boff?

Gutierres Siqueira disse...

Emerson, a paz!

Realmente é difícil medir qual é o pior. Mas ambos são danosos!

Abraços!

Gutierres Siqueira disse...

Daladier, a paz!

Realmente não podemos condenar um erro e fazer vista grossa para outro. Ambos são ruins, baseados em uma interpretação bíblica ruim.

Abraços

Pr. Marcos Crecchi disse...

Que tal ser um bom samaritano?

Matias disse...

Caro Gutierres,
acho ótimo voce tocar neste assunto e gostaria de extender a assunto para aqueles que flertam com o neoliberalismo.
Venho observando que os críticos uniram-se para combater a teologia da prosperidade. Mas não se percebe, que outras formas de teologias humanistas e ideologicas estão sendo abraçadas no seio dos próprios críticos. Conheço pessoas que com os melhores argumentos (ou não) combatem a teologia da prosperidade e seus representantes, mas abraçam as idéias do Brian McLaren e Rob Bells. Outros defendem Brennan Manning e Henry Nouwen quase os canonizando, não percebendo que estes defendem idéias bem mais nocivas que o "sábio" Mike Murdock. Outros andam de mãos dadas com Leonardo Boff (aliás um excelente escritor, mesmo que não concorde com as idéias dele), e fuzilam o R.R. Soares, que pelo menos crê que Jesus É o caminho, É a verdade e É o caminho, defende a moral cristã, crê a Biblia ser a Palavra de Deus etc.
Na Cristologia muitas vezes o "teologo da prosperidade" é mais bíblico do que o neoliberal e o representante da teologia da libertação. Pelo que entendo no Novo Testamento: a heresia começa na má compreensão de quem é Jesus.
Esta sempre foi um debate na história da igreja e gerou alguns credos famosos (ex Niceia).
A maioria (não todos) representantes da teologia da libertação, incluindo o casal Hernandes, Silas Malafaia, R.R. Soares representam um cristologia, talvez bem simples, mas ainda em concordância com a Biblia e não seriam condenados pelo apóstolo João em 1 João. Enquanto isto, a mesmo apóstolo João teria muitas dificuldades com os Srs Boff, Manning, Nouwen, McLaren etc.
Pensemos nisto!
Matias

Vitor Hugo da Silva - Joinville, SC disse...

Gutierres!

Dentro dos Evangelhos, na missão de Cristo está claro a sua ação libertadora e opressora da sociedade patriarcal.

Cristo trouxe uma nova visão (vida) acerca de liderança, crianças, mulheres, doentes, e pobres. Também mencionou os ricos, em forma reprovativa. Mas adicionou: "nada é impossível a Deus".

Enfim...

A libertação é mensagem cristocêntrica, em todos os parâmetros. Obviamente, que não podemos incluir neste caso guerrilhas sangrentas, pois trata-se de uma opressão contrária. Este é o lado, digamos, negro da TL. Desconsidere estes fatos humanos e considere a libertação. Somente o cerne desta teologia.

Se não precisamos de uma teologia contemporânea do século XX, também não precisamos de teologia velhas, correto? Basta sermos cristãos autênticos!

Infelizmente, são existem aqueles que discutem os textos de Leonardo Boff e ficam na inércia. Porém, a TL indica bem o contrária a estas questões reflexivas, pois trata-se de uma teologia prática. Existem pessoas no pentecostalismo que ficam somente na reflexão: o que é batismo?; calça ou saia?; cabelo comprido ou curto?.

Enfim...

Matias Borba disse...

Gutierres,
A Paz!

Pois então, parece que com o passar do tempo, as pessoas vão perdendo o raciocínio e começam agora, abraçar teologias que outrora eram incompatíveis. Parece um caminho meio torto.

Seu texto me fez lembrar a questão da Bíblia Dake e da exposição da teologia da properidade por Silas Malafaia em sua Bíblia da vitória financeira. Pouca diferença entre uma Bíblia e outra encontramos.

Um abraço!

Oséias Balzaretti disse...

Gutierrez,

Você disse: "Já o Evangelho de Jesus Cristo optou pela salvação do homem".

Pergunto: a "salvação" não deveria abranger a dignidade humana?

Você precisa estudar um pouco mais as obras do Leonardo, bem como os textos do Frei Betto; até porque os evangélicos não estão nem um pouco preocupados com a questão da dignidade dos seres humanos e sim com uma salvação utópica e baseadas nas premissas teológicas que pouco fazem sentido no dia a dia sofrido de todos nós.

Gutierres Siqueira disse...

Caro Victor, a paz!

Onde escrevi que não precisamos de reflexões teológicas contemporâneas? Ora, a própria teologia pentecostal é nova (a maioria dos seus eruditos ainda estão vivos, como Stanley Horton).

Realmente será que os debatedores de Boff não ficam na inércia? Desculpa, mas discordo disso, pois não é o que vejo na prática. Os obreiros nas favelas fazem bem mais.

Realmente há muita gente no pentecostalismo que só fica debatendo besteiras relacionadas aos usos e costumes, mas muita gente já largou essa vida. Esse blog é um exemplo disso.

Agora, falar que a missão de Jesus é libertação de uma sociedade patriarcal... Hein? Onde está escrito isso?

Abraços

OBS: Em alguns minutos postarei mais um texto sobre o assunto.

zwinglio rodrigues disse...

Oséias Balzaretti, paz!

"Você precisa estudar um pouco mais as obras do Leonardo, bem como os textos do Frei Betto; até porque os evangélicos não estão nem um pouco preocupados com a questão da dignidade dos seres humanos e sim com uma salvação utópica e baseadas nas premissas teológicas que pouco fazem sentido no dia a dia sofrido de todos nós."

________________


Há 3 acusações suas acima que são no mínimo levianas... a meu ver.
.
1 Não estamos nenhum pouco preocupados com a dignidade humana.
.
2 Estamos preocupados com uma salvação utópica.
.
3 Premissas teológicas que pouco fazem sentido no dia a dia dos que sofrem.
.
Bom, acredito que você deve ser mais claro quanto a essas suas afirmações... depois, terei o maior prazer em dialogar contigo.
.
Estarei esperando. Abraços!

zwinglio rodrigues disse...

Gutierres, paz!

Ok! Você está certo! A TP e a TL são teologias espúrias. Mas elas são teologias companheiras de mazelas teológicas dos históricos, pentecostais e neo-pentecostais. E aí, o veneno, dependendo de qual veneno for, poderá levar a óbito mesmo com uma mínima dose.
.
Mas, falando da TL, o mal espiritual que ela promove faz com que o bem físico que ela busca promover se torne insignificante. Vejamos:
.
1 O pecado é conceituado como injustiça social [crianças de rua, fome, etc.]
.
2 A redenção é a libertação das estruturas opressoras
.
3 Jesus é o libertador da condição humana da miséria
.
Ótimo! Mas isso não é Evangelho, mas uma hermenêutica distorcida.
.
O pecado é um mal espiritual que é inerente ao homeme caído que precisa da redenção espiritual e ética promovida pelo Jesus Cristo que antes reconcilia o homem com Deus justificando o caído.
.
Então, ao se falar de missão integral´segundo o conteúdo claro dos Evangelhos, a última teologia a ser lembrada deve ser a TL.
.
Abraços!

Oséias Balzaretti disse...

Zwinglio,

Vamos aos fatos:

1. Não estamos nenhum pouco preocupados com a dignidade humana.

R: Sim, pois se estivessem mesmo preocupados com a dignidade humana, haveria mais engajamento social que "adoração" a Deus em um belo templo. Deus não precisa de culto, mas o ser humano precisa de assistência, cuidado e, sobretudo, amor.

2. Estamos preocupados com uma salvação utópica.

R: Sim, pois não há salvação que exclua o que disse Jesus em Mateus 25, ou seja, para que haja salvação ela precisa iniciar imediatamente agora.

3. Premissas teológicas que pouco fazem sentido no dia a dia dos que sofrem.

R: Há muitos "teólogos" formados em nosso Brasil, mas poucos deles são bons samaritanos. A maioria está preocupada em "defender" a "instituição", como se Deus ali habitasse ou mesmo precisasse ser "defendido". Sua soberania não seria arruinada se precisase de advogado?

Carlos Santana disse...

Concordo plenamente meu caro Teológo Pentescostal, mas não podemos nos esquecer que a lista é imensa, além é claro daqueles travestidos de Ovelhas como Ed Kivitz, Ariovaldo Ramos e Ricardo Gondim.

Lucas Santos disse...

Realmente as duas teologias são DEMONÍACAS e NOJENTAS!!!

Porém não podemos nos esquecer que estamos nessa vida também para ter vida em abundância e receber o que plantamos! Não só espiritualmente falando mas materialmente também!!!

Não adianta nada a fé se ela não trouxer algum beneficio para os que a tem e para os que estiverem ao nosso lado!

O próprio Senhor Jesus disse que uma ação traz sempre uma reação da parte de Deus! Graça não quer dizer que eu não precise fazer nada, nem quer dizer que não haja alguma troca, sempre há um preço, ou seja, uma troca!!! E isso não é Teologia da Prosperidade e sim Lei da Semeadura! o Reino de Deus é feito de Leis, e assim como tempos direitos e acesso a coisas aqui neste mundo seguindo as leis de um país, temos dentro do Reino!

Tiago 2:15-16
E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano,
E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?

Lucas Santos disse...

Realmente as duas teologias são DEMONÍACAS e NOJENTAS!!!

Porém não podemos nos esquecer que estamos nessa vida também para ter vida em abundância e receber o que plantamos! Não só espiritualmente falando mas materialmente também!!!

Não adianta nada a fé se ela não trouxer algum beneficio para os que a tem e para os que estiverem ao nosso lado!

O próprio Senhor Jesus disse que uma ação traz sempre uma reação da parte de Deus! Graça não quer dizer que eu não precise fazer nada, nem quer dizer que não haja alguma troca, sempre há um preço, ou seja, uma troca!!! E isso não é Teologia da Prosperidade e sim Lei da Semeadura! o Reino de Deus é feito de Leis, e assim como tempos direitos e acesso a coisas aqui neste mundo seguindo as leis de um país, temos dentro do Reino!

Tiago 2:15-16
E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano,
E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?