sexta-feira, 28 de maio de 2010

Precisamos de didática

"Deus nunca se faz de filósofo diante de uma lavadeira." (C. S. Lewis)

Essa frase de C. S. Lewis já nos diz muita coisa sobre a didática que utilizamos nas pregações. Será que estamos sendo entendidos? Será que nos esforçamos pelo melhor entendimento, ou queremos expressar mera retórica? Eis aí uma reflexão necessária.

Um comentário:

Efraim Rodrigues da Silva disse...

as palavras de Jesus sempre se limitaram a sua realidade judaizante, e sempre supriu potencialmente as necessitades espirituais do povo a sua volta. O convite de Jesus, "vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos... tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim que sou manso e humide de coração...", transcende os seus dias e tangencia os dias hodiernos. A didática é a mesma, pois o professor é o mesmo. As cosmovisões divergem nos periodos históricos, contudo as necessidades da alma continuam as mesmas desde a queda no eden. Por isso creio que a verdadeira didática consiste em caminhar ao lado de Cristo. E caminhar ao lado de Cristo siginifica aprender com um simples carpinteiro que morava em uma pequena faixa de terra no oriente, e que nunca sai de lar em sua vida terrena.