quarta-feira, 14 de julho de 2010

A mania de grandeza

Muitos pastores evangélicos possuem uma mania de grandeza, a conhecida megalomania. A supervalorização mórbida de si mesmo é evidenciada através de vários meios, como a exaltação no púlpitos ou em uma televisão. Quando assisto o programa “Palavra de Vida”, da Assembleia de Deus do Brás, vejo claramente essa busca por notoriedade. O apresentador do programa é o pastor Samuel Ferreira.

No site da igreja há um perfil do referido pastor, que pode ser lido no endereço: http://www.adbras.com.br/prSamuel.php. O texto segue em itálico, comento alguns trechos:

CURRICULUM REV. DR. SAMUEL CASSIO FERREIRA (sic).

Não sei quem escreveu esse perfil, mas o mesmo promove a exaltação a partir do título. Qual a necessidade de identificar alguém como “reverendo” e “doutor” ao mesmo tempo? Essa breguice de enfatizar títulos é desnecessária. Os títulos devem ser mencionados no contexto acadêmico ou literário, por exemplo, mas nunca no púlpito de uma igreja.

A trajetória do Reverendo Dr. Samuel Ferreira é notável por sua singularidade de propósito. Ele não abre mão de seu papel de pai e esposo, pois entende que “nenhum sucesso pode ser justificado com o fracasso da família”. Ele é Presidente da Assembléia de Deus do Brás – SP; 1º Vice-presidente da CONAMAD (Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil – Ministério de Madureira), Presidente da Junta Conciliadora do Estado de São Paulo e Presidente-fundador da Cruzada Evangelística Palavras de Vida. É também Diretor Executivo da Editora Betel com sede na capital do Rio de Janeiro e filiais em Campinas, São Paulo e Goiânia-GO.

O que seria “singularidade de propósito”? Há necessidade de enfatizar que Ferreira é um bom pai e esposo?

Sua formação teológica iniciou-se pelo IBAD, posteriormente transferindo-se para os Estados Unidos da América, onde formou-se como bacharel em teologia, mestre, doutor e ao fim PhD em teologia, o mais alto nível possível para o curso. Sua formação secular iniciou-se como bacharel em letras pela UCLA (Universidade Californiana de Los Angeles), onde bacharelou-se em inglês, também em direito co especialização em direito civil.

Olha, vamos para a matemática. Um curso bacharel decente dura quatro anos, um mestrado são mais dois anos e um doutorado mais quatro anos. Ou seja, são 10 anos de estudo superior, no mínimo. Incluindo o bacharel em letras, são mais quatro anos, ou seja, 14 anos de estudo. Ferreira realmente estudou 14 anos no ensino superior? Não estou insinuando nada, mas apenas fazendo uma pergunta.

Possui mais de 250 cursos e seminários em sua carreira, tendo até a presente data lido mais de 4.000 livros.

Com tantos cursos, posso dizer que Samuel Ferreira é um dos maiores intelectuais deste país. Mas tenho lá minhas dúvidas sobre tamanha grandeza. É uma questão de lógica. Ah, que tipo de pessoa fica por aí divulgando o número de livros que leu? Se isso for no contexto de um concurso, tudo bem, mas assim, simplesmente por divulgar, é algo meio estranho. Megalomania pura!

Escreveu mais de 04 livros que hoje são Best Sellers.

Sei! Best-sellers são livros extremamente populares. No contexto evangélico, podemos dizer isso sobre livros que passam de 30 mil cópias. Pela informação do perfil, podemos dizer que Ferreira é quase um Max Lucado. Olha, gosto muito de visitar livrarias, mas nunca vi um único livro do reverendo Ferreira. Se são tão populares, por que não vemos nas lojas? Será que os lojistas não sabem disso?

Membro da academia Evangélica de LETRAS DO Brasil, que lhe conferiu o titulo de imortal pelas suas grandes obras literária.

“Grandes obras literária”(sic)! A megalomania tira o senso da realidade. Que grandes obras são essas? Seria um novo Machado de Assis?!

O seu jeito peculiar, amigo, companheiro, exemplar nos faz seguros de que suas ministrações, seus conselhos são pautados por exemplos pessoais de vida.

Estamos diante de uma grande rasgação de seda!

Sensível a voz de Deus, seus projetos e empreendimentos são sempre concluídos de maneira absolutamente tranqüila e com sucesso certo.

Meu Deus! E eu que pensava que somente na Igreja Católica havia a doutrina da infalibilidade papal!

Quando assumiu a Assembléia de Deus do Brás, de imediato implantou o plano de recuperação e crescimento. Por estas e outras razões, nós da Assembléia de Deus do Brás orgulha-se em ter o Reverendo Dr. Samuel Ferreira como nosso Pastor e Líder.

É, sendo assim, tem que sentir orgulho mesmo! Samuel Ferreira é apenas um exemplo de megalomania. Experimente visitar o site de alguns famosos pastores e você verá essa mesma mania.

22 comentários:

Blog do Dumane disse...

Meu Deus, como isso, ao contrário do que leio, faz-me lembrar as palavras do grande, mas simples apóstolo Paulo:
"Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo." (Flp.3:7)

Um forte abraço

Pr.Daniel S Acioli disse...

Cadê meu Engov?

Argh!

Esse fugiu do molde padrao!

sandre disse...

Post interessante

Pois a megalomania realmente esta em moda nos dias de hoje.
fruto do pos-modernismo que ha muito tempo enfesta os circulos evangélicos principalmente o pentecostal e neo-pentecostal.
Um enxame de "doutores", phd's, etc.
Mestre de não sei o que!
Gente que para se perpetuar no poder não ve limites em propagandiar um perfil.
Uma verdadeira piada é esta academia brasileira evangélica de letras (alguém realmente interessante faz parte desta instituição?)

Como outros Malafaia, José Wellington, etc.
Mais um lider que não gera admiração em quem realmente pensa
5 segundos sobre este tipo de perfil.

Somente repulsa de uma geração de lideres que pensa mais em adquirir um jatinho particular do que realmente ser um exemplo de servo de Cristo para influenciar a igreja.

Triste, muito triste

Abçs
Sandre

Gutierres Siqueira disse...

Amigos,

Um detalhe que esqueci de mencionar:

Como se fossem duas categorias distintas, o perfil informa que o Samuel Ferreira é doutor e Phd em teologia.

Nas universidades anglo-saxônicas, o título Phd (Philosophiæ Doctor) é a mesma coisa que "doutor". Phd não é, como informa erradamente o perfil, o último estágio do estudo teológico.

Uma pergunta: Qual tese no doutoramento o Rev. Ferreira defendeu?

Mario Sérgio disse...

Quando fiz um comentário recente sobre a falta de senso de realidade de alguns pastores, foi justamente nessaas informações que tomei por base. É muita rasgação de seda! É demais!

Gutierres Siqueira disse...

Mario, a paz!

Você ajudou na construção desta pauta.

Quando li o seu comentário, logo acessei o site do referido pastor, e me espantei com tanta rasgação de seda.

EBDicas disse...

Tristeza é a palavra para definir o que sinto quando li o post.
Oremos para que o irmão volte aos pés de Cristo e aprenda ser humilde como o Mestre amado!
Fique na Paz do Senhor.

Anônimo disse...

+ 1 171 no hall da fama "Gospel"
rsrsrsrsrs
Seria cômico se não fosse trágico!

Mario Sérgio disse...

Meu caro irmão. É uma piada mesmo, quando se diz que o tal reverendo escreveu "grandes obras literárias". A gente não sabe se é pra levar a sério ou pra rir. Acho que é pra ser motivo de chacota mesmo. Abraços!

Rogério Manzani disse...

Leu mais de 4 mil livros? Bom, se lermos um livro por dia, levaríamos em torno de 11 anos, para ler 4 mil livros, lendo um livro todo o dia. Será que esse Reverendo tem todo esse tempo disponível?

claudio disse...

Acho que ao ler 4 mil livros ele esqueceu de ler O LIVRO, a biblia

disse...

Esqueceu o livro mais importante com certeza. Paz!

Gutierres Siqueira disse...

Amigos,

Conheço pastores que realmente leram mais de quatro mil livros na vida, mas que abominam essa rasgação de seda. Um, inclusive, nem gosta de apresentado quando vai pregar.

Eles fazem isso, pois leram no Livro dos livros que a humildade é um imperativo.

Luciano Lourenço disse...

É simplesmente hilariante! Às vezes, dia de sábado, pela rede TV, assisto um pouquinho do programa dele. O programa é iniciado com uma música em sua homenagem. Quando o homem pega no microfone para que está entrando é um deus. O aspecto megalomaníaco é terrivelmetne evidente. Assistam prá vocês mesmo verem!
http://luloure.blogspot.com

Danilo G. Ribeiro disse...

Paz do Senhor, Tenho acessado seu blog,muito bom.-
O irmão comenta do Pastor Samuel Ferreira, dizendo que o mesmo possui vários titulos, só para lembrar reverendo não é um titulo, mas sim um pronome de tratamento, ok.
o irmão está dizendo a respeito da mania de grandeza entre os pastores, concordo contigo, mas esta mania está afetando a maior parte dos evangélicos, pois entrando no seu blog, aliás no seu perfil, você fala que esta cursando bacharel, e é professor de escola Biblia, isto, basendo no seu texto comentado, não seria um começo da Mania de Grandeza? Você está "julgando um Pastor, e ao mesmo tempo está "fazendo" o mesmo?
ou seria engano meu? de um lado o Reverendo e Doutor e de outro lado o Bacharel e Professor de Escola Biblica? que importa que Ele(Jesus Cristo) cresça e eu(nós) diminua

isaias disse...

culto a própria personalidade,se entre toda leitura que fez ,almenos tivesse lido JOÃO 3,30com certeza seria ele bem diferente

Gutierres Siqueira disse...

Caro Danilo, a paz!

De certa forma, eu já esperava indagações como a sua.

A palavra “reverendo” é realmente um pronome de tratamento, mas também um título, especialmente nas igrejas reformadas. O que contesto no perfil é essa necessidade de atrelar tantos títulos ao nome. O último que vi fazer o mesmo é o escritor daquele livro horrível, de autoajuda da pior espécie, chamado “O Segredo”.

Como escrevi no texto, há momentos que podemos mencionar um título. Exemplo: Imagine que eu fosse doutor em hermenêutica pela Universidade de Yale. Se você me convidasse para pregar em sua igreja, citar tal formação seria megalomania. Agora, se eu fosse convidado para uma palestra sobre hermenêutica na faculdade de sua igreja, aí sim esse título deveria ser mencionado. Isso porque o ambiente acadêmico requer informações sobre a formação daquele que você ouvirá.

Portanto, este blog é um espaço um de reflexão teológica. Aqui cabe mencionar a formação e atuação educacional. Mas jamais menciono minha formação antes de uma pregação, por exemplo. Isso seria megalomania, e já vi várias vezes.

Outra coisa. Sinceramente, não acredito que Samuel Câmara tenha feito uma graduação de verdade. Há inúmeras faculdades fajutas por aí. Nos EUA é possível “comprar” um mestrado por dois mil dólares. Você estuda um mês e saí com o diploma de mestre. É ou não uma compra? É ou não uma piada?

O perfil ainda diz que ele escreveu “grandes obras literária”. Cometeram até um erro de concordância na frase que menciona tamanho fato. É verdade que Ferreira escreveu grandes obras literárias? É claro que não. Eu sou um frequentador assíduo da Conde de Sardezas, rua que reúne inúmeras livrarias evangélicas em São Paulo, mas jamais vi um único livro desse homem.

Daniel disse...

Gutierrez, vc esqueceu de uma coisa: o perfil fala que ele é também bacharel em Direito com especialização em Direito Civil. Coloque aí mais 7 anos necessários para formação do cabra - 5 de faculdade e 2 de pós gradução latu sensu.

Anônimo disse...

Acho sem necessidade esse post, há muita coisa interessante para postar e debater, do que o perfil do Rev. Samuel Ferreira. Achei que foi um pouco de exagero essa análise.

Cristiano - Criciúma - SC

Gutierres Siqueira disse...

Cristiano,

A questão aqui não é o Samuel Ferreira. O perfil dele foi pego de exemplo para mostrar um GRAVÍSSIMO erro na igreja evangélica brasileira: a mania de grandeza.

Isaias Lobao disse...

O que tenho visto é o seguinte: Os pentecostais, que sempre rejeitaram o ensino acadêmico, agora se voltam sedentos em busca de títulos. Muitos, como o Marco Feliciano e suas cópias, querem se apresentar como gente do fogo e da academia. Além da falsificação de títulos, coisa bem comum, vem a reboque a abertura a famigerada teologia liberal. Como aconteceu com a faculdade de teologia que o ministério de madureira reconheceu pelo MEC aqui em Brasilia. Coisa horrível!!! Eu mantinha a ortodoxia diante de professores que compraram todo o pacote do velho liberalismo estrangeiro. Coisa já morta na Europa e nos EUA, mas regurgitada pelos professores de lá. Uma lástima.

Anônimo disse...

Gutierres, vc sempre trazendo a baila discussões que nos levam a repensar o contexto evangélico contemporâneo. De fato, há vários traços de megalomania no CV do referido pastor. Provavelmente deve ter sido editado por um "discípulo", mas com sua subscrição. Bem, continue nos alertando sobre os perigos que rondam a igreja, para proteger, inclusive, a nós mesmos de incidirmos em tais erros. Não senti qualquer desrespeito ao pastor em suas palavras. Como vc mesmo disse, ele é apenas um dos muitos exemplares de que dispomos. Um abraço. Marcos (RJ)