domingo, 8 de agosto de 2010

Por que Deus está escondido?

Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer. (João 1.18)

Verdadeiramente tu és um Deus que se esconde, ó Deus e Salvador de Israel (Isaías 45.15 NVI)

O grande filósofo Blaise Pascal tem uma resposta coerente:

Se Deus se revelasse frequentemente aos homens, não haveria qualquer mérito em crer Nele; e se Ele não se revelasse jamais, haveria pouca fé. Mas Ele se esconde comumente, e se revela raramente para aqueles que quer engajar a Seu serviço. Esse estranho segredo do qual Deus se retirou, impenetrável à vista dos homens, é uma grande lição para nos levar à solidão, longe da vista dos homens. Ele permaneceu escondido sob o véu da natureza […] e quando foi necessário que aparecesse Ele ainda se escondeu mais, cobrindo-se de humanidade. Ele era muito mais reconhecível quando invisível do que quando se tornou visível. […] e eu creio que Isaías O via nesse estado quando disse em espírito de profecia: “Verdadeiramente és um Deus escondido”. […] As aflições temporais escondem os bens eternos para os quais elas conduzem. As alegrias temporais cobrem os males eternos, os quais elas causam. [1]

Imagine a confusão que seria termos um Deus visível. Um tentaria acusar o outro perante Deus. Outros tentariam impressionar o Todo-Poderoso com suas “qualidades”. Ainda teriam aqueles que eternamente estaria a viver uma dependência exagerada de Deus, como pedir que o Senhor resolvesse problemas de mera responsabilidade humana. Sim, Deus é aquele que se esconde, mas que sempre nos enxerga. Infinita é a Sua sabedoria.

Terrível é perceber que no meio pentecostal há quem diz ver a face de Deus. Exemplo disso foi o terrível livro “O Triunfo Eterno da Igreja”. Os famosos pastores assembleianos Oriel de Jesus e Geziel Nunes Gomes dirigiam uma igreja pentecostal em Boston (EUA), filiada à CGADB. O megalomaníaco Ouriel de Jesus escreveu esse livro, em que se apresentava quase como a quarta pessoa da Trindade e sempre batia um papo como Senhor face a face. A arrogância de Ouriel de Jesus também se mostrava na liderança centralizadora, que tudo dirigia sob “direção divina”. A igreja aceitava passivamente todas as invencionices de Ouriel, como as várias “unções” e a idolatria em torno de anjos. Ouriel ainda foi acusado de irregularidades junto à imigração americana e de plágio por uma jornalista brasileira.

O pior mesmo são aqueles que seguem esses “profetas” e estão cada vez mais distantes da face de Deus e do conhecimento sobre a pessoa de Jesus. Esse pseudopentecostalismo é anátema!

Referência Bibliográfica:

[1] PONDÉ, Luiz Felipe. O Homem Insuficiente. 1 ed. São Paulo: Edusp, 2001. p 127- 128.

7 comentários:

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

No original hebraico é "El Mistater" - Deus misterioso ou Deus de mistérios.

Uma pérola: Um Deus que não se oculta, tão pouco se revela - Agostinho

Abraços, Pr Marcello Oliveira

Gaby Branda disse...

Profundo. Vou ler de novo.

Gutierres Siqueira disse...

Marcelo,

Ótima lembrança da reflexão de Agostinho.

abraços

Gutierres Siqueira disse...

Gaby,

Profundo, mas bem simples, pois muitas vezes nos perguntamos por que Deus não é visível.

Abraços

Rosana Pedrozo disse...

O título desta postagem me chamou a atenção logo de cara, que reflexão interessante...para mim, acho que esta pergunta ainda pode ecoar por dias!
Deus abençõe!

Gutierres Siqueira disse...

Rosana,

Que bom que este texto pode ajudá-la de alguma forma. Esse é o objetivo deste blog.

Abraços

beta disse...

Você disse tudo. Parabéns! Não sou pentecostal,sou ultradispensacionalista e vc está no caminho certo.Que o Senhor Jesus continue te esclarecendo