segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Cultura segundo Lausanne

Lendo a Declaração de Lausanne, o maior manifesto evangelical sobre a teologia missionária, gostei muito do resumo sobre a relação de cultura e evangelização. A declaração condena a exportação de cultura, mas também lembra que as culturas não são monumentos incontestáveis, como diz certos antropólogos malucos que defendem índios que matam crianças deficientes. A cultura deve ser respeitada, mas os direitos humanos estão acima de uma cultura opressora, portanto há um certo dinamismo em todas as culturas.

Leia o texto:

Evangelização e cultura

O desenvolvimento de estratégias para a evangelização mundial requer metodologia nova e criativa. Com a bênção de Deus, o resultado será o surgimento de igrejas profundamente enraizadas em Cristo e estreitamente relacionadas com a cultura local. A cultura deve sempre ser julgada e provada pelas Escrituras. Porque o homem é criatura de Deus, parte de sua cultura é rica em beleza e em bondade; porque ele experimentou a queda, toda a sua cultura está manchada pelo pecado, e parte dela é demoníaca. O evangelho não pressupõe a superioridade de uma cultura sobre a outra, mas avalia todas elas segundo o seu próprio critério de verdade e justiça, e insiste na aceitação de valores morais absolutos, em todas as culturas. As missões, muitas vezes têm exportado, juntamente com o evangelho, uma cultura estranha, e as igrejas, por vezes, têm ficado submissas aos ditames de uma determinada cultura, em vez de às Escrituras. Os evangelistas de Cristo têm de, humildemente, procurar esvaziar-se de tudo, exceto de sua autenticidade pessoal, a fim de se tornarem servos dos outros, e as igrejas têm de procurar transformar e enriquecer a cultura; tudo para a glória de Deus.

A tradição de Lausanne mostra o bom lado do evangelicalismo que infelizmente pouco influenciou o mundão evangélico do Brasil.

Um comentário:

www.gloriosojesusblogger disse...

Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Salmos 19:1-2