domingo, 31 de outubro de 2010

Venceu!

Venceu:

Venceu a incompetência técnica.

Venceu o assistencialismo demagogo.

Venceu o fisiologismo.

Venceu a corrupção dos companheiros.

Venceram as estatais cheias de pelegos que mamam com os nossos impostos.

Venceu o discurso inaugural mentiroso.

Venceu o desenvolvimentismo econômico. A teoria mais atrasada entre os economistas.

Venceram Zé Dirceu, Erenice Guerra, José Sarney, Fernando Collor, Jader Barbalho, Renan Calheiros etc.

Venceu o gasto público irresponsável.

Venceu o autoritarismo.


Mas perdeu:

A democracia.

A liberdade de imprensa.

A separação entre Estado e partido.

A política externa decente que não abraça ditadores nojentos.


Tchau Brasil. Agora voltamos totalmente para a teologia, mas só cabe orar.

Feliz Dia da Reforma da Protestante. Que um dia possamos ver este país em reforma e que o Dia das Bruxas seja mera lenda nesta nação.

PS: Aos petistas animados que vão postar algum comentário, por favor, façam com o mínimo de respeito. Algo que falta nesse partido.

sábado, 30 de outubro de 2010

Por que vou votar em José Serra?


  1. Porque o projeto político do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) é diferente do PT (Partido dos Trabalhadores).

  2. O PSDB modernizou o Brasil com as reformas monetárias (Plano Real), financeiras (PROER) e fiscais (Lei de Responsabilidade Fiscal). O PT se levantou contra todas, inclusive com ações no Supremo Tribunal Federal (STF). Aluísio Mercadante, importante economista e político petista, anunciava que o Plano Real destruiria o Brasil.

  3. Os avanços sociais e econômicos do governo Lula se devem aos avanços e reformas do presidente Cardoso. Sem o Plano Real, ou seja, sem estabilidade dos preços, seria impossível tirar milhares da miséria.

  4. Porque o possível ministro da Fazenda de José Serra será Armínio Fraga, um dos mais respeitados economistas do país que colaborou com o regime do “câmbio flutuante”. Enquanto Dilma Rousseff colocará possivelmente Luciano Coutinho, presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Coutinho é um economista desenvolvimentista à la Unicamp, que representa o que há de mais atraso na visão econômica contemporânea.

  5. Porque a Política Externa do José Serra voltará para a tradição do Itamaraty, ou seja, buscando acordos comerciais sem cortejar ou abraçar os piores ditadores do mundo.

  6. Porque a política de Segurança Pública de José Serra é mais assertiva. A cidade de São Paulo é ainda um lugar violento, mas o índice de 9 assassinatos para cada 100 mil habitantes é o menor entre todas as capitais brasileiras.

  7. Porque o PT tem em seus quadros radicais que defendem o fim da liberdade de expressão com “o controle social da mídia”, traduzindo, só poderíamos ouvir a “voz oficial do partido”.

  8. Porque o Estado é laico, ou seja, nem podemos misturar igrejas com Estado e nem partido com o Estado. O PT sempre misturou políticas de partido com política de Estado.

  9. Porque o PT destabilizou importantes instituições de fiscalização das obras públicas.

  10. Porque Dilma Rousseff está aliada ao que há de mais atrasado neste país: oligarquias coronelistas (José Sarney, Fernando Collor, Renan Calheiros, Jader Barbalho... ), esquerda do século XIX (PC do B, PSOL e o seu “voto crítico”) e intelectuais que adoram Fidel Castro (Chico Buarque e sua turma).


E poderia continuar escrevendo, mas estou com fome e vou almoçar, consciente de que amanhã preciso fazer uma escolha. Muitos reclamam que José Serra é ruim e não vai transformar o país. Olha, eu detesto utopias e nunca quero acreditar em candidatos que se propõem a transformar a história. Quem quer mudar tudo ou é autoritário ou é um sonhador adolescente. Vamos acordar e encarar a realidade. Temos duas opções e uma delas assumirá o Planalto.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Lição 05 - Orando como Jesus Ensinou

Subsídio escrito pela equipe de educação da CPAD

Leitura bíblica: Mateus 6.5-13

INTRODUÇÃO
I. A ORAÇÃO DEVE SER INERENTE AO CRENTE
II. A ORAÇÃO-MODELO
III. DECORRÊNCIAS PRÁTICAS DA ORAÇÃO-MODELO
CONCLUSÃO

A ORAÇÃO EFICAZ

Por Pr. Estevam Ângelo de Souza

Orando para Saber Orar

E você, porventura sabe orar? Sabe que precisa orar? Sabe que orar é falar com Deus, e é o meio mais eficaz para ter uma vida espiritual abundante, próspera e vitoriosa? Se ainda não se sente seguro para poder afirmar que sabe, então siga o exemplo dos discípulos e, de coração, ore: Senhor, ensina-me a orar!

Se você não tem tempo para orar, saiba que o tempo gasto em oração é o mais importante da sua vida. Se você não tem vontade de orar, saiba que está precisando muito orar. A falta de vontade de orar é como um fastio. Quando alguém tem um fastio, e por conseguinte, não quer se alimentar, esse é o momento quando mais precisa fazê-lo. E a oração é o único alimento que lhe salvará da inanição espiritual. Se você ora só pelos seus negócios, saiba que precisa orar mais por você do que pelos seus negócios. Estes e o seu trabalho não são as prioridades no conceito divino.

A prioridade é você mesmo, por quem Cristo morreu, e a quem Deus ama e quer usar na realização da sua obra. Você, além de receber os preciosos dons inerentes à salvação, pela mesma graça fará jus ao galardão que o justo Juiz dará a cada um segundo o seu trabalho.

Considere também que, sem orar, poderá fazer apenas alguma coisa para você nesta vida, mas nada fará de valor eterno para Deus. Sem orar, a sua vida poderá ser inútil para o mundo e para Deus. Você pode viver apenas para si e morrer sem nada levar do mundo. Sem orar a sua alma estará sujeita aos ataques de Satanás, sem forças para resistir. Por isso a recomendação divina: “Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder... para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo... com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito, e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6.10,11,18).
Os apóstolos que tanto ensinaram sobre oração, aprenderam a orar e fizeram da oração uma poderosa arma, com a qual venceram o mundo, o Diabo e a carne; e triunfaram sobre os poderes políticos, imperiais e satânicos que se lhes opunham, e realizaram a obra de Deus; serviram de exemplo para os santos e para o mundo, foram fiéis até a morte, conquistaram a herança da vida eterna, chegaram ao céu e se apoderaram da glória que Deus reservara para eles. Foi bom que orassem: “Senhor, ensina-nos a orar”. Faça como os discípulos, peça ajuda ao Senhor e ore para saber orar.

A oração que Jesus Ensinou

A oração ensinada por Jesus, o Pai Nosso, constitui a epítome da doutrina cristã. Nesta oração ensinada por Cristo aos seus discípulos, o Mestre teve o propósito de ensinar-lhes preliminar e resumidamente a oração em seus aspectos essenciais, de modo correspondente com as suas necessidades relativas a esta vida, destacando, em especial, as necessidades espirituais relativas aos deveres para com Deus. Na oração do Pai Nosso, temos os princípios fundamentais da doutrina cristã revelados em vários detalhes, nos quais também são manifestados os propósitos de Deus com respeito aos seus filhos na terra.

Atendendo ao pedido dos discípulos, ensinou-lhes a orar assim: “Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino, faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu, o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal, pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém”.

Não significa que esta seja a única oração que deva ser feita pelo crente, ou que deva ser decorada e recitada diariamente. Explicando isto, o Senhor Jesus reprova a oração formalista dos escribas e fariseus e a oração supersticiosa dos pagãos. No Pai Nosso, o Mestre amado ensina-nos novo caminho para Deus e estabelece, de maneira mais íntima, os meios de comunicação e comunhão com Deus, através da confiança de filhos que se dirigem ao Pai celestial com intimidade e fé; por meio da convicção de sua bondade paternal, tal como é revelada nas Sagradas Escrituras; através da obediência que evidencia o nosso respeito a Deus, o reconhecimento de sua autoridade divina, reconhecendo a Deus como causa da existência e sobrevivência de todas as coisas.

Quando oramos o Pai Nosso, e nisso nos baseamos, também externamos o nosso propósito de viver para Ele e de tribuar-Lhe a glória que Lhe devemos por tudo o que somos e o que temos neste mundo, e o que esperamos ser na eternidade. Portanto, o Pai Nosso não é simplesmente uma “reza” e, sim, o resumo da doutrina cristã.

Texto extraído da obra: “Guia Básico de Oração” da CPAD, Rio de Janeiro.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Creio

Sou pentecostal. Creio em milagres. Creio na Palavra de Deus. Creio no Senhor Jesus como Soberano e Poderoso.

Mas não creio em pregadores que supostamente ressuscitaram dezenas de mortos com suas orações. Creio que uma ressurreição seja possível, mas sempre será raríssima. O milagre é raro, se fosse ordinário não seria milagre.

Donald Gee, o maior teólogo pentecostal, partilhava desse pensamento. Stanley Horton, o mais importante teólogo pentecostal vivo, escreveu:

Mas como Donald Gee informa (…) há, apenas, dois registros de ressurreição de mortos (Atos 9.40, 20.10). Nos outros casos, foi-lhes indicado o consolo da ressurreição e da volta do nosso Senhor (I Tessalonicenses 4.13-18). (HORTON, Stanley M. A Doutrina do Espírito Santo. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD 1993. p 299.)

Os demais registros neotestamentários são relacionados à pessoa de Jesus Cristo. Como lembra Gee, na igreja do Novo Testamento o milagre foi raro. A ressurreição dos mortos era a esperança sobre o fim dos tempos.

Por isso, não creio nesse pregadores que falam: “no meu ministério sete pessoas ressuscitaram”. Desculpe minha descrença, mas se nem em Atos vemos isso, imagine hoje!

Uma coisa é acreditar, outra coisa é ser crédulo. Acreditar é aval depois do exame. Ser crédulo é cair no conto do vigário.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Semana Teológica 2010 - "100 Anos do Pentecostalismo Brasileiro"

Veja a programação desse seminário:

A Introdução do Pentecostalismo no Brasil (via Belém)
Prof. Gedeon Freire de Alencar
08/11/10 (2ª feira)


A Introdução do Pentecostalismo no Brasil (via São Paulo)
Prof. Dr. Key Yuasa
09/11/10 (3ª feira)


Origens históricas do Pentecostalismo
Prof. Dr. Leonildo Silveira Campos
10/11/10 (4ª feira)


Teologia Pentecostal
Prof. Dr. Ricardo Bitun
11/11/10 (5ª feira)

O Pentecostalismo e o Atual Cenário Religioso Brasileiro
Prof. Dr. Paulo Romeiro
12/11/10 (6ª feira)


Local: Faculdade de Teologia de São Paulo da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

Rua: Genebra, 180
Horário: 20h00


OBS: Super-dica do amigo André Tadeu, membro da IPI.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Entendendo a natureza humana!

C. S. Lewis é um dos meus escritores favoritos. Leia esse pequeno texto quando o autor mostra a diferença entre bondade e amor. É simplesmente fantástico como o irlandês entendeu a natureza humana. Leia com calma e preste atenção nas frases que destaquei em negrito.

Muito mais do que mera bondade

HÁ BONDADE no amor; mas amor e bondade não são sinônimos; e quando a bondade (no sentido de que estávamos falando) é separada dos demais elementos do amor, ela envolve certa indiferença em relação ao objeto da sua benevolência, ou até mesmo certo conformismo emrelação a ele. A bondade consente de forma bastante rápida com a remoção do seu objeto – todos nós já encontramos pessoas cuja bondade em relação aos animais as leva a matá-los para evitar que sofram. A bondade pura e simples não se importa se seu objeto vem a ser bom ou mau, contanto que ele escape do sofrimento. De acordo com as Escrituras, são os bastardos que são mimados; os filhos legítimos, que têm a incumbência de levar adiante a tradição da família, acabam sendo disciplinados (Hb 12.8). É para as pessoas com as quais não nos importamos nem um pouco que pedimos felicidade incondicional. Porém, quando se trata dos nossos amigos, cônjuges, namorados e filhos, somos exigentes e preferimos vê-los sofrendo do que vivendo uma felicidade conformada e alienante. Se Deus é amor, ele é, por definição, algo mais do que simples bondade. E parece, a julgar pelos registros, que apesar de Deus ter nos repreendido e condenado tantas vezes, ele jamais se referiu a nós com desprezo. Ele nos recompensou com a extravagante benevolência de seu amor por nós, no sentido mais profundo, mais trágico, mais inexorável.

– de The Problem of Pain [O Problema do Sofrimento]

sábado, 23 de outubro de 2010

Lição 04 - A Oração em o Novo Testamento

OBS: Subsídio escrito pela equipe de educação da CPAD

Leitura Bíblica: Lucas 24.46,49,52,53; Atos 1.4,5,12,14

Introdução

I. A ORAÇÃO NO INÍCIO DA IGREJA
II. PRINCÍPIOS DA ORAÇÃO CONGREGACIONAL
III. O APÓSTOLO PAULO E A ORAÇÃO
CONCLUSÃO

A PRÁTICA DA ORAÇÃO: UMA NECESSIDADE PARA A IGREJA

Prezado professor, no decorrer da história da Igreja Cristã é possível verificar diversos elementos que marcam a vivência e a intimidade da Igreja com Deus. O elemento em pauta é o desenvolvimento da prática de oração na Igreja ao longo dos anos.


Compreender a oração no desenvolvimento histórico da Igreja, produz ensinamentos edificantes para nossa vida espiritual.

A ocasião da primeira reunião de oração dos discípulos, após a ascensão de Jesus, denota a motivação clara (e oriunda diretamente de Jesus, o cabeça da Igreja) da igreja em Jerusalém viver a disciplina de uma vida com a prática da oração1 .


Sobre o tema em apreço, o Pastor Claudionor de Andrade analisa brevemente a prática da oração nos primórdios da Igreja e avança séculos, mostrando a continuidade do exercício da oração no período medieval e moderno:

A oração jamais se ausentou da Igreja; sem aquela inexistiria esta. Se Jesus foi um exemplo de oração, por que, diferentemente, agiriam seus discípulos e apóstolos? Veja, por exemplo, Paulo. Seja nos Atos dos Apóstolos, seja em suas epístolas, deparamo-nos com o doutor dos gentios endereçando a Deus as mais ferventes orações.


Depois da era apostólica, os pais da igreja, além de suas lides teológicas, consagravam-se à oração. Ignácio, Tertuliano, Ambrósio e Agostinho. O bispo de Hipona escreveu acerca de seu ministério de oração e intercessão: “Eis que dizeis: ‘Venha a nós o vosso reino. E Deus grita: Já vou’ Não tendes medo?”

E os reformadores? Martinho Lutero foi um grande paradigma na intercessão em favor da Igreja de Cristo naqueles períodos da Reforma Protestante. Mais tarde chegaram os avivalistas. John Wesley levantava-se de madrugada para falar com o Pai celeste. E o irmão Finney? Era um gigante na oração. Com o Movimento Pentecostal a Igreja de Cristo desfez-se em orações e súplicas por aqueles que, sem ter esperança de ver Deus, caminhavam para o inferno. Em suas anotações pessoais, Daniel Berg e Gunnar Vingren descrevem suas ricas experiências oriundas de uma vida de profunda oração2.

Ao tomarmos conhecimento de como os antigos da fé perseveravam em oração e que tal prática é uma herança dos apóstolos, podemos concluir, parafraseando John Bunyan: Jamais seremos cristãos verdadeiros, se não formos pessoas de oração. O hábito da oração deve ser cultivado com perseverança, não duvidando que a oração seja atendida.

O hábito da oração nos ensina a depender de Deus, deixando que Ele escolha, em sua liberdade soberana, o tempo, o lugar, o meio e o fim, na certeza de que tudo quanto Ele fizer sempre será o melhor .

Deus é um Ser que intervem na causa humana. Ele se fez humano e é conhecedor de todas as nossas fragilidades. O Deus-Homem denota em nós a certeza de que o “Pai Nosso” nos ouvirá, de fato, como um pai que ouve o seu filho.


Portanto, prezado professor, incentive o seu aluno a cultivar o hábito da oração. Mostre a ele que a disposição para orar pode nascer de maneira bem natural. Ensine-o a aquecer o coração com a meditação das Palavras de Cristo, de Paulo ou dos Salmos, por exemplo. Conclua dizendo que após a meditação da Palavra, a exposição de todas as súplicas do coração será eficaz. O hábito da prática de oração é uma necessidade para a sobrevivência espiritual!

Reflexão: “Numa palavra, a oração é a suprema proteção contra o ceticismo que insinua ser o objeto da fé mera ilusão ou uma projeção de nossos anseios na tela do infinito”.

BRANDT, Robert L.; BICKET, Zenas J. Teologia Bíblica da Oração. Rio de Janeiro, CPAD, 4. ed., 2007, p. 280.

ANDRADE, Claudionor. As disciplinas da vida Cristã: como alcançar a verdadeira espiritualidade. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, p. 36.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Meus delírios no Twitter

Reúno neste post algumas das minhas frases escritas no microblog Twitter (http://twitter.com/gutsiqueira ).

  • O esquema filosófico de classificar a humanidade entre oprimidos e opressores é infantil. As relações humanas são mais complexas.

  • A filosofia foucaultiana nos ensinou que culpa é uma forma de opressão usada pelos religiosos para o controle e a manipulação dos pobres (...) Mas quem vive sem culpa não são os psicopatas?

  • Eu corro de medo das ideologias que prometem um "mundo melhor".

  • Eu corro de medo das ideologias que prometem "felicidade".

  • Eu corro de medo das ideologias que prometem um "novo homem".

  • No Estado laico todas as religiões e não religiosos são respeitados. No Estado secular a religião é banida para a privacidade do indivíduo.

  • O Estado deve ser laico, nunca confessional ou secular. No Brasil, infelizmente, muitos "intelectuais" confundem laicidade com secularismo.

  • "Ortodoxia morta é sempre uma contradição de termos." - Francis Schaeffer

  • Ora, desde quando debater a concepção da vida é medieval e sem importância? Debater a vida é normal em democracias maduras.

  • Infeliz é o país que precisa de programas assistencialistas.

  • Fidel disse em entrevista que o modelo cubano não funciona mais nem em Cuba. Pergunto: Por acaso funcionou algum dia?

  • Desconfie de quem ama a humanidade, porque normalmente ele detesta seu semelhante. [Luiz Felipe Pondé]

  • É ridículo quando o culpado se faz de vítima, seja ele um traficante que se passa por usuário ou um presidente autoritário.

  • Stephen Hawking afirmou que Deus não existe. Até quando a sociedade vai encarar essas declarações como novidades jornalísticas?

  • G. K. Chesterton: "Os homens que realmente acreditam em si mesmos estão todos em asilos de loucos". Chesterton entendeu a natureza humana!

Como vocês viram que a maior parte dos comentários são sobre política e economia, mas falo também de teologia no espaço. Meu perfil é: @gutsiqueira

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Edir Macedo é um falso profeta, diz Malafaia

Silas Malafaia nunca foi objeto de elogio deste blog. Uma das minhas inúmeras críticas ao Malafaia era a sua defesa de corjas como o Edir Macedo. Agora, certamente a melhor crítica ao Edir Macedo saiu do próprio Malafaia. Algumas declarações sobre Macedo:

"Você é falso profeta", "Você foi comprado, Macedo", "Você tem ganância, Macedo", "Sua TV, Macedo, promove a prostituição; é um lixo moral" e outras pesadas declarações.

Alguém dirá que é o sujo falando do mal lavado, mas certamente o Macedo já chegou no fundo do poço da heresia, da imoralidade e da fome por poder. Portanto, é bom ouvir uma crítica pesada vindo daquele que outrora defendeu o Macedo.

Assista a primeira parte:
http://www.youtube.com/watch?v=OSiubDgIASY

Segunda parte:
http://www.youtube.com/watch?v=HgQNB7p3MK8&feature=related

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Eu no Genizah!

Amigos,

Agora sou um colaborador do Blog Genizah Virtual. Esporadicamente estarei publicando alguns artigos naquele espaço. Mas é claro, o ritmo por aqui não muda.

O Blog Genizah Virtual é um espaço apologético com toques de humor . Faça a sua visita, pois vale a pena.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

As frases mais idiotas sobre o aborto

Vejamos:

  1. A religião não pode impor uma ideia para todos

Falam isso como se o aborto fosse mera questão religiosa. Não, não e não. Aborto é uma questão filosófica, biológica, religiosa, ética, moral etc. E ainda falam como se a religião deveria ficar caladinha diante dos dilemas da sociedade.

  1. Cada um têm o direito sobre o seu corpo

Sei. E a criança não tem esse direito? O feto é mera extensão do corpo feminino como se unha fosse?

  1. O aborto é uma questão de saúde pública

Eis o mantra dos defensores abortistas. Acidente de carro provocado por um bêbado também é uma questão de saúde pública. Então vale legalizar o álcool no volante?

  1. A comunidade científica não tem um consenso sobre o início da vida

É verdade. Então é melhor ficar com a dúvida. É um princípio do direito.

  1. Ninguém é a favor do aborto

Hipocrisia. Querem fazer papel de bonzinhos. Não esqueço de uma colega na faculdade que disse com todas as letras: “Se a transa com o meu namorado resultasse em uma gravidez eu abortaria para não atrapalhar minha carreira”.

E ainda há outras frases idiotas.

domingo, 17 de outubro de 2010

'Manifesto Evangélico' ou manifesto de alguns evangélicos?

Alguns pastores que votam em Dilma Rousseff assinaram um manifesto em apoio à candidata petista. (leia aqui: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2010N3315 ) Até aí tudo bem, pois estamos em uma democracia e as pessoas votam em quem desejam. Mas qual é o grande problema do manifesto? O texto começa dizendo:

Nós, evangélicos e evangélicas, brasileiros, eleitores e cidadãos comprometidos com a verdade e a justiça, manifestamos profeticamente as nossas rejeições e defesas diante da onda de conservadorismo que se abateu sobre o país nesse processo eleitoral.

Ora, quem deu o direito a esses pastores de falarem em meu nome e no seu nome. Ora, sou evangélico e não me sinto representando pelo pensamento desse manifesto. Ninguém pode falar “em nome dos evangélicos”. Portanto, é vergonhoso o título “Manifesto Evangélico”.

E o manifesto ainda insinua que Dilma Rousseff é vítima de boatos. Ora, tirando aquele boato de que ela teria falado que “nem Cristo tira minha vitória”, todo o resto é verdade. Falar que a posição pró-aborto é “mentira de internet” simplesmente brinca com a inteligência das pessoas que já acompanharam as entrevistas da ex-ministra. Por que ela não assume o que pensa? Seria mais digno.

O manifesto defende o “fortalecimento do Estado laico”. Ora, os evangélicos que são contra o petismo e seus métodos por acaso sonham com uma teocracia cristã-evangélica? Que acusação mais ridícula. Eu sempre falei: O Estado deve ser laico, nunca religioso, nem secular. Deve respeitar todas as religiões e os não religiosos. Não deve privar a fé de manifestação pública e nem impor um credo para a nação. O Estado laico conversa com ateus e cristãos, não exclui ninguém. Mas pelo jeito tem evangélico que sonha com um Estado onde a fé é jogada fora da arena pública.

Deixo aqui meu protesto.

sábado, 16 de outubro de 2010

Me engana que eu gosto! Parte 2

Caro amigo, leia a matéria (em itálico) de Leandro Colon, do jornal “O Estado de S. Paulo”. Comento no final.

Governo prorroga estudo para mudar lei do aborto

A postura da candidata Dilma Rousseff (PT) em prometer aos eleitores não mudar a lei do aborto contradiz a atuação do próprio governo que representa. O Ministério da Saúde publicou, em 4 de outubro, um dia depois do primeiro turno, a prorrogação de um convênio que estuda mudanças na sua legislação. O projeto, segundo o contrato publicado no Diário Oficial da União, chama-se “Estudo e Pesquisa - Despenalizar o Aborto no Brasil”.

Dilma divulgou ontem uma carta em que diz ser contra o aborto e promete não tomar “iniciativa de propor alterações de pontos que tratem da legislação” sobre o assunto. O objetivo dela é diminuir a resistência de grupos religiosos que pregam voto contra a petista, por ter defendido no passado a descriminalização do aborto.

Só que a promessa vai na contramão da atuação do Ministério da Saúde nos últimos anos e tem incomodado entidades que atuam em parceria com o governo. Esse recente convênio, prorrogado até fevereiro de 2011, foi fechado no ano passado com a Fundação Oswaldo Cruz, do Rio, e faz parte do Grupo de Estudo sobre o Aborto, que reúne desde 2007 entidades civis dispostas a debater o assunto com o Executivo, o Judiciário e o Legislativo. O governo desembolsou, só para a Fiocruz, R$ 121 mil para incentivar a discussão.

Coordenador desse grupo de estudos em todo o País, o médico Thomaz Gollop lamenta a carta de Dilma e o rumo da discussão sobre o tema no segundo turno. “O enfoque está errado, inadequado, seja para qual for o candidato. O Brasil precisa se informar. Nas alturas dos acontecimentos, isso virou uma discussão de posicionamento radical”, diz. “Acho muito ruim que esse tema seja motivo de barganha. É completamente inadequado que o candidato diga o que vai ser feito.”

O projeto apoiado pelo governo trata, segundo extrato do Diário Oficial, de estudo para “despenalizar” o aborto, ou seja, não aplicar penas às mulheres que adotam essa prática, condenada por lei. Mas, segundo o coordenador, a ideia é ir mais longe e não fazer mais do aborto um crime.

(…)

Comento:

Como disse antes, eu prefiro acreditar no Papai Noel do que nessas “promessas conservadoras” da candidata Dilma Rousseff e do Partido dos Trabalhadores. O PT é um partido historicamente abortista, mentiroso e covarde, pois muda de posição na véspera da eleição para conquistar alguns evangélicos incautos. Por que o PT e sua candidata não tiram a máscara e defendem o que sempre defenderam? Ora, seria mais digno.

Lição 03 - A Oração Sábia

Subsídio preparado pela equipe de educação da CPAD

Leitura Bíblica: 2 Crônicas 6.12,21,36,38,39

Introdução

I. Vivendo a diferença
II. As Características da Oração de Salomão
III. A Oração Intercessória


Conclusão


ORAÇÕES QUE SOBEM AO CÉU

“E, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos”
(Ap 5.8)


O incenso era um ingrediente perfumado que fazia parte dos sacrifícios que eram oferecidos a Deus. Pelo texto em destaque e outros do Apocalipse, podemos entender que o incenso perfumado simbolizava as orações que subiam ao céu cheias de fé na bondade e no poder de Deus.

Ao longo de todo o período bíblico e da história do cristianismo, se destaca o valor da oração que expressa a sinceridade, a humildade e a fé daqueles que servem a Deus e o adoram em espírito e em verdade. Oração não é mera liturgia. É conversar com Deus, o Pai das luzes; é o modo de aproximar-se confiantemente do Pai das misericórdias. É o meio de comunicação com o céu mais eficiente do que todo o poder da mídia moderna. É o canal pelo qual vem do céu ao nosso coração a abundância da graça de Deus, plena de paz, alegria e certeza de que é a vontade do Pai dar-nos o reino eterno por herança. É no ambiente da oração que respiramos a atmosfera do céu. É na prática da oração que nossa fé cresce e se torna robusta, pois é aí que o Espírito Santo de Deus tem a maior oportunidade de revelar as dimensões da grandeza do poder e da bondade de Deus.

É quando oramos até sermos cheios do Espírito Santo, que Deus e o céu, com toda a beleza da glória, se tornam reais para nós. É quando oramos e somos possuídos inteiramente pelo Espírito Santo, que as nossas paixões são dominadas, as nossas dúvidas são vencidas, a nossa visão das riquezas de Deus é ampliada, as nossas forças são fortalecidas, a nossa fraqueza é descoberta, e o poder de Deus se aperfeiçoa em nós. É quando permanecemos em oração, não como quem faz um sacrifício, mas como quem se deleita na presença de Deus, que de nós se apodera “o espírito de sabedoria e revelação”.
1 E é aí que oramos, não apenas pedindo, mas agradecendo e adorando, e é este o incenso que junto com as orações dos santos sobem ao céu.

Vejamos outra vez o nosso texto base. Observe a importância desse cerimonial no céu: “E, quando [o Cordeiro] tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos”. Em Apocalipse, mas adiante, lemos: “E da mão do anjo subiu à presença de Deus o fumo do incenso, com as orações dos santos”. Esta é uma revelação clara de que as orações sinceras, quando são humildes e com fé, sobem ao céu, à presença de Deus. É muito importante considerarmos ainda, que as orações, que como incenso subiam à presença de Deus, estavam relacionadas com o ato da redenção efetuada por Cristo. Um pouco antes, no mesmo livro, lemos: “E entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação”
2.

Não há nada importante na Bíblia: nenhum feito heróico, nenhuma vitória brilhante, nenhuma vida santa, nenhuma prosperidade espiritual, que não esteja relacionada intimamente com as orações que sobem ao céu. Tudo acontece porque há na terra quem ore. Diante dessa visão de ter a sua oração incluída nessa taça, que fará você, então? Ore. Continue orando. Persevere em oração. Já sabemos o final da história, que a nossa oração é reconhecida diante de Deus. Portanto, ore!

[1] Efésios 1.17
[2] Apocalipse 8.4; 5.9


TEXTO EXTRAÍDO DA OBRA: “Guia Básico de Oração” Rio de Janeiro, CPAD.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Me engana que eu gosto!

Caro leitor, leia duas notas que saíram no jornal "O Estado de S. Paulo", na edição desta quinta-feira, sobre o encontro da candidata petista Dilma Rousseff com alguns líderes evangélicos (?), como Manoel Ferreira e Marcelo Crivella. O primeiro texto é da comentarista política Dora Kramer e o segundo do jornalismo Marcelo Auler. Comento no final.

1. Sinuca

Os líderes religiosos exigem de Dilma praticamente um rompimento público com causas caras ao PT - casamento entre homossexuais e descriminalização do aborto, entre outras - quando pedem que ela divulgue uma carta aberta se comprometendo a não mexer com esses assuntos. Se for preciso, o partido aceitará calar até a eleição, mas é difícil acreditar que aceite a situação, uma vez ganha a Presidência. Inclusive porque é o presidente do PT quem chama de "medieval" o debate dos temas de caráter religioso.

2. Ministro afirma que Plano de Direitos Humanos não muda

Depois de classificar a campanha política como "momento de fundamentalismo, regressivo, medieval do processo eleitoral brasileiro", o ministro-chefe da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, afastou a possibilidade de mudanças no 3º Plano Nacional de Direitos Humanos para atrair o voto evangélico para Dilma Rousseff, como sugeriu o ex-governador Anthony Garotinho (PR). "O programa já teve alterações", disse Vannuchi. "Isso não trará prejuízo para a campanha."

Comento:

Pelo jeito, só o Manoel Ferreira acredita no petismo pró-vida como ele acredita no Reverendo Moon. O ministro Paulo Vannuchi deixou bem claro que não mudará de ideia. O PT mandará que figuras históricas, como a feminista Marta Suplicy, promova uma guinada conservadora? Sei, acredito! Ah, por que Marcelo Crivella está lutando contra o aborto se o seu chefe é a favor?

Ok, quem quiser acreditar no petismo pró-vida, antiaborto e a favor "dos valores familiares" pode acreditar, mas eu ainda acho que o Papai Noel tem mais credibilidade.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Um discurso incisivo de um padre, enquanto o nosso...

Quando vi a esse vídeo, logo abaixo, fiquei me perguntando: Algum dos nossos líderes evangélicos teriam a coragem de proclamar um discurso tão forte? E depois me lembro dos vários líderes que se aliam ao petismo e ainda dizem, mentindo, que o partido é contra o aborto. Além da aliança espúria, pois a base é o poder, esses líderes mentem no púlpito negando as intenções pró-aborto do partido. Veja o vídeo e julgue você mesmo:


O padre Léo, como era conhecido, já morreu e era líder da Renovação Católica Carismática.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Enganados!

A pregação neopentecostal está longe daquilo que foi comentado por Riolando Azzi sobre a teologia agostiniana do desterro, em que as coisas materiais são vistas como um obstáculo para o desenvolvimento e libertação espirituais. Os “degredados filhos de Eva já não vivem mais gemendo e chorando neste vale de lágrimas”. Pelo menos os líderes do movimento neopentecostal não. Como documentado antes, muitos deles hoje estão vivendo em mansões, dirigem carros importados, recebem salários abusivos, vivendo no luxo e na fama. (Paulo Romeiro, em A Fé e os Interesses Econômicos)

O problema da riqueza dos líderes neopentecostais é que a essa “herança” não vem do trabalho honesto, mas sim de uma falsa teologia que promete felicidade neste mundo na troca do sacrifício alheio. Esses líderes são perversos homens que aproveitam a fragilidade emocional dos desesperados para prometer aquilo que não podem em troca de algumas notas de Real.

Ora, tem coisa mais idiota do que acreditar na felicidade terrena sem sofrimentos e infortúnios? A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) possui em suas placas o lema “pare de sofrer”, prometendo o irreal. A utopia desse slogan é tão idiota que é impressionante ver o número de pessoas que caem nesse canto da sereia.

Outros, movidos pela ambição, acabam caindo em engodos. Todos sabem que se ganha dinheiro no mundo financeiro com cautela, mas na roleta dos cassinos neopentecostais a cobiça não tem limites, não tem freios. E assim como no mundo dos negócios, quem não conhece os limites acada no precipício.

Alguém aí vai dizer que ganhar dinheiro é ruim? Não é, mas o cerne da pregação cristã é a cruz. Deixa a pregação da prosperidade para os gurus do mercado acionário e não para os púlpitos das igrejas. Que promete prosperidade com a Bíblia promete mentiras numa falsa exegese. Resumindo a ópera, o grande problema da “confissão positiva” é que ela esquece o essencial: o cerne do Evangelho é a salvação da alma que transforma o caráter e não o bolso.

sábado, 9 de outubro de 2010

Lição 02 - A Oração no Antigo Testamento

Subsídio escrito pela equipe de educação da CPAD

INTRODUÇÃO

I. A ORAÇÃO NO PENTATEUCO
II. A ORAÇÃO E OS PROFETAS
III. OS LIVROS POÉTICOS E A ORAÇÃO

CONCLUSÃO


Prezado professor, na lição desta semana vamos analisar o desenvolvimento da prática de oração ao longo do Antigo Testamento.
Para isso, é importante ressaltar que a oração é uma das mais antigas práticas da humanidade. Esta como responsável pela existência de todas as religiões no mundo, faz uso da oração a fim de afirmar sua experiência de fé. Todavia, a humanidade é criação de Deus, e o elo que comunica verdades entre o Criador e sua criatura, passa pelo exercício da oração. Ainda que a humanidade, majoritariamente, pratique orações a falsos deuses, a existência dessa prática denuncia que o Criador “programou” e “inseriu” essa necessidade à vida do homem comum .

A Oração Veterotestamentária

O Antigo Testamento representa o “aio” responsável que guia o povo israelita ao relacionamento perfeito com Deus. Até a formação desse povo, o “Eu Sou” se revela especialmente à sua criatura com o objetivo em designar seu propósito de relacionamento com a vida humana. Esse contexto se configura com Adão, onde o primeiro registro de comunicação entre ele e Deus aparece no texto veterotestamentário (Gn 1.28). Porém, o Texto Sagrado silencia acerca de qualquer oração feita por Adão e Eva . Mas, com o nascimento do filho de Sete (filho de Adão e Eva), Enos, começou-se “a invocar o nome do Senhor” (Gn 4.26).

No desenvolvimento da nação de Israel averiguamos, em termos de oração, a coragem e a persistência de Abraão em implorar pela cidade de Sodoma, manifestando a existência de justos que poderiam poupar a cidade (Gn 18.22-33). A luta de Jacó com o anjo denota a experiência perpetrada por uma longa oração no Antigo Testamento (Gn 32.24-32). E o grande diálogo de Moisés com o Criador, ao ponto de pedir que o seu nome fosse riscado do Livro da Vida se Deus não perdoasse aqueles que adoravam o Bezerro de ouro (Ex 32.31ss).

Esse contexto denota que o exercício da prática de oração feito por esses personagens centrais, não exigia uma postura para tal. Ou seja, a oração poderia ser feita em pé (1 Sm 1.26), em certas ocasiões ajoelhadas (1 Rs 8.54) ou prostradas (1 Rs 18.42) com as mãos estendidas (1 Rs 8.22,54) ou levantadas (Sl 63.4).

Inicialmente as orações eram feitas de frente para o Templo porque era o lugar onde Deus havia dito que estaria (1 Rs 8.29,30). Após a destruição do Templo ás orações eram feitas em direção a Jerusalém (Dn 6.10).

A oração de Salomão, entretanto, reconhece que “os céus e até o céu dos céus te não poderiam conter, quanto menos esta casa que eu tenho edificado” (1 Rs 8.27). Portanto, o desenvolvimento da oração veterotestamentária denota que a postura, o local onde a oração era feita, e as necessidades pelas quais se faziam as súplicas, não representavam a principal preocupação dos autores hebreus.

Professor, solicite ao aluno que ele comente sobre a importância dos Salmos no relacionamento e na comunhão de Israel com Deus e entre seus irmãos, de acordo com o último tópico da lição. Conclua a aula deste domingo afirmando que a exemplo dos pais do Antigo Testamento, devemos nos aproximar de Deus em Oração.

1 BRANDT, Robert L.; BICKET, Zenas J.
Teologia Bíblica da Oração. 4. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p. 39.
2 Ibidem, p. 41.
3
Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 1420.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Debates inúteis, necessidades reais!

Devo ser franco com vocês: o maior perigo que ameaça o cristianismo evangélico norte-americano é o perigo do anti-intelectualismo. A mente, em suas dimensões mais amplas e profundas, não está sendo levada suficientemente a sério. A nutrição intelectual não pode acontecer separadamente de uma profunda imersão, por vários anos, na história do pensamento e do espírito. As pessoas que estão com pressa de sair da universidade e de começar a ganhar dinheiro, ou de servir a igreja, ou de pregar o evangelho, não fazem a menor ideia do imensurável valor de gastar anos de prazer conversando com as maiores mentes e espíritos do passado, amadurecendo, aperfeiçoando e ampliando os seus poderes de pensamento. O resultado é que a arena do pensamento criativo está vazia e plenamente entregue ao inimigo.

Charles Malik, “The Other Side of Evangelism”, Christianity Today, Novembro, 1980, p. 41. Cit: Craig, William L. Apologética para questões difíceis da vida. 1 ed. São Paulo : Vida Nova, 2010. p 14.

Quando leio textos com esse fico pensando: Como pode existir igrejas que ainda discutem se usar brinco é pecado ou não, quando estamos diante de desafios tão grandes nesta era pós-cristã.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Ainda sobre as eleições (parte II)

Neste momento tenho várias pautas sobre teologia para escrever, mas como o dia foi cheio de notícias envolvendo política e religião, ainda cabe este post. E também não deixe de ler o post anterior com a entrevista esclarecedora do deputado Luiz Bassuma (PV-BA) sobre a posição pró-aborto do petismo.

1. Wall Street Journal vê influência evangélica no rumo das eleições deste ano

O Wall Street Journal, principal jornal de economia dos Estados Unidos, publicou uma reportagem sobre a influência dos evangélicos no resultado final da eleição presidencial. A matéria comenta que é “a primeira vez que a crescente comunidade evangélica se tornou o foco de eleições nacionais”. A mobilização sobre o aborto é o principal tema envolvendo a comunidade cristã. Leia a reportagem nesse link:
http://online.wsj.com/article/SB10001424052748703298504575534332075390878.html

2. Organizações evangélicas fazem protesto contra Dilma


Não só o aborto foi tema do protesto, mas as alianças com caciques acusados de corrupção também entrou na pauta da Associação de Pastores Evangélicos da Grande Vitória. Leia a matéria nesse link: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,evangelicos-fazem-campanha-contra-dilma-no-espirito-santo,621289,0.htm. A organização faz muito bem em lembrar que o problema não é somente moral, mas ético, econômico, político etc.

3. Vídeo do pastor Paschoal Piragine agora precisa de senha para ser assistido no You Tube. Censura?


O vídeo do pastor Paschoal Piragine agora só é possível de ser acessado com senha. A iniciativa parte do provedor Google, normalmente a pedido. Leia mais: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/youtube-cria-uma-forma-de-censura-contra-pastor-evangelico-quem-pediu/

4. A Comissão Brasileira Justiça e Paz, da CNBB, diz que Dilma é a única que defende claramente a vida. Hein?

Ora, para uma organização que defendia o traficante e terrorista Francisco Colazzo, membro das Farc. (Veja aqui:
https://docs.google.com/document/pub?id=1cyMtzAw9gwz33sfItKBM52VEZSgyrthRNOe4NuU9TxA ) não é nenhuma novidade optar pela mentira e ignorar os fatos.

Leia a notícia aqui: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/10/06/comissao-da-cnbb-sai-em-defesa-de-dilma-330591.asp

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Expulsão foi real!

Diante de tantos fatos ocorridos hoje, ficou quase impossível ignorar as eleições para a presidência da República. Vejamos:

Vocês lembram que o pastor Paschoal Piragine Jr. mencionou deputados petistas que foram expulsos pela posição contrária ao aborto? Pois bem, o diretório do PT paranaense ameaçou o pastor de processo pelas “mentiras” dessa afirmação. Segundo os petistas, os deputados não sofreram punições pelas suas ideias contrárias ao aborto.

Então, com a palavra o próprio deputado baiano Luiz Bassuma, que trocou a legenda pelo Partido Verde (PV). Leia a entrevista completa publicada na edição de quarta (06/10) no jornal “O Estado de S. Paulo”. Comento no final.

'Se mentir sobre o assunto, ela vai dar um tiro no próprio pé'
06 de outubro de 2010
Marcelo de Moraes - O Estado de S.Paulo

ENTREVISTA
Luiz Bassuma, DEPUTADO FEDERAL DO PV DA BAHIA

Em setembro do ano passado, o deputado federal Luiz Bassuma teve suspensos seus direitos partidários dentro do PT pelo prazo de um ano por decisão da direção nacional da legenda. O motivo: era contra a orientação do partido a favor da legalização do aborto.

Integrante da Frente Parlamentar em Defesa da Vida, Bassuma preferiu pedir sua desfiliação do PT, entrando no PV de Marina Silva e disputando o governo da Bahia pelo partido.

Agora, com a questão da legalização do aborto tirando votos da candidata Dilma Rousseff, Bassuma critica o que considera mudança de opinião da petista em relação ao assunto. "Acho que vai piorar a situação dela se mentir sobre o aborto por razões eleitoreiras. Vai ser um tiro no próprio pé", afirma.

O senhor foi punido pelo PT por ser contra a legalização do aborto. Agora, esse tema passou a ser um dos principais problemas da campanha presidencial de Dilma Rousseff e o PT se esforça para dizer que não defende a proposta. Qual é a sua avaliação sobre isso?

Ninguém pode apagar a história. Fui punido com um ano de suspensão pelo PT apenas por querer continuar a favor de uma ideia que sempre defendi. Não queria que ninguém pensasse igual a mim. Só queria que o partido respeitasse meu direito de ter opinião diferente.

O senhor acha que o PT agiu errado com o senhor?

Cumpri quatro mandatos pelo PT e um dos motivos que me fizeram ser filiado ao partido era justamente o artigo interno que permitia aos integrantes terem direito à liberdade de opinião, de religião, de pensamento. Comigo não valeu.

O senhor acha que há setores do partido que realmente são contra o aborto?

É possível. Mas fui punido quase por unanimidade pela direção do partido por ser contra a proposta. Dilma era a ministra chefe da Casa Civil na ocasião. Durante a análise do meu caso, o PT deixou claro que é a favor da legalização e não concordo.

Nos últimos dias, a candidata Dilma tem negado publicamente ser a favor do aborto. O PT, então, deveria propor uma punição interna para ela como fez no caso do senhor?

Acho que eles têm de assumir a verdade e dizer o que pensam sobre o assunto. Vai piorar a situação dela se mentir sobre o aborto por questões eleitoreiras. Vai ser um tiro no próprio pé. Na minha opinião, ela é materialista. O presidente Lula não. Todo mundo sabe que ele realmente tem uma posição diferente. Ele sempre disse que era contra o aborto.

Esse tratamento mais flexível do PT sobre o tema faz com que o senhor se sinta injustiçado por ter sido punido?
Pelo contrário. Eu me sinto honrado por ter sido suspenso pelo PT por ter defendido a vida. Essa é a bandeira da minha vida. Minha principal causa política. E o PT não respeitou esse meu direito. Envergonhado eu estaria se tivesse defendido o mensalão. Eu acho que o aborto significa matar uma vida.

Sua candidata, a senadora Marina Silva, está fora do segundo turno. Entre José Serra e Dilma Rousseff, quem o senhor pretende apoiar no segundo turno?

O PV e Marina ainda vão definir suas posições sobre a sucessão presidencial. Mas eu vou votar e fazer campanha por José Serra em Salvador. Já estou anunciando esse meu apoio publicamente.

Comentário:

Nossa, é impressionante com o PT mente. O deputado deixa bem claro que foi punido por ser contrário ao aborto. Vão processá-lo também? A raiz do autoritarismo não permite pensamento contrário nesse partido.