quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

CD para jogar fora e CD para ouvir com alegria!

Há muito CD que eu jogo fora. Eles apresentam as seguintes características:

a) Música de vitória. São aquelas músicas enjoadas de autoajuda. As letras estão cheias de antropocentrismos. A letra tem mais “você” do que “Jesus”.

b) Música de piada. Você certamente já ouviu as músicas do “crente isso”, “crente aquilo” etc. Os compositores ouvem as velhas piadas de alguns pastores e transformam isso em música. Que o Senhor nos socorra! Já ouvi uma do “crente vaso de xaxim”. Alguém sabe o que é isso?

c) Música de exortação legalista. Você sabia que tem uma música que condena brincos e maquiagens. Pois é. Imagine o tempo do culto ao Senhor desperdiçado com essas bobagens.

d) Música de pseudocompositores. Sabe aquelas letras óbvias? Mesmo que você não tenho ouvido a música você consegue complementá-la. Esses são compositores assim como eu sou poeta.

e) Música judaizante. Eu amo Israel. Gosto muito do judaísmo. Agora, eu não sou judeu. Eu sou cristão. Tem música por aí que parece saída do hinário da sinagoga.

f) Música que usa e abusa de Cantares. Há uma polêmica entre os hermeneutas se o livro Cânticos dos Cânticos é uma mera analogia do amor de Cristo pela Igreja ou se é um conjunto de cânticos amorosos entre o rei e sua amada. Tendo a pensar que a segunda alternativa é a mais coerente com o livro. Mesmo que a primeira opção seja a correta, é bom lembrar que toda analogia tem limites.

Talvez você seja de uma igreja que não sofra com esses problemas no louvor. Parabéns para a sua congregação. Mas com exceção dos dois últimos tipos de música, todos os outros vejo constantemente.



Esse eu gosto!

Mas quero terminar esse texto positivamente. Recomendo um CD muito bom chamado “Reina Sobre Mim” da cantora Nívea Soares. Nesse CD, a cantora não apela para nenhum desses defeitos acima descritos. As letras são bíblicas, bem estruturadas e da pura adoração. Nívea é uma compositora de mão cheia, especialmente nesse CD. Não conheço profundamente o trabalho da cantora. Não sei se nos demais Cds ela manteve essa qualidade do primeiro, mas o “Reina Sobre Mim” vale a pena! Esse CD eu não jogo fora!


25 comentários:

Cleison Brugger disse...

Bom, se é pra indicar boa música cristã, recomendo muitíssimo os cds do Coral Jovem do Unasp, Prisma Brasil e Cânticos Vocal. Embora adventistas, as letras são lindíssimas e as mais biblicocêntricas/cristocêntricas que já ouvi.

Simone Faith disse...

Boa postagem, irmão!
A Paz!

♥ Gah ♥ disse...

Tbm recomendo Fernandinho, David Quilan, Fernanda Brum, Ludmila Ferber. É certo que existam centenas de "cantores de Deus" que na realidade não sabem o que estão fazendo. Mas existem cantores que são verdadeiros adoradores. =)

Matias Borba disse...

Olá Gutierres,
Graça e Paz!

Acredito que exitam igrejas que não se rendem a esse tipo de musicalidade a que você cita, a maioria das igrejas gosta mesmo de uma boa auto-ajuda e triunfalismo. Creio que apenas 10% de toda comunidade evangélica do Brasil sabe escolher bem o que ouve (isso é só um percentual).

A igreja comete suas falhas, mas tem coisas que beiram o absurdo.

Agora, devo concordar com você em 100%, o CD "Reina Sobre Mim” da Nívea Soares é um dos melhores para se ouvir, e ela também é uma pessoa muito séria no que faz; Embora continue gravando pela gravadora Diante do Trono, quem mora em BH e MG sabe que ela era contra algumas coisas feitas pelo DT, o que acabou pela saída dela do grupo.

Já tive a oportunidade de participar de eventos em que ela participou e conhecer mais de perto seu trabalho, de fato, Deus outrogou-lhe um talento em comum para a música e a ministração da Palavra. Espero que as pessoas reflitam no que você diz aqui e que saibam escolher melhor o que ouvem.

Um abraço!

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Os CDs que vc chama de legalistas são muito bons.

Até concordo com vc nos outros casos.

Mas o que eu mais ataco mesmo são certos ritmos.

O rock,por exemplo,é música satãnica,não importa que a letra seja bíblica ou não.

Luciana disse...

Olha, vivo sim esse problema...já ate´perguntei uma vez pra vc sobre isso. Não sei porque, mas no circulo de oração só tem "louvores" sobre lutas, sofrimentos, lagrimas e enfim a "vitória"...Vou ouvir esse cd que vc indicou, pois, está bem dificil de escolhermos hinos pra colocar nos conjuntos.

Paulinho Adorador disse...

A Nívea seguiu sim o mesmo tom em seus outros trabalhos. É o tipo de compositora que não foca a música nos ouvintes, mas sim em Deus. Se você gosta do "Reina Sobre Mim", com certeza vai gosta do último trabalho dela o "Emanuel". Pra supera o primeiro em muitos quesitos.

Paz e Graça!

Luciano disse...

Fiquei confuso e gostaria que alguém esclarecesse se possível quanto a essa questão do rock ser condenável como ritmo e pronto. É isso mesmo? E, se é, qual é a base? Onde posso encontrar boas e equilibradas fontes sobre o tema? Pergunto porque gosto muito, por exemplo, de Heloísa Rosa, Third Day, Hillsong, e já ouvi aqui e ali alusões en passant ao tema "rock é satânico", mas ninguém ainda me deu um fundamento sólido sobre isso. Agradeço a colaboração de quem se dispuser.
Um abração a todos.

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Luciano,o Rock and Roll é a coisa mais nojenta e satânica que já foi criado em questão de ritmo musical.

Gostaria que você entrasse nesse blog que eu vou te indicar e fizesse amizade com esse irmão:
http://adbrasil.ning.com/profiles/blogs/a-visao-do-infernorelato-de-um

Fique na doce paz de Cristo.

lucas luciano disse...

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! Discordo de você, Não acho Rock um ritmo satânico... e não, não gosto de rock... mas acredito que os ritmos não devem ser considerados satânicos ou de Deus... deve ser considerada a letra, já ouvi rock com letra bonita e com letra horrivel... do mesmo modo estilos mais calmos e vários outros...
Não importa o estilo de música, mas sua letra...
André Valadão por exemplo, tem ótimas músicas, que são num estilo mais rock...
O que você disse é a mesma coisa de dizer que, a biblia com capa rosa, azul, com pelinhos, ou qualquer outra coisa é satânica... por que não importa o estilo da biblia, importa oq está dentro, que é a palavra do Senhor...
Luciano, não siga nem a minha resposta nem a dele... ore... Deus te dira o que é melhor... e pense nisso: Se fossemos pensar que tudo é do diabo não poderiamos fazer nada não é? o mundo jás no maligno certo?
Então ore sempre antes de fazer as coisas... é o melhor a fazer, temer o diabo não é bom... aliás lembre dessa frase: O que eu mais temia, me sobreveio ;)
Atenciosamente Lucas Luciano

Luciano disse...

"lucas luciano" e "DEFENDENDO A FÉ..."
Pedindo licença aqui ao nosso querido Gutierrez pela utilização do seu espaço para esse debate que se inicia, eu vou mais ou menos da linha do meu semi-xará.
Fui ao site indicado pelo nosso querido (e o querido aqui é sincero, hem? não é ironia, não.) "DEFENDENDO A FÉ...", li o que estava lá, e já conhecia o ali informado. A ligação entre alguns rockeiros e o satanismo é antiga, mais ou menos de conhecimento público e não é grande novidade no meio evangélico. Mas a minha dúvida é quanto ao porquê de o ritmo em si ser satânico.
Por exemplo: um Sérgio Lopes com banquinho e violão, bem calminho, seria satânico porque alguns cantores de MPB com letras mundanas fazem o mesmo ritmo? ou um louvor no ritmo de uma baladinha, como o é a maioria deles, é satânico por causa das baladinhas que os ímpios cantam por aí? Ou um louvor clássico, daqueles de hinários, bem antigos, o seriam por causa da semelhança com o ritmo de uma Ave Maria de Gounod ou de Schubert ou de um ópera como La Traviata, que conta a história de uma "mulher de má conduta"? Seriam a combinação de guitarra e de bateria? Enfim, por que o rock é satânico? Que alguns rockeiros são satanistas eu já sabia, como o são alguns cantores de axé music, alguns pagodeiros, mpbistas e por aí vai - já viu a vida da Edith Piaff? e ela não era rockeira -, mas e o rock em si?
Bom, ao moderador, não sei se o comentário anterior entrou, deu um probleminha aqui na conexão, e se entrou desconsidere este.
Continuo aberto a colaborações, mais uma vez com a permissão do Gutierrez.
Abração.

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Digam o que quiserem dizer:Deus não aeita Rock!!!

Aconselho a todos o clássico "Tocai a Buzina em Siaão",do amado pastor David Wilkerson.

Ali vcs verão se o que ele´predizia do Rock era ou não verdade.

Luciano disse...

"DEFENDENDO A FÉ..."
Que você acredita piamente que o rock é satânico como ritmo em si mesmo isso já ficou bem claro, e não precisava o seu último lacônico comentário.
O que eu gostaria de saber, e você, com o espaço e a oportunidade que nos é disponibilizado aqui pelo Gutierrez, não fez, é argumentar, ou seja, mostrar com trechos bíblicos, fundamentações em obras de autores sérios, enfim, que o rock é satânico. Eu pedi a ajuda de alguém que tem uma convicção no sentido de mostrar as razões dela, e não dizer "isso é assim porque é assim e pronto". Só faltaram os braços cruzados e a carinha amarrada.
A Palavra nos fala em levar o nosso entendimento cativo a Cristo, sim, mas não nos manda anulá-lo para submetê-lo a frases de efeito sem uma fundamentação - rock é satânico, mulher não corta cabelo, mulher só usa saia, não pode isso, não pode aquilo. Se fosse assim, o próprio Senhor Jesus ou Paulo não teria gastado tempo argumentando com seus opositores. Teria sido mais fácil eles dizerem "é assim e pronto", mas infelizmente não teríamos as maravilhosas epístolas de Paulo, ou os relatos das conversas do Senhor Jesus nos Evangelhos.
Vamos conversar, como estávamos tentando fazer, e não bater martelos.

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Caro Luciano,a paz do Senhor.

O Rock é satãnico em sí mesmo pois foi criado pelo próprio demo para causar rebelião na juventude mundial e acabar com o louvor santo na casa de Deus!

Não há como se purificar algo que foi engendrado nos estúdios de black:metal do Inferno!!!

Um conselho sincero de um irmão sincero...queime seus CDS de rock gospel a começar pelos satãnico conjunto Voz da Verdade...

Luciano disse...

Ôpa, agora começamos a argumentar! Que alegria!
“DEFENDENDO A FÉ...”
Você falou em “acabar com o louvor santo na casa de Deus” como sendo a finalidade da criação do rock. Ok, entendi o seu argumento.
No entanto, para validar o seu argumento, é necessário você definir o que é “o louvor santo na casa de Deus”.
Além disso, considerando-se que o rock surgiu ali pela década de 1950, como uma mistura de blues, música country, rhythm and blues, além de folk, jazz e música clássica, a juventude que ele atingiu foi aquela que estava fora das igrejas, isso levando-se em conta que até bem pouco tempo atrás o só uso de instrumentos como guitarras, contrabaixos elétricos ou baterias dentro das igrejas era reprovado, fosse para cantar rock ou não.
Outra questão para nossa reflexão é que da música country americana derivou também parte da nossa música dita sertaneja, que você, como assembleiano que é, não me deixará mentir, era a base do louvor nas Assembléias de Deus há não muito tempo.
Até aquele louvor bem calminho, que eu acho que você classificaria como louvor santo da casa de Deus, tocado ao violão, seria a expressão da santificação de um instrumento que não faz muito tempo era considerado um sinal de vagabundagem.
Nessa linha de raciocínio é que eu me questiono, primeiro, o que é “o louvor santo na casa de Deus”, e, segundo, se não há mesmo como purificar – eu prefiro santificar – um ritmo com seu uso na casa do Senhor.
Vamos há um exemplo prático: um louvor que não é rock, do Kleber Lucas, por exemplo, e que diz que se vai ouvir o “som da shekinah” – se shekinah era a presença de Deus no Santos dos Santos, que som é que ela teria? -, ou um outro, do mesmo cantor, em que se diz que que se quer “merecer crescer” – quem é que poderia sequer pensar em merecer algo do Senhor? – acabam com o louvor santo na casa de Deus de forma extremamente ofensivo, além de levar o crente comum a um entendimento teológico herético, ao contrário, por exemplo, de “Cry out to Jesus”, do grupo de rock gospel americano Third Day, que conclama aqueles que estão em sofrimento, perdidos, com casamentos destruídos, problemas de saúde, depressão, a clamar pelo nome de Jesus.
Entende, meu querido “DEFENDENDO A FÉ...”, o meu questionamento?
O envolvimento de muitos rockeiros com o satanismo, sobretudo daqueles dos estilos heavy metal ou trash metal, é patente, mas daí a estender esse aspecto para o ritmo em si, vai uma grande distância.
Diante das barbaridades de letras que se vêem cantando por aí, com teologia da prosperidade, tudo voltado para o homem e para as bênçãos materiais, você pega louvores da Heloísa Rosa ou do grupo australiano Hillsong, por exemplo, muitos em ritmo de rock, com solos de guitarra e bateria, e com letras que exaltam o nome do Senhor, que colocam o homem no seu devido lugar diante da soberania de Deus e que colocam a salvação, e não as bênçãos materiais, como o principal de Deus para o homem, e aí eu me pergunto se eles não santificaram o ritmo, enquanto aqueles outros, com carinhas boas e melodias docinhas, não estão é envergonhando o Senhor.
Vamos lá, vamos continuar conversando, eu quero é aprender com o irmão a servir o Senhor da forma que seja a Ele mais agradável possível.
A paz do Senhor Jesus!

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Caro Luciano,

Compreendo seus questionamentos.

Confesso que eu não sou ultra-radical,por que se eu fosse atacaria todos os ritmos mundanos na Casa De Deus,tipo sertanejo,forró,música gauchesca e mais um monte de ritmos(eu particularmente tenho horror dos tais artistas gospel que tocam sertanejo-pop-evangélico como Daniel e Samuel e quejndos!!!).Mas ao meu ver se esses ritmos não trouxerem escânda-los ,que sejam tocados.

Mas sou radicalmente contra axé-gospel,samba-gospel,rock-gospel e todos esses ritmos e canções gospel nascidas no mundanismo entrando na Igreja.

Você pode imaginar,seja sincero,DEUS PRESTANDO ATENÇÃO NUMA MÚSICA TOCADA PELO SATÂNICO OFICINA G3???

Mas vc tem que entender uma coisa(e longe de mim qualquer coisa do tipo teoria da conspiração no nosso debate!!!):o Diabo enfiou o Rock na igreja para acabar com a doutrina santa .O rock é sinõnimo de rebeldia.Não se pode servir a dois senhores.

Tenho gastado muita tinta e papel na Internet atacando o rock,e isto desde há tempos.Mas a iluminação maior só pode ser dada por Deus e pelo Espírito Santo.

Luciano disse...

"DEFENDENDO A FÉ..."

Transcrevo abaixo dois trechos do seu último comentário:

"atacaria todos os ritmos mundanos na Casa De Deus,tipo sertanejo,forró,música gauchesca e mais um monte de ritmos"

"sou radicalmente contra axé-gospel,samba-gospel,rock-gospel e todos esses ritmos e canções gospel nascidas no mundanismo"

Você fala de ritmos mundanos que você tolera na igreja, e de outros ritmos e cançoes gospel nascidas no mundanismo que você é radicalmente contra.
A não ser que ritmos mundanos e ritmos e canções gospel nascidas no mundanismo sejam coisas diferentes, seu posicionamento parece se fundamentar no seu gosto.
Os ritmos mundanos que não te ferem os ouvidos você tolera, mas os ritmos mundanos que não te agradam você é radicalmente contra.
E comigo é a mesma coisa. Não gosto de forró, samba, pagode, axé, sertanejo, e não ouço louvores nesses ritmos. Mas aprecio o rock moderado - não gosto de heavy metal ou trash metal - e ouço louvores nesse ritmo.
Você só não explica que os ritmos mundanos que você não aceita são porque você não gosta deles, mas chama eles de satânicos, sem fundamentar onde está o satanismo deles que não está nos demais ritmos mundanos que você tolera na igreja.
Ah - você pode dizer -, já viu um show de rock, com as pessoas pulando de braços levantados? Que coisa mundana! Aí eu te pergunto, você já viu um forrozão, com aquele pessoal todo se esfregando em movimentos sensuais? Que coisa mundana!
Então porque é que o forró você tolera e o rock não? Questão de gosto meu irmão, mas você prefere classificar de satanismo o rock, e o forró não, esse você tolera.
Os ritmos não são maus em si mesmo, mas pelo uso que deles se faz. O uso, a mente de quem compõe a letra, a letra é que pode ser satânica, mas o ritmo não. Como as folhas presas umas às outras com uma capa no início e outra no fim - comumente chamadas de livro - não são satânicos em si mesmo, mas a mensagem que veiculam, estas sim podem ser satânicas.
Como eu já vi que você não vai fundamentar o satanismo do rock mesmo, mas vai ficar dizendo que é assim porque é assim, enquanto você tolera o que você acha que é aceitável e pronto, então acho que o debate não está mais sendo frutífero, e que podemos parar por aqui.
A paz do Senhor Jesus!
Obrigado, Gutierrez, por nos favorecer esse espaço para uma pequena troca de idéias.
Abraços.

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Na Eternidade vamos ver quem está com a razão.

Conheço pessoas que seguem o satanismo e eles próprios dizem que rock"cristão"é a pior hipocrisia que pode haver...

E isso não tem nada a ver com gosto.


Se eu mandasse alguma coisa,todos os louvores seriam orquestrados.

Que o Espírito Santo ilumine vc.

Luciano disse...

"DEFENDENDO A FÉ..."
É, realmente excelentes conselheiros os que você mencionou - pessoas que seguem o satanismo.
É mais ou menos como algumas igrejas que constroem sua teologia sobre as afirmações de demônios entrevistados pelos pastores - ouvir conselhos do pai da mentira e de seus seguidores e pautar sua vivência cristã nisso é bem complicado!
Quer dizer, se pessoas podem ser alcançadas pela mensagem que músicas em ritmo rock gospel veiculam e se voltarem para o Senhor, satanás já conseguiu que isso não mais aconteça, e sempre tem quem atente a suas valiosas orientações.
Já ouvi demônios manifestados em determinada igreja falando mal de várias denominações, dizendo serem igrejas fracas, sem unção - entre elas até mesmo a Assembléia -, e certamente muita gente lhes deu ouvidos, até porque o pastor entrevistador avalizou as afirmações do demônio, afinal, dava crédito para sua própria denominação. Aí as pessoas descobrem os escândalos envolvendo aquela igreja onde os demônios falavam, se afasta, mas a mensagem de satanás fica nas suas mentes contra as outras denominações, e lá se vai uma alma que não encontra outro redil porque um dia ouviu o pai da mentira referendado por um pastor.
Pra fechar, orquestra por orquestra, vamos lá, há algumas "excelentes" músicas orquestradas, como Carmina Burana, com textos profanos da idade média que exaltam todas as divindades e demais entidades de mitologias diversas. E aí? O ritmo não é satânico em si, não? E por que no caso do rock gospel é? Ah, sim, esqueci, alguns bons formadores de opinião - pessoas que seguem o satanismo - disseram que é assim.
A gente quer por um fim a um debate, mas, em vez de um "tchau" e de um "a paz do Senhor", vem um comentário caprichado que não dá para não responder.

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Afinal de contas, o ROCK é do Homem, de Deus ou do Diabo?

O conjunto "evangélico" Petra cantou numa de suas músicas:

" God gave Rock and Roll to you!" 1

(Deus deu o Rock and Roll para você)

Raul Seixas cantou numa de suas músicas:

"O Diabo é o pai do rock" 2

Certo crente que já argumentou:

"O Homem é o pai do rock"

Ao analisarmos o rock à luz da Bíblia vejamos cinco conceitos fundamentais:

1.Quem ama os valores do mundo é descrente ( 1 Jo. 2:15).

2.O crente não pertence a si próprio, mas a Deus (1Cor. 6:19).

3.O mundo e a sua cultura está sob a influência direta do maligno (1 Jo. 5:19).

4.O crente deve influenciar o mundo e não ser influenciado por ele (1 Jo. 4:4)

5.Os padrões dos devassos e depravados e demonistas devem ser rejeitados pelos crentes (Rom 1:18-32).

O rock é a música da adoração ao Diabo.
É sabido que a grande maioria dos conjuntos musicais roqueiros, estão envolvidos diretamente com o demonismo. Porque esta aproximação tão íntima? Vejamos exemplos de fatos e declarações:

Alice Cooper : "Em uma sessão espírita, o espírito prometeu-me fama e o domínio mundial através do rock" 3

Grupo AC/DC : "...vou levar-te ao inferno...Satanás vai te pegar..." 4

Jimmy Pace : Guitarrista e declarado adorador de Satanás. Dono da maior rede de livrarias de ocultismo da Inglaterra 5

Mick Jagger : Produziu o filme: "Invocação ao meu irmão demônio"5

Ozzy Osbourne : "Minha transa com o demônio é teatral" 6

Em 1985, a repórter Glória Maria da Rede Globo, entrevistou um jovem participante do Rock in Rio, perguntando sobre o significado do sinal dos metaleiros (mão encolhida exceto os dedos mínimo e polegar). A resposta veio direta: "É o sinal de Satanás, nosso pai!" A repórter assustada replicou: "E Deus?". Ao que prontamente foi respondido: "O rock é nosso deus, ele nos dá saúde alegria, energia!" 7

O rock é a música da imoralidade sexual.
Não é segredo para ninguém que o sexo promíscuo é o tema principal do rock. Vejamos os fatos e depoimentos:

Debbie Harry : Este roqueiro do grupo Blondie declarou: "Rock`n Roll é tudo sexo - cem por cento" 8

Janis Joplin: Envolvida com drogas, lésbica e sofrendo de gonorréia, morreu na 6ª tentativa de suicídio 9

Grupo KISS: "Nós somos homossexuais" 10

Cazuza: "Transo. Com homem, com mulher, não tem o menor problema"11

Frank Zappa: "A música Rock é sexo. O ritmo grande encaixa-se com os ritmos do corpo"12

"Os Beatles disseram que podiam levar uma moça a fazer o que eles queriam após 10 minutos (de show) "13 Não é difícil notar esta realidade e disposição na fisionomia das moças nas platéias. São gritos histéricos, desmaios, falta de pudor e nudez. Uma triste promiscuidade e rebaixamento da dignidade da mulher, tudo fruto da exposição à música do Diabo. Porque este profundo desequilíbrio emocional e sexual? Veja a declaração de um criminoso: "Eu podia fazer qualquer coisa enquanto ouvia a música rock na minha mente. Ela fez tudo fácil" 14 Sem as barreiras da consciência e da moral, o pecado inflamado pelo Diabo corre mais solto. É uma possessão demoníaca!

O rock é a música da dependência química:
É uma DROGA.

O corpo humano é uma usina química. Os neurônios se comunicam através de descargas elétricas e descargas químicas. Neurologistas ficam assombrados com a complexidade do cérebro. Pois bem, pesquisas feitas com viciados na música rock revelam que durante a exposição ao som, as vítimas lançam involuntariamente na corrente sangüínea, substâncias que também são encontradas nas drogas! Um roqueiro chamado Frank Zappa com propriedade declarou: "Você pode receber o mesmo efeito da música que de drogas..." 15

Bob Lear do grupo "Grateful Dead" disse: "Esqueça as drogas, podemos começar a fazer você voar com a música somente" 16

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

O rock não é aceito por Deus na adoração
No Velho Testamento encontramos a primeira manifestação do rock na história em Amós 5:23 : "Afasta de mim o estrépito dos teus cântico, por que não ouvirei as melodias das tuas violas."

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

PREGADORES, IGREJAS E PAIS DEVEM SE POSICIONAR CONTRA A MÚSICA DE SATANÁS NA IGREJA DO SENHOR.

Pais, líderes e pastores que permitem os jovens, adolescentes e crentes em geral, a se exporem à música do inferno na igreja, estão sendo coniventes e omissos, contribuindo para uma rebelião contra Deus e contra o testemunho cristão. Os péssimos exemplos no mundo "gospel" estão aí. Este é certamente um passo para a perda de controle do comportamento saudável e queda na imoralidade. Pregadores e igrejas que são coniventes, esperando alcançar mais jovens e não ofendê-los, estão na verdade lutando contra Deus e semeando uma apostasia sem retorno. No embalo da apostasia atual, Satanás vendeu uma palavra macia para enganar os ingênuos. É a música "contemporânea". Nos levantemos pela verdade e pelo direito, não importando o preço! Acreditamos que o jovem crente genuíno, quando ensinado sobre a verdade, vai rejeitar a música rock. Ele vai querer ouvir e cantar a música de Deus. Cristãos informados e sérios não vão querer se identificar com o lixo musical do mundo que é próprio dos ímpios, drogados, cultuadores de demônios, adúlteros e fornicários. É tudo isso que o rock prega e simboliza.

A música NÃO é neutra. Ela por si só tem uma mensagem. A música rock, se originou no paganismo vudu e na feitiçaria oriundas das religiões demonistas da África 17. Suas repetições e manifestações rítmicas são as mesmas. O rock excita a carne, o sexo ilícito e o culto aos demônios. A música de Deus ao contrário, alimenta o espírito, eleva a alma e é aceita por Deus. Rejeitemos o rock e expulsemos das nossas igrejas a sua parafernália instrumental, com bateria, baixo eletrônico, guitarra e aparatos afins, lançando-os de volta para o lugar de onde nunca deveriam ter saído: o mundo ímpio. "Sabe porém isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te." (2 Tim. 3:1-5)

"E não comuniqueis com as obras as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as..." (Ef.5:11), "...para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa..." ( Fil 2:15)!

NÃO SIRVA O PÃO DA VIDA NO PRATO DE SATANÁS !

José Pedro Monteiro de Almeida

1 Letra da música "God Gave Rock and Roll to You", LP "Beat The System"

2 Letra da música "O Rock do Diabo"

3 "Occultic Tendencies In Rock Music", David Benoit

4 Letra da música "Hell‘s Bells" do grupo de rock AC/DC

5 "Desmascarando o Rock", artigo, Rollando de Nassau

6 " O rock fala do rock", artigo da Revista Manchete nº 1.711, págs 25 e 26

7 "Os Perigos Traiçoeiros do Rock", Dan. D. Johnson, Imprensa Batista Regular

8 "Principles from God’s Word...", David Hilderbrand

9 "Ravages of Rock and Roll Music", Nathan Blackwell

10 "Som Incerto", Orivaldo Pimentel Lopes, mensagem na 1ª Igreja Batista da Penha, RJ

11 "20 Perguntas para o Barão Vermelho", Mônica Figueiredo

12 "Rock and the Church", Bob Larson, pág 11

13 "Rock, Drogas e Dança", Don Leaf, Mensagem em Limeira - SP

14 "The Big Beat – A Rock Blast", Frank Garlock, Bob Jones University Press

15 Artigo da revista Life, 1968

16 "Rock’n Roll, a música do Inferno", Livreto, Pr. José Infante Jr.

17 "Is There Connection Between Rock Music and Voodoo..?", Artigo, Pr. David Cloud.

Luciano disse...

Bom, vamos lá, de novo. Está difícil resistir e parar.
"DEFENDENDO A FÉ..."
O nosso problema aqui é de argumentação.
Você, indubitavelmente, acredita que o rock é satânico. Isso ficou claro há muito.
No entanto, os fundamentos para essa sua crença não são lógicos.
Vamos ver seus comentários anteriores:
- o site que você indicou no seu comentário de 15/02/2011 fundamenta a afirmação de que o rock é satânico no comportamento de alguns rockeiros; esse argumento é falho porque o forró e o sertanejo, ritmos que você tolera nas igrejas, também podem, e certamente têm, entre seus cantores adeptos do satanismo; o mesmo para os compositores de música orquestrada, que você gostaria de ver como o único ritmo dentro das igrejas;
- "Deus não aceita o rock" - é a sua afirmação, não a de Deus, a menos que Ele tenha expressado essa Sua opinião de alguma forma que você ainda não mencionou;
- "Digam o que quiserem dizer" - é a frase que antecede a supra referida no mesmo comentário, e que traduz um posicionamento dogmático que não aceita argumentos contrários; se não importa o que eu disser aqui, então me pergunto, o que é que estamos fazendo aqui? Não sou "o lógico", mas, ao contrário, o que eu disse no início da nossa conversa - e o disse com sinceridade - é que eu queria ser convencido de ouvir rock gospel não agrade ao Senhor
- você não conceituou o louvor santo na casa de Deus, como eu lhe pedi um pouco acima, então eu não sei o que você acha que o rock está destruindo, porque não sei o que é louvor santo na casa de Deus na sua opinião;
- você alude a estúdios de black-metal no inferno - bom, nem sei como aludir a essa referência sua; poderíamos pensar também em estúdios de forró ou de sertanejo no inferno? bom, também não importa, porque esses ritmos você tolera;
- entre a afirmação dos componentes do grupo de rock gospel Petra - que, até que se prove o contrário, são irmãos nossos (sei que você vai negar isso, mas vamos adiante) - a afirmação do Raul Seixas e a de pessoas ligadas ao satanismo, você fica com esta e rejeita aquela; eu ainda prefiro a opinião de evangélicos à de satanistas;
- "O rock é a música da adoração ao Diabo." - NÃO, NÃO É, porque quando eu ouço a música de Heloísa Rosa, ou do Casting Crowns, ou mesmo do André Valadão ou do Kleber Lucas eu NÃO estou adorando o diabo, mas eu estou exaltando o nome do Senhor e a Sua soberania sobre a minha vida; se outro usa o mesmo ritmo para adorar o diabo, não é meu problema, como não é meu problema se o umbandista usa pipoca na encruzilhada como "comida de santo", porque eu como pipoca assistindo a um bom filme ou em uma reunião de família, sentado com meus filhos, e é uma delícia, e eu não estou ofertando nada a nenhum "santo";
- "pesquisas feitas com viciados na música rock" - viciados em qualquer coisa são um problema, então não se pode usar qualquer comportamento de viciados seja no que for como padrão de avaliação do objeto do vício em si; se eu tomo muito café, a ponto de ficar com dor de cabeça quando não o tomo logo pela manhã, há substâncias em minha corrente sanguínea que são estimulantes, e O CAFÉ NÃO É SATÂNICO; então, isso não é argumento válido para a sua tese;
(CONTINUA)

Luciano disse...

(CONTINUAÇÃO)
- Am 5:23 - nos vv. 21 e 22 do mesmo capítulo a Palavra menciona festas, assembléias solenes, holocaustos, ofertas de manjares, ofertas pacíficas de animais cevados, tudo que seria rejeitado pelo Senhor por causa do coração daqueles que praticam essas coisas diante dEle, e não por causa das coisas em si, senão não poderíamos mais festejar, reunir-nos em assembléias solenes, ofertar na casa do Senhor; agora, dizer que ali se refere a Palavra ao rock - MEU DEUS!!!! - na ARA o texto se refere à "melodia das liras", em vez das "violas" que você transcreveu, então, se você usar esse texto contra a modinha-gospel, vá lá, mas contra o rock, foi um pouquinho de forçação de barra exegética, para dizer o mínimo;
- o texto que você transcreve na sua última mensagem, de autoria de José Pedro, com todo o respeito a você e a ele, vai no mesmo caminho do problema de argumentação que falei no início - é sempre na linha do "isso é isso porque é isso e pronto", e aí você desfia uma multidão de versículos que aludem a coisas desagradáveis a Deus como se tivessem sido escritos para fundamentar a sua crítica a determinada coisa, no caso, o rock; mas, se o prato de satanás referido no final é o rock, que é satânico, segundo a sua opinião, porque é mundano, então porque é que se pode servir no prato chamado forró, ou naquele chamado sertanejo, ou no chamado orquestrado, já que todos são, em sua origem, mundanos também?
Se a pessoa a quem você prega esse tipo de opinião, por algum motivo, tem em você uma pessoa especial, ela vai passar a aceitar que o rock é satânico porque você está dizendo, e aí tudo o que você disse vai fazer sentido - até mesmo o fato de você tolerar o forró e o sertanejo que são mundanos, mas rejeitar o rock porque é mundano (percebe a falta de lógica que falei acima?).
Mas... se a pessoa a quem você fala não tem em você alguém especial, mas um interlocutor como qualquer outro, e se essa pessoa requerer de você algo mais do que o "isso é isso porque é isso e pronto", aí você tem um problema.
A minha palavra para você, se você ainda quer alguma de mim, não só na questão do rock, mas em tudo, é que nós vivemos num mundo argumentativo e lógico, onde as pessoas querem saber o porquê das coisas, e se o Espírito Santo quer usar alguém para que um ímpio seja convencido do pecado, então, esse alguém - eu, você, o pastor, o irmão que dá aulas na EBD - deve procurar saber os porquês daquilo que está pregando. É claro que não é o argumento que convence o homem do pecado, é o Espírito Santo, mas a falta de argumento é o que faz com que tantas e tantas pessoas ainda olhem para nós como doidos fanáticos que acreditam em tudo o que os pastores falam, o que não acontece, por exemplo, quando um Augustus Nicodemus, um Franklin Ferreira, ou um John Piper assumem a cátedra à frente de uma platéia - os ouvintes podem até discordar de seus argumentos, mas não podem dizer que eles não sejam coerentes em suas crenças e seus fundamentos.
Então, agora é sério, vou parar com esse debate, pedindo ao Senhor que nos dê entendimento da Sua Palavra, do Seu projeto de salvação para o homem e capacidade para expressar tudo isso dentro das leis da lógica e da boa argumentação, a fim de que o nome dEle seja glorificado através das nossas vidas.
A paz do Senhor Jesus.

Anônimo disse...

Eu sou baterista, "nascido na igreja"(grande lixo, conheci Deus na juventude), conheço louvores que provavelmente são de antes de vocês nascerem, e faço a seguinte argumentação(ou chamem do que quiserem), por algum acaso adorar a Deus é sobre estilo de música?, instrumento tocado?, letras de músicas?

em espirito e em verdade

amiguinho, Deus é espirito, e O importa que O adorem em espirito e em verdade