domingo, 24 de abril de 2011

Edificação- a palavra essencial do culto!

Por que Paulo fala de amor (I Co 13) entre dois capítulos sobre dons espirituais (I Co 12 e 14)? Ora, o dons espirituais sem amor é uma grande tragédia. Os três capítulos falam de um só assunto: a edificação do Corpo de Cristo. O teólogo Donald Gee lembrava:


Cometeríamos pouquíssimos erros com relação aos dons espirituais se fôssemos sempre controlados, acima de tudo, por uma paixão pelas almas- pelos "outros". Não é a obra do Espírito Santo nas reuniões evangelísticas que precisamos temer. Ele nunca irá direcionar uma alma para fora do Evangelho, quer durante o prólogo, a pregação ou o apelo. É a obra do nosso próprio espírito que precisa de tal vigilância. E essa vigilância deve ser redobrada em cultos evangélicos, lembrando-se de que a salvação das almas é que está em jogo. Um erro nesse momento pode ser fatal. É melhor errar na repressão pessoal, ainda que erremos totalmente. O Espírito provavelmente não ficará muito entristecido se o nosso motivo foi o cuidado para não impedir a redenção daquela alma por Cristo. Cada parte de um culto evangelístico é a melhor vivida por aqueles que tiveram experiência e que têm provado conhecer a mente do Espírito. [GEE, 2006, p 110]


Portanto, é triste todas as igrejas pentecostais que desprezam as normas de uso dos dons copiladas em I Co 14. Muitas igrejas rasgaram esse texto em suas mentes. Todo não-crente fica escandalizado com cenas bizarras de alguns cultos e, pior, atribuídas ao próprio Espírito Santo. "Assim, se toda a igreja se reunir e todos falarem em línguas, e entrarem alguns não instruídos ou descrentes não dirão que vocês estão loucos?", perguntou Paulo (I Co 14. 23). Infelizmente, igrejas imaturas que não pensam na edificação dos ouvintes sempre acaba na carnalidade do exibicionismo. Onde está a edificação motivada pelo amor? A vaidade motivada pelo orgulho só deseja exibição e esquece da edificação.

4 comentários:

alvaro disse...

meu caro irmão,realmente precisamos voltar para a biblia e analisar a nossa forma de cristianismo,pois como está vamos somente afastar as ovelhas .

Charles Maciel Vieira disse...

Paulo, apostolo, não narra um acontecimento, apresenta ensinamento/doutrina biblica. narrativa é secundario, mas doutrina é primario, então devemos enveredar-mos pela obediencia ao ensinamento Paulino.

Gostei de su Blog, Deus te bendiga.


Pr.Charles Maciel Vieira
http://palavraeteologia.blogspot.com

Gilson Barbosa disse...

Meu amado, concordo 100% com o assunto da sua postagem.

Sou pentecostal, mas entendo que não obedecemos seriamente as recomendações de Paulo em I Coríntios 14, sobre o uso das línguas no culto e dons do Espírito Santo. Acima de tudo, o que percebemos é uma omissão ou negligencia do amor, sobre os dons.

Postei em meu blog (www.pbteologil.blogspost.com) um artigo muito interessante sobre isso.

abraço, Deus continue o usando.

Em Cristo,

Diego disse...

É como disse Abraham Kuyper;

Considerar que os dons espirituais têm o mero objetivo de adornar e
beneficiar a pessoa que os tem, seria tão absurdo quanto dizer: "Eu
acendo o fogo não para esquentar a sala, mas para esquentar a
lareira".