domingo, 24 de julho de 2011

O perigoso clima belicoso entre grupos homossexuais e grupos evangélicos

A PLC 122/2006 é uma lei que precisa de reformas. Ao mesmo tempo que os homossexuais precisam de proteção, aliás, todos nós precisamos, não é possível criminalizar alguém pelas suas opiniões. A Constituição garante liberdade de expressão e de crença. Vivemos em democracia. Ponto. Agora, a democracia também é a proteção das minorias. Não é possível ignorar o crescimento de grupos neonazistas que aterrorizam homossexuais nas ruas das grandes cidades. Esses mesmos grupos perseguem negros, ciganos e nordestinos. Indivíduos perigosos como esses devem receber pena maior do que a levíssima legislação brasileira permite até hoje.

Não há nada de errado na preocupação de grupos evangélicos com a liberdade de expressão ameaçada pela PLC 122/2006. A lei é defendida por partidos e parlamentares sem nenhuma simpatia ideológica pela democracia liberal e representativa. A correção política, ou seja, a “polícia das ideias” de George Orwell é, de fato, uma ameaça ao Estado Democrático de Direito. Essas observações são sempre necessárias. A liberdade é um valor que o protestantismo sempre deve defender.

Mas é preocupante o clima belicoso entre militantes gays e grupos evangélicos. O debate simplesmente morreu. Recentemente, em um dos poucos momentos em que escreveu sem contar piadas, o humorista José Simão, que é homossexual assumindo, perguntou na sua coluna na Folha de S. Paulo aos parlamentares evangélicos sobre o caso do pai e filho que apanharam de um grupo por serem confundidos como um casal gay. Por acaso os violentos rapazes homofóbicos eram evangélicos saindo de um culto munidos de Bíblias? É claro que não. Mas a culpa recai logo sobre os evangélicos. Isso está ficando muito sério.

A igreja evangélica sempre teve dificuldades de receber os raros homossexuais que buscam a igreja para ouvir a mensagem do Evangelho. Com o clima belicoso essa cena ficará ainda mais rara. Enquanto os evangélicos falam da “mordaça gay” os gays falam em “fundamentalistas retrógrados homofóbicos”. Quando dois se bicam não há como conversar. Vamos mudar isso?

5 comentários:

ClickOk disse...

Gutierres, a briga não é evangelicos contra homossexuais, mas sim evangélicos contra MILITÂNCIAS GAYS. Homossexuais em geral não sãs "perigosos", nem pretender ganhar direitos às custas da liberdade dos outros. Fora essa observação, post excelente!

Aprendiz disse...

Os evangélicos não tem nada a ver com o clima belicoso. Só se irritaram porque a militância gay os ameaçou lançar na cadeia (e já começaram).

E finalmente, esse projeto de lei não precisa ser reformado, precisa ser jogado no lixo. A lei brasileira pune todo tipo de agressão. Nossa estupidez ibérica nos ensina que quando as leis que temos não funcionam, precisam ser escritas mais leis. Mas isso é o contrário da realidade. Somos talvez o país, em tempos de "paz", mas violento do mundo. mais de 50.000 mortes por ano. E somos um dos países com mais leis, normas e regulamentos do mundo. Se formos trouxas, "eles" vão roubar toda nossa liberdade, pedaço por pedaço, a pretexto de "resolver" nossos problemas. O primeiro passo para manter a liberdade, é não acreditar nas "boas intenções" de quem na verdade quer destrui-la.

Poucas e boas leis é só isso que é necessário. Leis injustas, que criminalizam a opinião não são parte da solução, são parte do problema. Eu sei de que lado estou nessa luta pela liberdade, e todos os evangélicos deveriam saber também.

Anônimo disse...

como teóloga e membro de Igrejas evangélicas a mais de 3 décadas, peço permissão para aqui expor um pequeno esclarecimento, quanto ao artigo expresso em relação aos homossexuais e a Igreja Evangélica. Posso dizer com certeza da experiência que possuo no mundo cristão que não existe clima belicoso entre eles.Porque a igreja não os trata com desprezo, ao contrário, a Igreja evangélica acolhe e trata com todo amor os Homossexuais, assim como trata qualquer outro cristão, apenas deixa claro a incostitucionalidade da prática de tais dentro da lei bíblia, e isso ela não pode fazer diferente, uma vez que tem que seguir a disciplina bíblica que é a lei de Deus.

João Emiliano Martins Neto disse...

A luta de classes marxista na sua feição quanto à preferência sexual das pessoas, está sendo instaurada em nosso Brasil brasileiro...

Que o Senhor repreenda!

remanecente disse...

irmão gutierres,já que vc falou da seriedade do assunto,exporei o que penso e acompanhei desde quando isso surgiu;e eu pergunto:o homoxessualismo existe desde quando?há muito tempo e até a data de hoje não vivenciamos tanta repercução por parte de nenhuma instituição;o mundo jáz no maliguino,esta legalização é o homem se embrutecendo ante a face de Deus,tanto os homoxessuais quanto os legisladores que na verdade são impios;e o erro dessa minoria de evangélicos foi injustamente querer empedir o pecado dos outros,coisa que nem mesmo o próprio Deus faz!,para mim eles tentam usurpar a gloria de Deus e querem resolver o assunto na força e violência de seus inteléctos induzindo uma massa inletrada ao erro;de forma a não ter solução!.