terça-feira, 9 de agosto de 2011

Não sejamos exagerados


Não esqueço de um artigo que li há mais de três ou quatro anos em uma revista cristã. No texto, o autor dizia que não ouvia música evangélica, pois não “enxergava” qualidade em nenhuma delas. Baita exagero! Nenhuma música de qualidade? Quero acreditar que foi uma infeliz força de expressão.

Que há muita música evangélica péssima, isso é um fato. Mas não são todas. Há muita música boa também! Como falar que “Aclame ao Senhor” ou “Amigo de Deus” sejam canções ruins? É claro que é trágico ouvir um “Sabor de Mel”, mas nem só de triunfalismo vingativo vive a música cristã. Graças ao bom Deus!

Lendo alguns textos apologéticos é comum observar expressões exagerados. Eu mesmo já exagerei em muitas análises com um excesso de pessimismo. Mas devemos tomar cuidado. Como blogueiros somos “formadores de opinião”, mesmo que em escala pequena, mas o nosso exagero pode jogar a água suja com o bebê junto, só para usar essa imagem clichê.

Eu lembro de uma entrevista que li em 2003. Na entrevista, o teólogo dizia que o evangelicalismo brasileiro iria morrer pela suas próprias características esquizofrênicas. Por mais que o nosso evangelicalismo seja composto por inúmeros problemas, vejo que decretar sua morte é muito exagero. Os sinais vitais desse ramo do cristianismo continuam bem.

Os otimistas exagerados

Há o outro lado. Há muita gente otimista (até demais) no meio evangélico. Exemplos? Inúmeros. Onde está o celeiro missionário brasileiro que tantos previram na década de 1990? O Brasil virou uma nação cristã? O Brasil não virou e nunca será uma nação cristã evangélica, por mais que tenha uma maioria que assim se declara no censo. Aliás, o conceito de “nação cristã” é um mito que jamais existiu na história.


Bom, vou parar por aqui para não exagerar!

2 comentários:

Alliadoo disse...

Gutierres, oxalá que todos os pentecostais tivessem a sua sobriedade!

Que Deus lhe sustente de pé na Sua seara!!!

Luciano de Paula Lourenço disse...

"O Brasil não virou e nunca será uma nação cristã evangélica...". Concordo com você! Não há nenhum respaldo bíblico que sustente esse triunfalismo ignóbil. A Bíblia só sustenta esse fato para Israel, mas somente por ocasião do milênio, cujo governo será plenamente teocrático.
Luciano Lourenço