sábado, 17 de março de 2012

Lição 12 - O propósito da verdadeira prosperidade

Subsídio preparado pela equipe de educação da CPAD

VIDA COMPARTILHADA


Por Cheryl Bridges Johns e Vardaman W.White

Snyder descreve a vida compartilhada como “passar tempo juntos” e diz que “tal vida encontra seu real significado no equilíbrio da adoração, nutrimento e testemunho compartilhados”. Talvez na expressão “vida compartilhada” esteja o significado encapsulado da koinonia. “Compartilhado” implica pluralidade; deve haver mais de um para compartilhar. “Vida” é singular. As vidas não são tanto compartilhadas quanto a vida é compartilhada. Koinonia é uma unidade orgânica composta de muitas pessoas. As pessoas testemunham com o objetivo de edificação, adoram juntas, participam de uma essência, buscam uma experiência, contam a mesma história, olham para o mesmo futuro, professam a mesma esperança. Compartilham da única vida. Contudo, as pessoas permanecem distintas, trazendo suas próprias histórias para uma história, trazendo suas próprias características para uma essência.

Tanto o concerto quanto a vida compartilhada fornecem integridade. Para McClendon, integridade “significa a sociedade não apoiada principalmente em mentiras; significa oportunidade para a educação que nutre a sinceridade da mente, o exame crítico das crenças atuais, maneiras coerentes ou integrantes de pensamento para cada um consistente com o próximo item a seguir, a liberdade espiritual plena”. Para que a integridade seja nutrida, os indivíduos têm de se comprometer mutuamente e compartilhar suas vidas uns com os outros.

Tal compromisso e compartilhamento também conduzem à lealdade. Lealdade não é obediência cega ou confiança ingênua, mas fidelidade crítica originada da veracidade comprovada na prova. Hauerwas escreve: “Nenhuma sociedade pode ser justa ou boa se tiver sido construída na falsidade. A primeira tarefa ética social cristã é [...] ajudar o povo cristão a formar sua comunidade consistente com sua convicção de que a história de Cristo é um relato verdadeiro de nossa existência”. Os indivíduos são leais uns aos outros e a Deus quando sabem que sua comunidade está baseada no que é verdadeiro e que suas crenças são verdadeiras.

A integridade e a lealdade são, então, recíprocas. O cristão e a comunidade têm integridade e tornam-se leais sendo verdadeiros à historia de Cristo; Deus tem integridade e demonstra lealdade fornecendo uma história que é verdadeira.

Texto extraído da obra “Panorama do Pensamento Cristão”, editada pela CPAD.

Nenhum comentário: