sábado, 9 de junho de 2012

Lição 11- O Evangelho do Reino no Império do Mal

Os 144 mil. O que representaria?
Por Gutierres Fernandes Siqueira

Texto preparado para aula na Escola Dominical da Assembleia de Deus no Jardim das Pedras (São Paulo- SP)

Vejamos os dois principais temas da lição desse domingo na perspectiva pré-milenista (adotada pela revista) e amilenista.

 

Quem são os 144 mil?


Visão pré-milenistaVisão amilenista
São judeus que se converterão a Cristo logo após o arrebatamento da igreja. Esse grupo precederá a conversão nacional de Israel. O evento da conversão dos judeus se dará no final da Grande TribulaçãoSignifica a Igreja em todos os tempos. A igreja redimida pelo sangue do Cordeiro e composta de judeus e gentios (não-judeus). O simbolismo do número 144 mil se refere a “totalidade” e não a um grupo separado [1].


Visão sectária- Segundo o Corpo Governante da organização sectária Testemunhas de Jeová, os 144 mil de Apocalipse 7 e 14 indicam o número exato daqueles mais fiéis dentro da organização que irão morar no céu. Mas em uma edição da revista Sentinela [maio de 2007] o número de “vagas no céu” teria aumentado [2]. Essa ideia é conhecida como a doutrina da “classe da grande multidão”. O grande problema da interpretação dessa seita é a sustentação do seu exclusivismo. Ninguém, não sendo um membro da organização, fará parte dessa multidão de 144 mil. O exclusivismo é um traço marcante de uma organização sectária e perigosa.



Quem são as duas testemunhas?

Visão pré-milenistaVisão amilenista
Dois profetas que proclamarão o Evangelho no período da Grande Tribulação.Representa a Igreja, em todos os tempos, em sua tarefa de evangelização e testemunho do Evangelho.



Notas:

[1] “Não é difícil entender o número de 12 x 12.000. Como é costume no Apocalipse, o número é simbólico e afirma que todo o povo de Deus será guiado com segurança através da tribulação; nem um só se perderá”. LADD, George. Apocalipse. Introdução e Comentário. 1 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 1980. p 88.

[2] SOARES, Esequias. Respostas Às Testemunhas de Jeová. 1 ed. São Paulo: Editora Candeia, 2009. p 172.

Um comentário:

Célio de Castro disse...

Gutierres, ministrarei na EBD uma aula sobre os 144 mil, utilizando a revista da Editora Central Gospel, e parece complicado fazer algumas afirmações sobre esse número a partir da perspectiva pré-milenista dispensacionalista. O fato de os mesmos serem mensageiros durante a grande tribulação parece ser uma afirmação muito mais por inferência do que por base bíblica. Te confesso que essa abordagem da revista da CPAD é bem mais facilitadora no aspecto didático, pois utilizar uma aula toda para falar sobre os 144 mil e seu papel na grande tribulação pode levar-nos a um terreno arenoso, já que o assunto é de certa forma polêmico.