segunda-feira, 23 de julho de 2012

O farisaísmo moderno

Por Gutierres Fernandes Siqueira

O tempo passa, mas a essência farisaica continua.

No púlpito de uma grande igreja paulistana eu ouvi duas coisas que expressam a essência do farisaísmo moderno. Certa vez estavam condenando a aclamação com palmas durante o louvor. Informaram para a igreja que tal prática não se "presta aos nossos costumes". Aliás, ao nosso "sacrossanto costume"! Mas, no último sábado, estavam usando o mesmo púlpito para uma propaganda política entusiasmada. 

Em que o culto ao Senhor pode ser atrapalhado com a aclamação produzida pelas palmas? Bom, o "puritanismo penteca legalista de meia-tigela" acha um grave desvio, mas não vê problemas no uso do culto a Deus para promover um candidato que seja ligado à família eclesiástica. É o farisaísmo moderno, mas com a arcaica essência que "coa o mosquito, mas engole o camelo".

Bater palmas? Não pode! Distribuir "santinhos" em louvor a um candidato simplesmente pode! O culto a Deus pode ser interrompido para a promoção de um nome político? Ora, por que vamos apoiar o "candidato da nossa igreja"? Ora, mas quem o elegeu representante da nossa igreja? Onde teve o concílio para tal decisão? Ou será que foi mera escolha de um cacique político-eclesiástico? E o que tudo isso tem com o Reino de Deus?

3 comentários:

Marcos Wimmer disse...

Gutierres, é muito triste e revoltante nos depararmos com essas situações. Esses legalistas infames e hipócritas não enxergam um palmo a frente do nariz.

Tais pessoas, vulgos "homens de Deus" envergonham o evangelho e minam a fé de muitos irmãos, inclusive este que desabafa.

Teffi disse...

Ótimo texto e ótima percepção! E as palavras de Jesus continuam mais atuais do que nunca: "São cegos!"

Lar da Escriturária, clique aqui.

Anônimo disse...

Saudações em Cristo!, esse é mais um triste capítulo de nossa históri. Concordo com seu texto em gênero, número e grau.
O pentecostal desinformado coa um mosquito e engole um camela. Na congregação que faço parte já ouvi cada besteira no culto de ensino, que dá até vergonha de dizer aqui.

Abraços no amor de Cristo - Pb. João Eduardo Silva - AD Min. Belém - setor 11.