quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Seria a "esperança cristã" um impeditivo a ação social?

"A esperança cristã é muito depreciada nos dias de hoje. Ela está em desacordo com o orgulho humana de nossa cultura sofisticada e materialista. Nossa esperança provoca ressentimento. Os marxistas se opõem a ela porque acham que a esperança celestial (enganosa, segundo eles) conduz à passividade e impede as massas de agirem revolucionariamente em prol da transformações sociais. Alguns conselheiros psicólogos são contra a esperança cristã porque a veem como forma de escapismo que impede as pessoas de verem a realidade. Mas a verdade é que a esperança cristã, em virtude do seu objeto (o que ela espera, que é a generosidade de Deus garantida e sem fim), produz amor, alegria, zelo, iniciativa e ação devotada, de modo que, como disse C. S. Lewis, aqueles que mais fizeram pelo presente mundo foram aqueles que mais pensavam no outro". [James I. Packer]


fonte: PACKER, James. Nunca Perca a Esperança. 1 ed. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2002. p 11.

Um comentário:

Marcos Bandeira disse...

A Esperança Cristã não impede a ação social por parte dos cristãos. Na minha opinião existem duas coisas que nos impedem de sermos ativos na sociedade:

1) Escatologia ensinada pela metade: todo mundo quer saber quem é o anti-cristo, a besta do Apocalipse, o que significa o 666, se o milênio é literal ou simbólico, se Jesus volta antes ou depois do Milênio, etc. Ok. Nada de errado nisso. Mas a pergunta é: qual é o impacto que o estudo das coisas FUTURAS deve causar no meu PRESENTE? Se esse estudo não me levar a ser um cristão melhor, mais piedoso, a aprofundar meu amor para com Deus e o próximo isso não passa de satifação da curiosidade e uma interminável fonte de debates. É como disse Pedro: "Visto que tudo será assim desfeito, que tipo de pessoas é necessário que vocês sejam? Vivam de maneira SANTA e PIEDOSA esperando o dia de Deus" (2 Pedro 3:11-12, NVI).

2) A má influência da Teologia (teologia?) da Prosperidade (seria melhor da Ganância): uma teologia que ensina o povo a pensar só na "vitória" individual e nas coisas da terra e a conquistar, conquistar, conquistar e conquistar nunca vai levar ninguém a pensar no próximo e na sociedade como um todo.

Paz do Senhor!