terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Santa Maria e o pecado da moralização!

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Eu particularmente não vi, mas muitos relataram que alguns evangélicos estavam postando nas redes sociais bobagens sobre a tragédia na boate Kiss de Santa Maria (RS). Uns diziam que se os jovens tivessem na igreja eles estariam vivos. Outros diziam que a tragédia é a manifestação da ira de Deus sobre a sociedade permissiva. É caso para chorar!

Deus sabe o quanto fiquei triste com essa tragédia. Cada rosto despertou em mim um sentimento de luto. Aquele jovem poderia ser um parente meu, quem sabe um irmão ou um primo. Ora, poderia ser um grande amigo ou um colega de faculdade. Números em tragédias são impessoais, mas rostos não! Dei graças a Deus que a minha congregação levantou um clamor pelo consolo das famílias. Infelizmente, em muitas tragédias a igreja esquece de orar, enquanto se apressa em explicar.

Mas por que esses evangélicos falaram besteiras? Em setembro de 2009, a jovem Gabriela Lacerda, 15 anos, morreu. Na balada? Não, ela morreu porque foi ao culto. Lacerda era uma das vítimas do desabamento do teto da Igreja Renascer em Cristo em São Paulo (SP). Em 1998, 25 pessoas morreram dentro de um templo da Igreja Universal em Osasco (SP). Se elas estivessem em suas casas não teriam morrido. Então, se você abriu a boca para falar “se eles tivessem na igreja estariam vivos” lembre, também, os templos sem manutenção provocam acidentes. A maioria de nós congregamos em templos sem nenhuma segurança. Sim, talvez você e eu corramos o mesmo perigo daqueles jovens. E há até igrejas que usam vereadores “evangélicos” para darem um “jeitinho” na prefeitura. Já pensou nisso?

O pecado da moralização

Todas as vezes que uso a expressão “eu avisei” ou “bem feito”, logo me sinto em pecado.  Desde cedo Deus me incomoda quando abro a boca para usar essas palavras. Jogar na cara de alguém o erro com certo prazer de “arauto eficaz” é iniquidade. Sim, é transgressão quando você diz “eu avisei” para jogar ao desobediente o seu prazer mórbido no desastre dele. Isso se chama vaidade. É orgulho, o orgulho dos fariseus. É o pecado da moralização.

Vamos falar do pecado alheio? Sim, é claro, mas com dor no coração. Quando Jesus profere um longo discurso sobre os pecados dos fariseus Ele encerra dizendo: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!” [Mateus 23.37]. Observe bem quanta lamentação, quanta dor no coração de Jesus com a incredulidade de Jerusalém. Se eu falo de pecado sem dor, eu peco. Motivo? Ora, estamos falando de seres humanos dos quais Cristo deu a Sua própria vida.

Portanto, nada dessas lições de moralismo de beato. Sejamos prudentes. Paulo disse a Tito: “Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados”. [Tt 2.6 ARF], mas alguns versículos antes ele também exortou: “Ensine os homens mais velhos a serem sóbrios, dignos de respeito, sensatos, e sadios na fé, no amor e na perseverança” [Tt 2.2]. Será sobriedade, sensatez, fé sadia falar “bem feito” para jovens mortos em uma tragédia? Será amor e respeito mostrar o seu poder moralizador no calor da tragédia?

Tragédia não é para moralizar, é para chorar. Ah, mas foi juízo divino, diriam alguns. Bom, você sabe? Você conhece todos os caminhos de Deus? O pastor que morre de bala perdida dentro de um templo foi fulminado pelo juízo? Ou você pensa que quando pecas continuamente e nada acontece se isso não é uma forma terrível de juízo divino? Quando um grande terremoto destruiu a católica Lisboa de 1755, matando milhares, alguns religiosos descobriram os culpados que atraíram a ira divina: os protestantes!


Mães choram em Santa Maria! (imagem: Veja.com)

Sinceramente, é triste ter que escrever um texto como esse diante de tanta bobagem dita por evangélicos na instrumentalização de uma tragédia. Encerro com as sábias palavras de Jesus:
“Naquela ocasião, alguns dos que estavam presentes contaram a Jesus que Pilatos misturara o sangue de alguns galileus com os sacrifícios deles.Jesus respondeu: "Vocês pensam que esses galileus eram mais pecadores que todos os outros, por terem sofrido dessa maneira? Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão. Ou vocês pensam que aqueles dezoito que morreram, quando caiu sobre eles a torre de Siloé, eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão". [Lucas 13.1-5 NVI]


15 comentários:

Anônimo disse...

Robson Jorge.

Um dos textos mais lúcidos sobre a tragédia de Santa Maria. Concordo inteiramente com você.

Wanderson Nascimento disse...

Gutierres,
Parabéns pelo texto cara, fico feliz de perceber que no pentecostalismo ainda há vozes tão sóbrias e equilibradas e biblicas

Infelizmente, tive uma grande decepção com o Pr Cro sanches
Kra..TU não vai acreditar, mas logo após a tragédia, ele fez uma associação por eles estarem na boate..eu discordei de maeira respeitosa do texto dele e fui bloqueado e meu comentário deletado. Depois fui pedir pra q ele explicasse isso, para isso: entrei no face da minha namorada e tudo que obtive foi o mesmo que ele fez com o meu perfil...Sinceramente, só tenho a lamentar

Pr. Genivaldo Tavares de Melo disse...

Ainda hoje, li uma postagem de quem não deveria escrever como o fez, obrigando-me a ocultar. Achei de muito mau gosto. Parabéns pois compartilho com você nessa linha de pensamento. Nem peço permissão para compartilhar seu texto na minha página.

Neemias Fagundes disse...

Importantíssima essa palavra!!

Gutierres Siqueira disse...

Uma palavrinha que deixei no Facebook:

Após 2004, infelizmente, o debate teológico deixou as tragédias ainda piores. De um lado, os teístas abertos dizem um montão de coisas sem nexo para defender um Deus sem divindade. Agora, do outro lado, há um monte de calvinista obcecado que não pode ver uma tragédia para reafirmar 8534 vezes que Deus é soberano.

Que o Senhor tenha paciência de nós!

Gilvan Albuquerque disse...

No mesmo dia da tragédia vi alguns evangélicos dizendo coisas do gênero. Confesso que fiquei perplexo. Infelizmente, a falta de “noção” atinge a toda sociedade. Concordo com tudo o que você disse.

Anônimo disse...

Nossa Gutierres muito obrigado por ter escrito esse texto,me seviu muito
Que Deus continue te usando com sábias palavras..um grande abraço


Anônimo disse...

Alan de Barros

Concordo contigo meu irmão!!!
É incrível, inconcebível e trágico, esse tipo de comportamento. Toda vez que ocorre uma tragédia, infelizmente surge os "representantes" do logos divino, achando realmente que o Senhor está inserido em tais discursos farisaicos e oportunistas. Como você disse, quem é o sujeito que conhece todos os pensamentos da Divindade? Sabe Gutierres...acho que esses cidadãos é que sondam o coração de Deus. Lamentável!!!
Um abraço e continue nos brindando com seus textos.

Anônimo disse...

Texto fantástico!

No arroubo, na ânsia de falar alguma coisa, de explicar tudo, alguns irmãs em cristo acabam até se contradizendo, falando heresias.

Já ouvi coisas sobre essa tragédia, que reduzem a salvação e essa é uma das poucas

Olha são tantos descalabros que dá vergonha.

Ass.: Izabel

Anônimo disse...

Amém, compartilho totalmente com a sua idéia, e ainda diria: "se hj Jesus voltasse, todos que estão na igreja iriam ao céu??" Acredito que não infelizmente. Por isso o juízo deixamos a Deus e apenas cumpriremos com o seu mandamento deixado; "amemos ao próximo como a nós mesmo". A paz
Betina Hardt

luciano milan disse...

Lucas 13:1-5
Naquela ocasião, alguns dos que estavam presentes contaram a Jesus que Pilatos misturara o sangue de alguns galileus com os sacrifícios deles.
Jesus respondeu: "Vocês pensam que esses galileus eram mais pecadores que todos os outros, por terem sofrido dessa maneira?
Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão.
Ou vocês pensam que aqueles dezoito que morreram, quando caiu sobre eles a torre de Siloé, eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém?
Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão"
Lucas 13:1-5 Quando da queda do torre de Siloé que matou dezoito desprevenidos cidadãos de Jerusalém. O Mestre esclarece que aqueles homens não eram mais nem menos pecadores que os outros que não morreram. O que aconteceu foi um imprevisto (pelos homens), como os terramotos, enxurradas, ciclones, naufrágios, tsunamis, etc..

Larissa Jansson disse...

Ai... Até que enfim leio algo com bom senso e sensibilidade em meio a tantos absurdos de muita gente que se diz cristã.

Sério mesmo, já estava sem esperança de ver algum cristão com amor nesta história toda.

Deus te abençoe e continue te iluminando muito. Muito obrigada por suas palavras, elas foram um lenitivo pra mim.

Sou cristã e é por causa de pessoas como você também - além de Deus, claro - que não entrego os pontos de vez, quando me sinto extremamente desanimada da igreja, religião e etc.

Cynthia disse...

Se fosse pecado morrer, os "evangélicos santos" seriam imortais...

João Emiliano Neto disse...

Cristãos pelo menos, por graça de Deus, um pouco mais devotos, acho que concordarão comigo. Pois, pregar a Palavra é uma obrigação quer seja conveniente ou não (2 Timóteo 4:2). Com paciência e de forma culta, mas é preciso evangelizar. De fato, se esses jovens não estivessem em um mesmo lugar de farra não teriam morrido. Se fossem diferentes dos velhos que ficam em asilos, não estariam mortos. Mas jovens são fracos como os idosos e quando são laçados normalmente perecem em bando.

Acho que esse é o amor e a consideração que um cristãos de longe mais ortodoxos, devem à humanidade: não se alegrar com a injustiça (1 Coríntios 13:6). Injustiça é estar à roda dos escarnecedores (Salmos 1:1) e em más conversações (1 Coríntios 15:33), afinal, ninguém vai à uma boate, bar ou similares para ler Bíblia, orar e bendizer a, por exemplo, inimigos. Amém?

Sola Scriptura!

Soli Deo gloria!



JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

Nágila Souza disse...

Realmente é uma vergonha o que a crentaiada santa (santa?)andou declarando ultimamente, eu já vou um pouco além, se com esse lamentavel ocorrido eles reagiram assim, como deve ser o dia a dia deles? O que pensam ser a salvação? Isso é muito grave e revela que a maioria dos evangélicos infelizmente não tem respaldo nenhum,mal meditam nas escrituras,e estão sendo levados pela massa, vivendo de aparência, mas são um bando de sepulcro caiados e carniceiros.Devemos exortar a esses incautos e declarar sem medo de cara feia a verdade, hoje estão relativizando tudo e querem templos cheios e mas não se preocupam tanto em expor a verdade. Carecemos das vozes dos atalaias.
Graça e Paz!
honrandoochamado.blogspot.com segue?