domingo, 12 de janeiro de 2014

Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos! Será?

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Reflexão a partir de Êxodo 3. 1-22

Na teologia popular é comum a exaltação da ignorância e da pobreza como dádiva divina, ou seja, Deus só se relaciona com quem, nesta terra, não desfrutou de nenhuma bonança ou privilégio [1]. Portanto, Deus jamais usa quem já tem qualificações físicas, intelectuais ou poder político e financeiro. Assim, certamente você já ouviu aquela frase de autoajuda onde “Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos”. Será? O certo é: tal doutrina é fruto de uma leitura bíblica rasa, muito rasa.

E Moisés? Sim, vocês conhecem a história de Moisés. Ele foi a prova viva que essa frase é simplesmente falsa. Em primeiro lugar, é evidente que Deus capacita os seus escolhidos. Ninguém está plenamente pronto para o serviço divino. Moisés também não estava. "Quem sou eu para apresentar-me ao faraó e tirar os israelitas do Egito?” (Êxodo 3.11), pergunta um homem titubeante diante do chamado de Deus. Mas Deus se colocou com Moisés. E o líder hebreu reconhece a sua fraqueza e necessidade.

Agora, Moisés era inegavelmente capacitado. Sim, Deus escolheu um homem capacitado. Antes do exílio do Egito ele era o neto adotivo do faraó. Logo, a preparação administrativa e intelectual permeou parte de sua infância, juventude e o começo de sua vida adulta.

Moisés estava se preparado para o império. A maioria dos estudiosos defende que o próprio nome dele é de origem egípcia e corresponde aos “nomes dos faraós da XVIII Dinastia, tais como Tutmés (ou Tutumósis) ou Amósis” [2]. Além disso, se especula que o mesmo estudou administração e técnicas de guerra, pois a educação era parte normal no crescimento dos príncipes egípcios. Estêvão, em seu longo sermão perante o Sinédrio, menciona que “Moisés foi educado em toda a sabedoria dos egípcios e veio a ser poderoso em palavras e obras” (Atos 7.22 NVI).

É inegável, portanto, que a capacitação humana não é desprezada por Deus. Não é e nunca foi. Sim, Deus usou pessoas sem grandes posses materiais e intelectuais. Sim, Ele usou o “vaqueiro” Amós e pescador Pedro. O próprio Cristo não veio como um grande líder religioso ou político, mas como um simples carpinteiro. Mas o mesmo Deus usou o versado Paulo, o apóstolo dos gentios, e Moisés, o quase faraó. E a capacitação desses homens em muito ajudou a formar o pensamento judaico-cristão e a heilsgeschichte, ou seja, a história da salvação . 

Logo, Deus usa capacitados e os aperfeiçoa, assim como usa os "não capacitados" com meios extraordinários.

Notas:

[1] Não é só na teologia popular ou no senso comum. Parte da academia protestante ligada à teologia liberal costuma exaltar o “desvalido” como o centro da teologia. Ideólogos, especialmente casados com a Teologia da Liberação, não só fazem uma doutrina cujo centro é o homem como consequentemente adotam posições para a exaltação desse objeto de estudo. A antropologia positiva, por exemplo, nega a realidade do “pecado original” como uma ideia conservadora e opressora.  O homem, como centro da teologia, é um ser de bondade inata e capaz de um progresso constante pelo desenvolvimento da ciência e do conhecimento. Esses teólogos parecem ignorar a experiência histórica do século 20.
[2] LASOR, William S., HUBBARD, David A. e BUSH, Frederic W. Introdução ao Antigo Testamento. 1 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 1999. p 70.

10 comentários:

VINDE E ARRAZOEMOS disse...

Amados do Senhor, eu gostaria de colocar meu ponto de vista. Continuo acreditando que Moisés foi escolhido em sua incapacidade. Deus o conduziu aos braços da filha de faraó, e fez isto por entre os crocodilos do Nilo. Deus o queria no palácio! Acredito que toda esta preparação política de Moisés adquirida nos palácios de faraó resulta do trabalhar de Deus em prol da preparação de Moisés. Note que Deus já vinha agindo na vida de Moisés desde seu nascimento. Todos conhecemos os detalhes. Agora, se levarmos em conta que a escolha de Moisés por Deus se deu naquele encontro em que a sarça ardeu em chamas, Aí sim, a gente pode realmente entender que “Deus escolhe capacitados”. Mas talvez aquele tenha sido apenas o momento do chamado, e não da escolha. Pensemos nisto.

Levi Costa disse...

Comentário muito equilibrado esse do Vinde e Arrazoemos. Foi muito preciso em sua colocação. Quanto ao poste em si, não deixa por menos, foi bem colocado também. Ambos se complementam. Shalon adonai.

Levi Costa disse...

Comentário muito equilibrado esse do Vinde e Arrazoemos. Foi muito preciso em sua colocação. Quanto ao poste em si, não deixa por menos, foi bem colocado também. Ambos se complementam. Shalon adonai.

Anônimo disse...

Colega "Vnde e arrazoemaos"

Nesee sentido você tem razão, mas note que não é nesse sentido que a frase é utilizada. Muitas vezes essa frase é utilizada para dar preferência às pessoas sem instrução (inclusive sem conhecimento da Bíblia) na obra do Senhor. E vemos que é comum nas nossas igrejas os pregadores meterem os pés pelas mãos, confundindo os significados dos textos. Já ouvi cada uma de arrepiar.

Diggs disse...

Senhores, imaginem que Deus me mande pro Japão sem saber nada.... o maximo que vou conseguir vai ser tentar apertar a mão de um japonês ou engolir uma de suas guloseimas não-cozidas...

Não deixemos de observar que José era perfeito para governar o Egito; assim como Moisés era perfeito para intervir a favor de Israel. Eles não precisavam aprender nada sobre o Egito... eles conheciam o Egito e seus costumes. Só precisavam de orientação sobre qual era a razão de estarem ali. Deus concedeu Arão como porta voz, porém Moisés era o líder da operação. Incapacitado?! Pensem nisso...

alvaro disse...

belo texto,to cansado de ouvir esta frase dos pastores da minha igreja!

luara a-ara disse...

Estou aqui de passagem,mas não posso sair sem deixar eu comentário... estava pesquisando a tal frase que o Sr. Gutierres acha que é de auto ajuda, mas na verdade é uma reflexão filosófica de ninguém mais do que Albert Einstein .Concordo com VINDE E ARRAZOEMOS, não tem nada a ver uma coisa com a outra e no segundo parágrafo o próprio autor confirma isso. Boa sorte com os estudos teológicos!Espero que que o moderador tenha a dignidade de aprovar.

Rinaldo Brasil disse...

Rinaldo;

É, tudo muito interessante ...
Aprendizado incrível !!!
Mas, mas ...
Quantos anos Moisés ficou no Egito ???
E, quantos anos ele ficou no deserto ?????
Aí, qual foi o momento em que ele estava pronto ( idade ) ????

PAREM = PENSEM = REFLITEM !

Amém !!!

A Paz do Senhor , amém Amados !

Jandsen Alves disse...

Gente! Quando einstein criou essa frase, ele não quis dizer que Deus apenas chama os incapazes. Na verdade essa frase é uma injeção motivacional para os que se afogam em um complexo de inferioridade. Em outras palavras ficaria: Deus te fez uma criatura perfeita, e Não importa quão frágil você é, busque, persevere no senhor e ele te fortalecerá.

Jandsen Alves disse...

Descordo quando usa a expressão "filosófica" para a frase de Einstein, ele era um grande cientista sim, porem um grande adorador e defensor dos principios cristãos, em uma de suas frases ele diz, "não há contradições entre ciência e religião, o que ha são cientistas que se limitam em ideias de 1880".