domingo, 14 de setembro de 2014

O dom de línguas é uma manifestação de êxtase?


Por Gutierres Fernandes Siqueira

Para responder a essa pergunta é necessário definir o que vem a ser êxtase na atualidade. Quase todas as palavras sofrem no decorrer do tempo alguma alteração referente ao sentido original. Este é mais um exemplo. O conceito contemporâneo de êxtase pode ser expresso como o "estado de quem se encontra como que transportado para fora de si e do mundo sensível, por efeito de exaltação mística ou de sentimentos muito intensos de alegria, prazer, admiração, temor reverente etc.”, como definido pelo Dicionário Houaiss. Embora, especialmente no grego bíblico, êxtase seja sinônimo de uma visão espiritual, mas sem a privação da racionalidade (At 10.10; 11.5; 22.17; Ap 1.10).

Em nenhum texto bíblico os dons espirituais são associados a ficar “fora de si”. Não há suspensão das faculdades mentais. Os dons, incluindo o falar em línguas, sempre é manifestado com plena consciência dos atos. Ficamos cheios do Espírito, mas não embriagados (Ef 5.18). A plenitude do Espírito não é a opressão da mente. “Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas” (1 Co 14.32) não é um texto solto, mas um princípio básico: nenhuma manifestação espiritual é feita à revelia da liberdade humana.

4 comentários:

Alan Alencar disse...

Irmão é "compreensivo" o seu texto, tendo em vista que vocês levam a termo a máxima de Lutero- Sola scriptura (somente a Escritura). Nós somos conscientes que não somos a Igreja apenas do livro, se bem que a Sagrada Escritura, organizada na sua forma atual, tanto evangélica como católica,foi feita por um católico, São Jerônimo (conhecido por vocês, que estudam teologia).
Eu fui evangélico, ao retornar para a Igreja, eu fui pesquisar a fundo cada coisa que havia ficado em minha formação protestante, e para tudo encontrei respaldo e profundidade, sei que é verdade pelo fruto do Espirito- a paz.Nunca fui de aceitar por aceitar, mas questionava e questionava...
Com relação ao dom da Transverberação, sugiro que leiam e como estudiosos busquem o outro lado, não estou convidando para vir a ser católicos, mas a ampliar o conhecimento antes de emitir um julgamento parcial e totalmente incompleta, a santa na Foto Tereza D'avila, depois de anos ao retirarem o corpo do túmulo encontraram o coração ferido, e o fenômeno foi posto para estudo pelo grande teólogo Bento XVI, que não é dado a "misticismos" infundamentados.Se quiserem podem ler também um dos livros da santa que se encontra em qualquer livraria boa que se prese, pois a mesma é estudada e respeitada por profissionais da Psicologia, filosofia, linguística, teologia em geral, lestras, dentre outras.
Espero que meu comentário seja acolhido como uma contribuição.

Em Cristo, nosso FUNDAMENTO!
Paz!

Alan Alencar

Anônimo disse...

Muito bom o seu comentário irmão Gutierres visto que alguns irmãos procuram colocar certas "experiências espirituais" no lugar da palavra de Deus. Não é raro no nosso meio pentecostal pessoas dizendo coisas do tipo: Irmãos, quando eu fui ver eu já estava em cima do teto da igreja! E por fim, se você não acompanha os "glórias" ou o "fogo" ou o "barulho" que se seguem você logo é taxado de crente frio, bombeiro ou geladeira, e ainda outros insistem e perguntam indiretamente: Mas você não está sentindo nada? Que o Senhor continue lhe usando.

Pedro Santos disse...

Ótimo post Guttierres!!! Precisamos de ensinamentos como este. Infelizmente parece que hoje os nossos obreiros não estão dispostos a pregar (ou simplesmente não tem coragem de enfrentar) esse tipo de problema dentro da igreja. Enquanto isso as barbaridades místicas crescem, tais como vigílias do reteté, movimentos estranhos, e todos com o "alvará" de que são "mistérios" (mistérios muito misteriosos pra ser sincero) e que não se pode tocar. A Paz Querido!!!

César disse...

Mais uma vez, parabéns pela simples reflexão! Quem dera, tivesse no meio pentecostal mais pessoas que ensinasse ainda mais as escrituras! Infelizmente as experiência suplantam as escrituras.

Abraços.

César