domingo, 24 de maio de 2015

O mal da crítica barata

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Quem acompanha este blog sabe que não temos medo da crítica e nem medimos esforços para combater os modismos do meio evangélico. Todavia, é necessário cuidado com a crítica barata, rasteira e apressada. Por que falo isso? Na última semana circulou nas redes sociais a foto abaixo. Nela temos a "Marcha Para Jesus 2015" de Curitiba (PR) observada por um mendigo. Fizeram até um poema refletindo sobre o fato. Todos os comentários falavam do "absurdo" da cena, etc. e tal. Agora eu pergunto: como criticar esses evangélicos se fazemos isso todos os dias? Ora, será que todos os indignados com essa foto param na rua diante de um mendigo para auxiliá-lo?



Há críticas que são, repito, rasteiras e vazias e, também, hipócritas. Infelizmente, criticar o neopentecostalismo virou um hobby capaz de esconder os nossos próprios problemas. Apontar o mal do outro não torna ninguém “do bem”. A nossa apologética, mesmo envolvendo o combate ao neopentecostalismo, deve conter a moderação. É verdade que a “Marcha Para Jesus” deve receber inúmeras críticas, mas não é possível fazê-la com hipocrisia e falso moralismo. Sejamos combatentes da fé, mas nunca esquecendo das nossas próprias limitações. A nossa vida deve ser pautada na modéstia, ainda que estejamos na guerra.

3 comentários:

Anônimo disse...

A paz do Senhor Gutierres!

Parabéns pelo fato do seu blog colocar o dedo em feridas, só que sem ser militante. O crítico, ao contrário do que ensinam, é o que questiona e compara. O militante é aquele que só vê a verdade em sí e no seu grupo. O crítico vê defeitos nos outros e em si mesmo, o militante crê que o outro só por não pertencer ao seu grupo já é defeituoso.
Congrego numa igreja neopentecostal, leio seu blog e vejo vários problemas nela, assim como tem um monte de problemas em igrejas pentecostais e reformadas. Ninguém é "mais salvo" do que ninguém.
Deus te abençoe cada vez mais com sabedoria e com inteligência irmãos do Blog.
Marco Davi

Joseph Arnaldo disse...

Se as pessoas no cotidiano ajudam ou ñ um mendigo eu ñ sei porem, se elas falam de um evangélico q passou por um e nem ligou blz, fica ele por elas, mas passar uma multidão e nenhum ir, por favor não é? Essa historia só tem dois desfechos para essa historia, ou esse grupo é igual a quem publicou ou estão errados mesmo, isso ñ tem defesa, afinal se tirassem uma foto alimentando ou prestando atenção ao mendigo isso ganharia muitos "Likes", mas como não foi isso aguenta calado mesmo q tá todo mundo errado a unica coisa em comum dos hipócritas de lá com os daqui é q vai todo mundo pra o mesmo local e a diferença é q uns acham q ñ e fazem passeatas kkkk

Diego Oliveira Santana disse...

Gostei muito do texto. É lamentável, em meio a tantos ditos cristãos, nenhum estender a mão para beneficiar um morador em situação de rua. Por outro, criticar e não fazer nada para beneficiar quem vive em situações precárias, é uma bela hipocrisia.