sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Os pilares do protestantismo




Por Gutierres Fernandes Siqueira

Quais são os princípios fundamentais do protestantismo? A resposta parece simples, mas a definição é crucial para entendermos a identidade desse ramo da cristandade. É chover no molhado falar que a maior parte dos atuais protestantes não conhecem a base de sua fé e muito menos sua história. No último domingo, por exemplo, antes do sermão do culto noturno eu perguntei para a congregação: “O que comemoramos ontem?” e a resposta de alguns foi: “o Halloween”. Certamente que tal desconhecimento não afeta apenas os meus pares, mas é um mal geral na Igreja Evangélica Brasileira.
Vejamos os cinco fundamentos do protestantismo, pois o dia 31 de outubro não é marcado pelo Halloween ou pelas bruxas, mas pela fé na justiça de Deus.
Somente a Fé. Ao contrário do pensamento moderno, as Escrituras ensinam que o homem é essencialmente mal, e isso qualquer um ancorado na própria realidade pode perceber. Então, como alguém nessa situação de miséria moral e espiritual é declarado inocente diante do Justo Juiz? O protestantismo diz: somente pela fé, ou seja, a justificação vem pela confiança no Cristo Crucificado, naquele que assume toda a nossa culpa e responsabilidade. “O justo viverá pela fé”, disse o profeta hebreu Habacuque ressoado pelo apóstolo Paulo.

Somente a Escritura. A autoridade em matéria de fé do protestante não é a palavra do clérigo, a tradição dos seus avós, a visão do profeta, as resoluções de um concílio, os delírios do vidente, a revelação do carismático, as utopias do revolucionário ou as teorias do cientista social. É tão somente as Sagradas Escrituras, a Palavra do Santo Deus. A Palavra é a autoridade, e não determinada escola de interpretação. O livre exame das Escrituras não significa a livre interpretação ou uma criatividade exegética. Como texto, a Escritura possui uma só mensagem que nos desafia a cada dia.

Somente Cristo. Não há nenhum outro mediador entre Deus e o homem, senão Cristo.  O que liga o homem a Deus não é o sacerdócio do líder religioso, nem a confissão auricular, nem a magia do animista... Todos os homens podem ter o livre acesso a Deus por meio de Jesus Cristo. Todo homem nascido de novo é um sacerdote. O véu do templo já está rasgado!

Somente a Graça. A salvação, entendida como a comunhão eterna com Deus, não é fruto do mérito, do esforço ou das obras humanas. É mérito, esforço e obra apenas e tão somente de Cristo Jesus. A graça é a palavra certa para definir esse novo relacionamento com Deus. É o favor imerecido vindo do Todo Poderoso, o Senhor Soberano que se derrama em misericórdia.

Somente a Deus a Glória. A glória pertence apenas a Ele. Não há líder religioso, político ou militar que mereça as honras que a Deus é devida. Nem os homens virtuosos do passado, nem os virtuosos do presente merecem a exaltação que é dada ao Nome que está acima de todos os nomes.

Sejamos protestantes com fundamento.

4 comentários:

João Emiliano Martins Neto disse...

Esse apego protestante à letra fria de um papel pintado chamado Bíblia é a voragem racionalista e cientificista que estava nascendo na época da Reforma e que redundou na Revolução Francesa, Russa, no comunismo e no nazifascismo que é a tirania do homem sobre o homem e sobre os demais seres, é a sanha do homem que quis ser como Deus. Há uma continuidade histórica evidente de loucuras que iniciaram com a Revolta Protestante.

Só há um mediador entre Deus e os homens e tal mediador é Cristo, mas Cristo não é só, ele tem um corpo que é a Igreja tendo à testa Nossa Senhora, a Madona Santíssima. Nós somos uma raça eleita, um sacerdócio santo junto com Cristo, estando à frente a Theotokos. Até os lenços que São Paulo limpava a boca serviam de mediador, porque eram prolongamentos do mesmo Cristo, a sua Igreja que era perseguida pelo Apóstolo antes da conversão deste.


Roma locuta, causa finita est!

Levi Cruz disse...

"Só há um mediador entre Deus e os homens e tal mediador é Cristo, mas Cristo não é só..." João Emiliano Martins Neto, você está indo de encontro com a Bíblia. SÓ JESUS PODE NOS LEVAR A DEUS, sendo mediador entre nós e Deus. Só Jesus morreu na cruz. Só Jesus ressuscitou. Você está pondo homens e mulheres falíveis ao lado, aliás na TESTA de Jesus? Segundo a Bíblia, meu amado, lá não há santos ou santas. Lá está escrito: "Rei dos Reis e Senhor dos Senhores." Jesus é Deus, querido. Não podemos colocar pecadores, embora justificados e tornados santos como mediadores. Os lenços do Apóstolos também não são mediadores, eles foram instrumentos de cura, não de salvação.
"Roma locuta, causa finita est!", pelo que pesquisei significa: "Roma falou, caso encerrado", parafraseando, claro. Mas, essa é uma afirmação assustadora! Roma ou Deus tem poder de decidir sobre assuntos tão importantes como mediadores, Jesus e Ele mesmo? Irmão, nem Roma, nem Papa, nem nenhum anjo do céu pode mudar o que estabeleceu, ou mesmo acrescentar um til ou um j!
"Deo locuta, causa finita est!"

Em Cristo sempre,
Levi

João Emiliano Martins Neto disse...

Levi, o fato é que os lenços de São Paulo tinham função mediadora e os cristãos muito antes dos protestantes já criam na mediação dos santos tendo a frente a toda santa (panaghia) Santa Maria. No final das contas é sempre Cristo mediando, mas com o seu corpo, a Igreja.

Só não há santos para o Protestantismo que não crê nas boas obras, mas somente na fé sozinha para a salvação, e por isso não crê ser possível o processo de santificação. Isso é um problema, inclusive ético-moral e espiritual dos mais cabeludos, só de vocês protestantes.

Anônimo disse...

Desculpas já de antemão, mas nosso irmão Levi tem toda a razão. Nada está acima de Deus!!!
Emiliano, não se deve falar do jugo quando se está pior, é um ditado que se fala por aqui. Não acredito muito nele, mas reflita um pouco sobre.
E quem disse que nós Protestantes não temos Santos, homens que passaram a rejeitar o mundo e viver só pra Deus. Estes mesmos intercedem por nós sim lá debaixo do trono de Deus, debaixo da autoridade de Deus. Apocalipse 6.9-11

Deo locuto, causa finita est!!!
E o que Deus falou a nós está na Bíblia.

Erivelton da Sila