domingo, 14 de agosto de 2016

“Pentecostes” de Robert P. Menzies

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Nesta semana a CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) lançou o livro Pentecostes: Essa História é a Nossa História do teólogo norte-americano Robert P. Menzies. É a melhor notícia do ano para a consolidação da teologia pentecostal no Brasil. Até então só tínhamos uma obra dele em português onde Robert P. Menzies é coautor com o pai, William, no livro No Poder do Espírito - Fundamentos da Experiência Pentecostal: um Chamado ao Diálogo (Editora Vida). Menzies está entre os melhores teólogos pentecostais do mundo em companhia com outros grandes nomes: Frank Macchia, James Shelton, Roger Stronstad, Steven Jack Land, Amos Yong, Douglas A. Oss, French L. Arrington, Anthony D. Palma etc.

Robert P. Menzies
Robert P. Menzies fez mestrado no Fuller Theological Seminary e doutorado em Novo Testamento pela Universidade de Aberdeen, Escócia, sob a supervisão do grande erudito em estudos neotestamentários I. Howard Marshall. É hoje missionário na China, especialmente em Taiwan, e desenvolve um ministério de ensino teológico em países da Ásia. Ele é autor de diversos livros e artigos acadêmicos e escreve regulamente no Journal of Pentecostal Theology.

O livro Pentecostes não é o mais acadêmico da safra do Menzies. Obras como Empowered for Witness, The Language of the Spirit: Interpreting and Translating Charismatic Terms e Speaking in Tongues: Jesus and the Apostolic Church as Models for the Church Today são bem mais amplas, porém Pentecostes não deixa de ser um belo resumo da teologia pentecostal acadêmica.

O livro é uma análise de como Lucas constrói o Evangelho e Atos dos Apóstolos como um tratado teológico. É interessante como autor relaciona Lucas 10 com Números 11, por exemplo. O teólogo trata como a teologia protestante tradicional faz uma pneumatologia a partir de Paulo enquanto desprezou a riqueza carismática de Lucas. O autor aponta como Lucas segue toda uma tradição veterotestamentária que atribui um papel vocacional ao Espírito Santo, enquanto Paulo atribui especialmente o aspecto soteriológico do Santo Espírito.

Menzies escreve:

Os pentecostais acreditam que há mais a ser dito sobre esse assunto (batismo no Espírito Santo) do que o que está contido nas epístolas paulinas. Afirmamos que Lucas tem uma contribuição única e especial para fazer uma teologia bíblica holística do Espírito. Acreditamos também que a clareza e o vigor da contribuição de Lucas perdem-se quando sua narrativa é lida pelas lentes paulinas. (p. 53)

Rica é também a observação de Menzies sobre o que define ser pentecostal. O autor critica a dependência excessiva da sociologia na definição do pentecostalismo. Ninguém recorre aos estudos sociológicos para explicar o que é ser luterano, calvinista ou católico, mas sim à teologia de cada orientação. Enquanto isso, infelizmente, há uma tendência em desprezar que o pentecostalismo tem uma teologia não apenas pragmática, como diriam os críticos, mas uma teologia com método.

Recomendo o livro aos pentecostais, pois esses precisam conhecer o melhor a sua teologia, e aos críticos sérios do pentecostalismo.

7 comentários:

Sidnei disse...

Irmão Gutierres, bom dia. A paz do Senhor Jesus seja contigo!

Agradeço a divulgação da referida obra, porém não localizei o livro no site da CPAD. Será que ainda será divulgado? Eu trabalho praticamente ao lado da loja Cpadmegastore, no Centro do Rio de Janeiro, pretendo adquirir a obra nesta loja, logo seja divulgado.

Que Deus o abençoe.

Sidnei.

Sidnei disse...

Irmão Gutierres, bom dia. A paz do Senhor Jesus Cristo seja contigo!

Agradeço a divulgação da referida obra, porém não localizei o livro no site da CPAD. Será que ainda será divulgado? O irmão tem alguma informação a respeito?

Que Deus o abençoe.

Sidnei.

Arthur Olinto disse...

Olá! Conheci o blogue de vocês pesquisando sobre Chesterton. Em pleno século XXI, há um grande número de protestantes de alto calibre voltando para a Igreja Católica! Como explicar este fenômeno?

O próprio Chesterton deixou o Anglicanismo para entrar em comunhão com Roma. E ele tem influenciado muita gente, como este jovem batista que escreveu este texto desafiador: http://documents.scribd.com.s3.amazonaws.com/docs/6yosunehhc3mn07f.pdf

Gostaria de saber a opinião de vocês.

Forte abraço.

Em Cristo Jesus.

Arthur

Agnaldo Henrique Barbosa disse...

Com certeza chamo minha atenção e vou providenciar a leitura do mesmo.

Paz do Senhor

Gutierres Siqueira disse...

Sidnei,

Fique atento ao site da CPAD. A qualquer momento passa a vender por lá.

Sidnei disse...

Irmão Gutierres, a Paz do Senhor Jesus seja contigo.

Voltando aqui apenas para informar ao irmão e aos demais leitores que o referido livro já se encontra nas lojas da Cpad. Ainda não foi divulgado no site da Casa Publicadora, acredito que a aquisição da obra, por enquanto, só possa ser feita na loja mesmo.

Sidnei.

Marcelo Alegre disse...

Simples mas eficaz!